.

Legado de Franquias: A Saga Halo

Enviado por Evil E., , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original


O que é Halo?


Halo é uma franquia de Ficção-científica criada pela Bungie e publicada pela Microsoft, com seu primeiro título sendo Halo: Combat Evolved, lançado em 2001 como título de lançamento exclusivo para o Xbox. Halo também se expande além dos jogos, contendo também Livros, Filmes, Animações, e em 2020, Halo receberá uma Série de TV, produzida pela ShowTime.

A franquia nos jogos se trata de um FPS (Tiro em Primeira Pessoa), com alguns Spin-Offs em RTS (Estratégia em Tempo Real), e seu enredo é focado principalmente em seu protagonista, Master Chief (ou John-117), um humano geneticamente aperfeiçoado que pertence ao grupo de super-soldados chamado Spartans, com o auxílio de uma inteligência artificial, a Cortana. O termo "Halo" se refere aos anéis do Halo: estruturas habitáveis gigantescas que foram criadas como armas de destruição em massa para destruir os Floods. Os Halos são similares aos Orbitais.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Um Anel de 'Halo', este é um presente em Halo 2, chamado Delta Halo.

Estúdios da Franquia


Bungie



Clique para ver a imagem em tamanho original


Bungie é um Estúdio americano, adquiridos pela Microsoft em 2000, e foram os criadores da Trilogia Halo, além dos Spin-Offs Halo 3: ODST e Halo: Reach. Os criadores principais da franquia são Marcus Letho, Joseph Staten, Alex Seropian e Jason Jones.

A Bungie se desvencilhou da Microsoft em 2007, pôs lançamento de Halo 3, pois o estúdio já não queria mais produzir jogos da franquia, mas enquanto a Microsoft ainda não continha um novo estúdio para comandar a franquia, eles se mantiveram como o estúdio principal até 2010, lançando Halo 3: ODST e Halo: Reach, pois em 2007 foi fundada a 343 Industries, estúdio que iria liderar a franquia após a Bungie a partir de 2011, quando os fundadores deixaram a franquia para se focar em Destiny.

343 Industries


Clique para ver a imagem em tamanho original


Criados com o objetivo de serem os sucessores da Bungie e ser os desenvolvedores principais da franquia Halo, a 343 Industries foi criada em 2007 pela veterana da indústria Bonnie Ross, além da 343i conter diversos outros talentos vindos da Kojima Productions, Bungie, Naughty Dog e DICE. O primeiro título do estúdio foi o Remake de Halo 1, Halo: Combat Evolved Anniversary, lançado em 2011 para o Xbox 360.

Já no ano seguinte, Halo 4 foi o primeiro jogo principal feito por eles, dando entrada a uma nova Trilogia, a Reclaimer, em que trouxe o retorno de Master Chief, que não aparecia desde Halo 3 em 2007. 343 Industries também são os desenvolvedores de Halo: The Master Chief Collection, Halo 5: Guardians, e no momento desta matéria, Halo Infinite, a nova entrada da franquia para a nova geração do Xbox, o Series X, que será lançado no Final de 2020.

Ensemble Studios



Clique para ver a imagem em tamanho original


Os criadores de Age of Empires e Age of Mithology também participaram de Halo, sendo os desenvolvedores por trás de Halo Wars 1, lançado em 2009 para Xbox 360 e Windows PC.

Halo Wars se trata de um Spin-off que se passa antes dos acontecimentos de toda a trilogia Halo, além do jogo sair do FPS e ir para o RTS, criado especificamente com o objetivo de ser o mais funcional possível para Controles. Infelizmente, após Halo Wars, a Ensemble Studios foi fechada, e grande parte de seus funcionários foram direcionados à Turn 10 Studios, os desenvolvedores da franquia Forza Motorsport.

Creative Assembly



Clique para ver a imagem em tamanho original


Quando foi anunciada a parceria entre a 343 Industries e a Creative Assembly durante a Gamescom 2015 do Xbox, veio o anúncio inesperado de que a empresa Inglesa seria os responsáveis para a sequência de 2009 criada pela Essemble, sendo eles os desenvolvedores de Halo Wars 2, lançado em fevereiro de 2017.

A escolha do estúdio se dá ao fato da CA ser um estúdio dedicado à jogos de RTS, na sua famosa franquia Total War, e em Halo Wars 2 somos levados à uma sequência direta do Halo Wars original de 2009, ainda se passando antes de toda a trilogia Halo e dos Halo 4 e 5 lançados naquele período.

Em 2018, alguns Designers da Creative Assembly publicaram artes através do Kotaku e do Jason Schreier, expondo artes do cancelado Halo Wars 3, que teve seu Pré-desenvolvimento iniciado, porém pelas baixas vendas de Halo Wars 2, a Microsoft terminou por cancelar o projeto. Ainda se espera que um dia haja Halo Wars 3, visto que desde 2009 esses Spin-offs em RTS foram criados com o objetivo de serem uma trilogia.

Jogos da franquia


2001 - Halo: Combat Evolved



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo o primeiro jogo da franquia, Halo: Combat Evolved foi desenvolvido pela Bungie e publicado pela Microsoft, e desse jogo em diante, foi a entrada na incrível Space-Opera que conhecemos hoje como Halo.

O jogo inicia com o Pillar of Autumn indo em direção a uma estação espacial misteriosa em forma de anel, chamada de Halo, fugindo do inimigo do jogo, os Covenant. Um ataque da frota Covenant danifica fortemente o Pillar of Autumn, Capitão Keyes inicia o Protocolo Cole, um processo destinado para impedir que os Covenant localizem a Terra. Enquanto que Keyes se prepara para pousar a nave em Halo, Master Chief e Cortana escapam através de uma cápsula de fuga, que desembarca por acidente no anel. Cortana e o Master Chief são os únicos da cápsula de fuga que sobrevivem ao impacto. Keyes sobrevive ao pouso forçado da Pillar of Autumn, porém, é capturado pelos Covenant, e é daí que tudo se inícia.

O Personagem com quem jogamos no jogo é já conhecido Master Chief (Ou John-117), é um dos poucos supersoldados sobreviventes do projeto Spartan-II, e o personagem principal da história. Acompanhando o Master Chief é a Cortana, uma inteligência artificial feminina, que reside em um implante neural ligado a sua armadura de batalha, de codinome Mjolnir Mark V.

Como um jogo FPS (Primeira Pessoa), a gameplay de Halo: Combat Evolved é fundamentalmente semelhante à dos seus concorrentes, com foco no combate em um ambiente 3D que é visto quase inteiramente a partir da visão dos olhos do personagem. O jogador pode se mover e olhar para cima, para baixo, para a esquerda ou para a direita. O jogo apresenta veículos, desde jipes e tanques blindados à hovercraft e aeronaves alienígenas, muitas das quais podem ser controladas pelo jogador. O jogo muda para uma perspectiva de TPS (Terceira Pessoa) durante o uso do veículo para o piloto e operadores de armas, no entanto,os passageiros mantém a visão em Primeira Pessoa.

O personagem do jogador é equipado com um escudo de energia que anula danos causados por disparos de armas e impactos fortes. A carga da escudo aparece como uma barra azul no canto do heads-up display do jogo, e ele recarrega automaticamente se nenhum dano é mantido por um breve período. Esse recurso foi completamente inovador em sua época, pois Halo foi o primeiro jogo á introduzir a Cura Autômatica em jogos de FPS, e que foi copiado e é re-utilizado até os dias atuais.

