.
9

Análise do jogo "inFAMOUS" para PS3 escrito por Finalboss

Escrito por Finalboss, nota 9 de 10, enviado por Giordano Trabach,
?? muito difícil encontrar algum fã de quadrinhos ou videogames que nunca tenha sonhado em ter super poderes. Existem aqueles que gostariam de salvar o mundo e usar tais poderes para o bem da humanidade, enquanto outros estão mais preocupados em tirar proveito desta vantagem sobre os humanos normais conseguindo assim algumas regalias. O que poucos costumam pensar é que geralmente estes poderes são conseqüências de acontecimentos realmente traumáticos para grande parte dos personagens. Enquanto alguns são picados por aranhas geneticamente alteradas ou simplesmente caem de outro planeta em uma espécie de pod de fuga, outros são bombardeados por raios gama ou têm pedaços de metal presos perto de seu coração. Digamos que InFamous seja baseado em uma destas histórias traumáticas. O game conta a história de Cole, um jovem que ganha estranhos poderes após um devastador acidente. Tudo começa quando o personagem é contratado para carregar uma estranha esfera luminosa, artefato que nunca chegou ao seu destino. Em dado momento, a esfera libera uma quantidade absurda de energia, criando um gigantesco campo elétrico que crescia exponencialmente, destruindo tudo o que estava à sua volta. A cena lembra muito o início do longa-metragem de animação japonês Akira, onde uma enorme esfera de energia vai devastando Tokyo. Os resultados deste acidente foram simplesmente devastadores. Pessoas feridas, um grande número de mortos e a presença cada vez maior de aberrações genéticas. Como conseqüência desta mudança drástica, a polícia acaba perdendo o controle da caótica situação, tornando as ruas um lugar sem lei e dominado pelas gangs. E não é só isso: estas gangues, formadas basicamente por ex-traficantes de drogas, também foram vítimas destas estranhas mutações, fazendo com que alguns indivíduos mal intencionados ganhassem poderes sobre-humanos. O cenário é de total devastação e a esperança de melhoria soa mais como uma piada de humor negro do que como algo palpável. Pelo menos até agora. Dias depois do acidente Cole já hospitalizado, começa a desenvolver estranhos poderes. Fontes de energia elétrica começam a reagir com a presença do jovem, de modo que ele possa absorver a energia presente nestas fontes e descarregá-las na forma de poderosos relâmpagos. Cole passa a ser uma criatura neutra no meio de todo este caos. Por um lado, um acidente incrível e marcante, que acabou por deixar seqüelas inimagináveis. Por outro uma população ensandecida que acaba por colocar a culpa de toda esta desgraça no próprio Cole, já que ele era o portador do artefato que causou tamanho caos. Existem somente dois caminhos a trilhar: vencer seus medos e tentar recuperar sua boa imagem usando seus novos poderes na reconstrução de toda uma sociedade ou assumir a desgraça que se abateu em sua vida e fazer com que aqueles que zombaram e acusaram de você possam pagar caro por tudo isso. E é aí que você entra. inFamous é um game de mundo aberto, bastante semelhante a outros como Grand Theft Auto IV ou o recém lançado Prototype. A diferença é que o jogador conta apenas com seus poderes, além de se preocupar em fazer a coisa certa ou simplesmente jogar tudo para o alto, dependendo é claro da sua escolha. O fato é que o game possui duas formas distintas de se jogar, uma boa e uma má, e cada uma oferece uma linha diferente no desenvolvimento da história. Logo de início se percebe que a longevidade do game é bastante extensa já que a campanha principal possui uma duração bastante considerável, principalmente se contarmos as várias missões extras nela presentes, além é claro de contar com esta divisão de bem e mal, o que permite ao jogador progredir de formas distintas, de forma que uma primeira jogatina não seja parecida com a primeira. O próprio jogo oferece inúmeros subsídios para que esta exploração possa ser feita. A primeira e principal delas é o desenvolvimento dos poderes de Cole. Inicialmente o jovem conta com somente o básico para sua sobrevivência, além de possuir uma resistência muito superior à de um ser humano normal. ?? possível disparar descargas elétricas pelas mãos como forma de ataque, além de se recuperar de ferimentos mais rapidamente do que um ser humano normal, sem contar a habilidade de subir em prédios com extrema destreza e sequer sofrer algum arranhão após cair de grandes alturas. Este início já oferece uma jogabilidade bem dinâmica e divertida, mas a coisa só tende a melhorar com o tempo. Conforme Cole vai derrotando seus adversários e completando as missões propostas no game, pontos de experiência são somados à sua ficha de personagem. Estes pontos permitem que o jogador ''compre'' novas habilidades para o herói/vilão, tornando a jogatina mais prazerosa e interessante. Você é de fato recompensado pelo bom rendimento no game, de forma que as coisas fiquem