.
4.5

Análise do jogo "Call of Duty: Modern Warfare 2" para X360 escrito por Uol Jogos

Escrito por Uol Jogos, nota 4.5 de 5, enviado por Giordano Trabach,
O grande bicho-papão do ano finalmente está entre nós. "Call of Duty: Modern Warfare 2" é um fenômeno tão grande que muitos dos concorrentes foram adiados para 2010 com medo de serem atropelados. Não é de espantar, afinal, o game é continuação de "Call of Duty 4: Modern Warfare", que vendeu mais de 13 milhões de cópias no mundo e ainda é campeão de popularidade entre fãs de jogos de tiro em primeira pessoa. Mesmo com alguns deslizes, o jogo cumpre o que promete e justifica todo o barulho ao redor de seu lançamento. O clima de tensão e os tiroteios são sufocantes, especialmente nos modos multiplayer, que deixarão os aficionados do gênero vidrados no monitor. [t2]História rápida[/t2] "Modern Warfare 2", assim como outros jogos da série "Call of Duty", consegue dividir bem os aspectos offline e online do jogo, transformando-os praticamente em produtos distintos reunidos em um só pacote. A campanha para um jogador deste novo game ocorre cinco anos depois dos acontecimentos mostrados em "Call of Duty 4: Modern Warfare". A estrutura do enredo é a mesma de antes e permite que o jogador controle vários protagonistas durante o curso da história, de acordo com os acontecimentos cinematográficos do script. O destaque fica para o sargento Gary "Roach" Sanderson, membro de um comando multinacional antiterrorista batizado de Task Force 141, sob responsabilidade de "Soap" MacTavish, um dos heróis do game anterior. O grupo deve rodar o planeta - inclusive com uma escala no Rio de Janeiro - para tentar deter o avanço de um grupo ultranacionalista russo que pretende invadir os EUA. ?? uma história que prende a atenção, mas muitas vezes pelos motivos errados. Embora o pessoal da Infinity Ward tenha uma habilidade ímpar em criar grandes situações de ação e suspense, com direto a pilotagem de snowmobiles e escaladas, a narrativa nunca é seu forte. O roteiro é mal alinhavado em suas idas e vindas, assim como na troca de protagonistas, e isto cria um distanciamento do jogador. Há sempre a sensação de que há elementos no enredo que não são explicados devidamente e que o jogo cria desculpas esfarrapadas para lançar o usuário em cenários diversos ao redor do mundo. Tal sensação de esvaziamento do enredo piora ao ser constatado que o final chega em apenas algumas horas, acompanhado de discurso belicista juvenil e um bom punhado de diálogos herdados dos piores filmes de ação dos anos 80. Os estágios certamente trazem momentos eletrizantes e inesquecíveis, em especial nos combates na neve e nas favelas, mas tudo ocorre tão rápido, de maneira tão mecânica, que fica aquela sensação de faltar alma ao projeto. O mais grave, no entanto, é a inclusão de um estágio opcional que exibe o massacre de civis em um aeroporto com participação direta do jogador. Ainda que o desfecho seja relevante para o funcionamento do script, a sequência é dirigida com mão pesada, de maneira exploratória, e cria um dos momentos mais desprezíveis da história do videogame. Certamente "Modern Warfare 2" não precisava disso para fazer sucesso ou ganhar manchetes na mídia. [t2]Multiplayer redentor[/t2] Se a campanha principal é conduzida de maneira equivocada, no multiplayer "Modern Warfare 2" mostra todo o seu poder. Há duas ramificações: jogar as chamadas Special Ops de maneira cooperativa ou encarar os vários modos competitivos online. As Special Ops são missões avulsas inspiradas em passagens da história, mas sem relação com o roteiro. Um jogador pode jogar sozinho ou contar com a ajuda de um amigo, em partida local ou via rede. A performance da dupla é medida no final de cada estágio e é preciso ganhar medalhas para desbloquear novas fases, o que preserva o interesse na modalidade e cria grande dinamismo nas batalhas. Os modos competitivos são vários e começam com os obrigatórios mata-mata. ?? preciso ganhar pontos de experiência durante as sessões para subir de ranking e habilitar modos mais interessantes. Há ainda muitas variáveis para tornar as partidas mais profundas e estratégicas, como o sistema de classes, escolha de títulos e bônus específicos que permitem que o usuário chame ataques aéreos ou receba carregamentos de munição. Tudo mais refinado e complexo desde a introdução de tais elementos em "Call of Duty 4: Modern Warfare", além de mais bonito, com melhor performance dos gráficos e balanceamento impecável para um título que acaba de sair do forno. Tal aspecto é o que mantém a franquia tão popular e, certamente, é o que prenderá a atenção dos jogadores durante os anos que virão. "Modern Warfare 2" em grupo é uma experiência única e viciante, mas nem por isso escapou de polêmicas. A Infinity Ward impôs a limitação de 18 jogadores simultâneos em todas as plataformas e bloqueou do uso de servidores dedicados privados na versão de PC. Assim, usuários brasileiros, por exemplo, devem usar os servidores oficiais do jogo que ficam nos EUA, ganhando um maior atraso na resposta da conexão. Felizmente, durante nossos testes, as partidas mais recentes aconteceram de maneira bastante satisfatória, sem desconexões e travamentos vistos no dias mais próximos ao lançamento do game. Aliás, a performance do game é impressionante, com uma taxa de animação constante e o forte uso de sistemas de física para tornar a experiência mais realista, tanto nos modos para um ou vários jogadores. Embora pareça haver um salto tecnológico brutal do anterior para este, tudo parece mais rico, refinado e envolvente nos aspectos visuais e sonoros. [t2]Considerações[/t2] "Call of Duty: Modern Warfare 2" é um dos grandes produtos do ano para os fãs de ação ininterrupta. A campanha principal para um jogador é curta e equivocada, mas é rapidamente posta de lado diante do incrível suporte a partidas multiplayer, tanto as cooperativas quanto as competitivas. O game promove o refinamento de um dos melhores títulos de tiro da geração, com mais opções, mais detalhes e maior balanceamento da mecânica, o que garante diversão por anos a fio no modo online, mesmo com a limitação do número de jogadores e o bloqueio a servidores dedicados. Não é um pacote perfeito, mas é suficiente para estampar um sorriso duradouro nos rostos de seus admiradores.
Fonte: Uol Jogos
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label