.

Legado de Franquias: Metal Gear Solid

Enviado por Evil E., , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original


Metal Gear Solid é uma franquia de Ação Cinematográfica em Stealth, também chamada pelo termo de Operações Táticas de Espionagem. A franquia foi criada por Hideo Kojima, e os jogos são publicados pela Konami. Nela, você controla um soldado que é altamente focado em Infiltração, que dependendo do jogo, pode variar entre Solid Snake, Raiden e Big Boss.

O nome da franquia se dá ao fato de que você tem de caçar armas com capacidade de destruição em massa, que são tanques gigantescos com capacidade de lançar ataques nucleares em qualquer terreno do globo, chamados Metal Gear. A franquia é adorada e prestigiada pelo fato de ter sido a criadora do género Stealth nos jogos, com suas incríveis cenas Cinematográficas, enredos complexos e seus vários temas abordados, desde Política, Guerras, Inteligências Artificiais, Ficção Científica e outros temas.

Estúdios da Franquia


Kojima Productions



Clique para ver a imagem em tamanho original


Kojima Productions foi um estúdio Japonês, criado e liderado por Hideo Kojima, o criador da franquia Metal Gear, em 1987. O estúdio dedicou quase toda sua vida em funcionamento trabalhando nesta IP, mas também criou Zone of the Enders, além de ter participado na produção de Castlevania: Lords of Shadow, e ter lançado a Demo na PlayStation Plus chamada P.T., que viria a ser o Reboot da franquia Silent Hills, no entanto cancelado em 2015.

O estúdio foi responsável por todos os jogos da franquia Metal Gear Solid exceto Metal Gear Rising: Revengeance, na qual o estúdio apenas supervisionou o trabalho da produtora Platinum Games, que desenvolveu o jogo de fato. O estúdio também foi criador da vindoura e grandiosa engine por trás dos últimos jogos da franquia, a Fox Engine, um dos melhores motores gráficos já feitos nessa geração, segundo grandes especialistas da indústria.

Infelizmente, após essa divergência com a Konami ao cancelamento de Silent Hills, a Kojima Productions acabou sendo oficialmente encerrada em Setembro de 2015. Apesar disso, o Hideo Kojima no fim do mesmo ano fundou a Nova Kojima Productions, agora como um estúdio independente, além de ter recontratado uma grande parte de funcionários deste mesmo estúdio, que atualmente produziu sua Nova IP, Death Stranding.

Konami



Clique para ver a imagem em tamanho original


Apesar de atuar principalmente como Publicadora e Editora da franquia, a Konami também produziu alguns jogos da Saga. Antes da formação da Kojima Productions, o estúdio de Hideo Kojima destinado a Metal Gear Solid, a Konami integrava 2 subsidiárias suas do Japão para cordenar com o japonês na produção de seus jogos, sendo assim produzidos os Metal Gear 1 e 2.

Além disso, infelizmente, como a Konami é detentora da IP, em 2018 tivemos o infame Metal Gear Survive, um jogo ''Spin-off'' da franquia, onde controlamos um personagem customizado enfrentando Zumbis. Isso mesmo.

Platinum Games



Clique para ver a imagem em tamanho original


A Platinum Games também tem histórico de desenvolvimento com a franquia, apesar de ser apenas em um jogo. A desenvolvedora de Bayonetta liderada por Hideki Kamiya produziu em 2013 o jogo Metal Gear Rising: Revengeance, um jogo Hack and Slash, onde controlamos Raiden, um dos protagonistas da franquia.

O jogo foi recebido com críticas positivas, apesar de muitos alegarem que ele se destoa demais dos outros jogos da franquia, já que o foco original dela é ser um jogo de Ação Furtiva, no caso, Stealth.

Jogos da Franquia


1987 - Metal Gear



Clique para ver a imagem em tamanho original


Produzido pela Konami no Time de Hideo Kojima, Metal Gear é o primeiro jogo da Série, lançado em 1987 para o MSX2, e posteriormente portado para o SNES. A História do jogo se ocorre em 1995, numa região florestal da África do Sul, em Outer Heaven, uma fortaleza criada por um soldado veterano. Ele era temido em todo o mundo, tanto por seus aliados quanto por seus inimigos. As nações ocidentais temem que Outer Heaven tenha em seu poder uma arma capaz de mudar a história das guerras. As Nações Unidas entram em contrato com a Foxhound, para cuidar da situação. O comandante da agência, Big Boss, encaminha o seu melhor soldado, Gray Fox.

Alguns dias depois, Gray Fox envia apenas duas palavras para seus superiores: Metal Gear! As Nações Unidas, mais uma vez, entram em contato com a Foxhound e, então, Big Boss envia Solid Snake, um novato, porém muito talentoso. Iniciando a operação Intrude N313, Snake se infiltra na base, logo após ele encontra Diane e Jennifer, membros da resistência contra Outer Heaven. Com a ajuda delas, Snake consegue resgatar Gray Fox, que explica os fatos envolvendo o Metal Gear. Trata-se do primeiro blindado capaz de operar em qualquer terreno e lançar mísseis nucleares. Literalmente, um Metal Gear conseguiria mudar os rumos de uma guerra.

Com o Metal Gear em seu poder, Outer Heaven estava tentando estabelecer a superioridade militar sobre todo o mundo. A missão de Snake, agora, é destruir o Metal Gear. Para isso, ele deve encontrar o engenheiro chefe do projeto, Dr. Drako Madnar Pettrovich. Ellen, filha do doutor, havia sido sequestrada para que o engenheiro construisse o blindado. Pettrovich ensina a Snake como destruir sua criação, entretanto, conforme Snake se aproxima do centro de controle de Outer Heaven, algumas armadilhas têm de ser sobrepujadas, como se estivessem esperando por ele.

O líder da resistência contra Outer Heaven, Kyle Schneider, morre em combate e Snake fica gravemente ferido. Ele é levado para uma prisão 100 andares abaixo da terra, e então, Snake consegue escapar e encontrar o Metal Gear. Ele destrói a máquina, poucos instantes de a missão ser encerrada. Durante sua fuga, Snake encontra Big Boss, o líder da agência ri de Snake e revela a verdade por trás da operação. Desde que entrou no comando da Foxhound, Big Boss estava usando suas ligações no governo para corromper e roubar informações confidenciais, financiando suas atividades.

O objetivo era fazer de Outer Heaven a nação mais poderosa do mundo, tendo ele como líder. Big Boss decidiu enviar Solid Snake na esperança de que este fosse capturado e desse ao governo dos EUA informações falsas, mas subestimou as capacidades de Snake, não imaginando que ele poderia chegar tão longe, o que o fez admitir que Snake é um dos melhores. Big Boss ativa a autodestruição de todo o complexo, enquanto a fortaleza é destruída, os dois se digladiam numa luta mortal, mas somente Snake sai andando.

Na gameplay do jogo, nos controlamos o Solid Snake por toda a Outer Heaven, enquanto evita contato e confronto direto com as sentinelas que patrulham as áreas. Se o jogador for visto, o jogo entrará no Modo de Alerta. Nessa situação, o jogador deve se esconder até que a situação volta ao status Normal. Metal Gear foi quem criou esse tipo de mecânica, onde se uma (!) aparecer na tela, você irá ser procurado, pois foi visto por alguém, e se aparecer 2x (!!), os inimigos irão atirar em você.

A base inimiga consiste em três diferentes construções, com vários andares cada uma. O jogador deve usar cartões de acesso e outros itens para destravar as portas, que só serão abertas com seus respectivos cartões de acesso. Também aparecem chefes de cenário para impedir o progresso do jogador. As informações podem ser obtidas ao resgatar reféns nas construções.

Metal Gear acabou por se tornar uma obra aclamada pela indústria naquele ano, com um forte enredo, e mecânicas únicas de Gameplay até sua data, o jogo deu estreia ao género Stealth nos jogos, além de suas incríveis cinemáticas terem ajudado no processo. Com uma média de 79 nas Reviews, e mais de 2.6 Milhões de Unidades vendidas, Metal Gear foi um marco de sua década, e foi aí que a jornada desta grande franquia começou.

1990 - Metal Gear 2: Solid Snake



Clique para ver a imagem em tamanho original


Após o grande sucesso do primeiro jogo em 1987, era esperado que após algum tempo o jogo receberia sua sequência, e foi o que aconteceu, Metal Gear 2: Solid Snake se passa cronologicamente após o Metal Gear original, e evolui tudo do jogo original, sendo produzido e publicado pela Konami.

Situado em 1999, alguns anos após os eventos do jogo original, Solid Snake deve se infiltrar em um território altamente defendido conhecido como Zanzibar Land para resgatar um cientista sequestrado e destruir o Metal Gear D revisado. O jogo evoluiu significativamente o sistema de Stealth do seu antecessor de quase todos os modos, introduziu uma história complexa que lida com temas como a natureza da guerra e da proliferação nuclear, e é considerado um dos melhores jogos de 8 bits já feitos.

O Metal Gear 2 se baseia no Stealth igual ao jogo antecessor. Como no Metal Gear original, o objetivo do jogador é se infiltrar na fortaleza do inimigo, evitando a detecção de soldados, câmeras, sensores infravermelhos e outros dispositivos de vigilância. A maior mudança no jogo foi feita nas habilidades do inimigo. Em vez de permanecer estacionado em uma tela como no primeiro jogo, os soldados inimigos agora podem patrulhar telas diferentes em um único mapa.

Além disso, os guardas agora têm um campo de visão expandido de 45 graus, juntamente com a capacidade de virar a cabeça para a esquerda ou direita para ver na diagonal. O inimigo também pode detectar sons, com o inimigo capaz de ouvir qualquer ruído emitido pelo jogador, como um soco na parede e tiros feitos sem um supressor, e investigará a fonte do som assim que for feito. Além disso, o inimigo também podem detectar sons emitidos pelo jogador andando em certas superfícies, o que significa que os jogadores precisam ter cuidado com as superfícies em que pisam.

