.
3

Análise do jogo "Transformers: Revenge of the Fallen" para X360 escrito por Uol Jogos

Escrito por Uol Jogos, nota 3 de 5, enviado por mmalinowski,
Grande sucesso de 2007, "Transformers" agradou bem mais do que apenas os fãs da antiga linha de brinquedos da Hasbro. Uma continuação, claro, foi encomendada e chega aos cinemas brasileiros sob o título de "Transformers: A Vingança dos Derrotados", trazendo toda a equipe do original de volta, assim como a ação, efeitos especiais e barulhos ensurdecedores. A Activision, que detém os direitos de explorar a franquia nos videogames, também atacou com uma nova adaptação, tentando tirar o gosto ruim do anterior. Não foi desta vez. "Transformers: Revenge of the Fallen" é um jogo bastante sem sal, apresentando produção medíocre e alguns aspectos bastante questionáveis. [t1]Dois lados da batalha[/t1] O novo jogo funciona de maneira similar ao anterior, com a possibilidade de controlar tanto os Autobots quanto os Decepticons em missões por cenários abertos. A grande diferença é que a ordem das fases não é linear, deixando sob escolha do jogador em uma espécie de central que também serve para gerenciar seu grupo e comprar upgrades para os robôs. A história do game tenta seguir os eventos principais do filme, em que o Decepticon Megatron é ressuscitado e se reúne ao grupo para honrar o plano do verdadeiro líder da facção, um Transformer monstruoso chamado The Fallen. Optimus Prime e seus Autobots, ao lado das forças armadas dos EUA, formam uma equipe especial para tentar conter a ameaça. No meio de tanta pancadaria e tiroteio, personagens como Ironhide, Bumblebee, Ratchet, Starscream e Soundwave dão as caras e podem ser controlados - o que deve deixar os fãs da franquia com sorrisos de orelha a orelha. O grande problema da apresentação é que não há nenhum tipo de material que ligue as missões com os eventos do filme. Não há trechos do longa ou recriações em CG, apenas narrações que tentam resumir o que está acontecendo ou animações pobres que mostram pontos vitais dos mapas e alguns objetivos. Se não fosse pela presença dos famosos robôs, mal daria para notar que se trata de um jogo licenciado. Os próprios gráficos e sons, burocráticos, não conseguem impor uma marca. A falta de uma produção mais robusta também se realça na estrutura do jogo. As missões são pouco variadas, em que se deve geralmente destruir todos os inimigos do mapa ou defender alguém ou alguma coisa. Como os eventos não necessariamente acompanham a narrativa do filme ou trazem maiores esclarecimentos, a sensação de envolvimento se dilui. ?? divertido controlar um robô, não há duvida nisso. Em vários momentos você tem a sensação de ter o total comando de um grande monstro de metal capaz de se transformar em um veículo a qualquer segundo e gerar o caos pelas ruas. Mas a repetição incomoda, assim como alguns controles. Por exemplo, os gatilhos são usados para a transformação e também para manter o veículo correndo - se você soltar para diminuir a velocidade corre o risco de voltar à forma de robô, o que é estranho. Se as missões não empolgam a longo prazo, ao menos o modo multiplayer entra em cena para tentar compensar. Até oito jogadores podem participar de algumas modalidades online, como o obrigatório Deathmatch e o On Shall Stand, em que se torna necessário destruir o líder da facção inimiga (Optimus ou Megatron) para vencer. [t1]Considerações[/t1] "Transformers: Revenge of the Fallen" é mais um daqueles temíveis jogos baseados em filme que decepcionam os fãs. Ainda que não seja o pior do mercado, com personagens bacanas e momentos de grande ação, falha em deixar qualquer marca e logo se apaga diante da concorrência mais sofisticada. ?? um típico produto que agrada somente aos fãs da franquia original e aqueles que buscam por uma diversão casual.
Fonte: Uol Jogos
mmalinowski
Enviado por mmalinowski
Membro desde
Água Doce, Santa Catarina, Brasil
label