Algo também notável de se lembrar, é que o jogo contém um modo de tela dividida permite que dois jogadores joguem cooperativamente através do modo campanha. O jogo também inclui cinco modos multiplayer competitivos personalizáveis para 2 a 16 jogadores, até 4 jogadores podem jogar em uma tela dividida em um Xbox, e outros jogadores podem participar utilizando um recurso chamado System Link, que permite que até 4 consoles Xbox serem conectados juntos em uma Rede Local.

Halo: Combat Evolved em um universo de ficção científica. Na história, é mostrado que a realização de viagens mais rápido que a luz permitiu a raça humana colonizar outros planetas após a superpopulação da Terra. A pedra fundamental desses esforços é o planeta Reach, um estaleiro naval interestelar e um centro de atividades científicas e militares. O Comando Espacial das Nações Unidas (UNSC) desenvolve um programa secreto, apelidado de Project Spartan, para criar supersoldados melhorados conhecidos como Spartan (Como Master Chief).

A Trilha Sonora de Halo: Combat Evolved foi criada pelo Diretor de Aúdio da Bungie, Martin o' Donnell, e recebeu elogios entusiasmados de muitos críticos. O'Donnell afirmou que seu objetivo era oferecer um sentimento de importância, peso e sentido de antigo, algo que é notável nas músicas de Halo, onde tudo transparece mais futuristíco, porém tribal, como esquadrões cantando em um hino.

Em seu lançamento, Halo: Combat Evolved acabou quebrando records de vendas, tendo vendido mais de 5 Milhões de Unidades no Xbox. O jogo também foi completamente aclamado pela crítica, com uma média de 97 no Metacritic, se confingurando como o jogo que significa a marca da Microsoft e do Console Xbox desde então. Halo também foi ganhador de muitos prêmios, 142 pra ser exatos, além de ser considerado por muitos, o Game of the Year de 2001.

2004 - Halo 2



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo a sequência direta para Halo: Combat Evolved (E meu favorito da Saga Halo), Halo 2 foi desenvolvido pela Bungie e publicado pela Microsoft para o Xbox. E aqui, vemos um jogo que busca trazer e captar mais o lado emocional do jogador, com tons mais obscuros e profundos, aliados á uma das Maiores Trilhas Sonoras da franquia, que são usadas e refinadas até os dias atuais, principalmente pela sua melodia principal, Ghosts of Reach.

O jogo apresenta uma Nova Engine criada pela Bungie, a Spartan Engine, aliada a nova Havok Engine para física, veículos e destruição. O jogador assume alternadamente os papéis de Master Chief, e de alienígena Arbiter em um conflito do século 26 entre o UNSC, o Covenant e o Flood.

Halo 2 se ocorre no Século 26, onde os Humanos estão sobre a proteção do UNSC. A colônia do mundo exterior, Harvest, foi dizimada por um coletivo de raças alienígenas, os Covenant, em 2025. Os eventos do jogos ocorrem logo após o livro Halo: First Strike, começando exatamente no julgamento de Thel 'Vadam, um comandante Covenant Elite encarregado de uma frota desde o primeiro jogo, a bordo da capital móvel dos Covenant, High Chiraty. O Elite é retirado de sua posição, considerado herege por não ter impedido o Master Chief de destruir o Halo, e é torturado por Tartarus, o chefe dos Brutes Covenant. Na terra, Master Chief e o Sargento Avery Johnson são elogiados por suas ações no Halo.

Fato interessante de se lembrar, é que Halo nunca havia sido planejado como uma trilogia, mas após o estrondoso sucesso crítico e comercial do primeiro jogo, isso ocorreu. De acordo com o Escritor da Trilogia e uma das maiores mentes da franquia, Joseph Staten, comentou que durante o desenvolvimento do primeiro jogo, a Bungie tinha ideias fortes para estender a experiência de história e jogabilidade que sabíamos que não poderia caber em um jogo. E com o apoio da Microsoft, sua Dona, tudo pôde acontecer.

A Gameplay de Halo 2 se mantém fiel à criada em Halo: Combat Evolved, porém com melhorias como por exemplo, o jogador pode carregar duas armas ao mesmo tempo (ou três se empunhando duas, uma arma permanece no coldre), com cada arma tendo vantagens e desvantagens em diferentes situações de combate. Por exemplo, a maioria das armas do Covenant evita clipes de munição descartáveis por uma bateria contida, que não pode ser substituída se estiver esgotada. No entanto, essas armas podem superaquecer se disparadas continuamente por períodos prolongados.

Para o Multiplayer, Halo 2 introduziu um paradigma totalmente novo de matchmaking para jogadores juntos. No jogo anterior, uma pessoa especifica um tipo de jogo e mapa e define outras configurações, antes de configurar o seu dispositivo como servidor de jogo e anunciar o jogo para o mundo em geral, já em Halo 2, foi introduzido um sistema de "lista de reprodução" que automatizou esse processo para manter um fluxo constante de partidas disponíveis o tempo todo, e colocou um sistema de classificação de habilidades no topo.

A trilha sonora de Halo 2 foi composta principalmente por Martin O'Donnell e seu parceiro musical Michael Salvatori, a equipe que tinha composto a música do primeiro Halo aclamada pela crítica. O'Donnell disse que ao compor a música para Halo 2 é de certa forma um risco, pois fazer uma sequência nunca é uma proposta simples. Você quer tornar tudo que era legal ainda melhor e deixar de fora todas as coisas que eram fracas, e felizmente esse objetivo foi cumprido, gerando uma das melhores Trilha Sonoras da franquia já criadas até hoje.

Sendo lançado em Novembro de 2004, Halo 2 foi outro "Killer-App" Exclusivo do Xbox, com mais de 8 Milhões de Unidades vendidas, e uma média de 95 nas Notas da Mídia, Halo 2 foi o adeus da franquia ao primeiro console Xbox, e marcou daí, uma década inteira.

2007 - Halo 3



Clique para ver a imagem em tamanho original


"Finish the Fight", só de relembrar Master Chief dizendo essa frase já dá arrepios ao se lembrar do histórico Halo 3, criado pela Bungie e publicado pela Microsoft, sendo o primeiro título da franquia para o novo, Xbox 360. Sendo o encerramento da trilogia de Master Chief, Halo 3 foi uma evolução completa da fórmula da franquia, introduzindo gráficos de ponta, além de física e profundidade na Gameplay nunca vistas antes em outro jogo.

Na trama, Halo 3 centra-se na guerra interestelar, no século 26, entre a humanidade e um conjunto de raças alienígenas conhecido como Covenant. O jogador assume novamente o papel de Master Chief. O game apresenta veículos, armas e novas formas de jogabilidade jamais vistos nos títulos anteriores da série, bem como a adição do salvamento de vídeos de gameplay, compartilhamento de arquivos e um editor de mapas conhecido como Forge, uma utilidade que permite ao jogador realizar modificações nas fases do modo multiplayer.

Um dia antes do lançamento oficial, 4.2 milhões de unidades de Halo 3 estavam em lojas de varejo. Halo 3 faturou 300 milhões de dólares em sua primeira semana. Mais de um milhão de pessoas jogaram Halo 3 na Xbox Live nas primeiras vinte horas. Um record até então surreal para qualquer jogo lançado até então.

