.
7.5

Análise do jogo "The House of the Dead: Overkill" para Wii escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 7.5 de 10, enviado por Anônimo,
Antes que você pense ???Ah não, mais um jogo de zumbi!???, saiba que The House of the Dead: Overkill é diferente do que você está acostumado a ver em jogos que exploram a matança de morto-vivos. Sim, eles estão por todas as partes e você precisa se livrar deles, mas em vez do jogador sentir medo, ficar assustado e roendo as unhas, a narrativa divertida, os personagens mais cômicos e a jogabilidade em estilo arcade dão um tom mais agradável ao jogo. Assim que o game começa, os personagens principais são apresentados pelo narrador com voz de policial de seriado americano dos anos 80. Agent G é um super agente que se formou em primeiro lugar na sua turma. Ele não só é inteligente, mas foi altamente treinado para lidar com armas de fogo, porém é um novato sem experiência de campo. O parceiro dele é o detetive Isaac Washington, um bad boy mulherengo que aceitou a missão para vingar a morte de seu pai. A história do jogo se passa em 1991, antes do primeiro The House of the Dead. Agent G é mandado pela academia AMS em sua primeira missão. Ele precisa ir para uma pequena cidade americana onde seu objetivo é investigar uma série de desaparecimentos e localizar um criminoso perigoso, Papa Caesar. Chegando lá, ele é obrigado a pedir ajuda devido à grande quantidade de zumbis. ?? aí que entra Isaac Washington. Você precisa apontar a mira do controle remoto do Wii na direção dos zumbis que aparecem de todos os lugares para matá-los com a sua arma. O botão B é o gatilho e você pode apertar A ou o próprio B para recarregar a sua arma. A visão do jogador é em primeira pessoa, e como nos outros jogos da série, você não controla os movimentos do personagem, apenas atira. Os zumbis vêm por todos os lados. Quebram janelas, saem debaixo da cama e atacam em grupos, porém se ainda assim você achar fácil, existe uma opção no menu para aumentar a quantidade de zumbis que aparecem. Quanto mais tiros você acertar, resgatar civis e fazer combos, mais pontos são feitos. Tiros na cabeça matam instantaneamente e rendem mais pontos. No final de cada nível você recebe uma nota, que é dada baseada na quantidade de tiros acertados e em quantas vezes o jogador morreu. Quanto mais alta a nota, maior o bônus recebido para comprar novas armas e upgrades na Gun Shop. Os bônus também servem para você continuar jogando caso morra durante uma batalha. Quando o jogador termina o jogo no modo história, o modo Director???s Cut é destravadol. Nele você passa pelos mesmos lugares, porém com inimigos mais difíceis e uma quantidade de Continue limitada. O jogo também tem alguns mini-games. Staying Alive traz milhares de zumbis para cima de você, e o objetivo é sobreviver atirando o mais rápido possível. Em Victim Suport é preciso escoltar um grupo de pessoas em perigo até um lugar seguro. ?? claro que os zumbis estão presentes em peso durante o trajeto. E em Money Shot II até quatro jogadores competem para ver quem consegue o maior número de matanças durante determinado tempo. Além do suporte online, o jogo possui modo cooperativo, onde dois jogadores podem formar uma dupla para sair caçando zumbis. The House of the Dead: Overkill tem personagens bem trabalhados, uma tonelada de zumbis e controles fáceis que só dependem da sua mira e agilidade. Se você gosta do estilo arcade de atirar em primeira pessoa, definitivamente precisa conhecer este jogo. O game está um pouco mais fácil em relação aos anteriores da série, mas a experiência de atirar contra os zumbis desmiolados não deixa absolutamente nada a desejar.
Fonte: GameTV
label