.
9

Análise do jogo "Monster Hunter 4" para 3DS escrito por IGN

Escrito por IGN, nota 9 de 10, enviado por inuyasha302,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy50d2luZmluaXRlLm5ldC93cC1jb250ZW50L3VwbG9hZHMvMjAxNS8wMS9tb25zdGVyLWh1bnRlci00LXVsdGltYXRlLXRvcHBlci5qcGc=[/img] Monster Hunter é uma das franquias de maior sucesso no oriente, mas tal como muitos outros jogos japoneses, nunca conquistou muitos fãs no resto do mundo. A sua dificuldade acrescida e as várias horas necessárias para progredir foram sempre aspetos que desmotivaram os jogadores a dar uma oportunidade à série. Pois bem, tudo isto permanece no mais recente título da série, as espadas, machados, lanças, arcos, flechas, armaduras, dinossauros, gorilas, dragões, a dificuldade, a cooperação, as pequenas criaturas felpudas e sabem que mais, é fantástico. Monster Hunter 4: Ultimate é a versão que compila dois jogos originalmente lançados no Japão, Monster Hunter 4 e Monster Hunter 4: G. Neste título têm desta forma, não um, mas dois jogos, proporcionando horas e horas de combates colossais frente a seres gigantescos e imaginativos. A jornada começa pela escolha do nome e voz, literalmente, à nossa personagem, assim como a sua tonalidade de pele e corte de cabelo, algo típico da série e a maioria dos RPG's. Felizmente a aventura não se inicia logo de seguida. Desta vez e ao contrário de Monster Hunter 3, somos nós que criamos o nosso companheiro felpudo, designado como Palico. O pequeno lutador de olhos esbugalhados que criam será mais que uma simples personagem do jogo como a maioria dos Felyne. Ele é vosso braço direito, o nosso companheiro, ajudando nos bons e maus momentos, um membro digno de um nome sonante… ou de uma satisfatória homenagem ao companheiro de quatro patas que tenham em casa. ..horas e horas de combates colossais frente a seres gigantescos e imaginativos. Após a criação do duo de guerreiros dá-se início à aventura presente em Monster Hunter 4: Ultimate, que infelizmente a nível de narrativa, acaba por pecar. O jogo é claramente dividido em duas partes, a inicial centrando-se em Gore Magala, uma criatura lendária de cor negra, responsável por infetar os restantes animais com um vírus, e a segunda gira em torno de Seregios, um dragão dourado e territorial, que tem como atributo, as suas rígidas e afiadas escamas capazes cortar qualquer coisa (humanos e felinos inclusive). A história interliga estes dois dragões muito bem, mas não é o suficiente para prender a atenção dos jogadores à narrativa. A lenta progressão e os textos sem expressão dos NPC's, fazem com que seja aborrecido tentar acompanhar a história com o mesmo entusiasmo e motivação inicial. Não se assustem, ela não é má, mas após 2, 5, 10, 20 horas, a ouvir que a nossa missão é "matar o Gore Magala" torna-se entediante. Apesar das falas isentas de emoção dos vários NPC's, as vilas possuem elementos caracterizadores e bastante atrativos. Ao longo da vossa aventura vão encontrar múltiplas vilas como a árida aldeia Val Habar, a zona paradisíaca de Cheeko Sands ou o vulcânico local de Harth. Contrariamente aos restantes títulos, o vosso caçador vê-se obrigado a viajar ao longo de várias aldeias, juntamente com os membros da tripulação da qual faz parte, em vez de permanecer num único local, abrindo espaço para maior diversidade e sensação de recompensa de explorar o desconhecido. [img]hide:aHR0cDovL3N0YXRpYzQuZ2FtZXNwb3QuY29tL3VwbG9hZHMvc2NyZWVuX2t1YnJpY2svMTE5Ny8xMTk3MDk1NC8yNjA4OTU1LXRyYWlsZXJfbW9uc3Rlcmh1bnRlcjRfbGlua2VxdWlwXzIwMTQwNzI2LmpwZw==[/img] Cada uma destas zonas possui um NPC único para a personalização e evolução das nossas personagens, juntamente com os restantes membros da nossa embarcação: O ferreiro The Man, onde forjam o vosso equipamento, o Street Cook, onde podem requisitar uma refeição quente para um buff temporário, o mercante Wycoon, um sábio detentor de materiais únicos e a habilidade de multiplicar alguns itens e finalmente, Guildmarm, uma estudiosa designada para seleção da próxima quest. Todas as quests possuem um rank que as difere, sendo que quanto maior for o nível de classificação da quest, maior a sua dificuldade. As missões para além da divisão por rank, estão segmentadas em três categorias. As Village Quests são as missões solo, a principal forma de progredir na história e evoluir, as Guild Quests, desafios de maior dificuldade concebidos para serem concluídos juntamente com outros jogadores via multiplayer online ou localmente, e por fim as Arena Quests, onde os jogadores tem de escolher um set predefinido de armadura e arma e derrotar um ou mais monstros numa arena criada para esse mesmo propósito. Depois da breve/longa explicação das áreas mais técnicas do jogo, passemos para a verdadeira essência de Monster Hunter, a ação oferecida pelas majestosas criaturas selvagens, perdidas à espera do poder justiceiro do nosso equipamento. Monster Hunter 4: Ultimate possui imenso conteúdo e objetivos, desde a simples obtenção de flores medicinais, à captura de um Rathalos, da exploração de um mar gélido, à morte de um Tigrex. É difícil focar num ponto explicar o que motiva a continuidade de um jogo em que se anda a caçar monstro atrás de monstro, pois apesar de tudo, não