Halo 3 introduz tecnologias e avanços de Engine que serviram de inspiração para muitos outros jogos, como os reflexos através de vidros e espelhos, física na água em tiros, caminhar, e destruição de cenário aumentada, algo próximo desse nível de detalhes só foi encontrado em outro jogo lançado muito próximo de Halo 3, que foi em Crysis, a Nova IP da Crytek lançada inicialmente como Exclusivo para PC.

Grande parte da Gameplay na Campanha é a pé, mas o título possui trechos com combate em veículos. O balanço de armas e objetos no jogo foi ajustado para melhor aderirem ao Triângulo Dourado de Halo: isso inclui armas, granadas e ataques corpo a corpo, que estão disponíveis aos jogador na maior parte das situações. Além disso, o jogo trouxe uma série de evoluções na dirigibilidade dos Veículos e nas Armas Cibernéticas.

Halo 3 introduz as armas de suporte, que são pesadas e de duas mãos e reduzem a velocidade do jogador, mas oferecem um poder de fogo muito maior em compensação.Além de armas, o título contém uma nova classe de itens chamada de Chars, que têm vários efeitos, variando de campos de defesa a regeneração de escudos. Somente um tipo de equipamento pode ser carregado de cada vez. O componente veicular do jogo foi expandido com novos veículos dirigíveis e outros para uso exclusivo da inteligência artificial.

A História do jogo passa-se em um cenário de ficção científica durante os anos 2552 e 2553, sendo a sequência direta de Halo 2. No ano de 2525, uma aliança teocrática entre raças alienígenas conhecida como Covenant fazem a humanidade ficar em dezenas de colônias interestelares. Os Covenant declaram a humanidade uma afronta a seus Demonios e começam destruindo colônias bombardeando planetas com saraivadas de plasma, tornando suas superfícies em vidro. Apesar das tentativas de impedir os Covenant de descobrirem outros planetas humanos, uma frota Covenant descobre a Terra durante Halo 2. Master Chief acidenta-se na África oriental, onde é encontrado por Johnson e pelo Arbiter.

Chief, Johnson e sua companhia lutam contra os Covenant na selva e chegam a um posto avançado da UNSC. Lá, Keyes e Lord Hood planejam uma tentativa final para parar o líder dos Covenant, o Alto Profeta da Verdade, de ativar um artefato Forerunner descoberto do lado de fora das ruínas da cidade de Nova Mombasa. Chief neutraliza a defesa antiaérea dos Covenant para Hood liderar as últimas naves da Terra contra o Profeta, mas este ativa o artefato enterrado, criando um portal no qual ele e seus seguidores entram, e então, toda a jornada se segue.

Em Halo 3, todos os modos Multiplayers do jogo anterior retornam, porém em maior capacidade e com mais avanços, além disso, a Xbox Live agora suports até dezesseis jogadores em partidas multiplayer, com novos modos de jogo incluindo variações de Deathmatch e Capture a bandeira.

Halo 3 marca o fim da primeira Trilogia, a Discovery, onde o arco da história de Master Chief é completado, e é o jogo onde dá entrada a memorável música da franquia, que como eu disse em cima 'Finish the Fight. Halo 3 é o maior sucesso de vendas da Saga até hoje, com mais de 14.5 Milhões de Unidades vendidas, e uma média de 93 pela mídia, o Xbox 360 ficou marcado desde então por este trunfo. Halo 3 também marca a separação oficial entre a Bungie e a Microsoft, onde ela deixa de ser uma subsidiária e estúdio da Microsoft Game Studios, e atua como estúdio independente, apesar de ainda produzir jogos de Halo pelos próximos de 3 anos.

2009 - Halo Wars



Clique para ver a imagem em tamanho original


Dando entrada à um novo gênero na Saga Halo, o de RTS (Estratégia em Tempo Real), que originalmente era o que seria Halo: Combat Evolved quando ainda era um título exclusivo para Mac, Halo Wars foi produzido pela Ensemble Studios em colaboração com a Bungie, e publicado pela Microsoft, para Xbox 360. Halo Wars se trata de um Spin-off Cânon da franquia, que se passa antes dos acontecimentos da Trilogia principal de Master Chief criada pela Bungie.

Halo Wars ocorre durante o século 26. Em 2525, um coletivo de raças alienígenas conhecido como Pacto atacou a humanidade, declarando os humanos uma afronta aos seus deuses, os Precursores. O jogo ocorre em 2531, aproximadamente 20 anos antes dos eventos de Halo: Combat Evolved. Seis anos depois que o Pacto invadiu a colônia de Harvest, as forças humanas do UNSC ainda estão travadas em uma batalha no planeta. O Protagonista de Halo Wars e comandante da nave Spirit of Fire da UNSC é o capitão James Cutter, um forte líder que conquistou a admiração de seus subordinados. A falta de ambição política de Cutter o impede de subir ainda mais na hierarquia. Servindo sob Cutter está o sargento John Forge, um fuzileiro naval cuja devoção aos homens o levou a ser preso duas vezes por desobedecer ordens e se envolver em conduta desordeira.

A Spirit of Fire é enviada ao planeta arruinado Harvest para investigar a atividade da Aliança, onde Cutter descobre que a Aliança escavou algo no pólo norte do planeta. Quando o posto avançado principal do UNSC em Harvest é capturado, Cutter ordena que o Forge o retome. Logo depois, Forge observa a escavação da Aliança e descobre que eles, sob a direção do Arbiter, descobriram uma instalação do Forerunner. As tropas de Forge derrotam as forças da Aliança antes que possam destruir a instalação, e Anders chega. Ela determina que a instalação é um mapa interestelar e reconhece um conjunto de coordenadas que apontam para a colônia humana de Arcádia, e então, toda a trama começa.

Por ser um jogo de RTS pensado para os Controles, Halo Wars acabou ficando limitado em suas funções de Gameplay e Liberdade, trazendo algo mais simples e dinâmico para fluir com o decorrer da história, algo que foi elogiado e criticado ao mesmo tempo. Outros pontos são que a mídia elogiou a cinemática renderizada do jogo criada pela Blur Studio, a atenção aos detalhes na replicação do universo Halo e o esquema de controle intuitivo. Algumas outras reclamações contra o jogo incluíram a falta de uma opção para jogar como facção da Aliança no modo campanha, bem como a falta de opções estratégicas durante o jogo.

Apesar de tudo, Halo Wars se mostrou como um bom jogo da franquia, trazendo novas direções e com novos personagens na trama, onde é o primeiro jogo da Saga sem a presença de Master Chief, e seus eventos antecedendo toda a Trilogia principal. O jogo vendeu mais de 4 Milhões de Unidades, e conseguiu uma Média de 82 entre a Mídia, sendo considerado um dos melhores jogos RTS já feitos para um Console, devido à suas limitações com o Controle.

2009 - Halo 3: ODST



Clique para ver a imagem em tamanho original


Voltando a Bungie, ainda em 2009, temos Halo 3: ODST, um jogo que volta ao formato FPS da franquia, também sendo um Spin-Off Canônico, e se passando entre os eventos de Halo 2 e Halo 3.

No jogo, nos controlamos o esquadrão ODST, e o jogador controla seu protagonista principal, conhecido como Novato, em busca de pistas pela cidade de New Mombasa após acordar, depois de estar inconsciente por seis horas quando sua cápsula de lançamento caiu na superfície. Fica a critério do jogador em como chegar a qualquer localização específica, em qualquer ordem, dando uma sensação de mundo mais aberto ao jogo, algo fortemente elogiado, por trazer também ao jogo elementos mais obscuros e densos, provocando uma imersão com elementos mais fortes e humanos.

