.
8.5

Análise do jogo "Back to the Future: The Game - Episode I: It's About Time" para PC escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 8.5 de 10, enviado por Raziel619,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5nYW1ldHYuY29tLmJyL2ZvdG9zL2Z0b19mdDFfODY2NjMuanBn[/img] Em 1986, tudo parece bem na família McFly após os eventos da série de filmes De Volta Para o Futuro, que, entre outras coisas, transformaram o pai de Marty McFly, George, em um homem autoconfiante e bem-sucedido, e o antagonista Biff em um cara desajeitado e meio bobo. Doc não dá notícias há seis meses (pois ficou na Hill Valley de 1885 com a parceira Clara) e, por causa de toda essa ausência, é organizada uma venda de garagem com itens do laboratório dele. O problema é que o jovem Doc Brown de 1931 se envolve em algumas confusões, e a velha máquina do tempo construída no DeLorean aparece, junto com um bilhete do velho Doc, para levar Marty de volta ao passado para salvá-lo. Back to the Future: The Game é um jogo no estilo ???apontar e clicar???, assim como Grim Fandango, Full Throttle, Day of the Tentacle (e tantos outros por aí) e produzido pelos magos da Telltale, produtora que se destaca com esse gênero. O jogo contou com a consultoria de Bob Gale, roteirista da trilogia De Volta Para o Futuro. O problema é que esse episódio saiu fácil demais: mesmo quem nunca chegou perto de um point-and-click (ou até quem não tem muita experiência com vídeogames) terá a sensação de que Back to the Future é um ???passeio???. Os quebra-cabeças mais difíceis são resolvidos com algumas poucas tentativas, enquanto os mais fáceis são óbvios até demais. Quer dizer, como jogo, Back to the Future: Episode 1 está muito abaixo de um Sam and Max ou clássicos mais antigos como os da série Monkey Island. A favor dele, pesa o fato de que os primeiro episódio dos games da Telltale sempre são mais fáceis, como forma de introduzir novos jogadores a esse estilo de apontar e clicar. Mas, como ???experiência???, a nova aventura será capaz de arrancar um sorriso do rosto até dos mais ardorosos fãs de De Volta Para o Futuro. A dublagem conta com as vozes do próprio Christopher Lloyd como Doc Brown, além de A.J. LoCascio como Marty McFly. E a voz de LoCascio ficou espetacular: difícil imaginar algo mais próximo do próprio Michael J. Fox do que a feita pelo garoto que dubla o game. Ponto negativo para a voz de Biff e Kid Tannen, que nem de longe lembra a voz de Thomas F. Wilson dos filmes. A ambientação é muito boa: os modelos poligonais de todos os personagens agradam, e os cenários são fiéis ao que os fãs poderiam imaginar que seria uma Hill Valley em 1931. A Telltale teve o cuidado até de reproduzir Marty McFly e Doc Brown com os mesmos trejeitos e forma de andar dos filmes. O resultado são sequências bastante parecidas com os takes oficiais dos filmes dos viajantes do tempo. [img]hide:aHR0cDovL3d3dy5nYW1ldHYuY29tLmJyL2ZvdG9zL2Z0b19mdDJfODY2NjQuanBn[/img] Para os fãs BTTF: Episode 1 é absolutamente obrigatório para quem curtiu a trilogia do cinema Atrações como a inédita Hill Valley de 1931, o Doc Brown jovem, as referências a frases e acontecimentos dos outros filmes... é um serviço completo para quem passou 20 anos sem novidades sobre a trama oficial. Um novo filme sem Michael J. Fox, que luta contra o mal de Parkinson, seria inviável porque apenas Michael J. Fox serve para o papel de Marty McFly. Neste caso, embora a jogatina não seja perfeita e alguns puzzles sejam simples demais (coisas do tipo conversar com tal pessoa, entregar tal objeto...), a tal convergência entre formatos caiu muito bem. De qualquer forma, quem comprou Back to the Future: The Game pela pré-venda está contribuindo com a causa do ator: um dólar de cada jogo vendido antecipadamente será doado à Fundação Michael J. Fox, dedicada a pesquisas sobre a doença de Parkinson. O