.

Pachter acredita que Anthem terá apenas micro-transacções cosméticas

Enviado por Catos, , 270 visualizações, 0 comentários
[img]hide:aHR0cHM6Ly9ibG9nLmpvbnlnYW1lcy5jb20uYnIvd3AtY29udGVudC91cGxvYWRzLzIwMTcvMDcvQXJtYWR1cmEtSmF2ZWxpbi1BbnRoZW0tMTAyNHg0MzIuanBn[/img]

Depois de Mass Effect: Andromeda, Need for Speed: Payback e Star Wars: Battlefront 2, os jogadores apenas têm uma pergunta na sua mente, 'Como é que a Electronic Arts vai arruinar Anthem?'

No entanto, tal poderá não acontecer e poderá mesmo receber o jogo que deseja. É nisso que acredita Michael Pachter, o famoso analista da Wedbush Morgan, que depois de um infeliz 2017, não imagina a EA a cometer os mesmos erros com a sua nova propriedade intelectual.

Atualmente, os jogadores temem em ver os seus jogos arruinados por micro-transacções gananciosas que estragam a diversão, mas Pachter acredita que a EA aprendeu o erro e apostará numa abordagem ao estilo de Overwatch, centrada em itens cosméticos, que provavelmente terá imenso sucesso.

"A questão para Anthem é se a EA o vai arruinar como fez a Star Wars ou será que vão imitar Overwatch e o mapa de conteúdos de Destiny, onde o jogo em si é divertido de jogar e os pagamentos complementares? Eles tiveram problemas com Star Wars porque o tornaram pay to win. Se se tivessem limitado a itens puramente cosméticos, penso que ninguém se teria queixado. Anthem tem o potencial para ser como Destiny em termos de experiência de jogo e como Overwatch em termos de micro-transacções, onde tudo é cosmético e ninguém se queixa."




"A verdade é que a Bioware já fez vários jogos que venderam cerca de 5 milhões, por isso estou confortável para dizer que Anthem venderá pelo menos isso. 7 ou 8 milhões? Sim, se for um grande jogo. 10 ou 20 milhões? Provavelmente não, mas iremos descobrir," acrescentou o analista.

Pachter acredita que com a ajuda de Casey Hudson, de volta à Bioware, o jogo poderá ser um grande título e acredita que Anthem poderá ser o jogo da Bioware a vender 10 milhões como a Bungie e a Blizzard conseguiram.

No entanto, chama a atenção para a Electronic Arts, que está debaixo do foco das atenções de toda a indústria e cuja relação com os jogadores não é a melhor atualmente.

"Penso que de momento a EA está de castigo. Penso que estão todos atentos a tudo o que faz. Não acredito que se possam dar ao luxo de inserir mais um esquema oneroso de micro-transacções no futuro, têm de reconquistar novamente a confiança dos jogadores. Espero que tenham acordado e aprendido com esta experiência. Penso que são pessoas inteligentes, tenho a certeza que farão o que é certo de agora em diante. Veremos."

A grande maioria dos jogadores está entusiasmada com Anthem, mas o medo das micro-transacções e como podem arruinar a experiência paira sobre os títulos da EA, como referido por Pachter.
Catos
Enviado por Catos
Membro desde
26 anos, Goiania
label