Sobre o enredo, uma grande crise do petróleo afeta seriamente a economia global no final dos anos 90, com os depósitos de gasolina se esgotando mais rapidamente do que as estimativas anteriores. Os esforços para adotar fontes alternativas de energia ou as tentativas de perfurar mais petróleo não são suficientes. Para combater o problema, o cientista tcheco Dr. Kio Marv projetou uma nova espécie de alga, a OILIX, que poderia produzir hidrocarbonetos de grau petrolífero com pouco custo e esforço. Ele revela as algas para a Conferência Mundial de Energia em Praga e estava a caminho de uma manifestação nos Estados Unidos quando foi sequestrado por soldados de Zanzibarland, um país da Ásia Central estabelecido em 1997 após uma bem-sucedida guerra de independência contra a União Soviética.

A OTAN descobre que os líderes de Zanzibarland planejam manter o refém mundial controlando o suprimento de petróleo através da OILIX armas nucleares saqueadas de antigos estoques marcados para desmantelamento à luz dos esforços globais em direção ao desarmamento nuclear. O novo comandante da Foxhound, Roy Campbell, retira Solid Snake da aposentadoria e o envia para Zanzibarland para resgatar Dr. Marv na véspera de Natal de 1999, e então, tudo se inicia.

A versão de MSX2 do Metal Gear 2 foi lançada no Japão em 20 de julho de 1990. Ao contrário do primeiro jogo para o MSX2, nenhuma localização oficial em inglês foi produzida (como a Konami já havia interrompido as vendas de seus jogos MSX na Europa), embora uma tradução para fãs tenha sido posterior produzido em 1997 pelo grupo hobbyista MSX G&T International. Outra curiosidade do jogo, é que sua Trilha Sonora foi dessa vez mais refinada, se aproveitando melhor do Hardware do MSX2, criando assim trilhas e músicas que foram destaque da franquia por muitos anos a seguir, sendo produzida por Masahiro Ikariko, Mutsuhiko Izumi, Yuko Kurahashi, Tomoya Tomita, outra curiosidade, é que muitos desses Compositores também foram transferidos para a futura franquia Silent Hill.

Metal Gear 2: Solid Snake foi recebido com críticas muito positivas pela Comunidade e Mídia. O jogo foi muito elogiado pela sua evolução no Sistema Stealth, com ainda mais realismo e opções, tanto para o Jogador quanto na IA, totalizando uma média de 86, e cerca de 3.3 Milhões de Unidades vendidas.

1998 - Metal Gear Solid



Clique para ver a imagem em tamanho original


A grande entrada de Metal Gear Solid também é marcada por ser o primeiro título da franquia a ser lançado exclusivamente para o PlayStation 1. O jogo foi produzido e publicadl pela Konami em 1998, e foi ai que os grandes pilares da franquia se ergueram, além da grande bagunça na linha do tempo original da Série.

A história de Metal Gear Solid acontece alguns anos depois de seu antecessor, Metal Gear 2: Solid Snake, em 2005, e dois anos antes de Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty, quando a Foxhound lidera uma revolução nuclear em uma ilha remota do Alaska, chamada Ilhas Fox. Esta ilha, de codinome Shadow Moses, é o local de uma instalação de eliminação de armas nucleares. As forças especiais que se apoderaram da ilha tomaram posse do mecha nuclear Metal Gear REX, e estão ameaçando o governo dos Estados Unidos da América com um ataque nuclear, caso eles não recebam os restos mortais do mercenário lendário Big Boss em menos de 24 horas.

No início do jogo, Solid Snake foi encarregado da operação, a pedido do coronel Roy Campbell, para infiltrar-se nas defesas dos terroristas e neutralizar a ameaça. Snake também é ordenado a localizar alguns reféns, que incluem o chefe da DARPA, Donald Anderson, e o presidente da ArmsTech, Kenneth Baker. A sobrinha do coronel Campbell, Meryl Silverburgh, também está aprisionada na instalação, tendo recusado a se juntar à revolta. Snake chega à instalação e vê Liquid Snake partindo num helicóptero. Depois disso, Solod Snake consegue entrar na instalação e recebe uma ligação do seu suposto ex-treinador, Kazuhira Miller, que lhe relembra algumas dicas de infiltração. Eventualmente, ele consegue localizar o chefe da DARPA em uma cela.

Donald informa a Snake que a nova unidade do Metal Gear REX está armazenada na instalação e lhe diz como ele pode prevenir o seu lançamento usando um código secreto de detonação. Com isso, de repente, Donald morre, aparentando ter sofrido um ataque cardíaco. Meryl, que está presa na cela ao lado, consegue se libertar e ajuda Snake em sua fuga, já que soldados inimigos foram alertados de sua presença.

Snake então encontra o outro refém, Kenneth Baker, amarrado a fios que detonariam um conjunto de explosivos C-4. Revolver Ocelot o desafia para um duelo, o qual é interrompido por um misterioso ninja ciborgue, que decepa a mão direita de Ocelot. Baker resume o projeto do Metal Gear para Snake, e o aconselha a contatar Meryl, a quem ele tinha dado o PAL card que podia ser usado para impedir o lançamento. Após isto, exatamente como o chefe da DARPA, Kenneth sofre um ataque cardíaco.

Snake consegue contatar Meryl via Codec e eles planejam um encontro na área de armazenamento de ogivas da base, sob a condição de ele fazer contato com o engenheiro-chefe do Metal Gear primeiro, Hal Otacon Emmerich, começando aí, toda a trama do jogo.

Apesar da transição aos gráficos 3D, a Gameplay de MGS permanece semelhante ao de seu antecessor em 2D, lançado para MSX2, Metal Gear 2: Solid Snake. O jogador deve controlar Solid Snake pelas áreas do jogo sem ser visto pelos inimigos. Se o jogador mover-se para dentro do campo de visão de algum deles, ou ao alcance de alguma câmera, o alarme será disparado, fazendo com que vários inimigos armados venham averiguar. Isto ativa o Modo de Alerta, onde o jogador deve esconder-se e permanecer assim até que o Modo de Evasão comece. Assim que o contador deste último modo zerar, o jogo retorna ao Modo Normal, onde inimigos não suspeitam de sua presença. O radar não pode ser usado nos modos de Alerta e Evasão.

Para permanecer oculto, o jogador deve usar principalmente o ambiente, como arrastar-se sob objetos, usar caixas para se esconder, abaixar-se ou esconder-se atrás de paredes e fazer barulho para distrair inimigos. Tudo isto é feito com uma visão em terceira pessoa, que geralmente muda seu ângulo para dar ao jogador a melhor visão possível da área, e com o radar, Soliton, criado por Mei Ling, que mostra os inimigos e seus respectivos campos de visão. Snake também pode usar uma variedade de equipamentos, como óculos infravermelhos ou uma caixa de papelão como disfarce. A ênfase em Stealth traz uma forma menos violenta de jogabilidade, já que lutas contra grupos de inimigos geralmente resultarão em sérios danos ao jogador.

Metal Gear Solid recebeu posteriormente 2 versões diferentes do mesmo jogo, vamos falar delas separadamente. A primeira, Metal Gear Solid: Integral, é um porte do jogo original lançado para PlayStation, essa versão foi produzida e publicada pela Microsoft Game Studios, um ano depois do lançamento original do jogo para o console da Sony, essa versão foi muito elogiada pela Crítica e pelos jogadores na sua época, sendo motivo da grande expansão da franquia para mais dispositivos.

MGS também recebeu um Remake, intitulado Metal Gear Solid: The Twin Snakes, essa versão foi produzida Silicon Knights sob a supervisão de Hideo Kojima, e lançada em 2004, para Nintendo GameCube. As cinemáticas do jogo foram produzidas pela Konami, e dirigidas pelo Cineasta japonês Ryuhei Kitamura, sendo motivo de muitos elogios por todos, seja pela sua grande evolução gráfica perante o jogo original, seja pela qualidade de Cutscenes ou pela qualidade de sua época, sendo usadas e evoluídas ao longo fos outros jogos da série gradativamente, além de terem sido usadas como inspiração para muitos outros Cinematográficos.

A trilha sonora de MGS foi composta por músicos da Konami, incluindo Kazuki Muraoka, que também trabalhou em Metal Gear. A compositora Rika Muranaka criou uma música chamada The Best is Yet To Come para a seqüência do final do jogo e os créditos. A música é cantada em escocês por Aoife Ní Fhearraigh. A música-tema principal foi composta por TAPPY e também foi usada em Ape Escape 3. A música tocada durante o jogo possui um sentimento sintético com ritmo elevado e introdução de instrumentos musicais de corda durante momentos tensos, com um estilo de loop endêmico a jogos eletrônicos. Música notoriamente cinemática, com elementos mais fortes de coro e orquestra, é tocada em cenas do jogo. A trilha sonora foi lançada em 23 de setembro de 1998.

Metal Gear Solid foi recebido com elogios massivos da Crítica e da Comunidade de Jogadores, sendo considerado até hoje como um dos melhores jogos já lançados para PlayStation, o jogo firmou a franquia MGS no mercado definitivamente, com um sucesso estrondoso com a Média de 94, e mais de 7 Milhões de Unidades vendidas.

2001 - Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty



Clique para ver a imagem em tamanho original


Dando entrada a uma nova geração, agora no PlayStation 2, o Metal Gear Solid 2 é entrada da franquia para um novo console, lançando em Novembro de 2001. O jogo foi desenvolvido pela Konami Productions Japan, que posteriormente se transformou na Kojima Productions, e foi publicado pela Konami. MGS 2 também marca a entrada de Yoji Shinkawa a franquia, um Artista Sênior Japonês que ficou famoso pelo seu trabalho na franquia Metal Gear, com artes únicas até então no mercado.

A história se ambienta em uma instalação de limpeza marítima que foi tomada por terroristas que se autodenominavam Sons of Liberty. Eles exigem um resgate em troca da vida do presidente dos Estados Unidos, enquanto que ameaçam destruir a instalação e criar um desastre ambiental cataclísmico se as exigências não forem atendidas. Os objetivos e identidades de muitos dos antagonistas e aliados são trocados rapidamente, conforme os protagonistas vão descobrindo informações sobre uma conspiração mundial construída por uma organização conhecida como os Patriots. O protagonista de MGS2 é o agente novato Raiden. Fato curioso de se lembrar sobre este fato, é de que MGS2 havia recebido campanhas de Marketing e Propagandas referentes somente à Solid Snake, protagonista dos outros 3 jogos anteriores da franquia, mas ao jogá-lo, descobrimos que assumimos o papel de Raiden. Acontece que controlamos Solid Snake apenas nos primeiros 30 minutos do jogo, para logo depois ele ser substituído por Raiden, o protagonista principal do jogo.