As pistas são objetos variados, cada um vinculado a um colega de esquadrão. Encontrar um desses objetos coloca o jogador no lugar de um dos cinco colegas de Novato, que são Edward Buck, Veronica Dare, Dutch, Romeo e Mickey, preenchendo as lacunas com fatos sobre o que aconteceu com o resto do esquadrão. Assim que o jogador volta no tempo por um curto período, ele assume o controle do personagem em uma missão, participando das situações que aquele personagem em particular vivenciou.

Dado o fato de que o jogador está no papel de um ODST, o jogador não possui o radar de movimentos ou os escudos de defesa presentes na armadura Mjolnir dos Spartans, ao invés disso, usa um sistema mais tradicional de barra de vitalidade e kits médicos. Além disso, Novato e seus colegas de esquadrão não são capazes de manipular duas armas simultaneamente, e também não podem utilizar equipamentos especiais na armadura. Por outro lado, o jogador recebe um capacete com gerenciamento de dados integrado conhecido como VISR (Sistema Inteligente de Reconhecimento Visual), que inclui modo de visão noturna com identificação de amigo ou inimigo: verde para aliados, vermelho para inimigos, azul para objetos de interesse e amarelo para objetos genéricos e cenário. O VISR também pode ser usado para indicar Waypoints, objetivos de missão e outras informações que auxiliam o jogador no decorrer do jogo.

O Diretor da Narrativo da Bungie, Joseph Staten, escreveu uma espécie de história de detetive utilizando elementos de design Film Noir. O compositor Martin O'Donnell abandonou os temas anteriores de Halo para criar uma trilha-sonora mais silenciosa, influenciada pelo jazz, algo também muito elogiado no jogo.

Com uma média de 83 e mais de 5 Milhões de Unidades vendias, Halo 3: ODST foi considerado um ótimo jogo, e apesar de Spin-off, agradou os fãs da série por ajudar o Universo em Expansão à fechar algumas lacunas presentes até então.

2010 - Halo: Reach



Clique para ver a imagem em tamanho original


Talvez a história mais emocionante, triste e cheia de momentos épicos da Space-Opera, Halo: Reach é um marco que causou muitas lágrimas aos fãs da Saga. Seja pelo já conhecido "Remember Noble, Remember Reach", ou seja pelo fato do jogo ter sido a despedida da Bungie à franquia, quando ela completou 10 anos de existência no mercado.

A Bungie teve em mente desde o início do desenvolvimento que esse jogo tinha de ser perfeito para os momentos atuais da franquia, com tons mais cinzas e uma sensação de adeus, Halo: Reach é um Spin-off Canônico que se passa antes de todos os outros jogos da Saga, até mesmo antes de Halo Wars, com a trama ocorrendo no Extinto planeta Reach.

Pra entendermos como a Bungie conseguiu trazer 2 jogos grandes, e de altíssima qualidade em uma pausa de apenas 1 ano, vale lembrar que após o lançamento de Halo 3 em 2007, o estúdio se dividiu em 2, onde uma equipe se responsabilizou por Halo 3: ODST, enquanto a outra esteve criando Halo: Reach, que ainda recebeu trabalho adicional no Multiplayer pela 343 Industries, estúdio criado em 2007 pelo ex-Diretor da Bungie, Frank o' Connor.

Como o jogo se passaria em um mundo humano condenado à destruição (Planeta Reach), os desenvolvedores focaram-se em fazer do ambiente, um personagem por si só. Os compositores de longa data de Halo, Martin O'Donnell e Michael Salvatori, voltaram para compor a trilha sonora de Reach, visando músicas mais sombrias para condizer com o enredo, além de condizer com os temas tristes e sem esperança, para dar ênfase no "Adeus".

A trama de Halo Reach se passa no ano de 2552, logo antes dos eventos de Halo: Combat Evolved e durante os eventos do filme Halo: The Fall of Reach. Os humanos, sob o comando do UNSC, têm travado uma longa guerra contra os Covenant. Nos eventos de Halo: Reach, quase todas as colônias humanas caíram. O planeta Reach é uma colônia similar à Terra e, nele, encontra-se o principal centro militar do UNSC. A colônia é também o lar de 700 milhões de humanos, além da presença militar.

O jogo inicia-se com a vista do planeta Reach em ruínas, e, então, a cena volta para acontecimentos anteriores à invasão Covenant. A Equipe Noble, enviada para descobrir por que um relê de comunicações foi desligado, descobre forças Covenant em Reach. Logo após, a equipe defende a Base Sword, uma instalação do Escritório de Inteligência Naval (ONI), a partir de uma nave Covenant capturada. A equipe conhece, então, Catherine Halsey, uma cientista e o "cérebro" por trás do programa Spartan e sua armadura, Mjolnir. Halsey informa à Equipe Noble que as forças Covenant estavam em busca de informações importantes.

Jun e Seis são enviados em uma missão secreta para avaliar as tropas Covenant e descobrem uma grande força de invasão no planeta. Na manhã seguinte, a Equipe Noble auxilia as forças do UNSC em um assalto a uma base terrestre Covenant. Quando um supercargueiro Covenant se junta à luta, Jorge e Seis partem em um plano para destruir o cargueiro utilizando uma bomba improvisada. Os Spartans usam caças de ataque para se infiltrar em uma corveta Covenant, preparam a bomba e traçam um rumo para se atracar ao cargueiro. O temporizador da bomba é danificado, então, Jorge fica para trás e sacrifica-se, destruindo o cargueiro. Momentos depois, um grande número de naves Covenant chega a Reach para iniciar uma invasão em grande escala.

Seu Multiplayer é um misto de sensações, em seu lançamento em 2010 sofreu alguns problemas nos servidores e os jogadores tiveram algumas reclamações pelo fato dele conter poucos modos e apresentar cenários muito fechados, algo que foi corrigido no decorrer dos meses pela 343 Industries, que assumiu a franquia após o lançamento de Halo: Reach naquele ano. Apesar disso, é elogiado as customizações e características de tons e opções de armaduras do jogo, com um grande leque de possibilidades e personalizações.

Halo: Reach foi um jogo excelente, tanto à nível da Trilogia criada pela Bungie, quanto por ser um jogo no geral, com uma Média de 91 pela Mídia e mais de 8.5 Milhões de Vendas, o adeua da Bungie foi encerrado com chave de ouro, e com ele, trouxe uma Nova Era para a franquia, que inicia-se já no ano seguinte.

2011 - Halo: Combat Evolved Anniversary



Clique para ver a imagem em tamanho original


O Remake de Halo 1 lançado em 2001 chegou ao Xbox 360, criado em através de uma parceria entre a 343 Industries e a Saber Interactive para uma recriação fiel e que traga melhorias em todos os aspectos do jogo original.

Os aprimoramentos de Anniversary incluem uma atualização completa para visuais em uma resolução maior, suporte a Gameplay da Campanha em Co-op e Online através da Xbox Live, músicas e efeitos sonoros novos e remasterizados, além de alguns extras e colecionáveis dentro do jogo.

Comparando a Gameplay entre Halo CE e Halo CEA, são praticamente idênticos, o enredo, como já conhecemos, é de Master Chief, recém criado através do Spartan II em sua Mjolnir, lutando contra o Covenant em um Halo antigo. Os jogadores podem optar por ver a diferença do Gráfico antigo de 2001 no jogo e o do Remake, ao clicar um botão do Controle do Xbox 360, e ver a diferença em tempo real, durante a gameplay, vendo sua evolução completa com esses 10 anos.