próprio Fox tornou-se o maior investidor em pesquisas desse tipo ao injetar 179 milhões de dólares na fundação em 2000. Voltando ao game, se você sequer assistiu aos filmes da trilogia e não sabe nada das peripécias dos protagonistas no passado e no futuro, pode se decepcionar com o jogo. ?? que a graça de Back to the Future: The Game iniciado neste primeiro episódio é justamente ver como prossegue a história após o filme De Volta Para o Futuro: Parte III, no qual Doc se despede de Marty e vai viver sua vida ao lado do seu amor, Clara. Mais que um jogo, é quase um filme interativo e que, novamente, só vai agradar quem curtiu a trilogia original. Mas, como nos filmes, existem alguns ???furos???. A personalidade do Biff de 1986 (o do começo do jogo) não condiz muito com o Biff bobo de 1985, do final de De Volta Para o Futuro: Parte 1. Claro, se ele não tivesse o velho estilão Biff de ser, não ia querer roubar o caderno de anotações de Doc logo no começo do game e... bom, o jogo não faria sentido. Mas se o Biff de 1985/86 é todo bobo, o filho dele, de 2015, não ia ficar no pé do novo McFly, anulando a até a necessidade de um filme De Volta Para o Futuro: Parte II... Mais para frente, o Doc de 1931 fala algo sobre ???processar Marty por assédio???. A lei de ???assédio??? (harassment), nos Estados Unidos, é de 1964. Aliás, o fato do Doc de 1931 encontrar o Marty de 1985/86 já é um daqueles paradoxos que pode acabar com continuum do espaço-tempo e com todo o universo (mas, com sorte, as consequências se limitariam apenas a nossa galáxia): com a presença de Marty, o Doc provavelmente não precisaria inventar a máquina do tempo em um DeLorean, que já foi inventada pelo próprio Doc dos anos 80, que a enviou de volta. Ainda bem que Marty se apresenta com outro nome - como se isso fosse suficiente... Na verdade, os filmes também estão cheio dos paradoxos, mas se nenhum deles existisse, viveríamos em uma realidade alternativa em que nem a própria triologia De Volta Para o Futuro teria sido lançada. Então, o negócio é relaxar, relevar os probleminhas (alguns chatos, como o fato do game não ???memorizar??? a sua escolha sobre o nome fictício de Marty em 1931) e curtir esta aventura que merece, sim, fazer parte da cronologia oficial de De Volta Para o Futuro. Por US$ 25, a compra do game garante acesso a todos os cinco episódios. Mas fica o aviso: se não conhece a triologia, vá correndo atrás dos blu-rays ou DVDs antes de jogar. O que vem por aí O site da Telltale já conta com as sinopses dos próximos quatro episódios. A expectativa é de grandes reviravoltas na história: no segundo capítulo, ???Marty e o Doc de 1980 deverão evitar que Kid Tannen acabe com a família McFly???. Nada que não tenhamos visto em De Volta Para o Futuro I e II - resta saber se elementos conhecidos, como o almanaque dos esportes, terão algo a ver. O terceiro episódio promete ser mais interessante ainda: ???Marty encontra-se em uma realidade alternativa ???de cabeça para baixo??? de Hill Valley, dominada pelo ???Primeiro Cidadão Brown??????. Quer dizer, o inocente e jovem Doc de 1931 foi de alguma influenciado (por Marty?) e conseguiu juntar muito conhecimento (e poder) em pouco tempo, suficiente para ser a espécie de ???dono??? da cidade - mesmo status do Biff da Hill Valley alternativa de 1985. Nos dois capítulos seguintes, Marty e o Primeiro Cidadão Brown deverão juntar forças para ???evitar que o jovem Emmet Brown cometa o pior erro de sua vida???. Taí algo que pode, sim, ter consequências catastróficas para todo o universo... Por fim, parece que no quinto episódio os fãs finalmente poderão voltar à Hill Valley de 2015, já que a sinopse promete que Marty e Doc se ???envolverão em uma perseguição pelo passado, presente e futuro de Hill Valley???. Estamos desde já no aguardo.
Fonte: GameTV
Raziel619
Enviado por Raziel619
Membro desde
23 anos
label