Quatro anos após os eventos em Shadow Moses, Nastasha Romanenko lançou uma coletânea de livros falando sobre o ocorrido, consequentemente, Solid Snake foi aclamado como herói em todo o mundo. Snake, no entanto, abandonou o governo e agora trabalha junto com Otacon em uma ONG chamada Phylantrophy, destinada a caçar qualquer Metal Gear existente. Otacon recebe um e-mail relatando o transporte de um novo modelo Metal Gear através do Rio Hudson, sob a autoria da Marinha Americana. Snake vai até o navio Discovery averiguar tal informação. O objetivo era apenas confirmar, e caso fosse verdade, fotografar o modelo para apresentá-lo ao mundo. Minutos depois de Snake entrar no navio, Revolver Ocelot aparece, junto com um de seus aliados, Sergei Gurlukovich, e os dois invadem o navio juntamente com seus soldados terroristas soviéticos, matando alguns membros da marinha e sequestrando o ambiente. Após passar desapercebido pelos guardas terroristas, Snake infiltra a conferência do novo Metal Gear, apresentado pelo comandante da marinha, tomando o máximo cuidado possível para não ser notado e confundido com um invasor soviético, enquanto fotografa o modelo e envia suas fotos para Otacon, mas logo após Snake enviar todas as fotos e o comandante finalizar seu discurso, as tropas terroristas invadem o ambiente juntamente com seus líderes. Ocelot rouba o robô, afunda o navio, e Snake é dado como morto.

Dois anos se passam, e somos apresentados a Raiden, um jovem agente que se infiltra numa instalação de tratamento marítimo chamada Big Shell, com a ordem de resgatar o presidente americano, James Johnson e, se possível, cerca de outros 30 reféns. Um grupo terrorista intitulado Sons of Liberty , dominaram a instalação e exigiram dinheiro em troca da vida do presidente. Junto com o SoL estão a antiga unidade antiterrorista Dead Cell, composta por: Fortune, armada com um canhão de prótons e com a estranha habilidade de refletir projéteis,Fatman, um excêntrico especialista em explosivos, e Vamp, aparentemente um vampiro imortal. Ainda do lado dos terroristas, está uma tropa de militares russos renegados, que agora respondem ao comando de Olga Gurlukovich, filha de Sergei, que Ocelot matou dois anos antes. Além de Raiden, o governo enviou duas equipes dos Fuzileiros para resgatar o Big Shell, eles levaram Peter Stillman, uma lenda na polícia e antigo instrutor de Fatman. Raiden não deve deixar-se ver nem contar com a ajuda dos soldados. O único fuzileiro que entra em contato com Raiden é Iroquois Pliskin, que o reconhece como agente da Foxhound e passa a ajudá-lo esporadicamente durante a missão. Agora, o inexperiente Raiden tem de completar sua missão, resgatando o presidente, nem que isso lhe custe sua vida.

Metal Gear Solid 2, assim como o MGS anterior a este, ganhou uma nova versão logo no ano seguinte, em 2002, chamada Metal Gear Solid 2: Substance. Essa versão inclui missões bônus ao jogo original, as Snake Tales, que são missões distintas em que controlamos o Solid Snake, e um mini game similar a Tony Hawk Pro Skater, chamado Skateboarding mode. MGS 2 Substance foi lançado exclusivamente para o Xbox, ganhando versões futuras para outros consoles numa remasterização futura.

No quesito Gameplay, MGS 2 trouxe muitas das similaridades presentes no jogo anterior, de PlayStation 1, sendo agora destaque os novos gráficos de maior qualidade, e o jogo carregar o subgênero na qual criou, chamado Tactical Espionage Operations. O modo de FPS permite aos jogadores direcionar pontos específicos no jogo, expandindo bastante as opções táticas, os guardas podem ser cegados pelo vapor, distraídos por um pedaço de fruta voador ou atingidos em pontos fracos. Os jogadores podem andar devagar, permitindo que eles se esgueirem por pisos barulhentos sem fazer barulho ou passem pelas passarelas para passar por baixo dos pés dos guardas, expandindo a mecânica Stealth e dando ainda mais realidade ao combate furtivo, algo muito revolucionário daquele ano.

Outras habilidades incluíam pular e pendurar em trilhos, abrir e se esconder em armários de armazenamento e esgueirar-se atrás dos inimigos para segurá-los sob a mira de armas em busca de itens e munição. Os jogadores podem disparar o rádio do inimigo, então eles são incapazes de se comunicar com os outros em seu time. O ambiente também tem um impacto mais significativo na jogabilidade furtiva, levando em consideração fatores como clima, cheiro, atmosfera e temperatura. No Metal Gear Solid 2, os guardas inimigos recebem IA mais avançada para evitar um desequilíbrio de poder, e, ao contrário do Metal Gear Solid original, trabalham em esquadrões. Eles chamam seus rádios para uma equipe de ataque ao ver o jogador, depois tentam flanquear ele e interromper sua fuga, evitando os ataques do jogador. Muitas vezes, as equipes de ataque carregam coletes à prova de balas e escudos de defesa, tornando-as uma ameaça maior.

Como o MGS Original havia feito um sucesso estrondoso em sua época, as expectativas em cima de sua sequência não seriam diferente, e felizmente, isso foi atendido. O jogo marcou seu ano, com uma Média de 96 entre todas as análises, elogiando sua inovação e melhorias no combate furtivo, a ótima introdução de um novo protagonista para a franquia, e a melhoria gráfica pertante o jogo original. Metal Gear Solid 2 também foi um sucesso de vendas, faturando 85 Milhões de Dólares na sua semana de estreia, contendo mais de 8 Milhões de Unidades vendidas naquele ano.

2004 - Metal Gear Solid 3: Snake Eater



Clique para ver a imagem em tamanho original


Facilmente sendo o meu jogo favorito de toda a franquia, e sendo cronologicamente o início dela inteira, Metal Gear Solid 3: Snake Eater chega em 2004 para o PlayStation 2. O jogo dá um marco de entrada a um novo cenário, a União Soviética, além de ter uma das melhores Trilha Sonoras de toda a Saga até então, além disso, foi naquele ano o maior jogo que já presenciou um número tão árduo de dubladores e atores originais, popularizando isso na indústria.

O protagonista de MGS 3, Naked Snake, é um ex-agente da CIA e das Forças Especiais dos Estados Unidos, Boinas Verdes. Durante a missão, Major Zero, um ex-membro do Serviço Aéreo Especial, ajuda Snake ao dar conselhos para a missão e táticas de batalha. O jogo se passa durante a Guerra Fria em 1964, quando Naked Snake, é enviado às florestas da União Soviética. Auxiliado pelo rádio por Major Zero, Para-Medic e sua ex mentora, The Boss, sua missão é resgatar um cientista soviético traidor chamado Sokolov, que está secretamente desenvolvendo um tanque equipado nuclearmente, chamado Shagohod. A missão prossegue normalmente até que The Boss trai os Estados Unidos e entrega duas miniaturas de mísseis nucleares Davy Crockett a seu novo benfeitor, Coronel Volgin. Sokolov é capturado de volta pela Unidade Cobra e Snake é gravemente ferido em combate corporal contra The Boss, na qual ela domina muito melhor as técnicas de CQC, que ela mesmo tinha ensinado a Snake. Tal cena se passa numa ponte estreita, onde Snake é jogado e cai no rio, dessa forma, permitindo a Volgin e seu grupo de soldados escaparem com o cientista. Volgin usa um dos mísseis nucleares para encobrir o seu roubo, destruindo o laboratório de Sokolov, fazendo a culpa cair sobre a The Boss.

Após os radares soviéticos captarem o sinal da aeronave usada para levar Snake aos territórios soviéticos, a União Soviética declara os Estados Unidos como o responsável pelo ataque atômico, levando ambas as nações à beira de uma guerra nuclear. Durante uma ligação entre o presidente dos Estados Unidos, Lyndon Johnson e o primeiro-ministro da União Soviética Nikita Khrushchev, é feito um acordo em que é dado uma chance aos Estados Unidos de provar a sua inocência e, assim, evitar o confronto. Os Estados Unidos concordam em impedir Volgin, destruir o Shagohod que foi roubado e eliminar a traidora americana, The Boss. Uma semana após ser resgatado da região, Snake é novamente enviado às florestas tropicais soviéticas como parte da Operation Snake Eater para cumprir as promessas dos Estados Unidos. Durante a missão, ele adquire a assistência de uma outra desertora americana, a ex-agente da NSA, de codinome EVA, que saiu de tal agência alguns anos atrás.

O enredo de MGS 3 é até hoje considerado um dos, se não o melhor de toda a franquia, com momentos épicos de muita ação, furtividade, além da introdução a dimensão enorme de novos personagens a franquia. Originalmente, o jogo estava planejado para ser título de lançamento do PlayStation 3, mas devido a atrasos da Sony perante a má recepção do console e ao sucesso estrondoso do PS2, o jogo acabou por sair neste Console. O jogo também manteve a tradição da franquia de após um ano ganhar uma nova versão, ganhando as Virtual Missions, o codename MGS 3: Substance, e chegando a novos consoles, como o Xbox, que recebeu o título mais uma vez com exclusividade.

Como também mencionei acima, pra sua época, MGS 3: Snake Eater foi um grande sucesso para a entrada de atores no desenvolvimento de jogos, com um elenco grande de 17 Atores, o jogo foi o que marcou o personagem Snake com ao grandioso ator David Hayter, que esteve presente desde então em todos os jogos da franquia, exceto MGS V, devido a problemas entre ele e Hideo Kojima, no qual mencionaremos quando formos falar deste jogo. MGS 3: Snake Eater, como citei, tem uma das melhores trilha sonoras de toda a Saga, sendo composta por Gregson-Williams, sendo grande destaques as faixas de música ''Way to Fall'', ''Snake Eater'', e ''Don't be Afraid'', só de lembrar de algumas delas já causa arrepios.

