.
9

Análise do jogo "Medal of Honor" para PS1 escrito por Outer Space

Escrito por Outer Space, nota 9 de 10, enviado por Giordano Trabach,
[b]Data da Análise: 15/12/1999[/b] Em um ano repleto de jogos aguardados com ansiedade e de qualidade inquestionável para a plataforma da Sony, Medal of Honor se revela como um surpresa agradabilíssima. Imagine um filho fruto do amor de dois jogos: Metal Gear Solid e Quake. Pois é& 133; Medal of Honor possui apenas os melhores genes destes dois clássicos. [t1]O feio bigode do mau[/t1] Neste jogo você assume a tranquila tarefa de sabotar todos os planos da então diabólica Alemanha de Hitler durante a Segunda Guerra Mundial. O destino desta guerra praticamente depende só do seu desempenho. Responsabilidade pouca é bobagem. As missões em Medal of Honor variam desde um confrontinho com a cruel Gestapo até a sabotagem da construção da bomba atômica alemã e de um novo gás mostarda. Algumas das missões são precedidas por prelúdios cinematográficos espetaculares, dignos do Discovery Channel, que intensificam ainda mais a atmosfera do jogo. Para a realização de tais tarefas, você poderá contar com um considerável arsenal de armas típicas da Segunda Guerra (granadinhas, metralhadoras, pistolas e bazucas por exemplo) e algumas vezes com um disfarce, de alto garbo diga-se de passagem, de um oficial nazista. Por falar em disfarce, algumas das fases mais difíceis deste jogo são aquelas aonde a sua habilidade de passar despercebido é colocada em prova. Neste tipo de situação, você não poderá andar armado, pois os nazistas se sentirão ameaçados e você poderá ser facilmente reconhecido e abatido. Caso você permaneça muito tempo diante de alguns soldados, eles começarão a fazer algumas perguntas difíceis como: "Quem é você?", "De qual pelotão você faz parte?", "Qual o nome do poddle do Hitler?". E se você não der um jeitinho de sair pela tangente rapidamente, os alemães começarão a atirar como se não houvesse um amanhã. Simplesmente fantástico, conseguiram programar a desconfiança. [t1]QI artificial bem superior ao da Carla Perez[/t1] Um dos pontos altos de Medal of Honor é a inteligência artificial dos seus inimigos virtuais. Para efeitos ilustrativos: nunca jogue uma granada a toa em um nazista, como todo europeu educado, ele te devolverá sem pestanejar o presente entregue; mire bem antes de apertar o "gatilho", de preferência no braço que ele segura a arma ou na cabeça, porque se você errar o primeiro tiro pode ser fatal. Além disto os espertos alemães se escondem atrás de caixas, canos, se jogam no chão, tudo para poder fugir dos seus indesejáveis tiros. O sentimento de gratificação é forte quando se consegue "deletar" um desses danados seguidores do famigerado bigodinho. Para os mais desavisados lembro que apesar da ausência de sangue virtual, este jogo é bem violento. Definitivamente você não se sentiria a vontade se a sua avó te visse jogando. O som& 133; Putz! Nunca meus ouvidos se depararam com tal obra de arte gamística. Tanto os sons ambientes quanto a música durante o jogo são absolutamente perfeitos. E se você ligar a saída de som do seu Playstation em potente caixas acústicas e lhes garanto que terão uma experiência única. ?? escutar para crer. Apesar dos gráficos serem marcados fortemente por tons escuros e ambientes sombrios, as texturas e os detalhes do jogo são esteticamente bem aceitáveis. A fluidez do jogo também é boa, apesar de ocasionais quedas na taxa de quadros por segundo, mas nada que comprometa o prazer ao jogar. Estou chegando ao final deste extenso review e ainda não falei do divertido modo multiplayer que te permite guerrilhar com seu amiguinho em um único Playstation, sem a necessidade do cabo de link. [t1]O Veredicto:[/t1] Medal of Honor se destaca como uma das melhores surpresas deste ano. Se você não for mentalmente estável, ou estiver pensando seriamente em cometer qualquer tipo de crime, ou se é um participante de um grupo neo-nazista, ou se você sente prazer aos esmagar formigas com a própria mão, este jogo não é para você. Caso contrário, me faça um favor, vai logo já pra rua e compre Medal of Honor. A Outerspace adverte: Não disperdice o seu domingo vendo televisão. As previsões são as mesmas do ano passado. Veja a banheira do Gugu e depois vá jogar Medal of Honor. [t2]Prós:[/t2] + O som é a Quinta de Beethoven no mundo dos jogos; + QI dos soldados virtuais humilham o da Carla Perez; + ?? sempre bom combater o mal; + Tópico das missões; + Os prelúdios cinematográficos em preto e branco são incríveis; + Cultura, você aprende e relembra História. [t2]Contras:[/t2] - O bigodinho do Hitler parece com o do fantasma da Dona Flor e Seus Dois Maridos; - De vez em quando a fluidez dos gráficos é prejudicada.
Fonte: Outer Space
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label