.
7

Análise do jogo "One Piece Unlimited World: Red" para WiiU escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 7 de 10, enviado por inuyasha302,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL3BsYXl0dm1uZ3IvY2tlZGl0b3IvY2tmaW5kZXIvdXNlcmZpbGVzL2ltYWdlcy9vcHV3ci5qcGc=[/img] Lançado originalmente para a plataforma da Nintendo, o 3DS, One Piece Unlimited World RED ganhou sua versão HD e arrecadou mais alguns trocados pelo mundo. Ao mesmo passo que inúmeros lançamentos relacionados a One Piece (muito melhores que este) jamais sejam lançados no ocidente, e o fato do Nintendo 3DS manter uma trava de região que impossibilite a importação dos mesmos, deveríamos mesmo é agradecer o lançamento. Ou não? A série "Unlimited" relacionada aos jogos de One Piece foi bem recebida pelos jogadores no Wii, e contou com boas referências durante a sua vida. A própria Ganbarion, desenvolvedora responsável, é famosa por entregar jogos muito competentes aos portáteis da Big N, mas infelizmente quase nunca portados para o ocidente. OP Unlimited World RED é um pouco diferente do que o jogador está acostumado a encontrar nos consoles da Sony, principalmente se a única referência dele forem os jogos feitos pela Omega Force (os Pirate Warriors). A pegada aqui é mais RPG, com pausas para conversar com NPCs, micro-gerenciamento de lojas e estabelecimentos quaisquer, até mesmo de uma horta, e, claro, um eventual combate no sistema de encontros aleatórios fora da sua safe house (ou cidade, no caso). [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL3BsYXl0dm1uZ3IvY2tlZGl0b3IvY2tmaW5kZXIvdXNlcmZpbGVzL2ltYWdlcy9PbmUtUGllY2UtVW5saW1pdGVkLVdvcmxkLVJlZC0zMjAtMTMuanBn[/img] As coisas acontecem de forma um pouco mais lenta nesse game. Um pouco de história contada em CGs, e depois muita conversa até podermos realmente socar alguém. De cara somos apresentados ao sistema de "palavras" do game. Cada palavra representando sua ação e servindo como uma habilidade extra. Com elas podemos aumentar nossos status (força, velocidade, energia) ou ganhar certas habilidades especiais para vencer obstáculos de cenários. Mudanças na escolha de quais heróis vão acompanhá-lo na próxima fase, assim como os equipamentos que serão utilizados precisam ser feitas de antemão, na sua safehouse. É possível andar com mais dois cupinchas ao seu lado, que via de regra, fazem o trabalho pesado para você - a inteligência artificial é um tanto problemática aqui, e seus companheiros controlados por ela parecem vacas loucas em busca do inimigo. Cada um dos personagens extras funcionam como uma vida extra e eles não perdem energia quando são controlados pela IA. O problema de verdade aqui é que o combate em si não estimula em nada o game. Ele é travado, repetitivo e com um sistema de counter chatíssimo que funciona mesmo quando você não vê da onde vem o golpe que é necessário esquivar. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL3BsYXl0dm1uZ3IvY2tlZGl0b3IvY2tmaW5kZXIvdXNlcmZpbGVzL2ltYWdlcy9sYXJnZS5qcGc=[/img] Não adianta tentar quebrar o ataque do chefe de fase com um especial. Quando ele está para lhe atacar, desista do que quer que esteja fazendo e aperte o botão de esquiva indicado na tela. A sua vida, que parece grande, em comparação com a do chefe de fase e o poder dos seus golpes, não vale de nada. Existem certas sequências específicas de botões que transformam seus combos em ataques mais poderosos. E também tem um monte de "facilidades" para os combates, como realizar um determinado número de sequências estabelecidas pelo jogo para entrar num modo "rush", ataques especiais em equipe que gastam as duas barras de especial e lhe proporcionam um ataque de área com uma animação chata, e também os tradicionais golpes especiais de cada um dos personagens. A história é legalzinha, mais ou menos como um longa-metragem com os pés no chão. Infelizmente são poucos os inimigos inéditos (o chefão, um dragão e acho que é isso), um monte de participações especiais muito bem vindas, mas que fazem pouco sentido e um tanuki que termina suas frases em um jargão próprio - nuki. Visualmente o jogo está bonito. Bem bonito. Se não fosse a câmera bizarra que o acompanha durante a aventura, com umas viradas de ângulos que tiram qualquer um do sério, seria muito melhor. Na moral, tem hora que a bichinha irrita de uma maneira que nenhum Ninja Gaiden jamais conseguiu. Quem gosta de microgerenciamento de cidades, daquele tipo de voltar na mesma fase para buscar certos itens específicos e depois construir coisas na cidade, caçar insetos, pescar e todos os infinitos minigames que o jogo entrega, serão felizes. Eu prefiro uma coisa mais direta, com menos enrolação e um combate menos monótono, que exija um pouco mais das minhas habilidades. One Piece Unlimited World RED não desceu muito bem não.
Fonte: GameTV
inuyasha302
Enviado por inuyasha302
Membro desde
label