.
4.5

Análise do jogo "Onimusha 3: Demon Siege" para PS2 escrito por Uol Jogos

Escrito por Uol Jogos, nota 4.5 de 5, enviado por Houlie,
[i]"... não teve medo de mudar alguns dos elementos mais básicos dos games anteriores: visual e controle"[/i] O primeiro jogo a ultrapassar vendas de um milhão de unidades no PlayStation 2 fecha sua trilogia com chave de ouro. A Capcom não economizou esforços (e não teve medo de fugir dos padrões) em "Onimusha 3", seu cinematográfico jogo de ação. O terceiro episódio resgata o samurai Samanosuke Akechi (desaparecido no final do primeiro jogo), que recebe a ajuda do militar francês Jacques. Separados por 500 anos, os dois trocam de lugar, mas precisam unir suas forças - e os poderes místicos concedidos por manoplas místicas, para derrotar o general-demônio Nobunaga Oda. Para tal, eles devem enfrentar hordas de monstros e resolver quebra-cabeças em uma incrível viagem pelo tempo e espaço. [t1]Olheiras de Hollywood[/t1] Além de contar o ator Takeshi Kaneshiro para emprestar a face para Samanosuke, a série ganha um novo ator famoso: Jean Reno, o marroquino que trabalhou em filmes como "Imensidão Azul" e "Rônin". Ele até dubla parte do diálogo do game em francês (antes de ter sua voz trocada pela de um americano que não soa NADA como ele). Fãs da série perceberão que a produtora não teve medo de mudar alguns dos elementos mais básicos dos games anteriores: seu visual e controle. Os antigos fundos pré-renderizados foram aposentados, e o controle relativo ao personagem de "Resident Evil" agora recebe uma alternativa analógica. [t1]Menos é mais[/t1] Os novos fundos 3D, apesar de menos detalhados, permitem uma câmera móvel - e portanto, ajudam nas horas de combate, tornando-o muito mais dinâmico. Além disso, as cenas não-interativas ficam muito mais dramáticas. O novo sistema de controle, que é operado pelo direcional analógico (o digital mantem o sistema antigo) permite maior precisão e rapidez nos movimentos. A combinação dos dois permite manobras evasivas rápidas e golpes certeiros. A mecânica desse novo episódio foi bastante enxugada: elementos desnecessários como o sistema de trocas, exagero de personagens jogáveis e outros elementos adicionais foram evitados - tudo para garantir muita ação. Como antes, a maior parte do game é gasta fatiando demônios das mais diferentes formas e cores. Para não deixar a experiência muito superficial, o sistema de evolução de itens está mais completo, apesar de manter sua simplicidade. Além de melhorar armas e armaduras com as almas arrecadadas dos inimigos derrotados, agora nossos heróis podem melhorar suas manoplas mágicas e até sua ajudante. [t1]Prima da Navi[/t1] Essa ajudante, uma pequena fada (desculpe, Tengu), serve de ponte temporal entre os dois protagonistas e alívio cômico. Parte dos quebra-cabeças de "Onimusha 3" se apóia nessa diferença cronológica, com certos eventos no passado influenciando o futuro. Alguns quebra-cabeças se aproveitam disso, e ajudam ainda mais a definir o panorama da aventura. Com uma trama mais elaborada, "Onimusha 3" promete segurar qualquer jogador com sua ação intermitente e narrativa envolvente. Sem tentar revolucionar demais, mas trazendo altíssimos valores de produção, o game é capaz de prender qualquer pessoa que goste de jogos de ação.
Fonte: Uol Jogos
Houlie
Enviado por Houlie
Membro desde
27 anos
label