O modo online de Metal Gear Solid 3: Snake Eater foi lançado em 2008, em sua versão MGS 3 Substance, e numa versão Stand alone, chamada Metal Gear Online, o jogo consiste em cinco modos de jogo baseados em torneios, cada um com a capacidade de juntar oito jogadores de uma só vez. Este modo reúne jogadores, cada um como um soldado qualquer, jogando contra eles mesmos em batalhas deathmatch e variações de capturar a bandeira, usando cenários, itens, manobras e unidades, como a KGB, GRU ou Ocelot do jogo principal. Dependendo das configurações do servidor, cada jogador de maior pontuação em uma rodada automaticamente assume o papel de um dos personagens principais, ou Reiko Hinomoto de Rumble Roses, recebendo habilidades ou itens únicos na próxima rodada.

No quesito Gameplay, a jogabilidade de Snake Eater é semelhante à dos jogos anteriores da série Metal Gear Solid. Snake, sendo controlado pelo jogador, deve mover-se por um ambiente hostil e cheio de inimigos sem ser notado. Apesar de Snake adquirir várias armas, abrangendo de pistolas a lançadores de granadas, a ênfase está em usar o stealth para evitar combates. Um número de objetos e ferramentas podem ser encontradas pelo caminho para ajudá-lo em tal tarefa, incluindo detectores de movimento, para detectar soldados, e a caixa de papelão tradicional da série Metal Gear, no qual Snake pode se esconder para que não seja visto. Apesar das semelhanças fundamentais, Snake Eater introduz vários novos aspectos de jogabilidade que não estavam presentes em títulos anteriores, incluindo camuflagem, um novo sistema de combate corpo-a-corpo chamado "close-quarters combat" ou "CQC", uma barra de energia, além da de vida, e um sistema de ferimento e tratamento.

Aproximadamente dois-terços do jogo são ambientados em uma floresta tropical fictícia da União Soviética, e usar este variado ambiente ao máximo a favor do jogador é geralmente a chave para o sucesso no jogo. Uma das novas características, em particular, é a ênfase colocada na camuflagem e o uso do ambiente ao redor, por exemplo, subir em árvores ou esconder-se em grama alta, para evitar ser visto pelo inimigo. O radar avançado dos jogos anteriores foi removido em troca de um simples detector de movimentos e um sistema sonar que se encaixava melhor à época em que Snake Eater se passa. Um valor em percentual chamado indicador de camuflagem, mostra a visibilidade de Snake, em uma escala de valores negativos, facilmente visível, a 100%, completamente invisível, para os inimigos).

Para minimizar a visibilidade do personagem, o jogador deve trocar de camuflagem e usar de pinturas faciais para conseguir misturar-se ao ambiente, por exemplo, usar um uniforme com aspecto de cascas de árvore enquanto se está encostado em uma, ou usando uma pintura facial verde-listrada quando se escondendo em grama alta. Outros dispositivos para camuflagem, como uma máscara de um crocodilo Gavial para diminuir as chances de ser detectado na água, também se fazem disponíveis. O combate de curto alcance dos jogos anteriores foi amplamente aperfeiçoado e expandido ao sistema de CQC. Quando desarmado ou usando uma arma compatível com tal estilo de luta, pistolas ou facas, Snake pode agarrar os oponentes e imobilizá-los com uma chave-de-braço, em qual ponto uma variedade de atos podem ser executados, como asfixiar o oponente à inconsciência ou morte, ou interrogá-los com uma faca para obter informações.

MGS 3: Snake Eater apesar de todos os elogios, melhorias, e evoluções no geral, não conseguiu conter vendas tão satisfatórias quanto as dos 2 jogos anteriores. Com apenas 3.9 Milhões de Unidades vendidas, foi questionado aí alguns motivos pelos quais levaram a isso, sendo destaque, muitas reclamações a sua data lançamento, em Dezembro de 2004. Apesar disso, o jogo foi muito aclamado pela mídia no geral, com uma Média de 91.

2004 e 2005 - Metal Gear Acid 1 e 2



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sim, Metal Gear Solid contém um Spin-off dedicado ao formato de cartas colecionáveis. Parece um pouco cômico, mas os jogos tem sua qualidade. Os 2 únicos jogos dessa subsérie foram lançados em 2004 e 2005, produzidos pela agora chamada Kojima Productions, e publicados pela Konami para PSP.

O Acid se concentra nas táticas baseadas em turnos, usando um sistema baseado em cartões comerciais para controlar os movimentos e ações do personagem principal. Acid no nome significa "Duelo de Inteligência de Comando Ativo". As cartas não são verdadeiramente colecionáveis, pois o jogo termina com uma única compra. No entanto, o jogo apresenta elementos de design e otimização de baralho. O jogo permite jogabilidade multiplayer através de conexões ad hoc sem fio de dois PSPs.

Antes de cada rodada, o jogador pode personalizar o baralho de cartas usado pelos personagens principais. A maioria das cartas é baseada em elementos que abrangem toda a série Metal Gear, como armas, personagens e até o próprio Metal Gear. Quando o jogo é iniciado, a mão do jogador pode consistir em um máximo de seis cartas. O número máximo de cartas em um baralho aumenta com o progresso geral. No modo de ação, o jogador pode escolher usar as cartas como pretendem ou usá-las para mover o personagem. A maioria das cartas permite apenas que o jogador mova três espaços, enquanto certas cartas permitem que o jogador se mova até seis ou mais.

O custo é um fator importante no jogo e pode ser resumido como o peso da ação do jogador. Com algumas exceções, todas as cartas têm um custo associado a elas e, quando usado, esse custo é transferido para o jogador. O custo varia radicalmente de cartão para cartão. Quanto maior o custo de um personagem, mais ele deve esperar até o próximo turno. Quanto menor o custo de um personagem, menor ele deve esperar até o próximo turno. Por exemplo: se um personagem jogador tiver um custo de 10 e um guarda um custo de 15, o turno do personagem ocorrerá antes do guarda.

No quesito em enredo, o jogo se passa em 2016, quando um avião jumbo com o senador Hach, um importante político e provável candidato à presidência, é sequestrado por terroristas. Em troca do senador, os terroristas exigem do governo dos Estados Unidos Pitágoras, um projeto de pesquisa que está sendo realizado na República Moloni, no sul da África. Nos esforços para identificar esses terroristas, o governo inicia uma investigação de Pitágoras.

O governo Moloni se recusa a cooperar e trabalhar com os Estados Unidos, dizendo que não quer interferir nos assuntos atuais. Em resposta, os EUA enviam uma equipe secreta de forças especiais para investigar, mas a equipe é destruída pela resistência armada. Sem outras opções e tempo, o governo dos EUA chama Solid Snake para se infiltrar no laboratório, descobrir a natureza de Pitágoras e resgatar o senador Hach.

Apesar de simples, os 2 jogos foram recebidos com críticas positivas, com uma média de 75 pela Mídia, e pouco mais de 1 Milhões de Unidades vendidas entre os dois jogos, o que rendeu alguns elogios pela simplicidade, e ser um jogo mais ao estilo de diversão do que propriamente algo dedicado ao foco principal da Saga.

2006 - Metal Gear Solid: Portable Ops



Clique para ver a imagem em tamanho original


Lançado exclusivamente para PSP, e depois portado para o PS Vita, Metal Gear Solid: Portable Ops cronologicamente é o segundo jogo de toda a trama, se passando após os eventos de MGS 3: Snake Eater. O jogo foi produzido pela Kojima Productions e foi publicado pela Konami em dezembro de 2006.

Ambientado em 1970 na América do Sul, mais especificamente na Colômbia, seis anos após os eventos de Snake Eater, o jogo se foca nos atos de Naked Snake após a sua ex-unidade, a Foxhound, tornar-se renegada. O jogo também acompanha os eventos que proporcionaram a fundação da Foxhound e dos Patriots, como também a inspiração do estado militar Outer Heaven.

A unidade Fox, começou a ser vista pela CIA como uma ameaça à paz mundial. Snake se torna um alvo da Fox, que envia vários soldados para capturá-lo. O jogo começa com ele sendo interrogado por um dos membros da Fox, o Tenente Cunningham, que queria localizar a outra metade do Philosopher's Legacy. Como os EUA já havia adquirido a metade que estava com a União Soviética, Snake é aprisionado em uma cela perto da de Roy Campbell, o único sobrevivente de uma equipe de Boinas Verdes que foi enviado para investigar o local. Roy diz que eles estão na península de San Hieronymo, a sede de um silo de mísseis abandonado, na Colômbia. Os dois conseguem escapar e Snake traça seu caminho à base de comunicações, onde tenta contatar seu velho comandante, Zero. Ao invés disso, ele é saudado por seus antigos companheiros na Fox, Para-Medic e Sigint, que revelam que ele está sendo acusado de traição e que a única maneira de se inocentar é apreender o líder da rebelião, Gene.

Para complicar mais, Gene também convenceu alguns soldados do Exército Vermelho a se juntarem a ele. Para conseguir ter sucesso, Snake deve persuadir quantos soldados inimigos puder a juntar-se a ele devido à escala dos problemas. Snake e o seu esquadrão conseguem derrotar os maiores membros da Fox e eventualmente conseguem chegar até Gene. Snake toma conhecimento de vários fatos em seu caminho. Cunningham estava trabalhando para o Pentágono e queria que Snake pressionasse Gene para lançar um míssil nuclear na Rússia, para prolongar a Guerra Fria, contudo, Gene estava ciente deste plano desde o começo graças às informações dadas por Ocelot. O que Gene realmente queria era lançar um míssil nuclear nos EUA para destruir os Philosophers e criar sua própria nação de soldados, a Army's Heaven.

Apesar do console limitado, Portable Ops mantém as principais mecânicas de espionagem dos jogos anteriores da franquia, utilizando o sistema de câmeras da edição Subsistence do jogo. A principal adição ao MPO é o sistema de camaradas. Em vez das missões solo dos jogos anteriores do MGS, o MPO adota uma abordagem baseada em esquadrões, com Snake tendo que recrutar aliados e formar uma equipe de especialistas treinados. Antes de cada missão, o jogador deve compor um esquadrão de quatro homens. O esquadrão é então enviado para a batalha. Cada membro do esquadrão de Snake tem seus próprios pontos fortes e fracos. Enquanto algumas unidades são melhor utilizadas no campo de batalha, outras podem se especializar na produção de itens, na cura de aliados ou no fornecimento de informações para cada um dos mapas do jogo.

