.
8.6

Análise do jogo "God of War" para PS2 escrito por GameVicio

Escrito por GameVicio, nota 8.6 de 10, enviado por Czarna Msza 666,
[i]God Of War, lançado em 2005, foi um dos games mais bem sucedidos da história dos games, ganhou uma legião de adoradores, foi consagrado pela crítica, cotado para virar filme e ajudou a prolongar a vida útil ainda existente do Playstation 2. Mas será que tudo isso foi justo?[/i] [title]God of Plágio[/title] Se existe algo que não condiz com GoW é originalidade. Fora o protagonista, Kratos, o jogo é um plágio óbvio de Devil May Cry e Prince of Persia. O sistema de combate tem o típico dinamismo veloz de DMC e alguns quebra cabeças ao estilo de Prince of Persia. [title]Aquilo Ali é Uma Perna?[/title] Um dos destaques da produção é a violência, logo nos primeiros minutos de jogo você vai poder decepar várias partes do corpo de seu inimigo e assistir litros e mais litros de sangue jorrando. Não é nada chocante como Manhunt, mas é muito divertido para os mais afetos à violência. ?? um prazer ver os braços e pernas dos rivais caindo ao chão depois de um golpe bem feito. Além disso, o jogo contém muita nudez e insinuações de sexo, algo um tanto incomum em jogos para console. Em uma das primeiras animações vemos o anti-herói sentado em uma cama e, ao seu lado, duas prostitutas nuas dormindo. [title]Repetitivo? Não[/title] A maior qualidade de GoW é não ser repetitivo, ao longo da aventura os cenários variam muito, assim como os rivais, as magias, os golpes e, conseqüentemente, o modo de jogar. No meio dos combates existem algumas cenas de exploração e alguns quebra-cabeças. Na primeira metade do jogo esses elementos são perfeitos e equilibrados, mas na segunda metade vira um empecilho, que comentarei mais adiante. [title]Gráficos[/title] Muito bons, detalhados e um pouco estilizados, faz bom uso do hardware do PS2. A estilização é um pouco irregular, pois, apesar de deixar os gráficos mais suaves e bonitos, nas cenas violentas o choque é bem menor do que se esperava, especialmente pela cor muito clara do sangue durante as excelentes animações. [title]Jogabilidade[/title] Não há muito para falar sobre esse quesito, no geral está tudo bem, os combates contam com golpe forte, golpe rápido, combos e botão de agarrar (Uma vez acionado, o jogador pode atirar o rival ou executá-lo de forma brutal). Os pulos poderiam ser mais altos e a possibilidade de praticar Pakour como em Prince of Persia seria bem-vinda. Mas os controles são bem regulados e simples. [title]Som[/title] Perfeito! A dublagem de Kratos pode rivalizar com a de Solid Snake, os efeitos sonoros estão ótimos e as músicas bem selecionadas. [title]Enredo[/title] Nada incrível, mas faz um trabalho decente. Na trama o guerreiro Kratos quer se vingar de Ares, o deus da guerra, pela morte de sua família. O grande destaque está no carismático e grosseiro Kratos, com suas falas cheias de energia. [title]Falhas[/title] Não se preocupem, são poucas. Em primeiro lugar, a câmera não é muito boa e durante os combates não há problemas, mas na hora de se resolver um Quebra-Cabeça baseado em saltos é um empecilho, prepare-se para reiniciar várias vezes. Em segundo e último lugar devo citar o início da segunda metade do jogo, onde os chefes se tornam raros e os quebra-cabeças aparecem em um número alto demais, não são muito difíceis, porém fica difícil se concentrar quando o jogador está louco para decepar mais algumas cabeças. Contudo, no final, o jogo retoma o ritmo original com muitos combates, incluindo dois combates contra um chefe (Há uma luta contra inimigos menores no meio) que já entrou para a história dos games. [title]Conclusão[/title] O jogo não é perfeito, mas é bem divertido e gerou uma seqüência ainda melhor, não é tão bom quanto os "originais" (Prince of Persia e Devil May Cry), mas é um ótimo título e merece reconhecimento.
Fonte: GameVicio
Czarna Msza 666
Enviado por Czarna Msza 666
Membro desde
23 anos, Porto Feliz - SP
label