Alguns dos extras da Halo CEA é a de terminais de vídeo que proporcionam informações adicionais sobre o enredo e caveiras colecionáveis que modificam a jogabilidade quando ativadas.

Halo: Combat Evolved Anniversary foi recebido com críticas positivas e muito amistosas, sendo considerado um Remake de alta qualidade, com uma média de 82 na mídia e mais de 3 Milhões de Unidades vendidas, esse foi o preparativo para o ano seguinte, onde se marca o retorno de Master Chief, e da nova Trilogia, a Reclaimer.

2012 – Halo 4



Clique para ver a imagem em tamanho original


Com a entrada de Halo 4, muitos marcos são conquistados, o fim da Saga no Xbox 360, o retorno de Master Chief em uma Nova Trilogia, o primeiro jogo da Space-Opera sendo feito pela 343 Industries, e alguns momentos turbulentos que a franquia sofre devido a essa série de mudanças drásticas.

Quando Halo 4 foi anunciado durante o fim da E3 2011, fãs foram a loucura pelo Trailer em CGI feito pela Blur Studio mostrar o Chief despertando de sua cápsula ao fim de Halo 3, ao lado de Cortana, a outra protagonista da Saga, se tornando naquele momento o título que se responsabilizaria por dar entrada á uma Nova era, com uma Nova trilogia, denominada Reclaimer.

Na trama, Halo 4 se inicia no ano de 2557, 4 anos após os eventos de Halo 3, o jogo e os últimos livros da franquia reconstroem detalhadamente que, centenas de milhares de anos antes da era moderna, os seres humanos foram uma das várias civilizações do universo. Na sequencia, após uma guerra com um tipo de parasitas conhecidos por Floods, a humanidade e seus aliados entraram em conflito com uma raça altamente tecnológica conhecida como Forerunners, uma poderosa raça que conduzia uma política de benevolência, suportada por outras raças que chamariam de "Manto da Responsabilidade" (Mantle of Responsibility).

Depois de anos de conflitos, os Forerunners derrotaram os seres humanos e lhes retiraram sua tecnologia e governo. Os Forerunners logo entram em luta contra os Floods com suas próprias forças, depois de esgotar todas as outras opções estratégicas disponíveis, os Forerunners ativariam armas de destruição em massa, conhecidas como "Halo Array", que mataria, assim, todos os seres com vida consciente na galáxia, isso para privar os Floods do seu alimento. A vida que os Forerunners haviam catalogado seria, em seguida, semeada novamente por toda a galáxia.

Ainda flutuando no espaço no que sobrou da fragata Foward Unto Dawn, que parou orbitando o planeta artificial Requiem, Cortana desperta Master Chief do sono criogênico pouco antes de forças Covenant abordarem a nave. O que restou da Dawn se vai pela gravidade de Requiem, passando através de uma abertura na superfície do planeta para então se chocar no seu interior. Logo que Chief e Cortana iniciam a exploração de Requiem, iniciam-se também os combates com os hostis Covenant e Prometheans (raça artificial criada pelos Forerunners), bem como as anomalias com Cortana.

A trama e história de Halo 4 são muito elogiados pela sua abordagem mais humana e emocional, que tenta captar os sentimentos de Chief, onde o jogo tenta passar a mensagem de que sim, ele é um Humano, ele também sente remorsos, alegrias, tristezas, porém demonstra isso de outras formas, além disso, o jogo também capta toda a união e parceria entre ele e Cortana, sendo um jogo focado nestes 2 personagens principalmente. Apesar disso, muitos também reclamam pelo jogo não ser muito linear, ou não fechar todos os buracos e lacunas da história, pois pra compreendimento geral, é necessário ler os 3 Livros anteriores á Halo 4, e no meio do jogo, um outro livro, onde tudo fica esclarecido e com todos as pontas fechadas, algo muito criticado pelos fãs pois não gostaram de tal necessidade.

No Multiplayer, Halo 4 foi duramente criticado por remover o Modo de Campanha em Co-op, além da remoção de alguns modos clássicos criados pela Bungie, e em seu lugar, dar um foco muito árduo ao cenário casual, focando em modos de captura e sniper, algo que foi totalmente a contra gosto da mídia e dos fãs da Saga. Com o passar dos anos, foram corrigidos quase todos esses problemas, sendo introduzido uma série de novos conteúdos no Multiplayer do jogo para se assimilar ao máximo com o clássico que já conheciamos, mas ainda não satisfez completamente devido aos anos já terem passado desde seu lançamento.

Halo 4 também dá entrada mais uma vez a parceria com a Blur Studio, onde em várias cenas do jogo são construídas utilizando a CGI de mais alta qualidade da época, misturando sua trilha sonora mais opaca e sentimentalista com as emoções bem transparecidas com essas cenas construídas com a mais qualidade presente naquele momento.

No fim, Halo 4 agradou a maior parte da fã base, apesar de alguns tropeços, o jogo foi recebido com uma recepção boa, porém alguns ainda consideram o jogo um pouco decepcionante devido a mudanças radicais comparando os títulos da Saga entre a Bungie e a 343 Industries. Com uma média de 87 na Mídia e mais de 11 Milhões de Unidades, Halo 4 foi um sucesso crítico e comercial, e foi o pilar para a construção dessa nova Trilogia.

2014 - Halo: The Master Chief Collection



Clique para ver a imagem em tamanho original


Como o próprio nome diz, essa é uma Coleção unificada de Halo CE, Halo 2, Halo 3 e Halo 4. Sendo o primeiro título da franquia para o Xbox One, Halo: MCC foi criado em uma grande colaboração entre 343 Industries, Bungie, Certain Affinity e Ruffian Games.

Em Halo: The Master Chief Collection, temos o Remake de Halo CEA lançado em 2011, agora com a resolução Full HD e 60 quadros por segundo, Um Remake completo de Halo 2, com novas texturas, sons melhorados, Cinemáticas feitas pela Blur Studio (A mesma que fez em Halo 4), Halo 3, que também ganhou um Remake na MCC em 2017, e Halo 4 também em Full HD e 60 quadros.

Halo 3: ODST foi lançado posteriormente na coleção em 2015, como uma DLC, e Halo: Reach chegou a coleção em 2019, com uma remasterização completa, além de ter sido lançado também no PC, através do Windows 10 e Xbox Play Anywhere.

Falando do principal foco da coleção agora, foi Halo 2 Anniversary, que lançou em 2014 dentro da coleção, que como eu disse acima, é o Remake completo de Halo 2, aqui, foram recriados todos os cenários do jogo, trilha sonora, efeitos sonoros, partículas, além da introdução de novos personagens, como Spartan Locke, que falaremos posteriormente de quem se trata. Foram elogiados toda sua reconstrução fiel da Campanha original, aliadas ás Cutscenes em CGI da Blur Studio, Halo 2 Anniversary é um conteúdo Premium, que recria toda a beleza e arte do jogo original, e contém as mesmas função de Halo CEA, onde ao clicar um botão, você pode ver a diferença dentro do jogo daquele cenário e como ele era no jogo original, e no Remake.

Quanto ao seu Multiplayer, é aí que os problemas moram, Halo: The Master Chief Collection é mais um de outra série de jogos que foram lançados em 2014, e como sabemos, este ano é marcado por grandes decepções, e a MCC não passou em branco nesse sentido. Com problemas sérios em seus servidores, e diversas falhas de bugs, performance e conteúdo, o Multiplayer de Halo 2 Anniversary ficou assombrado por graves defeitos por vários anos, sendo corrigido de pouco a pouco devido ao tamanho e escopo da coletânea englobar mais de 4 Jogos em apenas 1 Console.