Durante as missões, o jogador controla apenas um membro do esquadrão por vez. Os membros do esquadrão que não estão em uso se escondem dentro de uma caixa de papelão e podem ser trocados quando o personagem controlado pelo jogador encontra um esconderijo, onde ele ou ela se esconde em uma caixa de papelão. Uma variedade de métodos pode ser empregada para expandir a equipe. Se um personagem inimigo estiver tranquilo ou atordoado, ele pode ser arrastado para um veículo em espera e capturado. Após alguns dias no jogo, o soldado capturado se tornará um membro da equipe de Snake.

O jogo foi conceitualizado quando a equipe da Kojima Productions decidiu fazer o primeiro capítulo de Metal Gear Solid para portátil em vez de outro spin-off para o PSP. Hideo Kojima teve a ideia de o jogador ser capaz de recrutar camaradas com a peça Wi-Fi. Como resultado, o jogo foi projetado especificamente para uma plataforma portátil, em vez de um console de mesa. A maioria da equipe já havia trabalhado no spin-off Metal Gear Acid 2, tornando Portable Ops a primeira vez que fazia uma parte principal para um portátil.

MGS Portable Ops ganhou uma versão Plus no ano seguinte, uma expansão autônoma do MPO original, focado principalmente no jogo on-line. Essa versão inclui novos tipos de personagens gerais e únicos de outros títulos do MGS, além de novos itens e armas, novos mapas multiplayer e novos modos de jogo. Embora o MPO Plus não exija o MPO original, os jogadores que salvaram dados do jogo original podem transferir seu esquadrão para a expansão e qualquer personagem exclusivo que os jogadores recrutam no MPO original desde que o arquivo de salvamento inicial foi criado. será adicionado automaticamente no MPO Plus se detectado. As seguintes alterações foram feitas no jogo.

Com uma média de 87 pela Mídia, o jogo conseguiu se sair bem sendo o primeiro título da Saga para um portátil, além de ter vendido mais de 2 Milhões de Unidades, fazendo assim, com que ele ganhasse uma futura sequência, que foi lançada alguns anos depois.

2008 - Metal Gear Solid Mobile



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sim, Metal Gear Solid também contém versões para celulares N-Gage. O jogo foi foi concebido e produzido em parceria entre a Kojima Productions e a Ideawork Game Studios, uma subsidiária da Konami, e foi lançado em Março de 2008.

A história se passa entre Metal Gear Solid e Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty, após Revolver Ocelot ter vazado informações técnicas do Metal Gear REX ao mundo. Como medida contra isso, Solid Snake e Otacon criam a Philanthropy, uma organização anti-Metal Gear cujo objetivo é a completa erradicação de todos os Metal Gears do mundo. Otacon rapidamente recebe as primeiras informações sobre o desenvolvimento de um novo Metal Gear. A programadora de IA Dr. Victoria Reed concordou em revelar novos detalhes da produção do novo Metal Gear em troca de sua fuga, enquanto que mantida sob prisioneira para criá-lo.

No meio da missão, no entanto, acontece que Victoria Reed significa VR. Snake descobre que o Otacon com quem está falando faz parte de uma simulação gigante de VR. Otacon do mundo exterior então invade e ajuda a guiar Snake para fora da simulação VR. Snake luta com The Commander em cima de um VR Metal Gear Rex. Depois de derrotá-lo, Snake acorda com vozes sem nome falando. Eles dizem que, embora Snake tenha se mostrado útil, ele não forneceu os dados de batalha de que precisavam para o Projeto, e instruíram alguém a apagar todas as memórias da simulação e jogá-lo de volta onde o sequestraram. Uma voz sem nome diz que eles já têm o segundo assunto de teste alinhado. Uma das vozes diz: "Vamos ver se Jack pode fazer melhor".

Pelo combate mais simples devido ao Hardware fraco dos dispositivos, o jogo sofre de diversos problemas, e é bastante simplificado pelo jogador. Seu ponto forte, como referido, é a História, que apesar de curta, é funcional, e ajuda na cronologia e compreendimento de lacunas para os jogos MGS e MGS 2. Por ser um jogo Mobile de anos atrás, MGS Mobile não conseguiu obter médias de notas, mas conseguiu conquistar um pouco de vendas, com cerca de 300.000 Unidades vendidas, contando apenas o Japão.

2008 - Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo lançado e estando disponível até hoje somente para o PlayStation 3, MGS 4 foi um marco para a indústria dos jogos, além de ter sido até aquele ano, a conclusão da franquia, por ser cronologicamente o jogo mais á frente do futuro, em que encaramos um Solid Snake já velho. O jogo foi produzido pela Kojima Productions, e foi dirigido, escrito, coordenado e produzido por Hideo Kojima, além de ter sido publicado pela Konami, em Junho de 2008.

Em Metal Gear Solid 4, o jogador deve mover-se de maneira furtiva e inteligente. O jogo usa a já conhecida câmera de TPS, mas também permite jogar livremente no modo em FPS, além de uma visão sobre o ombro que pode ser mudada tanto para o lado direito como para o esquerdo. O sistema de combate corpo-a-corpo foi totalmente remodelado. Vários utensílios foram adicionados ao jogo, os mais notáveis são a OctoCamo, uma camuflagem que clona a textura do ambiente, e o Solid Eye que permite usar o radar sonoro, a visão noturna e a visão tática em primeira pessoa. Alguns outros itens são notáveis como o robô Metal Gear Mk. II que te permite usá-lo para patrulhas e um barril de metal, semelhante a caixa de papelão presente em outros jogos da franquia.

Ao receber dano, o jogador não deverá apenas se preocupar com a barra de saúde do personagem, há também uma barra chamada de psyche que diminui quando Snake fica estressado, sendo este outro fator importante do jogo, o estresse é medido em forma de porcentagem e aumenta quando o protagonista presencia uma situação incomoda, como frio ou sobrecarga, por exemplo. Quanto menor a barra de psyche, mais difícil fica correr, atirar e se recuperar. Em Metal Gear Solid 4 também há chefes, que exigem uma tática mais elaborada do que atirar neles, em um deles, por exemplo, o jogador poderá usar a visão noturna para rastrear as pegadas do inimigo e usar a direção do vento em sua vantagem. As batalhas com os chefões geralmente são longas e exigem que você enfrente outros inimigos além de seu alvo principal.

A história se passa no ano de 2014, cinco anos após os incidentes em Big Shell (Metal Gear Solid 2), e nove anos depois da Foxhound ter invadido a ilha de Shadow Moses, local onde Solid Snake foi infectado com um retrovírus chamado Foxdie. Solid Snake aparece consideravelmente envelhecido devido a sua avançada degeneração celular, estabelecida a partir do processo de clonagem que o criou, tendo agora apenas seis meses de vida. Metal Gear Solid 4 traz um mundo onde a intervenção militar em solo estrangeiro está proibida, aumentando a necessidade de Companhias Militares Privadas ou PMCs, para travar guerras de negócios. O Estados Unidos, por estar impedido de intervir diretamente em conflitos internacionais, decidiu intervir indiretamente através de PMCs.

As primeiras PMCs, ao enriquecerem com os serviços prestados ao governo estadunidense, também quiseram estender a sua área de atuação e sua clientela. Vários outros governos passaram a imitar o modelo norte-americano de privatização militar, recorrendo a empresas do setor privado para executar seus interesses militares, pois dessa forma seriam capazes de participar de guerras internacionais a custos muito menores e melhor ainda: de forma indireta e sigilosa. Além disso, as pessoas que guerreavam eram mercenários interessados em lucro e não cidadãos, como nos séculos anteriores. A opinião pública seria menos hostil à essa noção de guerra privada do que à de guerra comum. Dezenas de PMCs começaram a surgir ao redor do mundo assim como o poder das grandes companhias do ramo aumentou exponencialmente. PMCs não guerreiam por ideologias ou nações e sim por oportunidade de lucro. Em 2014, as organizações que contratam PMCs envolvem desde governos e facções rebeldes até grupos terroristas. A guerra se tornou algo lucrativo e o mundo entrou na era da economia de guerra.

MGS 4 foi um marco em sua época, principalmente pela evolução drástica nas Cinemáticas e duração de suas Cutscenes, tendo momentos com durações acima de 1 hora. Além disso, sua estética e combate fluído deram ao jogo um aspecto mais filme, trazendo mais imersão e impacto em toda sua estrutura. Vale lembrar que em sua época de lançamento, no PlayStation 3, foi visto com olhos turvos a primeiro momento. A Konami havia comunicado que o jogo não poderia ser portado ao Xbox 360 devido a suas novas tecnologias de Engine e Física, o que faria o jogo no console da Microsoft ter um rendimento muito abaixo do console da Sony, podendo acabar sendo divido em mais de 3 CD's. Além disso, MGS 4 foi o segundo jogo a impulsionar drasticamente as vendas do PS3 e de seus exclusivos, sendo o primeiro o Uncharted: Drake's Fortune, em 2007, o que fez a Sony voltar a ser vista com bons olhos pelos jogadores e pela indústria novamente.

Sua trilha sonora apesar de não ser totalmente marcante ou ter alguma música específica muito marcante, cumpre muito bem seu papel, com faixas mais dramáticas e carregadas de emoções, principalmente na cena onde Solid Snake se encontra com Big Boss uma última vez, um impacto que eu mesmo posso dizer que senti naquele momento, devido a toda sua história e trama vinda dos jogos já anteriores.

Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots foi recebido pela crítica alagardamente com críticas muito positivas, carregando uma média de 94, e vendendo mais de 5 Milhões de Unidades em seu primeiro ano de vida, chegando á marca de 9 Milhões de Unidades em 2010.

2010 - Metal Gear Solid: Peace Walker



Clique para ver a imagem em tamanho original


Lançado originalmente para PSP, e depois ganhando uma versão remasterizada para Xbox 360 e PlayStation 3, MGS Peace Walker é a sequência direta de MGS Portable Ops, produzido pela Kojima Productions e publicado pela Konami. Neste Prequel, voltamos ao papel de Naked Snake, também conhecido como Big Boss.

Algumas mudanças foram feitas na fórmula padrão do Metal Gear Solid. A movimentação é feita nos analógicos, ações como as de cooperação usam os botões direcionais, ação corpo a corpo usam o botão R, e armas usam o botão L junto com o R. Jogadores não poderão se mover ou atirar enquanto estão deitados ou apoiados contra uma parede. O jogador pode definir o sistema de controles como no Portable Ops, ou o Guns of the Patriots.

