.
8.5

Análise do jogo "Street Fighter X Tekken" para PSVITA escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 8.5 de 10, enviado por Anônimo,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL3BsYXl0dm1uZ3IvY2tlZGl0b3IvY2tmaW5kZXIvdXNlcmZpbGVzL2ltYWdlcy8xMTExMS5qcGc=[/img] Provavelmente Street Fighter X Tekken não tenha mais o mesmo appeal do seu lançamento. O problema é que mesmo no seu lançamento, ele já havia sido prejudicado - mas pelas razões erradas. Toda aquela história de DLC no disco e o atraso da versão para PS Vita deixaram os jogadores com o pé atrás. Não pelo jogo em si, mas pelo histórico da Capcom em lançar uma versão melhorada de um jogo alguns meses depois do seu lançamento. E a versão de PS Vita foi lançada no final do ano de 2012, agregando todas as funcionalidades do seu primo nos consoles e criando uma nova forma de interação com o jogador através do portátil. Focando apenas nos aspectos exclusivos do portátil, as mudanças não foram poucas. Pensando na total utilização do Vita com sua tela sensitiva e seu touchpad traseiro, a impressão final é que tudo foi feito para facilitar a vida do jogador menos viciado no gênero das lutas. Só que, ao contrário do que aconteceu com SSFIV no 3DS e suas duas telas, no Vita tudo acontece no mesmo lugar, e fica difícil não encostar por acidente no touchpad de vez em quando. As funcionalidades de toque do aparelho dentro de SFxT podem ser completamente personalizadas. E é recomendado que isso seja feito, principalmente para não se atrapalhar futuramente com o toque traseiro do aparelho. Para o touchscreen, a tela é dividida em áreas, e apenas tocando nelas é que os golpes serão ativados. Claro que tudo isso é opcional, e para os jogadores mais experientes, a opção de desligar completamente qualquer tipo de ajuda do gênero está lá, no menu de opções. A maior vantagem de SFxT para o Vita, sem dúvida, é o cross-play. Jogar do seu portátil com qualquer pessoa da rede, seja ela em outro PS Vita ou no PS3. A funcionalidade ainda é uma novidade no portátil, já que são poucos os jogos que trazem essa artimanha. Mas foi aplicada com perfeição e, se não fosse por um ícone ao lado da sua ID indicando que o jogador está no portátil, não seria possível notar a diferença (na parte de latência). Às vezes é possível notar um problema no envio do convite para a jogatina. A mensagem chega, mas sem um botão que o conecte ao Lobby criado. Mas basta procurar a sala pela busca do jogo que é fácil conectar. E a disputa acontece sem favoritismos ou vantagens, mesmo com os ataques automáticos que o portátil oferece - além de serem opcionais, é possível bloquear jogadores que usem desse artifício para buscar a vitória. A personalização dos lutadores, com todas aquelas cores estranhas que o jogo tem à disposição, foi adaptada com maestria no PS Vita. Verticalizando o aparelho e ignorando completamente os botões, pintar os personagens utilizando apenas a tela sensitiva é muito mais divertido. Você escolhe cor, pinta a parte que deseja e ainda pode manipular a posição do lutador apenas tocando na tela. Bem mais intuitivo (e menos chato) que a versão oficial, que utiliza os botões. Definitivamente não é um fator decisivo para a compra do jogo, mas é bem bacana. SFxT no Vita também apresenta novos modos. Além de uma galeria para conferir imagens, sons e outras coisas, um modo de Realidade Aumentada (o qual não consegui fazer funcionar direito), o Burst Kumite é bem legal (é o tradicional Survival, embalado com um novo nome). Depois de enfrentar umas 30 duplas e perceber que nada mudava na dificuldade e nem ia mudar no futuro, por isso acabei desistindo. Mas é um bom passatempo aos que gostam apenas de lutas sem aquelas firulas de historinha entre cada um dos embates. Coisa rápida para quem não tem tempo. O jogo ainda deixa a disposição, desde o início, todos os personagens do jogo, secretos e DLCs. Originalmente, a campanha de SFxT focava esses personagens como vantagens ao adquirir uma cópia no Vita. Mas a confusão com o hacking no disco para consoles fez tudo isso ir por água abaixo. Águas passadas, o que importa é que você pode utilizá-los desde o iníco da brincadeira e, caso não os tenha adquirido no PS3, poderá consegui-los sem o acréscimo de nenhum crédito. De quebra, o primeiro pacote de roupas extras também estará liberado para você. Street Fighter x Tekken para o PS Vita te dá a chance de jogar no portátil o mesmo game dos consoles. E enfrentar as mesmas pessoas de lá. Não reinventa o game, muito pelo contrário, faz tudo para manter-se igual ao "original". Se quiser saber aspectos mais especíifcos sobre SFxT, leia a nossa análise também.
Fonte: GameTV
label