.

RPGs ocidentais já ultrapassam RPGs orientais por uma enorme margem nos consoles

Enviado por Frocharocha, , 3936 visualizações, 0 comentários
[img]hide:aHR0cDovL2Nkbi5jZ21hZ29ubGluZS5jb20vd3AtY29udGVudC91cGxvYWRzLzIwMTUvMDUvMi1tYXNzaXZlLWV4cGFuc2lvbnMtYW5ub3VuY2VkLWZvci10aGUtd2l0Y2hlci0zLXdfZGJkeC4xOTIwLTEwMjF4NTc0LmpwZw==[/img]
Nas gerações passadas, como o NES, Genesis e PlayStation 2 uma coisa era claro; quando se tratava de role-playing games, os japoneses governou a capoeira. Sim, os caras do ocidente tiveram jogos como Baldur e, ainda mais para trás, a série Ultima, mas eles não têm Sephiroth, ou KOS-MOS, ou whackeds, conceitos como "evokers", que eram basicamente armas psíquicas em forma de armas que adolescentes colocavam em suas cabeças para atirar. Para consoles, RPGs significavam RPGs japoneses, e por muitos anos, esse era um ponto de distinção entre o PC contra jogos de console.

"JRPGs não estão indo embora, mas é improvável que cheguem ao topo dos RPGS ocidentais, A MENOS QUE AS EDITORAS OCIDENTAIS percam o interesse no gênero."

Agora, dois anos em uma fileira, os melhores RPGs de console vêm do Ocidente , com os desenvolvedores criando games orientados para o PC; Dragon Age: Inquisition e The Witcher III: Wild Hunt.
A maior parte dos JRPG para bater a atual geração é com uma remasterizarão HD do Final Fantasy X que já saiu no PS3 no ano passado. Curiosamente, o primeiro JRPG de grande orçamento para enfeitar nos novos consoles, Final Fantasy XV, já tinha uma demo e que bate de frente com-você adivinhou-Dragon Age e The Witcher. O RPG ocidental, conhecido anteriormente como "CRPG" quando foi confinado aos computadores, mudou-se para dentro dos espaços nos consoles, e está aqui para ficar.

Isso não é necessariamente uma coisa ruim, como jogos como Dragon Age e The Witcher são altamente recomendado para os fãs do gênero, mas é uma mudança surpreendente da guarda que, alguns anos atrás, ninguém poderia ter previsto. O que aconteceu?

Há dois fatores principais que conduzem essa mudança de posição dominante. Um é o estado da indústria japonesa de despreparo para a era HD na última geração de consoles. A outra é a entrada da Microsoft no universo dos consoles.

Quando o PS3 e Xbox 360 realizaram o salto para gráficos de alta definição, foi uma transição difícil para toda a indústria, mas os japoneses, em particular se esforçaram ao máximo com ele. A Square Enix especialmente, foi esmagada pelas mudanças HD exigidos para seu fluxo de trabalho. Não só Final Fantasy XIII demorou muito mais para er produzido do que outros jogos (seis anos, na verdade), jogos como Kingdom Hearts e Final Fantasy Versus XIII perderam a geração de consoles inteiramente. Não é surpreendente que, com grandes estúdios japoneses como a Square estejam perdendo o barco, outrasmenores, como Atlus seria até demais demais, que é por isso que a série Persona muito amada também pulou de fora na geração inteiramente.
Jogos HD foram incrivelmente caros e demorados para fazer com as práticas de desenvolvimento japonesas estabelecidas. Basta perguntar a Sony como The Last Guardian tem se saido nos ultimos anos de desenvolvimento.
Frocharocha
Enviado por Frocharocha
Membro desde
37 anos, São Paulo
label