O Comrade System do Portable Ops foi removido para favorecer uma jogabilidade cooperativa, com dois jogadores nas missões principais e até quatro jogadores nas missões de chefe, os Co-Ops. Há diversas ações que podem ser realizadas quando dois Snakes ficam próximos um do outro. Snake-in permite que os jogadores fiquem em contato enquanto um deles lidera o caminho, também permitindo que os jogadores atirem enquanto se movimentam. Outras ações cooperativas incluem manter portas abertas, realizar CPR em companheiros caídos, compartilhar itens, e agir como um spotter para outros jogadores cuja visão esteja obscurecida. O jogo adota certas mecânicas do Metal Gear Solid 4, como a habilidade de se mover agachado, a visão de tiro "por cima do ombro" e o sistema CQC.

O caminhão do Portable Ops, onde jogadores podem trazer inimigos capturados para recrutamento, foi substituído pelo Fulton Shyhook, que os jogadores podem prender aos soldados capturados e prisioneiros. As caixas usadas para se esconder de inimigos agora estão disponíveis numa versão para dois jogadores, chamadas Love Boxes, que possuem diferentes variações. O jogo apresenta o sistema de indicação de camuflagem do Snake Eater, mas o jogador não terá a habilidade de trocar o uniforme de camuflagem durante uma missão, pois o índice é completamente baseado no movimento, posição, e quantidade de armas equipadas. O jogador também pode usar dispositivos de marcação para chamar ataques de artilharia ou requisitar suprimentos. Além, disso, Quick Time Events existem dentro do jogo em algumas Cutscenes.

A História do jogo ocorre em 1974, quando uma força militar desconhecida que ameaça o mundo com armas nucleares invade a Costa Rica, Naked Snake, agora não fazendo mais parte das forças secretas americanas, juntamente com Kazuhira Miller são contratados para livrar o país desta invasão e por fim ao perigo. Big Boss agora está no comando dos Militares Sans Frontieres (Militares Sem Fronteiras), soldados sem pátria, que tem como causa ajudar a quem precisa de ajuda, acreditando em seus ideais e seguindo as ordens de Snake. Chegando a Costa Rica, Snake e Miller são recepcionados por uma estudante chamada Paz Ortega, e pelo professor Ramón Gálvez Mena, que, tentam convencer Snake a acabar com o conflito e a ameaça iminente, ele reluta mas muda de idéia ao ouvir uma fita K7 com uma gravação de The Boss.

Professor Gálvez sabe do passado de Snake, diz ainda que a gravação é recente, trazendo a tona todo o passado de Snake e seus sentimentos por The Boss. Agora Snake tem duas missões, descobrir se The Boss ainda está viva e por que se aliou a USSR, e deter a ameaça nuclear que está para acontecer. De todo este conflito nasce a criação do estado independente Outer Heaven, criado e liderado por Big Boss e seus mercenários.

Com uma média de 89 pela Mídia, e maia de 2 Milhões de Unidades vendidas, MGS Peace Walker se configurou como um dos títulos mais vendidos do PSP em 2010. Com uma Remasterização sendo lançada no ano posterior para o Xbox 360, as vendas do jogo subiram ainda mais, indo até 4 Milhões de Unidades, como informado pela Konami.

2011 - Metal Gear Solid: HD Collection



Clique para ver a imagem em tamanho original


Como o nome mesmo diz, MGS HD Collection se trata da Remasterização dos jogos originais da franquia lançados para MSX, PlayStation, Xbox e PSP, agora sendo portados para os Consoles mais recentes de sua época, o Xbox 360 e PS3. A coletânea foi concebida e produzida pela Bluepoint Games em parceria com a Kojima Productions, e foi publicada pela Konami.

Nela, temos Remasters dos jogos Metal Gear, Metal Gear 2: Solid Snake, Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty, Metal Gear Solid 3: Snake Eater, e, Metal Gear Solid: Peace Walker. O foco principal dessa Coletânea é trazer a resolução 720p, e gráficos melhorados aos jogos, com aumento na frequência de taxa de quadros, sendo agora 60 FPS, texturas melhoradas, e um pouco mais de conteúdo. Os controles de cada jogo foram modificados para se adequar às diferentes configurações de cada plataforma. Como as versões Xbox Xbox 360 e PS Vita carecem dos botões sensíveis à pressão apresentados nos controles do PS2, a capacidade de apontar e abaixar uma arma de fogo sem dispará-la em Metal Gear Solid 2 e 3 é atribuída a um botão específico nessas versões, pressionando o botão esquerdo no controle do Xbox 360 ou pressionando o d-pad para baixo no PS Vita.

A maioria dos recursos e conteúdos adicionais presentes nas edições Substance dos jogos também foi portada para as Edições HD. Isso inclui os modos VR/Missões alternativas, Snake Tales e Casting Theater para Metal Gear Solid 2, além da visão da câmera em terceira pessoa e Demo Theatre para Metal Gear Solid 3. O Metal Gear original e o Metal Gear 2: Solid Snake como eles apareceram na edição Subsistence também estão incluídos, acessíveis no menu principal do Metal Gear Solid 3. As edições Limitadas e de Colecionador da coletânea incluem uma Camisa com o desenho de Solid Snake reproduzida pelo artista Yoji Shinkawa, da Konami, além de um Steelbook, e um Livro de Artes do MGS 3.

No dia 22 de abril de 2013, a Konami anunciou uma nova versão da coleção intitulada Metal Gear Solid: The Legacy Collection, exclusiva para PS3. Esta coleção posterior inclui todos os jogos apresentados na HD Collection no primeiro disco, juntamente com Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots em um segundo disco e códigos de cupom para as missões originais Metal Gear Solid e Metal Gear Solid: VR. A Legacy Collection foi lançada na América do Norte em 9 de julho de 2013.

Metal Gear Solid: HD Collection recebeu muitos elogios da Crítica, dando destaque a grande melhoria gráfica e na resolução da Remasterização, além de conceituarem que a Collection contém muitas melhorias de desempenho, fazendo ela configurar uma média de 90 pela Mídia, e maia de 1 Milhão de Unidades vendidas.

2013 - Metal Gear Rising: Revegeance



Clique para ver a imagem em tamanho original


Revelado na E3 2009 durante a Conferência da Microsoft, como resultado entre uma parceria entre o Xbox e a Kojima Productions, MGR: Revegeance é um Jogo completamente fora dos padrões dos outros jogos. Para dar começo a este fato, o jogo retira a fórmula Stealth da franquia para trazer o combate Hack and Slash, onde controlamos Raiden, o protagonista de MGS 2. O jogo foi produzido pela Platinum Games, e foi supervisionado por Hideo Kojima, sendo publicado pela Konami, para Xbox 360 e PS3 em 2013, e PC em 2014.

Originalmente, quando o jogo foi anunciado em 2009 pela Microsoft, o trailer exibia um Teaser de 2 minutos onde exibia o título "Rising is back", e se chamava apenas Metal Gear Solid: Rising, a mudança de subtítulo Solid para Rising Revegeance se deve ao fato do jogo não ser de abordagem Tática Furtiva, mas sim, de Hack n' Slash. O cenário do jogo foi mudado de forma em que alguns eventos aconteceram e outros não, como um universo paralelo, a fim de permitir à equipe da Platinum Games uma maior liberdade na produção, mas os personagens e história foram todos de supervisão e dirigidos por Kojima.

O jogo se passa quatro anos após Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots, nesse período, houve o fim das SOPs, a antiga política de financiamento de EMP, Sigla para Empresas Militares Privadas, com a alegação de que o mundo precisa de paz.

Metal Gear Rising ocorre durante um ponto na cronologia da série em que Raiden já começou a sua transformação na forma de cyborg, ainda que com uma aparência diferente e um pouco mais rude do aquele visto em Metal Gear Solid 4, além disso, Raiden trabalha para uma espécie de Anti-EMPs, a Maverick, e não mais para o governo dos Estados Unidos, como era visto nos jogos anteriores.

No quesito Combate, o jogo carrega bastante similaridades ao formato de jogos da Platinum como Vanquish e Bayonetta, com muita ação e estilo único de Combate, com várias partículas, combos, e evoluções ao Raiden no decorrer da história, sendo destaque também suas Cutscenes dentro de jogo, que trazem o mesmo nível de qualidade presentes em MGS 4.

Metal Gear Rising: Revengeance foi bem recebido pelos críticos apesar de inicialmente algumas reações mais negativas devido ao envolvimento da Platinum Games. O jogo foi elogiado pelo sistema de combate, e pelo uso de elementos da série Metal Gear apesar de ser um jogo de ação. No entanto, foi criticado pela sua câmara e pela curta longevidade da história. Resultandi tudo em uma Média de 82 pela Crítica especializada, e cerca de 3 Milhões de Unidades vendidas.



2014 - Metal Gear Solid V: Ground Zeroes



Clique para ver a imagem em tamanho original


Prequel de MGS V: TPP, Ground Zeroes foi lançado em 2014, sendo produzido pela Kojima Productions, e publicado pela Konami. É o primeiro jogo a usar a novíssima Fox Engine, criada especialmente para a Nova Geração de Consoles do Xbox e PlayStation. O jogo é a sequência direta de MGS: Peace Walker, e é o Prequel de MGS V: TPP, lançado no ano posterior após este.

A história de Ground Zeroes ocorre em 1975, alguns meses depois de Peace Walker e nove anos antes dos acontecimentos de The Phantom Pain. O jogador controla o protagonista da série Big Boss/Snake, tendo Kazuhira Miller como segundo no comando e auxiliando pelo rádio, para tentar se infiltrar sozinho numa base secreta em Cuba com o nome Camp Omega, base extra-oficial pertencente aos americanos, que a usam para interrogatórios e torturas, sem se restringir a tratados internacionais e cometendo todo tipo de atrocidades. A missão de Snake é resgatar Chico, que partiu sozinho para salvar a agente dupla: Paz Ortega, que traiu Snake, mas que Chico carrega grandes sentimentos, após descobrir que Paz foi encontrada a deriva e está sendo mantida presa no local. No entanto,Chico acaba sendo capturado também, ficando para Snake o resgate dos dois.

