.
9

Análise do jogo "Tom Clancy's Splinter Cell" para PC escrito por Outer Space

Escrito por Outer Space, nota 9 de 10, enviado por Giordano Trabach,
Finalmente, depois de um sucesso estrondoso no Xbox, Splinter Cell, o nosso jogo do ano 2002, foi lançado para PC. O jogo é praticamente o mesmo lançado em Novembro do ano passado, com algumas poucas diferenças gráficas e de jogabilidade. Nesta análise vamos nos ater a estas diferenças. Caso nunca tenha ouvido falar de Splinter Cell, sugerimos ler a análise da versão para Xbox, clicando aqui. [t1]Controlando Sam com o teclado[/t1] Todos sabem que um o fator que mais se destacou em Splinter Cell foi a jogabilidade, fazendo sábio uso dos controles analógicos e do ???force feedback??? do Xbox. Como ficou então a conversão para o teclado e mouse? Bom, podemos dizer que o trabalho feito pela Ubisoft foi excepcional. Na configuração original, que é bem equilibrada, você controla Sam nas teclas ???W???, ???A??? (para andar para frente e para trás), ???S??? e ???D??? (para o movimento lateral), com o mouse servindo para dar uma olhada no cenário livremente. A roda do mouse serve para mudar a velocidade de Sam (cada 1/8 de volta aumenta ou diminui um pouquinho a velocidade, do andar lentamente até a corrida). O botão esquerdo do mouse arma e atira, enquanto o botão direito faz o segundo tipo de disparo ou prende a respiração. A tecla ???C??? faz você andar agachado, a ???Q??? lhe permite encostar na parede e a ???E??? ativa a mira telescópica ou recolhe a arma, ???R??? recarrega a arma, ???espaço??? é o botão de ação, ???shift??? pula, ???2??? é a visão noturna e ???3??? a visão térmica. Quem conheceu a versão para Xbox devem estar se perguntando sobre como funciona o ???lockpick??? na versão PC, já que no console você tinha que girar o controle analógico 360º até ele vibrar. A solução encontrada foi simples, mas correta. Cada trava da fechadura pode ser destravada apertando uma tecla de movimento repetidas vezes. Uma hora é o ???W???, outra vez é o ???D??? e assim por diante. Obviamente todo o realismo do ???force feedback??? do controle foi perdido. Outro detalhe importante é que o jogo carrega bem mais rápido do que no Xbox, que tinha aqueles intermináveis ???loading times???. O lado ruim do teclado é que em algumas partes você se atrapalha com as teclas, que são muitas e bem sensíveis. Mas, por incrível que pareça, Splinter Cell no PC fica até mais interessante na maioria das vezes. Mirar com o mouse é muito mais preciso e olhar o cenário, mais rápido e prazeroso. O jogo ganha em diversão e jogabilidade, contrariando todos os prognósticos, inclusive o nosso, de que o controle preciso do console não poderia ser recriado no PC. [t1]Parte técnica continua de alto nível[/t1] Splinter Cell é um dos jogos mais belos da atualidade, com aqueles efeitos de luz impressionantes que criam toda a atmosfera do jogo. A conversão para PC é perfeita, e graças à resolução mais alta do monitor e das placas de vídeo 3D disponíveis, ele fica ainda mais bonito e suave. Isso, é claro, para uma minoria da população que possui um PC acima de 1.5Ghz, 256 MB e placa de vídeo de última geração (GeForce 3 ou 4 Ti, por exemplo). Para quem possui uma GeForce MX e computador mais lento, o jogo fica um pouco mais feio, mas você pode retirar alguns detalhes para fazê-lo rodar confortavelmente na sua máquina. O engine de Splinter Cell é excelente e muito versátil, já que foi portado com sucesso para todas as plataformas. A parte sonora continua excelente, com vozes e ruídos ambientes bem claros. Para quem possui placa de som que suporta som posicional 3D, a experiência fica ainda melhor, com os passos, por exemplo, variando de acordo com a posição do inimigo na tela. [t1]Outros detalhes importantes[/t1] Para quem não sabe nada de inglês, a versão vendida no Brasil tem legendas totalmente em português, o que certamente adiciona pontos para boa parte do público tupiniquim. Apenas algumas falas entre os soldados não são traduzidas. Outra diferença perceptível é que a dificuldade do jogo parece estar melhor balanceada. Não sei se eu é que já joguei demais Splinter Cell, e já sabia como proceder nas missões, ou se simplesmente a Ubisoft deu uma sintonia fina no jogo, criticado por muitos por ser bem difícil. Para quem quer saber se a versão de PC é ou não melhor do que a do Xbox, digo que isto é uma questão de gosto pessoal. No console, temos o controle, force feedback, televisão ampla e o clima agradável da sala de estar. No PC, melhores gráficos, legendas em português, uma demorada instalação e uma experiência mais individual, diria até mesmo notívaga (pois jogar de dia não tem a mesma graça). [t1]O Veredicto:[/t1] Splinter Cell para o PC é tão bom quanto sua versão para console, fazendo jus ao nosso título de Jogo do Ano 2002. Mas ele não tem mais o impacto de 6 meses atrás para merecer a nota máxima. [t2]Prós:[/t2] + Belíssimos gráficos, até mesmo para os padrões do PC; + Clima de suspense inigualável; + Jogabilidade de primeira qualidade, muito cima da média; + Som excelente; + Missões muito criativas; + Intenso uso de "gadgets" tecnológicos. [t2]Contras:[/t2] - História é meio fraquinha; - Se sua configuração não for adequada, o jogo perde em clima e charme; - Algumas características da versão para consoles, como o Force Feedback, estão ausentes.
Fonte: Outer Space
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label