.
8

Análise do jogo "Project Gotham Racing 3" para X360 escrito por Outer Space

Escrito por Outer Space, nota 8 de 10, enviado por Giordano Trabach,
As duas máquinas de Geometry Wars no canto da garagem de Project Gotham Racing 3 já sumarizam perfeitamente a evolução entre a última versão, para o Xbox, e esta do debute do Xbox 360: é basicamente o mesmo jogo, mas ele nunca foi tão bonito e gratificante de jogar. Project Gotham Racing 3 foi feito sobre a base do excepcional segundo jogo da série para o Xbox, e traz a mesma jogabilidade e o mesmo modo on-line para oito jogadores, mas em cenários novos, com uma câmera realista que coloca a visão por trás do painel e todo remodelado para se adequar às resoluções da era da alta-definição. ?? como uma versão de luxo, voltada para usuários de HDTV, mas um tanto negligente com o resto. [t1]Corrida sem burocracia[/t1] Project Gotham Racing 3 é um dos jogos de corrida mais accessíveis que existem. Não apenas pelo balanceamento quase perfeito entre corrida ???arcade??? e simulação que sempre caracterizou a série, mas pelas opções de jogo que, desta vez, permitem correr em qualquer pista, com quase qualquer carro, já desde a primeira vez. O modo ???Playtime??? é o equivalente ao ???Single Race??? da maioria dos jogos ??? uma corrida livre, personalizável em parâmetros que vão dos adversários e seus níveis de habilidade até o traçado preferido para determinada pista. Por ele, já é possível correr com as melhores Ferraris e Porsches, e conhecer as variadas pistas de todos os cenários disponíveis ??? Londres, Nova York, Tóquio, Las Vegas e Nurburgring, em versões diurna, noturna e nublada. Já o Career Mode foi reduzido à sua essência de simplicidade e estímulo através de desbloqueáveis. Longe do detalhamento de um Gran Turismo e sem a necessidade de começar por carros menos possantes como no anterior, o modo de carreira de Project Gotham Racing 3 envolve basicamente comprar um carro de competição, entrar em uma série de corridas e escolher o nível de desafio que pretende superar, representado por medalhas que vão do bronze a platina. Cada série é dividida em eventos, que variam do tradicional desafio dos cones a novidades como uma corrida onde os ???Kudos??? (pontos conseguidos por direção estilosa, como ao derrapar ou pegar o vácuo do adversário) para o relógio, ou um desafio de ???checkpoints???. Este ciclo de eventos se repete nas séries seguintes, apenas subindo o nível de dificuldade e variando o trajeto proposto para cada cenário. Nove carros desbloqueáveis existem como estímulo para quem pretende conquistar a pontuação máxima de ???Kudos??? em cada evento. Mas o melhor de Project Gotham Racing 3 está em sua integração com o Xbox Live. As corridas on-line com voz em tempo real e até oito participantes continuam divertidíssimas, desde que não existam vândalos que prefiram se chocar violentamente contra seu carro ao invés de usarem o freio. E o inédito Gotham TV permite assistir a corridas entre os melhores jogadores (ou os piores, pra quem quiser) ao vivo, como faria um expectador de TV. O sistema permite até 30 mil pessoas conectadas assistindo à mesma corrida! Outras novidades interessantes são o modo de fotografia que permite congelar a imagem e tirar uma foto de tudo em alta-definição ??? exatamente como o ???Photo Mode??? de Gran Turismo 4; e a ferramenta básica de criação de rotas, que dá ao jogador a opção de definir quais ruas das cidades serão percorridas em uma volta. [t1]Evolução pela alta-definição[/t1] Project Gotham Racing 3 se justifica mais pela boa oportunidade de demonstrar as capacidades do Xbox 360 que como uma evolução necessária para a série. O visual é o que mais interessa desta vez, e neste sentido, o trabalho da Bizzarre Creations pode ser considerado um dos mais bem sucedidos desta primeira safra de jogos para o console. O jogo é bonito o suficiente em TVs convencionais, sem impressionar. Já em uma HDTV o nível de detalhamento se multiplica, os prédios no cenário parecem fotografias e é possível perceber os mínimos detalhes do espectro de iluminação High Dynamic Range (uma luz realista e variável que preenche todo o cenário), bem como o reflexo realista de todo o cenário na pintura e vidros do carro. Sem dúvida, é um ótimo jogo para impressionar quem vê o Xbox 360 pela primeira vez. Só é lamentável que, assim como em PGR2, a taxa de quadros por segundo não tenha conseguido evoluir dos não-ideais 30 quadros por segundo. Seja pelo visual soberbo da visão do cockpit, pelas impecáveis texturas em alta-definição que preenchem os polígonos do cenário ou pelo passeio livre pela garagem virtual para observar os menores detalhes de sua coleção de carros conquistados, Project Gotham Racing 3 recompensa sempre com voyeurismo. Aliás, não há nada realmente importante que justifique o esforço de completar cada evento com medalha de ouro, se não o prazer de ostentação, de poder mostrar suas conquistas on-line, através do ???Gamertag??? do Xbox Live, comparando sua performance com a dos amigos ou até disponibilizando suas melhores voltas para download através do sistema. Este é um jogo para satisfazer o ego do jogador mais hardcore até mesmo no fato de que revela sua beleza em alta-definição apenas para um grupo de afortunados possuidores de HDTVs. Para quem não pretende se aventurar on-line, e para a maioria que não tem uma TV de alta-definição, Project Gotham Racing 3 é um jogo com poucos estímulos e praticamente sem novidades relevantes em relação ao jogo anterior da série. [t1]O Veredicto:[/t1] Project Gotham Racing 3 é a escolha mais óbvia para quem compra o Xbox 360. O jogo herda a ótima jogabilidade e o excepcional modo on-line do anterior, e leva tudo a um novo nível de realismo com seu visual em alta-definição, exclusivo para usuários de HDTV. Para quem ainda não tem uma HDTV ou para os que já se fartaram de PGR2, entretanto, resta apenas o ótimo jogo de antes, um pouco mais polido e bonito. [t2]Prós:[/t2] + Bom salto visual quando rodado em HDTV; + Mistura perfeita de jogabilidade "arcade" com realismo de um simulador; + Corridas on-line continuam soberbas; + Visão de dentro do cockpit é um espetáculo; + Gotham TV; [t2]Contras:[/t2] - Poucos estímulos além da coleção de medalhas e satisfação do ego; - Apenas cinco cenários; - Um jogo da nova geração merecia mais que 30 quadros por segundo; - Tempo de carregamento pode incomodar;
Fonte: Outer Space
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label