.
3.5

Análise do jogo "Prototype" para PC escrito por Uol Jogos

Escrito por Uol Jogos, nota 3.5 de 5, enviado por rbmarques,
Depois que se esgotaram praticamente todas as idéias para se copiar o estilo aberto da série "Grand Theft Auto", parece que o jeito é colocar super-poderes e elementos fantásticos na mistura. "Prototype" é um jogo nesses moldes, que por vezes lembra "Crackdown" ou "Spider-Man: Web of Shadows", ao disponibilizar um protagonista repleto de habilidades especiais solto em um cenário aberto e louco para causar um estrago. [flash=457,368]http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?path=/D/4D/73/&id=221275&host=http://st0.mais.uol.com.br&start_loading=true&mediaId=245326&codProfile=3mk9h8436th5&hash=prototype-04023664CCA94346[/flash] O nome do tal sujeito é Alex Mercer. Sem memória, ele acorda na mesa de autópsia do necrotério de um grande laboratório e descobre possuir poderes assustadores. Claro, resolve logo ir atrás dos responsáveis, se enfiando em uma história repleta de personagens sombrios e algumas reviravoltas. O rapaz é confuso, mas nem de longe é indefeso. Na verdade, Mercer é o personagem mais poderoso do jogo, talvez poderoso até demais. Para se ter uma idéia, ele não precisa escalar prédios; ele simplesmente sai correndo pelas paredes sem o menor esforço. Precisa fatiar inimigos? Basta transformar os braços em lâminas gigantescas. Destruir tanques? Basta atirar carros contra os veículos ou transformar seus punhos em martelo. Dá até para tirar onda e imitar a forma dos inimigos para abordagens mais discretas, ainda que sutileza não seja o forte do jogo. O negócio é causar destruição e mortes a todo o instante, sem o menor remorso. Como Alex é tão poderoso, o jeito encontrado para criar desafio foi lotar a tela com inimigos. Há uma infinidade deles. São tantos, na verdade, que muitas vezes você não tem muita noção de quem está acertando, mesmo com a mira travada em algum oponente específico. Quando o protagonista precisa adquirir pistas, ele "consome" inimigos, mas algumas vezes fica até difícil encontrar alguém em um cenário repleto de monstros, soldados, tanques e coisas voando pelos ares. [flash=457,368]http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?path=/0/10/B5/&id=221278&host=http://st1.mais.uol.com.br&start_loading=true&mediaId=245325&codProfile=3mk9h8436th5&hash=prototype-04023564CCA94346[/flash] [t1]Cidade sitiada[/t1] A aventura de Mercer se passa na ilha de Manhattan, isolada depois de um atentado terrorista que transforma os moradores em mutantes com sede de sangue. Ali é o palco principal para as dezenas de missões do enredo do game, além dos objetivos extras que garantem mais experiência ao jogador para comprar obrigatórios upgrades. [flash=457,368]http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?path=/A/67/57/&id=211539&host=http://st1.mais.uol.com.br&start_loading=true&mediaId=234712&codProfile=3mk9h8436th5&hash=prototype-04023262DCA13346[/flash] A recriação é interessante a princípio, ainda que não respeite totalmente a cidade real. O problema com o mundo de "Prototype" é que ele parece uniforme demais, com uma paleta de cores limitada. ?? tudo muito sem vida ou charme, mesmo com uma quantidade absurda de pessoas e carros circulando pelas ruas, ou envolvidas em batalhas. O grande número de elementos também chega a comprometer a performance do motor gráfico, que apresenta ocasionais problemas de lentidão. Mesmo com o design pouco exuberante, a produção é de grande porte. As cenas de animação que contam a história são de primeira, montadas de forma cinematográfica. O áudio também impressiona, com suporte a som DTS que causa grande impacto em bons sistemas de home theater, principalmente nas explosões. Só a dublagem parece pouco polida, principalmente com a voz rouca do protagonista; outro que tenta seguir os passos de Solid Snake, herói da série "Metal Gear". [t1]Considerações[/t1] "Prototype" é uma interessante aventura em terceira pessoa que não tenta ser original, abusando de referências a jogos como "Crackdown" e a outros jogos da mesma equipe, como "Scarface" e "Hulk". Com um protagonista repleto de poderes bacanas e muitas missões, é um jogo agitado e que chama a atenção, mas que se torna vítima de sua própria ambição durante seu desenvolvimento; o personagem é tão poderoso que massacrar hordas de inimigos pode ficar velho e cansativo rapidamente. Mesmo com este e outros problemas menores, ainda é suficientemente competente para alegrar fãs do gênero.
Fonte: Uol Jogos
rbmarques
Enviado por rbmarques
Membro desde
32 anos, Várzea Grande - MT
label