.
8

Análise do jogo "Yoshi's New Island" para 3DS escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 8 de 10, enviado por inuyasha302,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL3BsYXl0dm1uZ3IvY2tlZGl0b3IvY2tmaW5kZXIvdXNlcmZpbGVzL2ltYWdlcy95b3NoaV8xLmpwZw==[/img] Considero-me um jogador de games de plataforma veterano, vivo entre Marios, Donkey Kongs, Raymans e etc. Cada um deles tem um estilo e uma qualidade diferentes. Quando foi lançado para o SNES em 1995, Super Mario World 2: Yoshi's Island foi considerado um clássico do gênero comparado aos games do mesmo estilo na época. É duro dizer, mas Yoshi's New Island, chegou em um período nada favorável a sua existência. Comparado aos games de plataforma da atualidade, ele é só mais um jogo fraco e sem novidades. Só quem curte muito o gênero consegue enxergar através da qualidade que a Nintendo dá a seus títulos os problemas carregados por este. Quando falo qualidade, quero dizer: a empresa testa exaustivamente seus jogos para evitar bugs e problemas, mas o "erro" em New Island está na área criativa, em outras partes difíceis de corrigir. Não me leve a mal. A Nintendo sabe fazer a lição de casa, o jogo é impecavelmente bem produzido, com um visual interessante e trilha sonora clássica, mas um jogo de plataforma é um game de progressão. Suas habilidades são testadas o tempo inteiro e a dificuldade aumenta. Para vencer, novos itens são disponibilizados ao jogador e assim vai. A regra é básica para o formato, mas as idéias que colocamos em cima que fazem o jogo ser inovador ou não. Uma jogabilidade fraca e repetitiva Em New Island o gameplay muda pouco e não é suficiente para aguçar os sentidos e forçar o jogador desafiado a encontrar soluções rápidas para o que aparece pela frente. Sem este equilíbrio este é apenas um game com fases muito fáceis e repetitivas, além de inimigos e chefes sem expressão. O game clássico trazia o dinossaurinho Yoshi como protagonista com a missão de levar Baby Mario através de fases perigosas. A mecânica original estava na fina arte de ter que aprender a cuidar do bebê em suas costas, saltar e atirar ovos para derrotar inimigos, recolher itens e alcançar áreas secretas. E New Island tem tudo isso, é tradicional, mas isso não é o suficiente. Explorando apenas dois dos seis mundos presentes no game, você já sabe como todas as outras fases irão se desenrolar. Yoshi engole inimigos e os transforma em ovos que usa para atirar. É possível devorar inimigos gigantes e usar o ovo grandão gerado para quebrar as coisas na tela e abrir caminhos. Além disso, produzindo pesados ovos de metal é possível explorar o fundo do mar. A primeira vez em que você encontra estas novidades é muito maneiro. Mas quando o jogador percebe que ele usará as mesmas mecânicas exatamente iguais exaustivamente a alegria acaba. A coisa toda fica muito maçante. Para incrementar ainda existem inúmeras fases onde Yoshi pode transformar-se em objetos como helicóptero, britadeira, submarino e etc. Só que para conseguir jogar estas fases é preciso usar o portátil inteiro como controle virando ele pra lá e pra cá. E na maioria das vezes os controles funcionam de forma imprecisa. Tutoriais a exaustão e asas para salvar o jogador Um fator que me irritou um pouco foi a existência de inúmeros tutoriais irritantes. A cada momento em que o gameplay muda, aparece uma caixa explicando o que se tem que fazer. Não há novidade. Não há descoberta. É tudo preto no branco sempre. E se você perder a vida algumas vezes aparece uma asa que permite a Yoshi voar pela fase. Se perder a vida muitas vezes aparece uma asa dourada que dá ao dinossauro o poder de voar e se tornar imune aos inimigos. Cada mundo possui cerca de 8 fases e dois chefes, um que aparece lá pela quarta fase e outro que surge apenas na última. Esses desafiantes são derrotados de forma extremamente fácil e pouco inteligente. Diferente de um Donkey Kong Country cujos apavorantes chefões de fase possuem múltiplas maneiras de atacar o gorila, os de Yoshi possuem apenas duas. Cada um deles leva três ataques e a batalha acabou. Coisa típica de Mario, mas digo a você que dar três ataques em um chefe já foi bem mais difícil. Yoshi's New Island faz uso das mecânicas clássicas, mas não inova o suficiente. As únicas novas ideias são usadas exaustivamente e de forma pouco criativa. O game é o retorno de Yoshi como protagonista no mundo do games, mas ele podia ter ganhado uma modernizada para tornar-se um game muito melhor. Ele parece um game clássico em um universo em que os games do gênero evoluiram bastante e Yoshi não conseguiu acompanhá-los.
Fonte: GameTV
inuyasha302
Enviado por inuyasha302
Membro desde
label