Em Halo MCC também foram inclusos Halo: Nightfall, um filme, produzido e dirigido por Ridley Scott, onde se passa alguns anos após o fim de Halo 4, e é a porta de entrada para o início do jogo que seria lançado no ano seguinte, Halo 5: Guardians, que também está incluso na MCC, no caso, a Beta Multiplayer de H5 Guardians foi inclusa, lançada em Dezembro, 1 mês após o lançamento oficial da Coletânea em 2014.

Halo: The Master Chief Collection foi recebido positivamente pelos fãs da marca, mesmo com suas grandes falhas em servidores e no Multiplayer do Remake de Halo 2, o jogo contou com uma campanha que recebeu tratamento luxuoso, além de estar presente Halo CE, Halo 3 e Halo 4, com melhorias na resolução, perfomance e alguns detalhes extras, e claro, o filme Halo: Nightfall, muito elogiado pela grandiosa qualidade. Com isso, a coletânea conseguiu figurar com uma Média de 85 na mídia, e ser o 2 jogo Exclusivo do Xbox One com mais vendas na geração, contendo mais de 6 Milhões de Unidades vendidas.

2015 - Halo 5: Guardians



Clique para ver a imagem em tamanho original


Quando foi lançado Halo 5 em 2015, e sendo o segundo jogo da franquia sendo produzido pela 343 Industries, altas expectativas estavam sendo exigidas, tanto pelos fãs quererem melhorias significativas diante dos problemas de Halo 4 e Halo MCC, quanto pela sua Campanha de Marketing demonstrar um embate entre Master Chief e Spartan Locke, onde descobririamos a verdade diante dos fatos entre os 2 Protagonistas, sendo usado a hashtag #HuntTheTruth para promover o jogo em revistas, propagandas, trailers e etc.

A verdade é que tudo não se passou de uma grande farsa, pois Halo 5: Guardians se figura com a pior Campanha já criada na franquia até então, com pouco mais de 4 horas de duração, e em que demonstra uma falha tremenda no seu desenvolvimento, onde passamos mais de 70% do jogo com Spartan Locke, e apenas 30% com Master Chief, e sua grande batalha não acaba passando de meras propagandas enganosas.

Vejamos, a trama de Halo 5: Guardians se inicia com o Fireteam Osiris sendo enviado para o fragmentado planeta de Kamchatka, controlado por facções de Jul 'Mdama, para recuperar a Dr. Halsey, que afirma ter informações sobre uma série de ataques devastadores a vários mundos humanos, durante uma batalha entre as forças da Aliança e os Prometheans. Enquanto a equipe consegue recuperar Halsey e eliminar o líder da Aliança Jul 'Mdama, Halsey informa que uma nova ameaça está prestes a surgir.

Em outros lugares, o Master Chief lidera a Blue Team em uma missão para garantir uma estação de pesquisa abandonada da ONI conhecida como Argent Moon. A chegada de uma frota Covenant obriga a Blue Team a seguir a estação. Durante a sabotagem, Chief recebe uma mensagem enigmática de Cortana, direcionando-o para o planeta Meridian. John recebe ordem para retornar á Infinite, após destruir Argent Moon, mas ele e a Blue Team desobedecem às ordens e partem atrás de Cortana, forçando o capitão Lasky a listar os Spartan desonestos como AWOL. Isso causa consternação a bordo da Infinite, pois Halsey acredita que a sobrevivência de Cortana através do uso da tecnologia Forerunner a torna imprevisível e não confiável, e então, toda a trama começa.

O problema disso tudo, é que Halo 5 tenta construir um ambiente onde muitos acontecimentos do jogo anterior são distorcidos, além de Cortana, principal protagonista ao lado de Master Chief, se tornar Vilã. Apesar de uma premissa interessante e com o início um tanto inspirador, toda a história vai se desenvolvendo de maneira crua e sem muita emoção, principalmente pelo fato de uma grande parte dos personagens de Halo 5: Guardians nunca terem aparecido em um jogo da Saga até então, pois antes deste jogo, eram partes apenas dos Livros e Filmes da franquia, algo que acabou não construindo um desenvolvimento próprio pra eles, e fez a experiência dos fãs ficarem ainda mais azedas com eles.

Quanto ao Multiplayer, o reverso aconteceu, após as milhares de críticas á 343 Industries com este material em Halo 4, o estúdio dedicou um forte laço em reconstruir tudo isso, com o retorno da possibilidade de jogar a Campanha em Co-op, com times formados em até 4 jogadores, e focados na experiência Casual e de e-Sports, os modos Forge e Arena retornam, além da presença do ranqueamento e sistema competitivo. Também vale destacar o novo modo de jogo, o Warzone, grande destaque do jogo, tanto pela sua criatividade, maneira diferente de jogar e ser único até então em um jogo de FPS.

Apesar disso, uma crítica forte ao jogo no Multiplayer é fato dele conter um grande número de microtransações e lootboxes, não torna o jogo Pay-2-Win ou algo do gênero, mas é algo que incomoda muito, e poderia ser melhor gerenciado e balanceado. Halo 5: Guardians marca também o retorno da Crypt Engine, introduzida em Halo 4 como uma melhoria da engine Bungie, e em Halo 5 Guardians ela foi ainda mais melhorada para tirar proveito e potencial ao máximo do Xbox One, utilizando também o Poder da Nuvem do Console.

Sua Trilha Sonora é como outra vez na franquia, algo de cair o queixo. Mesmo sem a presença de Martin o' Donnell, o jogo é muito marcante neste aspecto, principalmente nas faixas Light is Green, The Trials e Blue Team, com o retorno do estilo mais Tribal e uma Sensação de Ficção Científica mais atemporal. Todo esse trabalho foi feito pelo compositor Kazuma Jinnouchi, que soube captar os lados bons das faixas da Trilogia original e de Halo 4, e unindo isso criou um Mix de algo épico e com tons de guerra.

Halo 5: Guardians foi recebido com muito positivas da mídia, com uma média de 84, e mais de 10 Milhões de Vendas no Xbox One, Halo 5 se configura como o Exclusivo do Console mais vendido da geração até o presente momento de 2020. Quanto a recepção dos fãs, a maior parte da fã base de Halo 5 considera sua campanha mediócre pra ruim, devido suas mentiras e falhas tantos de roteiro como nos personagens, quanto a Multiplayer, os fãs não faltaram com elogios, com muitos considerando-o o melhor da franquia já lançado.

2017 - Halo Wars 2



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo sequência direta do original de 2009 criado pela Ensemble Studios, Halo Wars 2 foi lançado em 2017, sendo desenvolvido pela Creative Assembly, o jogo é mais uma vez um Spin-Off Canôn, se passando após o final de Halo Wars 1, ao mesmo tempo que seus eventos também tem impacto no final de Halo 5: Guardians.

Como um jogo de RTS, Halo Wars 2 sofre mais uma vez do problema de ser um jogo limitado por conta do Controle, mesmo assim não peca em sua jogabilidade e história, que são muito fiéis a franquia, com personagens bem construídos, e com a introdução de um novo grande vilão para a Saga, chamado Atriox.

