.
8.5

Análise do jogo "Never Alone" para PC escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 8.5 de 10, enviado por AlbertZero,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL2Nkbi91cGxvYWRzL2NvbnRlbnRzL29yaWdpbi9pbWFnZXMvTnVuYS5qcGc=[/img] [i]Videogame passando um pouco de cultura decente para variar[/i] Não sei se fico triste por [b]Never Alone[/b]. Como um jogo propriamente dito, é simples demais. Mas não é com mecânicas que ele destaca, muito menos se sustenta. O importante ali é toda a riqueza da cultura [b]Iñupiat[/b] que vai se apresentando naquelas poucas horas de jogo que vão criar uma nova perspectiva de como lidar com o mundo à sua volta. O grande mérito de Never Alone é contar uma histórias que poucos tiveram a curiosidade de correr atrás ou perguntar a respeito. O estilo de vida desse povo, voltado para a subsistência, a caça, o respeito aos mais velhos, sua interação com um meio ambiente quase 100% hostil e todo o espiritualismo que nutrem é narrado através da aventura de uma garotinha e sua raposa do ártico de estimação. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL2Nkbi91cGxvYWRzL2NvbnRlbnRzL29yaWdpbi9pbWFnZXMvSHVudGluZ19jcm9wLmpwZw==[/img] Um narrador em língua nativa, legendas em português e personagens que não estamos acostumados a encontrar em nossas histórias, muito menos situações. A Natureza atuando como ela mesma, impondo toda a sua selvageria aos moradores da região com uma nevasca devastadora, instigando a curiosidade de [b]Nuna[/b], que sai em busca de respostas ao lado da sua fiel companheira, branca como a neve. Tudo que acontece depois serve para construir o pano de fundo do que realmente interessa, a cultura Iñupiat. Através da narração do contador de histórias ao fundo, e também no formato de mini-documentários, o qual cerca de 40 nativos contaram suas histórias emocionantes para apresentar um novo ponto de vista para o resto do mundo. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL2Nkbi91cGxvYWRzL2NvbnRlbnRzL29yaWdpbi9pbWFnZXMvbW91dGhfdW5kZXJncm91bmRfYmlnLmpwZw==[/img] O jogo é simples e bastante intuitivo. No controle dos dois personagens, o jogador precisa resolver os quebra-cabeças do cenário para seguir adiante. Never Alone não exige exploração, coleta de itens ou lhe dá recompensas por matar inimigos. Evitar o confronto é a primeira regra que devemos nos acostumar. Tanto Nuna quanto sua raposa possuem habilidades específicas. A garotinha, mais forte, arrasta objetos, sobe escadas verticais, utiliza sua boleadeira e se balança por cipós espirituais, criados pelas entidades misteriosas que ajudam a dupla na jornada. A raposa, mais ágil, escala paredes com facilidade, passa por frestas menores e possui a habilidade nata de se comunicar com as forças da Natureza que se apresentam na forma de monstros estranhos. Só é preciso tomar cuidado que certas entidades não estão ali para ajudar. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL2Nkbi91cGxvYWRzL2NvbnRlbnRzL29yaWdpbi9pbWFnZXMvaW1hZ2VfZ2FsbGVyeV8zMS5qcGc=[/img] O jogo começa de forma bem simples, basicamente com Nuna seguindo em frente e pulando obstáculos. Eventualmente ela precisa fugir de um urso polar faminto que teima em persegui-la por algumas fases. Ser atacado por ele gera uma animação um tanto quanto violenta e inesperada, mas muito legal. Aos poucos Never Alone dá uma evoluída e apresenta desafios mais exigentes, mas chega ao final logo em seguida, uma pena. Há uma certa dificuldade em controlar ambos os personagens jogando sozinho. A inteligência artificial, vez ou outra, tende a comprometer o seu avanço, pulando em horas erradas, por exemplo. É possível, no entanto, jogar a aventura toda com dois jogadores, em um modo cooperativo local. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL2Nkbi91cGxvYWRzL2NvbnRlbnRzL29yaWdpbi9pbWFnZXMvaW1hZ2VfZ2FsbGVyeV82MS5qcGc=[/img] A parceria no formato de um jogo não poderia ser mais benéfica. Acho que não existe a menor chance do jogador se entediar com tudo que é apresentado em Never Alone. Mesmo o jogo não sendo nada demais, cada um dos clipes destravados nos instiga a ir além, buscar mais conhecimento desse povo tão diferente do que estamos acostumados a encontrar. Dessa vez, os livros perderam feio. [youtube]https://www.youtube.com/watch?v=VnY21Fg5G1Y[/youtube] [b]DO QUE GOSTAMOS[/b] + Mini-documentários existentes no jogo são excelentes + História inspirada em um conto Iñupiat + Textos e legendas em português, enquanto o áudio narrado na língua nativa [b]DO QUE NÃO GOSTAMOS[/b] - Jogo muito curto - Jogo muito simples
Fonte: GameTV
AlbertZero
Enviado por AlbertZero
Membro desde
25 anos, Kingdom of Kupa Keep
label