.
5.5

Análise do jogo "Memento Mori" para PC escrito por GameStart

Escrito por GameStart, nota 5.5 de 10, enviado por GameVicio,
[i]Aquela clássica boa idéia que se perde devido a decisões infelizes[/i] Sejamos sinceros, a maioria dos clássicos adventures não são jogos repletos de ação, logo eles se apóiam a uma narrativa envolvente e climas soturnos para capturar a imaginação do jogador. Quando um destes falta, ou mesmo os dois, a coisa descarrila de vez. ?? justamente isto que acontece com Memento Mori, uma idéia sem dúvidas inusitada e, por que não, original, que perde seu valor frente as faltas que um fluxo de jogo envolvente faz. O jogo, fruto da Centauri, uma desenvolvedora da República Tcheca, coloca você para guiar dois protagonistas: Lara Svetlova, uma agente da Interpol especializada na divisão de crimes contra o mundo da arte e Max Durand, um falsificador famoso que para pagar pelos seus crimes é obrigado a trabalhar para as autoridades. Ambos serão obrigados a cooperar graças a chantagem do Coronel Ostankovic, que deixou o museu de St. Petersburgo ser roubado sob sua tutela e agora não quer deixar a informação espalhar. Memento Mori e seus primeiros momentos são definitivamente interessantes. A dublagem é distinta, bem longe do padrão americano que estamos habituados, mas ainda assim de qualidade, e que casa quase sempre com as tomadas e situações. O enredo, assim como o script, começa focado e em questão de minutos o jogador se vê mergulhado na trama imposta. O problema é o que se segue, diga-se de passagem, um verdadeiro balde d'água em qualquer pretensão que você possa ter. Porque o título é muito inocente, ao ponto de colocar os personagens frente a grandes mistérios, mas com uma série de empecilhos, que seriam mínimos na vida real, que os retardam em sequência, até que você já nem mesmo se lembra do que partiu para decifrar inicialmente. Falando assim pode ser difícil de acreditar, mas é só pegarmos o próprio início do jogo, já que não queremos estragar a surpresa de ninguém. No início, apesar de toda a trama que espera Lara, o jogo impõe a você quebrar a cabeça para encontrar uma simples bateria reserva para o celular. O cenário? O departamento de tecnologia da Interpol. Só rindo. A estrutura geral do jogo é extremamente antiga, a ponto de todos os itens do jogo serem úteis para alguma coisa, mesmo que não faça sentido algum. Aliás, falando em coesão, serão raras as vezes que algum dos quebra-cabeças realmente farão sentido com a situação. Imagine que você tivesse que resolver um cubo mágico para que seu chuveiro funcione durante seu banho matinal - é a sensação que se tem. A sorte, neste caso, é que a maioria destes são fáceis, a ponto de alguns serem resolvidos na pura sorte. Mas, como foi dito lá no início, é até triste se deparar com tais problemas, porque o jogo é relativamente bonito. Embora os personagens sofram o mal de agirem como robôs, os cenários foram detalhados com atenção, sejam vielas macabras, corredores mal iluminados, ou até um simples banheiro. Cada qual conta com seu estilo próprio que dá mais vivacidade ao mundo em geral. A trilha sonora, toda no piano, embora nada variada, dá o toque final, reforçando o fato de que o jogo seria imersivo e devidamente misterioso se quebra-cabeças tapados e inesperados não aparecessem a cada segundo. Um mistério sem solução: Memento Mori é aquela clássica boa idéia que se perde devido a decisões infelizes, no caso, estas mataram a própria alma do que poderia teria sido um misterioso conto de roubos e conspirações. Reservo este apenas àqueles que precisam jogar todos os jogos do gênero que são lançados. A pergunta é: Existe pessoa assim? Realmente é difícil agüentar o fluxo semi-sonífero do jogo da Centauri. [t2]Prós[/t2] [list]Dublagem bem trabalhada Cenários carismáticos História bem escrita[/list] [t2]Contras[/t2] [list]Narrativa falha totalmente Quebra-cabeças impensados Fluxo tedioso Animação robótica[/list]
Fonte: GameStart
GameVicio
Enviado por GameVicio
Membro desde
31 anos, Curitiba
label