Chegando ao Ark, a Spirit of Fire e sua tripulação recebe um sinal da UNSC a partir da superfície da instalação. O Spartan Red Team composto pelos super-soldados Alice, Jerome e Douglas são enviado para investigar o sinal. Eles recuperam Isabel (Uma IA) de uma base do UNSC, mas são atacados pelos Banidos durante a exfiltração. De volta á Spirit of Fire, Isabel revela ao capitão Cutter como Atriox e os Banidos invadiram a Arca. Apesar de Isabel acreditar que a resistência é impossível, Cutter declara sua intenção de confrontar os Banidos. Uma equipe de ataque consegue estabelecer uma base avançada e derrotar as forças banidas sob o controle de Decimus. Nos destroços da base de Decimus, Isabel descobre informações sobre o Cartógrafo da Arca, um mapa dos principais sistemas e armas.

Halo Wars 2 além de sua Campanha já tradicional, recebeu 2 Expansões de Campanha, a Operation Spearbreaker e Awakening the Nightmare, que dá conclusão a história do jogo inicial. Apesar disso, Halo Wars ainda é pensado como uma trilogia, portanto, no futuro é de se pensar que no futuro deveremo ver Halo Wars 3 sendo lançado.

O jogo também conta com Modo Multiplayer e Blitz, também muito elogiados pela riqueza de conteúdo. Outro aspecto do jogo é sua facilidade nos comandos para o controle e seu cenário bem construído, sendo linear e possuindo progressão fluída apesar de algumas limitações como mencionei antes.

Halo Wars 2 foi recebido com críticas positivas, e algumas mistas, com uma média de 79 da Mídia, e pouco mais de 2 Milhões de Unidades vendidas, o jogo foi um bom sucesso, mas perante o Halo Wars original, pôde-se perceber uma pequena queda.

2020 - Halo Infinite



Clique para ver a imagem em tamanho original


Como se trata de um jogo ainda em desenvolvimento, trataremos do que já foi confirmado e concebido pela 343 Industries para Halo Infinite, a nova entrada da franquia em uma Nova Geração, que busca revitalizar e emplacar tudo o que foi falho em Halo 5: Guardians.

Halo Infinite se trata da Nova entrada da trilogia Reclaimer iniciada em 2012 em Halo 4, sendo o fechamento dela, e sendo o primeiro jogo da Saga á ser lançamento de um Console desde Halo: Combat Evolved em 2001. O jogo conta com uma Nova Engine criada desde o início para levar a franquia ao máximo e ser responsável pelo seu futuro, a SlipSpace Engine.

No quesito trama, o que sabemos é que Halo Infinite será um jogo focado principalmente em Master Chief, algo que foi criticado pela ausência do personagem em Halo 5. Além disso, a trama ocorre alguns anos após Halo 5, sendo Halo Infinite anterior aos Livros Halo: Bad Blood e Halo: Master Chief History.

Para o multiplayer, já foram confirmadas as presenças dos principais modos de Halo 5, como Forge, Arena e Warzone, os pilares do jogo de 2015. Além disso, a 343 Industries garante que irá balancear a experiência do Multiplayer para os jogadores casuais e do cenário competitivo para termos um experiência coesa e de melhor acesso á todos os públicos.

Na trama, sabemos que no último trailer divulgado do jogo, intitulado Discover Hope, Master Chief estava vagando no espaço com uma das suas armaduras Mark V, e foi resgato por um piloto de uma Pelican que estava sem energia por muitos anos e busca voltar para Casa. Também é descoberto um novo Halo destruído no espaço, e uma IA dentro dele, será que Chief irá usá-la como substituto de Cortana?

O jogo também conta com o apoio de um estúdio secundário para a produção do Multiplayer, a SkyBox Labs, além do Blur Studio que manterá sendo a empresa a produzir as CGI e Cutscenes dentro do jogo.

Halo Infinite será lançado no fim deste ano, em 2020, e será um título Exclusivo para o Xbox Series X, o Xbox One, e o Windows 10 PC. E durante a E3 2020 deveremos saber mais informações a respeito do jogo.

Cronologia da Saga Halo


Uma das grandes dúvidas da comunidade e dos jogadores em geral quando olham para a franquia é sua cronologia, por ser uma Saga que está presente em Jogos, Livros, Animações e Filmes, tudo pode ficar meio confuso, e é um dos motivos pelo qual Halo Infinite não contém o número 6, já que é uma sequência de Halo 5, pois poderia não conseguir atrair um novo público para a Space-Opera.

Para uma melhor explicação da Ordem cronólogica (ao menos nos Jogos), aqui vai:

Halo Wars, Halo Wars 2, Halo: Reach, Halo: Combat Evolved, Halo 2, Halo 3: ODST, Halo 3, Halo 4, Halo 5, (Alguns eventos de Halo Wars 2), Halo Infinite.
Caso queira compreendimento completo, englobando todas as outras mídias da Saga Halo, em baixo colocarei uma foto que trata especificamente disso:



Observação: A foto a seguir é de 2016, portanto, não contém Halo Wars 2 e nem os 2 Livros lançados em 2018, mas basicamente, imagine que nesta foto, Halo Wars 2 se encontra do lado do retrato de Halo Wars 1, e os outros 2 livros são depois do Halo 5: Guardias


Clique para ver a imagem em tamanho original


Halo nas outras mídias


Como mencionei acima, Halo trancede além dos Jogos, contendo mídia em Livros, Filmes, Animações, e etc, em cada sessão abaixo, abordarei cada uma dessas coisas, com algumas curiosidades e mais.

Halo: The Fall of Reach



Clique para ver a imagem em tamanho original


Lançado em 2015, Halo: The Fall of Reach é um Livro (E também ganhou adaptação para Filme). No filme (e livro), conhecemos as origens de Master Chief e do programa Spartan, que transformou um grupo de crianças em soldados modificados para lutar contra uma ameaça alienígena, criado pela Dr. Elizabeth Halsey. A História também mostra os momentos pré e pós a invasão da Aliança à Terra. Além disso, também apresentará a formação da Blue Team, a equipe original de Master Chief.

Cronologicamente, Halo: The Fall of Reach é um filme que se passa antes, durante, e depois de Halo: Reach lançado em 2010.

O elenco do filme conta com os atores Jen Taylor, Steve Downes, Michelle Lukes, Britt Baron, Travis Willingham, John Bently, Todd Haberkorn e Cole Jensen.

Ele contém exatas 1 hora e 4 minutos de duração, um filme curto, porém com alta qualidade, tanto visual quanto nos efeitos sonoros, partículas e iluminação.

Essa adaptação cinematográfica e do livro foram lançadas em Julho de 2015, dando apoio e ênfase para o jogo que viria ser lançado naquele ano, Halo 5: Guardians.

Halo: Nightfall



Clique para ver a imagem em tamanho original


Dirigido pelo aclamado diretor Ridley Scott, e com o Co-diretor Sergio Mimica-Gezzan, Halo: Nightfall é uma série digital lançada em 2014, Exclusivamente dentro da Halo: The Master Chief Collection, uma Super Produção que antecedem os acontecimentos de Halo 5: Guardians. Foi produzida em colaboração entre a 343 Industries e a Scott Free Productions.

Na trama, enquanto investigavam atividades terroristas no distante mundo das colônias de Sedra, Jameson Locke e sua equipe são pegos em um terrível ataque biológico que os expõe a um perigo muito mais profundo.