é apenas um elemento que nos prende mas sim uma série de características que nos faz querer evoluir, querer uma melhor armadura, querer enfrentar uma criatura ainda mais feroz que a anterior. Iniciamos a jornada com um equipamento criado a partir de ossos vulgares e imediatamente sentem ciúmes dos guerreiros de armaduras vistosas que vagueiam por Val Habar. Invejando os restantes caçadores, desperta-se uma parte de nós que tem a ambição chegar àquele patamar, mas para isso temos que aumentar o poder da nossa arma, a rigidez da nossa armadura e claro o nosso aspeto e imponência. Monster Hunter é essencialmente um Grind Fest, por outras palavras, se não estiverem dispostos a despender várias horas de jogo, por vezes a fazer a mesma coisa vezes e vezes sem conta, na esperança de cravar uma parte do corpo de uma criatura para a criação de uma nova peça de equipamento, então não se vão adaptar a este mundo primitivo. Caso pretendam ascender até ao topo da cadeia alimentar, vão ver o vosso esforço recompensado, principalmente ao erguer uma espada ou machado gigante criado com as escamas e garras do vosso último feito. Para isso vão contar com um leque extenso de armas para todos os gostos e feitios. Great Swords, Long Swords, Sword & Shield, Dual Blades, Hammer, Hunting Horn, Lance, Gunlance Switch Axe, Light Bowgun, Heavy Bowgun, Bow e as mais recentes armas, Insect Glaive e Charge Blade, cada uma com particularidades próprias que modificam o modo como jogamos, e que constituem os vários tipos de armamento presente em Monster Hunter 4: Ultimate. vão ver o vosso esforço recompensado, principalmente ao erguer uma espada ou machado gigante criado com as escamas e garras do vosso ultimo feito. A diversão e estilo único de combate vária de arma para arma, assim como a sua utilização nas várias quests. Apesar de adorar a versatilidade e mobilidade oferecida pela Insect Glaive, esta nem sempre é a melhor escolha, por exemplo, o caso de Gravios, um dragão revestido por rochas vulcânicas. Para tornar a captura desta criatura em específico mais fácil, o melhor é usar um Hammer devido à sua rigidez, ou uma Heavy Bowgun carregada de Piercing Ammo, arma de longo alcance capaz de ser montada e disparada contra o Gravios, face à lentidão de movimento da criatura voadora. Cada missão tem de ser pensada ao pormenor, como já puderam notar. Levar uma arma de um elemento que constitui a fraqueza do alvo que vamos combater e uma armadura com resistência ao elemento dessa mesma criatura, é na maior parte das vezes a chave para sucesso. É necessário um planeamento e estudo sobretudo nos ranks mais elevados, onde cada movimento, cada inimigo e por vezes até a região onde vamos realizar a missão são determinantes para a conclusão da nossa tarefa. Perseguir o velhinho Rathalos ou enfrentar a venosa aranha gigante Nerscylla é uma satisfação enorme. Cada monstro é distinto dos restantes, caracterizado com uma personalidade própria que torna todos os embates distintos. Cada combate é uma aventura, a perseguição, a primeira vez que os vemos e somos presenteados com uma cinemática de introdução ao monstro e a sua/nossa morte, são marcantes, viciantes até. O jogador acaba por querer mais, com o intuito de observar o que vem a seguir. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5zaWxpY29uZXJhLmNvbS93b3JkcHJlc3Mvd3AtY29udGVudC91cGxvYWRzLzIwMTQvMDkvaW1nX2IwOV90aHVtYi5qcGc=[/img] O meu primeiro contacto com a série foi há cerca de 10 anos com o lançamento de Devil May Cry 3, que continha uma cópia da demo do primeiro jogo da franquia para a PlayStation 2. Estamos em 2015 e em vez de uma consola caseira, a Capcom decidiu focar-se na pequena, mas poderosa 3DS, e ainda bem que o fizeram. A portabilidade e o fácil manuseamento dos controlos permitem com que se desfrute das longas caçadas quando quisermos, onde quisermos, com quem quisermos. Os comandos são simples e o facto de podermos redireccionar a câmara para a visão frontal da personagem com o simples pressionar do Botão L, facilita imenso as mais árduas perseguições ou desvio das intensas chamas expelidas por um dragão, fazendo com que a necessidade de um segundo analógico seja praticamente nula. A complexidade do combate presente em Monster Hunter é contido sobretudo na forma como as diferentes armas atuam, nos diferentes movimentos e ataques das criaturas e nos itens que devemos criar para certas missões. Visualmente, Monster Hunter 4: Ultimate é belíssimo. O deslumbramento que temos ao observar pela primeira vez as diferentes regiões ou criaturas como Zinogre, fazem-nos questionar como tudo isto é possível num ecrã tão pequeno. A garrida palete de cores e os gráficos detalhados, tendo em conta que se trata de uma consola portátil, é outro dos aspectos motivadores e viciantes deste novo título da série. VEREDITO É impossível afirmar que um jogo é mediano, muito menos mau, quando nos prende por mais de 150 horas, quando nos faz procurar pelos pequenos detalhes e acima de tudo, quando passado todo esse tempo, ainda tem tanto para oferecer.Monster Hunter 4: Ultimate é desafiante, graficamente atraente e contem alguns dos melhores bosses dos videojogos.
Fonte: IGN
inuyasha302
Enviado por inuyasha302
Membro desde
label