.
4.5

Análise do jogo "Forza Motorsport 2" para X360 escrito por Uol Jogos

Escrito por Uol Jogos, nota 4.5 de 5, enviado por rbmarques,
Os games de corrida foram um dos primeiros beneficiados com a introdução das tecnologias gráficas 3D no começo da década de 1990. Depois de buscar o aprimoramento visual, foi a vez da simulação de física receber atenção, e o título mais famoso dessa escola realista, nos videogames, foi "Gran Turismo", lançado para o PSOne em 1997. Com o sucesso, o game da Poliphony Digital fez seguidores. Na geração passada, um de seus maiores concorrentes foi "Forza Motorsport", para Xbox, que, além de esmerar na simulação, atacou algumas das omissões de "Gran Turismo": a saber, sistema de danos, multilplayer online e dificuldade inclusiva. Agora, uma geração depois, "Forza Motorsport 2" mantém as qualidades do antecessor, faz os óbvios acréscimos de conteúdo (mais carros e pistas) e corrige algumas críticas, como, por exemplo, o fluxo de tela de "apenas" 30 quadros por segundo, a metade do concorrente. Se algumas novidades saltam à vista - os sistemas de modificação e comunidade são sem precedentes -, em outros quesitos, o visual principalmente, não melhorou tanto como se imaginava. [t2]Realismo à toda prova[/t2] "Forza Motorsport 2" é um jogo de corrida com viés realista. Isso quer dizer que, por exemplo, você precisa fazer uma curva numa velocidade compatível, tal e qual numa corrida verdadeira. ?? quase o extremo oposto do frenético "Burnout", o que não quer dizer que sejam excludentes em diversão. Apenas são experiências diferentes. Em jogos como "Forza", que têm características de simulador, a avaliação recai principalmente na reprodução das leis naturais. Segundo a produtora Turn 10 Studios, a simulação de física roda 360 vezes por segundo, ou seja, em 1/360 segundo o game calcula variáveis como a resistência do ar, a aderência dos pneus (que depende da temperatura, do atrito com o solo etc.), a transmissão de potência do motor e o centro gravitacional do veículo. Tudo isso pode ser conferido ligando uma telemetria bastante detalhada, que deve fazer a alegria dos fãs de automobilismo. Na prática, isso se traduz numa grande sensação realismo ao controlar os veículos. Não se trata apenas de níveis corretos de aceleração e frenagem, mas numa diferença perceptível de dirigibilidade entre um carro e outro. Obviamente, há um abismo no desempenho entre uma Ferrari F430 e um Ford Focus ST, mas também é possível distinguir até mesmo veículos de categorias semelhantes. Além disso, existem uma série de melhoramentos que pode ser feito, e isso, naturalmente, afeta a performance. [t2]Inclusão digital[/t2] Simuladores costumam ser difíceis, pouco ou nada indicados para iniciantes, mas esse não é o caso da franquia "Forza Motorsport", que traz uma série de recursos que auxiliam os jogadores, eliminando assim uma série de frustrações. São opções como freios ABS (evita o travamento dos pneus e a conseqüente perda de controle), TCS (não deixa os pneus girarem em falso, mesmo que aplique uma aceleração maior que o ideal) e STM (melhora a estabilidade nas curvas). No entanto, a ajuda mais importante é a opção "suggested line", que é uma linha que mostra o traçado ótimo para cada pista e as indicações de aceleração e frenagem, através de um código de cores: verde significa acelerar e vermelho, frear. Em simuladores de corrida, o ponto de frenagem antes das curvas é uma das informações mais importantes, e ter isso explicitado melhora muito o desempenho do jogador. Desta vez, existe um meio termo chamado breaking only, cuja indicação aparece apenas quando é preciso abaixar a velocidade, retirando a linha nas retas e curvas mais amenas. Se ainda assim houver dificuldade, pode se correr em categorias inferiores, cuja velocidade é menor. A classe dos carros é definida por letras, que vai do D ao A, seguindo para o S e U. A partir daí entram os modelos feitos para corridas, do R1 ao R4. A habilidade conta para vencer as corridas, mas o desempenho do veículo tem papel fundamental, e aumenta mais ainda no caso dos novatos. Por isso, tente escolher o melhor modelo de cada categoria. Nessa hora, é útil a graduação do performance index, um número que representa genericamente o desempenho da máquina. [t2]Comunidade e personalização[/t2] Na verdade, "Forza Motorsport 2", assim como o antecessor, serve para um público bem amplo, pois ao ajustar o nível de ajuda, oferece desafios também para jogadores médios e experts. Sem nenhuma das opções ligadas, o simples ato de acelerar pode ser complicado, pois pisar demais pode fazer com que os pneus girem em falso. O game permite colocar novas peças no veículo, e melhorar o seu desempenho. Só é preciso tomar cuidado para não envenenar demais, e assim passar de categoria. Muitas provas requerem carros de classes específicas. No entanto, a modificação mais surpreendente é a cosmética. O game traz um editor robusto que permite aplicar decalques nos bólidos. No entanto, o controle do Xbox 360 está longe de ser prático no manejo de aplicativos como esse. Mas, infelizmente, esse é um problema estrutural, de hardware. Você pode aplicar desenhos prontos (decals) ou recortes (vynil), que tem milhares formatos