Um Unidade ONI sob comando de Locke é implantado no humano exterior Colony de Sedra para investigar terrorista actividade. Sedra é descrito como um mundo de remanso que abriga um desdém pelo Governo da Terra Unificada e pela UNSC. Durante sua investigação, uma cidade de Sedran é atacada por um Terrorista sangheili empunhando uma arma biológica que afeta apenas humanos. A equipe de Locke é forçada a trabalhar em conjunto com o comandante da Guarda Colonial de Sedran, Randall Aiken e suas tropas, para rastrear a origem da arma biológica. Durante sua busca, a unidade é atraída para uma seção parcialmente intacta da Instalação 4, o mundo dos anéis do Halo destruído pelo Master Chief no primeiro jogo da Saga Halo.

O Elenco de Halo: Nightfall é bem vasto, com os atores Mike Colter, Christina Chong, Steven Waddington, Christian Contreras, Luke Neal, Alexander Bhat, Jennie Gruner, Eric Kofi Abre e Alexis Rodney.

Com a duração de 2 Horas no total de todos os episódios, Halo: Nightfall se mostrou competente e de qualidade acima da média, apesar de algumas falhas no final de seu roteiro pra coincidir com os eventos diretos de Halo 5, Ridley Scott soube usar a cadência e boa direção para uma produção digna da Saga, que à muito tempo era pedido uma Série/Filme.

Halo: The TV Series



Clique para ver a imagem em tamanho original


Com lançamento marcado para Início de 2021, Halo: The Television Series será uma Série Dirigida pelo aclamado diretor Steven Spielburg, e será lançada Exclusivamente na Xbox Live.

A Série não será Canônica, e contará com 10 Episódios, contando algo totalmente original, porém com os personagens já conhecidos da Space-Opera, tendo o objetivo de ser a Série com a maior qualidade já vista da Saga.

No elenco, temos Pablo Schreiber, Bentley Kailu, Kate Kennedy, Natascha McElhone, Bokeem Woodbine, Francisco Labe, Morjan Novak, Shawn Aylward, Olive Gray, e vários outros.

A Produção da Série já começou em Julho de 2019, e atualmente ainda continua nessa fase, como eu disse, ela tem lançamento para o Início de 2021, portanto, Durante a E3 ou na Comic Con em Agosto deveremos receber mais informações a respeito da data de lançamento oficial da Série.

Halo: Landfall



Clique para ver a imagem em tamanho original


Halo: Landfall é um grupo de curtas-metragens criados em colaboração com a Bungie Studios, Neill Blomkamp, WETA Digital e Origami Digital LLC. Esses filmes foram a primeira incursão da franquia Halo em filmes de ação em Live-Action, seguidos de perto pela série de filmes" Museum". Esses shorts Halo foram projetados como material promocional para o próximo jogo da franquia, Halo 3, atraindo interesse para o seu lançamento.

Mantido em segredo, o set foi anunciado inesperadamente em 10 de julho de 2007 com o lançamento do primeiro vídeo, Halo: Arms Race na primeira página da Bungienet. O Arms Race apresentou várias cenas de personagens, além de efeitos especiais e adereços, mas pouca ação real. O filme também foi exibido na E3 de 2007 e, com ele, promessas de curtas adicionais.

Arms Race foi um trailer de ação Live-Action que apareceu com outro filme um longo mês depois. Combat, lançado no site da WETA em agosto de 2007, contando a história de dois soldados ODST lutando contra Brutes enquanto tentavam recuperar um objeto, mais tarde revelado como um laser de mira, no campo de batalha durante a Batalha da Terra.

Um terceiro filme, Last One Standing, foi lançado em 24 de setembro, poucas horas antes do lançamento de Halo 3. Este filme foi lançado primeiro no site do Discovery Channel, como parte de sua promoção para um programa não relacionado, Last One Standing.

Halo Legends



Clique para ver a imagem em tamanho original


Halo Legends são sete histórias emocionantes que ampliam o universo futurístico da Saga Halo. Os curtas focam na origem misteriosa do Master Chief, nas capacidades avançadas de combate dos Spartans e na tensa rivalidade que eles desenvolveram contra os Orbital Drop Shock Troopers. Criada em colaboração com alguns dos principais animadores japoneses, esta incrível coletânea nos transporta para o centro das maiores batalhas da humanidade contra a temida aliança Covenant.

A direção foi feita por Frank O' Connor, Bonnie Ross e Joseph Staten, atuantes, Diretores e Chefes da Saga Halo, da 343 Industries. A animação foi lançada em 2010, e é muito elogiada por seu formato "Anime", trazendo mais da cultura japonesa para a Space-Opera.

No trabalho de arte são liderados pelos Japoneses Shinji Aramaki, Mamoru Oshii, Daisuke Nishio, Kōichi Mashimo, e na Trilha Sonora por Yasuharu Takanashi, Tetsuya Takahashi e Eiko Konoo.

Halo Legends foi lançado foi lançado oficialmente em 2010, e considerado a melhor adaptação de animação da franquia para outra mídia já feito, sendo também um produto Canônico e que tem impacto direto em toda a Cronologia da Saga.

Livros de Halo


Se você leu acima onde eu falo de toda a Cronologia da Saga, verá que o Universo de Halo é rico em Livros, com uma série de histórias Canônicas, e que passam por diversos momentos dos jogos, contendo vários nesse aspecto.

Uma das primeiras trilogias que faz isso são os Halo: Cryptum, Silentium e Primordium, lançados por Greg Bear.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Já se tratando de livros que estão na cronologia recente e que antecedem Halo Infinite, temos, Halo: Bad Blood e Halo: Legacy of Onyx, de Matt Forbeck. Quem estão alinhados com personagens de outra Série de livros de Halo, que são os Fractures, Envoy e Retribution.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Legado e Premiações de Halo


Halo é uma das maiores Sagas da cultura atual, com mais de 70 Milhões de Vendas no total dos Jogos, e já tendo gerado mais de 1 Bilhão de dólares em receita, Halo figura como uma das maiores Obras-Primas de sucesso já feitas, que revolucionou a indústria desde a sua criação, e continua a atingir mais marcos ao longo dos anos, como no jogo mais recente da Série, Halo 5: Guardians, que gerou mais de 400 Milhões de Dólares de receita nas primeiras 24 horas de seu lançamento.

No quesito premiação, a Saga Halo já conta com mais de 300 Prêmios, variando desde Melhor jogo de Tiro à Game of the Year.

A Saga Halo também está presente no Hall of Fame, com os jogos Halo: Combat Evolved e Halo 2. O World Hall of Fame iniciou-se em 2015, e conta com títulos como Super Mario Bros, Street Fighter II, Final Fantasy VII e Metal Gear Solid 3: Snake Eater.

Além disso, a Diretora da Série e Chefe da 343 Industries, Bonnie Ross, também entrou para o Hall da Fama.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Neste ano em 2020, A Space-Opera Saga Halo também irá comemorar 19 Anos de existência, e o lançamento de Halo Infinite acontecerá muito próximo dessa data, provavelmente em Novembro, com o lançamento do novo Xbox Series X.



-------

É isso pessoal, esse foi o novo Legado de Franquias da Semana, espero que tenham gostado, e se quiserem tirar alguma dúvida a respeito a Série abaixo nos comentários é só me chamar. E claro, caso tenha algum erro de ortografia ou esquecido algum detalhe de Halo, fique a vontade para me contar, sou apaixonado pela Saga e foi o que me motivou a escrever sobre ela.

Fiquem bem, e até a Próxima.
Evil E.
Enviado por Evil E.
Membro desde
label
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no CANAL, Facebook, Twitter, e na nossa curadorida da Steam.