.
8.5

Análise do jogo "You, Me & the Cubes" para Wii escrito por Finalboss

Escrito por Finalboss, nota 8.5 de 10, enviado por marped,
O estúdio japonês Warp deixou seu legado na história dos games com a série de terror "D", usando e abusando de sequências apavorantes para deixar o jogador com os nervos em frangalhos. Mesmo vendendo pouco e com as críticas negativas, até que a série lançada em 1995 ??? e que teve um sucessor em 1999 ??? obteve sua pequena legião de fãs. No entanto, a Warp virou a Superwarp, que por sua vez não chegou a lançar nenhum produto... o tempo passou, e seu fundador ??? o game designer e músico Kenji Eno ??? fundou a From Yellow To Orange, ou FYTO. E quem achou que a produtora seguiria este rumo está redondamente enganado... se bem que talvez devêssemos dizer "cubicamente", já que "You, Me, and the Cubes" é o jogo de estreia da empresa para o WiiWare. A ideia básica deste quebra-cabeças é bem simples: o jogador deve popular uma superfície de um cubo suspenso no vazio com os indivíduos (chamados "Fallos" - deve ser por causa da predisposição deles a cair dos lugares) de forma que o mesmo não pese demais para um dos lados, ou eles despencarão no limbo. Até aí, tudo bem: basta ter uma leve noção de espaço e volume para criá-los, arremessá-los no cubo e ver que beira da faceta do cubo está precisando de mais ou menos peso. Só que nada é tão simples assim, naturalmente.... Usando somente o Remote, o jogo requer que o jogador balance o controle para criar um par de indivíduos ??? um homem e uma mulher ??? e depois indique com o cursor o lugar onde quer que cada um pouse, marcando com o A: feito isto, é só fazer um movimento leve de arremesso com o Remote para baixo e pronto, lá vão eles! Cada face do cubo tem um limite de tempo e de personagens a serem posicionados nela. Vale notar que deixar a superfície inclinada demais em um sentido poderá fazer seus personagens tropeçarem no chão, ou até mesmo caírem e deslizarem rumo à beira do cenário: usando o botão B, é possível girar o plano em 90 graus na horizontal para mirar melhor e disparar novos indivíduos, recuperando o equilíbrio. Cada um que despencar da superfície desconta 5 segundos da sua contagem regressiva, então todo cuidado é pouco. Um elemento interessante é que os Fallos, que se movimentam independentemente do controle do jogador, ajudam um ao outro conforme necessário: se um dos que tropeçarem ou caírem estiverem perto de outro que esteja em pé, este correrá para ajudá-lo a se levantar. Sempre que o jogador forma um casal de personagens no controle, a caixinha de som do Remote emite um som específico... agora, se vier um som diferente, cuidado, pois esta é a vez do "Pale Fallo", um fantasma que vive para azucrinar os normais. Como? Dando rasteiras neles, derrubando-os no chão, e rindo da cara deles... aí basta o jogador manter a calma, criar outro casal de personagens normais e esperar que o fantasminha vacilão dê sua risada: é a hora de acertá-lo com um dos Fallos, banindo-o do seu lindo cubo e ganhando alguns segundos extras no contador. Ao atingir o objetivo desejado, um contador de 3 segundos é ativado: se o cubo se mantiver estável neste meio-tempo, esta face do cubo está completa. Depois de ver se algum destes sobreviverá à rotação do cubo ??? basta que ele se sente no chão e ele continua lá até o fim das fases ??? vem a próxima... mas há um porém: cada nova fase faz brotar um novo cubo parcialmente embutido no primeiro, e é necessário popular a face de cada um destes cubos para cumprir os mesmos objetivos de antes. E como os cubos extras são de tamanhos diferentes, é necessário prestar atenção no peso que cada um terá. Isto é, pelo andar da fase, na última o jogador tem um agrupamento de seis cubos diferentes, com superfícies livres de tamanhos variados, e ainda precisa correr contra o relógio para não perdê-los. O jogo oferece uma grande variedade de fases. Inicialmente, são 36 fases com 6 facetas cada, mas quem completar todas estas destrancará mais 36 ??? e sim, ainda mais difíceis. ?? medida que o jogo avança, cubos de propriedades diferentes vêm à tona: o Freeze Cube, por exemplo, congela os personagens no lugar se o equilíbrio estiver ideal; o Bounce Cube tem uma área onde os personagens quicarão para cima caso sejam jogados lá, e por aí vai. O desafio do game está em vários elementos, como tentar zerar as fases atingindo a meta de Fallos sobreviventes entre as viradas do cubo. Além disto, o game oferece uma modalidade onde dois jogadores devem agir em cooperação para cumprir os objetivos do jogo. O visual de You, Me, and the Cubes é simplista e bem eficaz. Os cubos são translúcidos e têm uma textura transparente meio aquosa, e o fundo é predominantemente escuro. Fora disto, os personagens são coloridos: os homens têm roupas e cabelo azuis, e as mulheres têm cabelo longo e roupa rosas. A animação deles é bem cartunizada, com trejeitos engraçados ao cair no chão e tudo mais, e isso é reforçado pelos balõezinhos de texto quando certas coisas acontecem com eles, como tropeçar, ser acertado por outro, cair do cubo, e por aí vai ("ai!", "por que eu??", "aaah!", etc...). A parte sonora do game, embora econômica, faz o trabalho direitinho: a trilha sonora é minimalista e os jingles também, mas funciona bem para a proposta. Além disto, o uso dos sons na caixinha do Remote é inteligente, dando um elemento a mais para se prestar atenção. Por fim, os pequenos samples de voz dos personagens, como seus gritos ao despencar para o limbo, são de dar pena... e a risadinha do fantasma, de dar raiva. O principal deslize do jogo é a escassez de músicas para as fases: os jogadores podem optar por duas delas ou o silêncio total, salvo os ocasionais jingles de avanço de fase. Chega a ser irônico, dado que o fundador da FYTO também é músico e chegou a criar um jogo ("Real Sound", para o Saturn e Dreamcast) onde a atenção ao som era a principal característica. Enfim, não chega a estragar a experiência. Fora disto ??? e aí já enveredamos no gosto pessoal de cada jogador ??? o estilo visual poderá afastar os jogadores de uma primeira tentativa, mas ver o game em movimento ajuda. You, Me, and the Cubes marca uma ótima estreia do estúdio From Yellow To Orange no WiiWare. Focado no equilíbrio, a ideia de popular as faces de um cubo com personagens enquanto o mantém estável funciona bem, e os desafios ??? que vão de fases com propriedades diferentes, passando por fantasmas que pregam peças nos vivos ??? só aumentam à medida que o cubo vai se expandindo com outros cubos de áreas embutidas, afetando seu peso. O jogo usa o Remote de forma esperta, porém simples: balança-se o controle para criar os personagens, usa o cursor como mira para marcar onde aterrissarão, e arremessa a dupla ao fazer o movimento com a mão. A parte audiovisual é simplista, porém charmosa e eficaz - mesmo que seja uma pena que mais músicas não tenham sido oferecidas para as fases. De qualquer forma, isto não mancha a reputação do game, que pode ser curtido por um ou dois jogadores. Mas lembre-se: estabilidade é lei. Ou você quer ser assombrado de noite pelos gritos dos indivíduos caindo no limbo?
Fonte: Finalboss
marped
Enviado por marped
Membro desde
Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
label