Ao mesmo tempo em que a missão decorria, uma inspeção agendada da ONU estava para acontecer na Mother-Base, para tirar a limpo se o exército de Big-Boss possuía armamento nuclear, tudo fachada para organização Fox invadir a MSF e destrui-lá por completo, tendo á frente de tudo Skull Face, um homem desfigurado e desconhecido até então. Snake, Miller, Paz e Chico conseguem escapar de helicóptero no último instante, mas devido ao sacrifício de Paz, a aeronave perde o controle em pleno voou e se choca com outro helicóptero, culminando assim nos eventos que virão em The Phantom Pain. Após o incidente a ONU não se responsabilizou pelo incidente dizendo não ter conhecimento da inspeção, assim como nenhuma nação tomou partido pelo ataque. As baixas foram incontáveis sabendo-se ainda que havia civis que viviam na MSF. Os eventos que decorrem em Ground Zeroes farão com que Big Boss sofra uma enorme mudança em sua vida.

Como em Metal Gear Solid: Peace Walker, Ground Zeroes tem uma característica de construção de exércitos que permite ao jogador produzir armas, recolher informações em campo de batalha e vários itens a partir da Mother-Base virtual. O jogador também pode acessar a Mother-Base através do seu smartphone da vida real. O diretor Hideo Kojima, revelou que o jogo tem um novo ciclo dia e noite que funciona em tempo real: dependendo de como você viaja de um nível para o outro, o tempo de viagem irá afetar a hora do dia quando você chegar ao seu destino. No entanto, nem a característica Mother-Base, nem o ciclo dia-noite, ambos em jogo, foram incluídos na versão final de Ground Zeroes, estando presente em The Phantom Pain. Também é dada ao jogador a hipótese de escolher a ordem dos eventos da história, ao selecionar as missões na ordem que quiser, e mesmo assim no fim conseguir compreender a mensagem dada.

Metal Gear Solid V: Ground Zeroes foi recebido de maneira mista pelos críticos. Muitos elogiaram sua evolução gráfica, de gameplay, e melhorias grandes na parte cinematográfica, mas também questionaram o motivo desse jogo está sendo vendido de forma separada, por ser bem curto. Outro questionamento, é o fato da Exclusividade de conteúdo do jogo, onde há conteúdos separados para o Xbox, e outros para o PlayStation, tendo ambos ''exclusividades''. De forma geral, MGSV: GZ ficou com uma média de 77 na versão do Xbox, e vendeu cerca de 2 Milhões de Unidades, sendo um bom sucesso para o verdadeiro jogo que seria lançado no ano seguinte.

2015 - Metal Gear Solid V: The Phantom Pain



Clique para ver a imagem em tamanho original


O último capítulo da história de Big Boss, ao mesmo tempo que é o último jogo da Série a ser produzido pela Kojima Productions, que foi fechada após o lançamento deste jogo. MGS V é a continuação direta de Ground Zeroes lançada no ano anterior, e trouxe o ambiente da franquia a um novo aspecto, ao de Mundo-Aberto. O jogo foi publicado pela Konami, e foi lançado em 1 de Setembro de 2015 pra todos os consoles Xbox, PlayStation, e PC. Recebendo uma versão MGS V: The Complete Experience lançada no ano seguinte.

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain é um jogo furtivo no qual os jogadores assumem o papel de Punished Venom Snake. Os elementos de Gameplay permaneceram praticamente inalterados em relação aos Ground Zeroes, o que significa que os jogadores terão que se esgueirar de vários pontos do mundo do jogo, evitando guardas inimigos e permanecendo sem serem detectados. Estão incluídos no repertório de Snake binóculos, mapas, uma variedade de armas, explosivos e itens furtivos, como caixas de papelão e chamarizes. Após uma das tradições da série, The Phantom Pain incentiva os jogadores a progredir no jogo sem matar, usando armas não letais, como dardos tranquilizantes, para subjugar os inimigos. Os jogadores podem atravessar o mundo do jogo com veículos como jipes e tanques, além de viajarem a pé ou a cavalo, e como certos locais são montanhosos, ocasionalmente, os jogadores podem optar por escalar rochas como atalho.

Eles podem pedir apoio de helicóptero contra soldados inimigos ou solicitar ataques aéreos que possam bombardear a área alvo ou alterar o clima atual. Snake pode convocar companheiros de IA, incluindo Quiet, uma atiradora silenciosa com habilidades sobrenaturais, D-Horse, um cavalo capaz de usar armadura e esconder Snake durante a viagem, D-Walker, uma plataforma móvel armada e altamente ágil, capaz de fornecer suporte a armas pesadas, e D-Dog, um filhote de lobo criado e treinado na nova Mother Base para ajudá-lo no campo. As habilidades e a eficácia dos companheiros dependerão do relacionamento do jogador com eles. Há uma grande ênfase baseada em táticas em The Phantom Pain.

Como em Peace Walker, The Phantom Pain possui um sistema de construção de bases que permite aos jogadores desenvolver armas e itens a partir de sua base. O recrutamento de soldados e prisioneiros inimigos também retornou para esse fim, permitindo que a base cresça através da organização. O jogador tem a opção de acessar sua base a partir de seus smartphones da vida real e outros dispositivos por meio de um aplicativo complementar. A direção do design do jogo permite que o jogador escolha em que ordem os eventos da história acontecem, selecionando missões na ordem que desejar, e ainda assim entender a mensagem abrangente até o final. A IA inimiga melhorou em termos de consciência situacional. Se os jogadores frequentemente usam armas ou táticas específicas para subjugar soldados inimigos, isso fará com que o inimigo aumente em número e seja equipado com melhores equipamentos, por exemplo, o uso frequente de tiros na cabeça fará com que os soldados inimigos usem capacetes de metal para dificultar o direcionamento da cabeça.

O clico de Dia e Noite inserido em MGS V: GZ também está de volta ao The Phantom Pain, esse ciclo é capaz de avançar rapidamente quando Snake acende um Phantom Cigar, um tipo de charuto eletrônico, um painel digital de relógio Seiko prateado aparece na tela para indicar o tempo. A passagem do tempo permite que os jogadores analisem o movimento de forças inimigas marcadas na área, como mudanças nas patrulhas de sentinela e rotas de patrulha individuais. Efeitos climáticos, como tempestades de areia e chuva, afetam o ambiente de jogo, reduzindo a visibilidade ou ocultando o som de passos.

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain inclui dois modos multiplayer, o primeiro éo novo Metal Gear Online, desenvolvido pela recém-formada divisão de Los Angeles da Kojima Productions (agora conhecida como Konami Los Angeles Studio). O segundo modo multiplayer é uma extensão do recurso de construção de base da Mother Base. Os jogadores podem expandir suas operações para incluir Bases Operacionais Avançadas, que podem ser usadas para gerar recursos e renda para a campanha para um jogador. Essas instalações podem ser atacadas por outros jogadores, disponibilizando um modo jogador contra jogador, pelo qual a equipe atacante tenta roubar recursos ou soldados e a equipe defensora tenta proteger a Base Operacional Avançada do intruso. Os defensores podem chamar seus amigos para ajudar na defesa, especialmente se sua Base Operacional Avançada for atacada durante uma missão da história.

Falando agora do enredo, The Phantom Pain se passa em 1984, nove anos após os eventos de Metal Gear Solid V: Ground Zeroes, Big Boss acorda de um coma em um hospital no Chipre. Quiet, uma assassina de Cipher, tenta matá-lo, mas Big Boss é resgatado por um homem fortemente enfaixado chamado Ishmael. A dupla escapa do hospital enquanto evita a perseguição aos soldados de Cipher e dois super-humanos, Tretij Rebenok, o Terceiro Filho e o Homem em Chamas. Embora Big Boss perca de vista Ishmael, ele é recuperado por seu aliado Revolver Ocelot e levado a bordo de Diamond Dogs, um novo grupo de mercenários fundado por Kazuhira Miller em uma plataforma offshore perto de Seychelles.

Big Boss adota o codinome Venom Snake e começa a procurar por Cipher. Durante sua jornada, Snake se envolve nas guerras civis soviético-afegãs e angolanas e recruta Quiet, que não fala mais e ganhou habilidades sobre-humanas, o cientista Dr. Huey Emmerich, e Code Talker, especialista navajo em parasitas forçados a trabalhar para a Cipher. Snake também acaba capturando Eli, uma criança britânica que se acredita ser um clone de Snake, que lidera um bando de crianças-soldados é trazido para a base após uma operação. Embora haja especulações sobre se ele é ou não filho de Big Boss, um teste de DNA confirma que Venom Snake e Eli não são geneticamente relacionados.

Snake descobre que o líder Zero de Cipher foi usurpado e que a Fox, uma facção desonesta de Cipher, foi responsável por destruir MSF. O líder do Fox, Skull Face, considera o plano de Cipher de unir o mundo pela paz como o mesmo que torná-lo culturalmente americano, obliterando outras culturas. Para evitar isso, ele pretende lançar um parasita único que mata quem fala inglês. Um parasita modificado foi usado para dar aos soldados de elite de Quiet e Skull Face, os Skulls, suas habilidades incomuns.

Depois de lançar o parasita inglês, o Skull Face planeja disponibilizar armas nucleares para o maior número possível de grupos, acreditando que a dissuasão nuclear impedirá que as armas sejam realmente usadas, alcançando a paz mundial e ainda protegendo a integridade de cada cultura. No entanto, ele secretamente manterá o controle remoto das armas. O Skull Face pretende usar a ameaça do mais recente sistema Metal Gear, conhecido como ST-84 Sahelanthropus, para tornar as armas nucleares desejáveis novamente, mas como ele não pode fazê-lo funcionar, ele depende das habilidades psíquicas do Terceiro Filho para manipular isto. Durante um teste, o Terceiro Filho se vira contra a Face do Crânio, com Sahelanthropus seriamente ferido e o esmagado Homem em Chamas.

A música de The Phantom Pain foi produzida por Harry Gregson-Williams, tornando-o seu quarto título em Metal Gear, e composta por Ludvig Forssell, Justin Burnett e Daniel James. Também estão presentes no The Phantom Pain, as fitas de música colecionáveis que o jogador pode ouvir no jogo, com uma mistura de músicas licenciadas da época e músicas de títulos anteriores do Metal Gear. A trilha sonora original de Metal Gear Solid V foi lançada em 2 de setembro de 2015, contendo 50 faixas selecionadas entre Ground Zeroes e The Phantom Pain.

