.
9.5

Análise do jogo "Metal Gear Solid" para PS1 escrito por GameVicio

Escrito por GameVicio, nota 9.5 de 10, enviado por Czarna Msza 666,
[title]Revolução no mundo dos games[/title] Em 1998, o gênio Hideo Kojima nos apresentou um jogo de ação totalmente diferente dos outros. Esse jogo é MGS (Metal Gear Solid), um dos primeiros jogos à se voltar mais para a ação furtiva do que para a ação explosiva. [title]A história[/title] Um dos pontos mais interessantes do título é o enredo. Diferente da mediocridade dos games da época, este apresenta uma história muito complexa e intrigante que é conduzida com maestria (explica o fato do diretor do game ser formado em cinema). A história é a seguinte: Um grupo de terroristas assume o comando de uma base militar, local aonde estava sendo desenvolvido um programa nuclear ultra- secreto, e exigem que o governo entregue os restos mortais de Big Boss, o maior soldado que já existiu, para criar um exército de super soldados usando o DNA de Big Boss. Caso o governo não atenda suas exigências, serão iniciados ataques nucleares devastadores pelo mundo. Diante da complicada situação, o governo pede ajuda a Solid Snake, um clone de Big Boss, ex-agente de uma unidade secreta da CIA. No início o enredo parece simples, mas não é. Ocorrem reviravoltas e traições durante toda a trama, segredos são revelados, personagens morrem misteriosamente, e muito mais. Além da complexidade da história, o game conta com um protagonista muito carismático que foi dublado pelo roteirista de cinema David Hayter (X-Men, Triplo X...). A personalidade do protagonista tem elementos de James Bond misturados com elementos de Ethan Hunt (protagonista da série Missão Impossível), mas sem tentar ser nenhum dos dois. Os outros personagens também são muito carismáticos (destaque para o vilão Revolver Ocelot, que vai provocar bons momentos de tensão e até algumas risadas). [title]Jogabilidade[/title] No início, os controles parecem confusos, mas logo o jogador se adapta a eles. O agente conta com várias ações úteis como se esconder debaixo de caminhões para evitar os rivais, se rastejar pelo chão e por dutos de ventilação, colar as costas na parede para se proteger dos rivais, quebrar o pescoço dos guardas, atirar, lançar granadas, lutar e muito mais. O espião não pode saltar, mas isso não vai incomodar o jogador, pois as fases quase sempre são em terreno plano. Neste game, ao contrário de outros títulos em que bastava correr e atirar, é nescessário utilizar a furtividade, devido à limitada barra de energia do personagem e a enorme desvantagem numérica. Para progredir, o jogador deve pensar em uma estratégia para enganar os guardas e passar por locais muito bem protegidos por sistemas de segurança, que incluem guardas armados com metralhadoras, câmeras de vigilância, armadilhas e sensores de movimento. Os controles funcionam muito bem na parte de ação furtiva e garantem várias possibilidades estratégicas. Já os combates, possuem bons e maus momentos. Os maus momentos estão nos tiroteios com sentinelas, nestas partes é difícil apontar para os oponentes com a metralhadora e a mira automática da pistola nem sempre escolhe a melhor opção, sendo assim, o jogador quase sempre deverá usar o sistema de combate corpo-a-corpo (consiste em dois socos e um chute) para derrubar os inimigos e poder se esconder novamente. Os bons momentos estão nas lutas contra os chefes. Há sempre um estratégia certa para eliminá-los e é sempre nescessário quebrar um pouco a cabeça para identificá-las. Essas estratégias fucionam muito bem e o nível de dificuldade destas cenas é satisfatório. [title]Gráficos[/title] O visual do game é bem antigo, mas para a época em que foi criado, está muito bem. Houve um ótimo trabalho na criação dos ambientes que pode ser notado logo no início do jogo (destaque para as cenas que se passam em locais com muita neve). Os personagens também foram muito bem feitos, principalmente o protagonista e os chefes dos bandidos. [title]Som[/title] O som de MGS não é nada menos do que fantástico. As dublagens ficaram impressionantes, os efeitos sonoros de tiros e impactos são muito realistas e as músicas são coerentes com o game, calmas quando o espião está seguro e agitadas quando ele está em perigo. [title]Conclusão[/title] Metal Gear Solid não é apenas um dos melhores jogos do Playstation, mas também uma das melhores séries de jogos já feitos. Um título que resistiu ao tempo e até hoje possui muitos fãs e influenciou outras séries como Splinter Cell, Hitman e Manhunt.
Fonte: GameVicio
Czarna Msza 666
Enviado por Czarna Msza 666
Membro desde
23 anos, Porto Feliz - SP
label