.
3.5

Análise do jogo "Marvel: Ultimate Alliance 2" para PS3 escrito por Uol Jogos

Escrito por Uol Jogos, nota 3.5 de 5, enviado por marped,
Com o anúncio da compra pela Disney, o sucesso de filmes e desenhos, além de vários produtos relacionados, a editora Marvel Comics nunca esteve tão em evidência quanto agora. A boa fase também rendeu o lançamento de "Marvel Ultimate Alliance 2", jogo que resgata a mecânica que mistura RPG com ação de títulos anteriores da parceira entre a editora e a Activision e utiliza praticamente todos os grandes personagens da chamada "Casa das Idéias", como Homem-Aranha, Capitão América, Wolverine, Hulk e Homem de Ferro. O enredo do novo jogo se inspira em um grande evento da cronologia oficial da editora batizado no Brasil de "Guerra Civil". O game toma várias liberdades, mas sabe aproveitar bem os pontos altos da trama que dividiu os míticos personagens em dois grupos rivais depois de uma grande tragédia causada por um jovem herói: um que defende o registro de vigilantes mascarados pelo governo dos EUA e outro contra. Os designers conseguiram criar uma narrativa envolvente e acessível para aqueles que não acompanham os quadrinhos e aproveitam para encaixar mecânicas interessantes, como diálogos com múltiplas respostas que podem alterar a postura e entrosamento de seu grupo de heróis e a possibilidade de escolher por qual lado lutar. A mecânica, no entanto, pouco mudou. A visão superior relembra não só o jogo anterior, mas também a série "X-Men Legends" e tomba mais para o lado da ação do que para o RPG. O usuário sempre conta com um time de quatro personagens em cada missão e pode pular para o controle de qualquer um em tempo real; além de ter a liberdade de trocar os quatro heróis do bando de acordo com a disponibilidade do elenco. Há geralmente pouca interrupção na luta contra intermináveis ondas de inimigos e vale tudo para derrubá-los: é possível atirar carros e outros elementos do cenário contra os oponentes assim como, claro, utilizar os poderes característicos de cada figura - enquanto isso o computador gerencia (razoavelmente bem) os outros três heróis ociosos. Como não surgem grandes variações de comandos, as coisas podem ficar chatas logo para aqueles que não ligam para a história ou protagonistas, mas este é claramente um game feito para fãs de longa data. A porção RPG aparece na subida de níveis, contagem de pontos para adquirir novas habilidades (ou reforçá-las) e na presença de alguns itens que aparecem para dar bônus aos protagonistas. Além de ser pouco complexo, com quase nenhuma margem para uso de improviso ou criatividade nas configurações, este lado do jogo parece mal pensado e finalizado de maneira apressada. O que salva é a citada escolha de postura diante dos acontecimentos, com árvores de diálogos que oferecem posições defensivas, diplomáticas ou agressivas, com bônus diferentes para cada resultado. O elenco do game é recheado de estrelas de primeira grandeza da editora como Hulk, Capitão América, Wolverine, Homem-Aranha, Homem de Ferro, Thor e Venom, mas também dá espaço para personagens de segundo escalão como Soprano, Miss Marvel e Luke Cage. O mesmo acontece no lado dos vilões e heróis que aparecem como chefes, como Máquina de Guerra, Cable, Magneto, Mago, Electro e Soldado Invernal. A variedade não serve apenas para satisfazer os fãs, mas também se mostra importante na mecânica para criar os chamados Fusion Attacks, ataques especiais realizados em conjunto pelos heróis sob controle do jogador que causam bom estrago. A mecânica é simples e se inicia com o segurar de um botão, que ilumina comandos sobre as cabeças dos outros integrantes da equipe. Basta então selecionar qual deles é o felizardo para começar a destruir tudo o que aparece ao redor. O resultado varia de acordo com a dupla que ativa o poder; Wolverine pode refletir raios de algum herói para todos os lados com sua garra ou ser arremessado contra inimigos, dependendo de quem for o parceiro, entre outras opções. A câmera pode enganar, mas "Marvel Ultimate Alliance 2" mostra os personagens da editora com grande capricho e fidelidade. Basta aproximar um pouco a visão para notar a modelagem bacana e texturas detalhadas, que avivam a sensação de controlar verdadeiras lendas da cultura pop. Há um grande salto de qualidade de apresentação deste para a versão original, ainda que a dublagem tenha momentos irregulares e a câmera, como dito, não aproveite todos os detalhes sempre. O que parece estragar o aspecto técnico de verdade é a presença de alguns bugs estranhos; o mais bizarro deles aconteceu quando, em determinada ocasião, usamos Wolverine para levantar um objeto do cenário e, em vez de atirá-lo, o personagem é que foi arremessado e foi parar fora dos limites da tela, travando o game. Ao que parece a Activision está ciente de problemas técnicos e já se movimentou para lançar atualizações. Por falar em ambiente online, o jogo conta com um menu para compra de extras como personagens adicionais, e também traz de volta o suporte a partidas multiplayer cooperativas que permitem que outros usuários entrem na partida a qualquer momento. CONSIDERA????ES "Marvel Ultimate Alliance 2" conta com a força e o carisma dos principais personagens da editora norte-americana para conquistar os jogadores e isto faz toda a diferença. A mecânica repetitiva não seria capaz de segurar a atenção sozinha por muito tempo, mas as constantes reviravoltas e aparições especiais de heróis e vilões do universo Marvel dão sempre frescor. ?? um game criado para fãs iniciados, que provavelmente deixarão as limitações e defeitos do produto de lado para ter um gostinho de controlar seus heróis preferidos mais uma vez.
Fonte: Uol Jogos
marped
Enviado por marped
Membro desde
Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
label