MGS V TPP foi recebido com críticas muito positivas pela Mídia e pelo Jogadores, sendo questionados alguns fatores positivos que trouxeram mais cinematografia, mais opções e variedade de abordagem nas missões, uma história mais longa, gráficos que impressionam aos olhos, e uma excelente Trilha Sonora. Porém, não é só de acertos que vive um jogo. Devido aos problemas de entendimento entre Hideo Kojima e Konami, MGSV TPP teve um desenvolvimento conturbado, onde o Capítulo 51 do jogo fica sem uma explicação e sem nenhuma Gameplay para explicar seu final, até hoje sendo um mistério para a comunidade, devido ao fato do jogo ter sido lançado as pressas em 2015. Outro ponto a se falar, é que devido a mesma aceleração de Desenvolvimento no jogo, o seu mundo aberto se tornou vazio, com missões um tanto repetitivas, trazendo uma aparência de jogo inacabado.

Com uma média de 95 dada pela Crítica, e mais de 6 Milhões de Unidades vendidas, MGS TPP se configurou como um dos maiores sucesso da Kojima Productions, mesmo após os atrasos e problemas no desenvolvimento, Kojima encerrou sua franquia com chave de Ouro. Infelizmente, a Konami não pôde dizer o mesmo, e em 2018, nos trouxe a péssima experiência chamada Metal Gear Survive, que falaremos agora.

2018 - Metal Gear Survive



Clique para ver a imagem em tamanho original


Produzido e publicado pela Konami, Metal Gear Survive é uma desonra para a franquia. Vamos ser francos aqui, o jogo foi anunciado em 2016 sendo denominado como a ''Nova era de MGS'', onde o jogo foge totalmente de sua premissa original para se tornar um jogo de Sobrevivência a Zumbis. Para não bastar tudo isso, o jogo contém práticas de micro transações totalmente agressivas aos jogadores.

Uma grande parte da Gameplay consiste no jogador explorar o mundo, que é coberto principalmente por The Dust, uma misteriosa nuvem tóxica que obstrui a visão, desativa o mapa do jogo e exige que o jogador monitore seu nível de oxigênio. Os jogadores se aventuram a reunir recursos como alimentos e materiais de artesanato, além de ativar os vários geradores de portal espalhados pelo mapa. Esses geradores servem como o sistema de viagem rápida do jogo e são desbloqueados ao concluir um segmento de torre de defesa. Metal Gear Survive encarrega os jogadores de gerenciar a sede e a fome, procurando água e caçando animais como alimento. Os jogadores podem retornar ao acampamento base para cozinhar e depois purificar a água para beber com segurança. Há também um sistema de lesões, que exige que os jogadores usem diferentes suprimentos médicos para curar doenças como sangramento ou intoxicação alimentar.

Os principais inimigos de Survive são criaturas cristalinas semelhantes a zumbis chamadas Wanderers, com muitas variantes introduzidas à medida que a história avança. Os inimigos em Survive podem ser superados usando Stealth ou uma grande variedade de armas e gadgets ganhos gradualmente ao encontrar receitas de artesanato ou armas quebradas. Os jogadores começam com acesso a armas brancas, como lanças, facões e bastões de choque. Eventualmente, arcos com vários tipos de flechas e armas de fogo, como pistolas, espingardas e rifles de precisão, são adquiridos. Devido à dificuldade de atacar inimigos de frente, os jogadores são incentivados a usar um dispositivo que lhes permita erguer várias cercas, barricadas e outras estruturas.

Quanto a recepção do jogo, não poderia se dizer outra, totalmente negativas, desde o seu anúncio principalmente, por não ter nada de MGS dentro de si. Outros problemas incluem as diversas micro transações do jogo, onde você pode comprar armas, med kits, cosméticos, mas o pior de tudo, para o jogador poder salvar um 2 Slot do jogo, era necessário pagar. Para piorar, o jogo exige internet sempre, contém diversas mecânicas, slides, gameplay, e mundos re aproveitados de MGS TPP, e após cerca de 2 horas de gameplay fica completamente genérico. Resultando numa catástrofe, com uma média de 54, e pouco mais de 300.000 Unidades vendidas, sendo um fracasso total, que colocou a franquia Metal Gear Solid na geladeira até os dias de hoje.

A Cronologia da franquia Metal Gear


Não é preciso ser fã para se lembrar do fato de quê Metal Gear é uma franquia muito complexa e de difícil compreendimento no geral. Pelos jogos não dizerem em si qual é qual pelo título, demorou vários anos até tudo ficar decifrado e montado este quebra-cabeças que é cronologia da Saga, que foi concluída.

Tratando pelos eventos e acontecimentos de cada jogo, essa é a ordem de cada jogo:

-Metal Gear Solid 3: Snake Eater (1964)
-Metal Gear Solid: Portable Ops (1970)
-Metal Gear Solid: Peace Walker (1974)
-Metal Gear Solid V: Ground Zeroes (1975)
-Metal Gear Solid V: The Phantom Pain (1984)
-Metal Gear (1995)
-Metal Gear 2: Solid Snake (1999)
-Metal Gear Solid e Twin Snakes (2005)
-Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty (2007)
-Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots (2014)
-Metal Gear Rising: Revengeance (2018)


Clique para ver a imagem em tamanho original


Metal Gear Solid em outras mídias


A franquia MGS também está presente em outros derivados, seja Livros, Mangás, Animes e Jogos de Fliperama no Japão, chamados de Pachinko, com uma gama de conteúdo da história dos jogos sendo contados por lá.


Clique para ver a imagem em tamanho original



Clique para ver a imagem em tamanho original


Os Mangás e Livros são originalmente lançados sempre em parceria entre a Konami e alguma empresa de produção japonesa. Enquanto a série ainda era dirigida pela Kojima Productions e Hideo Kojima, o artista principal destes quadrinhos era o Artista principal da franquia nos jogos, Yoji Shinkawa, que reproduzia fielmente suas obras para ter o maior nível de detalhe e refinamento das histórias.

Algumas destas mídias já foi localizada e vendidas oficialmente na América do Norte e Europa, porém desde 2018, a Konami tomou a decisão de encerrar isso, como meio de prevenir gastos em excesso no seu relatório financeiro. Isso se deve ao fato da empresa hoje estar focada em jogos Mobile e Jogos de Pachinko no Japão, onde vem trazendo grandes lucros ano após ano, sempre colocando a empresa no Top 10 de Ranking Japonês, o que é triste para os jogadores, pois não terão mais acesso a conteúdos tão originais e bem produzidos desta Saga.

Metal Gear Solid 3: Snake Eater Remake


Lançado exclusivamente para máquinas de Pachinko, MGS 3 Remake é um jogo produzido pela Konami utilizando a Fox Engine, a brilhante engine criada por Hideo Kojima para MGS V Ground Zeroes e The Phantom Pain.

O remake é considerado até hoje como uma das melhores coisas já reproduzidas na Engine, com as cenas cinemáticas totalmente reconstruídas do zero, a Gameplay se assemelhando muito ao que encontramos em MGS V TPP, e gráficos de ponta da última geração. Porém, ela nunca chegou aos Consoles ou PC, pois está presa em Máquinas de Caça-Níquel Japonesas, denominadas Pachinko.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Filme de Metal Gear Solid



Clique para ver a imagem em tamanho original


Anunciado em 2008, Metal Gear Solid Movie é um filme ainda em produção em parceria entre a Konami, Sony Pictures, e Columbia Productions, onde tentará recriar toda a obra dos primeiros 3 jogos da franquia, Metal Gear, Metal Gear 2, e, Metal Gear Solid.

O elenco do filme já conta mais cerca de 12 atores, e após um adiamento em 2018, as filmagens ficaram em Pré-produção, e começarão neste ano, em 2020. O filme terá um orçamento de alto nível, e tentará recriar toda a ação e espionagem presente já na franquia, estimasse que o filme seja lançado entre o Final de 2021 e Início de 2022, e como quase todos os Atores já foram escalados, o Roteiro ficou pronto, e o Diretor já afirmou que a produção inicia-se esse ano, espera-se que seja uma obra que marque o Cinema pela brilhante obra de Hideo Kojima.

Legado e Prêmios de Metal Gear Solid


A franquia Metal Gear Solid foi responsável por revolucionar os jogos em sua época, isso sem sombra de dúvidas. Marcou época em seu lançamento, e até hoje é considerada por muitos como a definição perfeita entre um jogo cinematográfico de ação e espionagem definitivos.

Ela criou o gênero Stealth nos jogos, refinou, e foi responsável pela evolução natural de muitos enredos de franquias, com temas complexos, bem elaborados, Cenas em CGI e de ação muito bem trabalhadas e que obtiveram evolução gradativa ao longo de seus lançamentos.

Com mais de 70 Milhões de Unidades vendidas no total da franquia, e tendo arrecadado mais de 1 Bilhões de Dólares, MGS é um marco na indústria dos jogos. Além disso, a franquia já conta com mais de 326 Prêmios no geral, englobando todos os seus lançamentos desde o original em 1987.

Além disso, em 2019, Hideo Kojima, o criador da franquia Metal Gear, além de Diretor, Escritor, Produtor e Líder da Kojima Productions, entrou no Hall da Fama, junto é claro, de sua premiada franquia, Metal Gear Solid.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Uma pena que não iremos mais vê-lo trabalhar nesta brilhante franquia outra vez, já que seu estúdio foi emancipado da Konami, e hoje trabalha de forma independente. Felizmente, durante seus mais de 30 anos de currículo, criou algo que revolucionou a indústria dos jogos por muitos anos, Parabéns Kojima.





-----------




E é isso pessoal, este é o próximo capítulo de Legado de Franquias. Após um longo cronograma criado no início de janeiro, Metal Gear Solid seria o próximo a receber um Artigo dedicado após o de Halo na semana retrasada. É de longe minha favorita dos jogos, onde pude conhecer em 2001 no PlayStation 2, e desde então carrego ela comigo, principalmente devido ao fato de eu ser apaixonado pelo gênero Espionagem, Stealth, e jogos com abordagem cinematográfica, então muito obrigado a todos que chegaram até aqui nessa leitura, tenham um Excelente Dia e até a próxima.

-Billy.
Evil E.
Enviado por Evil E.
Membro desde
label
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no CANAL, Facebook, Twitter, e na nossa curadorida da Steam.