e cores. São até mil camadas para cada uma das áreas (capô e teto, laterais, parte traseira etc.) As possibilidades são praticamente ilimitadas e com paciência (de preferência de monge budista) é possível fazer verdadeiras obras de arte. Quem não tiver dotes de desenho, pode comprar um veículo feito por outros usuários, através de um leilão. O dinheiro usado é o virtual, ganho no modo de carreira. [t2]Feirão dos automóveis[/t2] No modo para um jogador, há duas modalidades. Uma delas é a arcade, que se subdivide em exhibition, time trial e free run. A primeira é uma corrida simples, contra sete adversários controlados pelo computador. Se chegar entre os três primeiros, ganha-se medalhas e carros. No time trial, o objetivo é superar um tempo pré-estabelecido com um carro específico. Caso tenha sucesso na empreitada, um novo carro é liberado. Por fim, o free run permite correr em qualquer pista com qualquer carro, desde que estejam destravados. No entanto, o principal modo é o de carreira, cujo objetivo é ir vencendo as corridas, e assim ganhar dinheiro e reputação - e eventualmente novos bólidos. Aqui, os carros são comprados, assim como as peças, que melhoram o desempenho dos mesmos. Os veículos também ganham "level" (até 5) e faz com que as peças fiquem mais baratas. Desta vez, o jogador escolhe uma região - América, Europa ou Ásia - e isso define as bonificações, como ganhar descontos em veículos do mesmo território. Isso não impede comprar itens de outras regiões, mas o intuito parece ser estimular a troca pela Xbox Live. Por falar na rede online, esta é aproveitada no intuito de promover uma comunidade, juntamente com o site oficial, ao permitir presentear um amigo com um carro e fazendo leilões. Também é possível tirar uma foto e enviar para o site. [t2]Jogue e assista[/t2] Há várias modalidades de multiplayer, seja local com tela dividida, system link (rede interna) ou pela Xbox Live. O desempenho é excelente - os atrasos apareceram algumas poucas vezes. No entanto, é um pouco difícil fazer a conexão: no quick match, por muitas vezes apareceu a mensagem de que não foi possível estabelecer a conexão; já no custom match, o título travou algumas vezes ao tentar fazer contato com o adversário. A modalidade é subdividida em exhibition e career, sendo que este segundo permite ganhar dinheiro. Há também uma opção para apenas assistir a outros jogadores pela rede. O game oferece bastante conteúdo, mas não ganhou muito em relação ao primeiro "Forza". Porém, conteúdos adicionais deverão estar disponíveis mais para frente, trazendo mais carros e pistas. Grande parte das conquistas é liberada ao terminar as modalidades dentro do modo arcade ou ao progredir na carreira. Ou seja, é um tipo de jogo que depende mais de tempo do que de habilidade para conseguir as gamerpoints. O game usa o acessório Racing Wheel, o controle tipo volante. O joypad-padrão serve perfeitamente, permitindo controlar de forma precisa a intensidade da aceleração e frenagem, mas é inegável que o volante traz um clima mais realista. Aliás, nesse sentido, "Forza Motorsport 2" permite ir ao extremo, ao ligar três Xbox 360 em rede, cada um com um monitor. Assim, as telas extras podem ser usadas para reproduzir os vidros laterais ou o retrovisor. [t2]Quadriculado[/t2] No quesito gráfico, o maior destaque fica para o fluxo de imagens, muito mais suave, agora rodando a 60 quadros por segundo. No entanto, o visual não chega a ser espetacular. A modelagem dos veículos está excelente (dá para ver até mesmo os discos dos freios), porém os serrilhados estão mais aparentes que em outros títulos para Xbox 360. As sombras podem ter cores estranhas nos contornos. Apesar de haver quatro tipos de visão, ficou faltando aquela que mostra o interior do veículo, como acontece em "Project Gotham Racing 3". Ao que tudo indica, manter os 60 quadros estáveis fez com que alguns recursos fossem cortados. Isso também explica as pistas, cuja construção parece simples para os padrões do console, ainda que haja uma torcida totalmente em 3D. As texturas dos asfaltos estão belas, mas o mesmo não pode ser dito para a grama, por exemplo. Mas alguns efeitos compensam a simplicidade, como na pista que há um lindo sol por trás das nuvens. Toda essa luz reflete no chão e principalmente na lataria do carro, dando a impressão de cegar diante de tanta luminosidade. Aliás, os efeitos de reflexo, principalmente no veículo, estão muito bons, mas o modelo de danos, apesar de estar mais detalhado que o antecessor, se mostra pouco realista. Sendo um jogo de carro, a trilha sonora básica é o ronco dos motores, que varia conforme o modelo. O nível de detalhismo chega a ponto de variar a intensidade dependendo da visão (experimente acionar o retrovisor, por exemplo). ?? fácil distinguir quando um outro veículo se aproxima, principalmente usando um home theater. Nos menus e durante o carregamento de dados (que é um pouco longo), aparecem sons de grupos como Chemical Brothers, Crystal Method, Bloc Party, Prodigy e LCD Soundsystem. Naturalmente, você pode fazer sua própria trilha sonora, como em todos os jogos para Xbox 360.
Fonte: Uol Jogos
rbmarques
Enviado por rbmarques
Membro desde
32 anos, Várzea Grande - MT
label