cada vez mais bacanas ao longo da história. As habilidades de Cole são interessantes e todas baseadas na eletricidade. Isso dá ao personagem algumas vantagens bastante interessantes. Em primeiro lugar, choques elétricos não farão mais mal algum a você, muito pelo contrário. Cole passa a agir como uma verdadeira bateria humana, acumulando dentro de si uma quantidade cada vez maior de eletricidade e isso tem um propósito interessante no game. No canto superior direito da tela o jogador tem acesso a uma espécie de medidor da energia acumulada. Este medidor é dividido em pequenos pontos, interligados por um pequeno feixe de eletricidade. Todas as vezes que o jogador usa uma habilidade especial, uma quantidade pré-definida de esferas se apaga. Se o medidor não mostrar mais nenhuma esfera acesa, quer dizer que a ''bateria'' de Cole está esgotada, sendo necessária a sua recarga. Existem inúmeras maneiras de se fazer isso e a mais simples de todas consiste em aproximar-se de algum objeto que reúna uma boa quantidade de eletricidade e ''absorver'' esta energia contida ali. Encontrar estes objetos é tarefa fácil. Para isso, basta dar um clique no analógico esquerdo, fazendo com que o mini-mapa do game mostre todos os pontos ricos em eletricidade das redondezas. Vale lembrar que quanto mais poderosa a habilidade maior é o seu consumo em eletricidade, fato que deixa as coisas um pouco mais ''realistas''. A única maneira de ampliar sua ''bateria interna'' é recolhendo um tipo especial de minério espalhado pelos cenários. Eles aparecem para o jogador como pequenas lascas metálicas, geralmente presas a outros objetos metálicos. Para recolhê-las, basta encostar em alguma delas. No início não é tão necessário ampliar seu medidor de eletricidade já que as habilidades iniciais de Cole gastam uma quantidade de energia realmente pequena, mas com o tempo a necessidade começa a ficar cada vez mais evidente. Este também é um ponto interessantíssimo no que diz respeito à longevidade do game já que em dado momento o jogador se sentirá obrigado a procurar os tais objetos. De longe isso é uma tarefa chata ou cansativa já que escalar os prédios é bem bacana, característica essa apenas possível pelos ótimos controles do game. Além da compra de novas habilidades fazendo uso dos pontos de experiência, outro ponto de extrema importância no game é a evolução do personagem como vilão ou herói. A evolução para cada uma destas trilhas tem total relação com as missões presentes no game. Elas são divididas em três tipos, as principais ??? e que por sua vez definem a evolução da história, as secundárias e as alternativas que possuem influência direta na índole do personagem. A variação destas missões não é muito grande e talvez este seja um dos pequenos problemas presentes no game. Ainda assim, o jogador pode executá-las de diversas maneiras diferentes e o seu bom acabamento acabou por amenizar bastante este problema, que mal pode ser percebido pelo jogador, dada a imersão que o game proporciona. As missões secundárias possuem uma importância diferente dentro do game. Geralmente elas estão relacionadas com acontecimentos isolados dentro das cidades. Livrar um centro médico de ataques de gangues, salvar uma testemunha importante ou simplesmente livrar uma região da presença de adversários. O grande diferencial é que além da experiência ganha, o jogador também faz com que uma pequena porcentagem da cidade fique livre de adversários, retomando então a paz daquela região. Isso é especialmente útil durante a caça aos pedaços metálicos que permitem que seu medidor de eletricidade cresça em alguns pontos. A terceira variação de missões representa aquelas que são direcionadas a certa inclinação da personalidade de Cole. Enquanto umas são exclusivamente voltadas para a execução de boas ações, outras colocam o jogador em meio a atitudes de caráter duvidoso. O fato é que ambos os títulos são bastante úteis na hora de trilhar diferentes caminhos no que diz respeito aos atos do personagem principal e a sua imagem perante a sociedade que o cerca. ?? claro, algumas são um pouco dúbias e podem mudar de conteúdo em cima da hora, tentando enganar o jogador incauto, portanto é bom ficar de olho na hora de fazer a coisa certa, ou errada, vai saber. ?? bom lembrar que este sistema de seguir um caminho bom ou outro ruim possui uma utilidade não só voltada para a forma com que a história se desenvolve, mas também na compra dos poderes de Cole. Alguns são exclusivos para o lado mal do personagem, enquanto outros tendem para o lado da bondade. A forma com que o herói lida com seus adversários também influencia diretamente esta parte. ?? possível, por exemplo, sugar a energia de adversários caídos, como também é possível prendê-los no chão vivos, deixando sua prisão a cargo da polícia. O sistema lembra bastante o de Siths e Jedis de Knights of the Old Republic, e a sua influência estética aparece da mesma forma. Enquanto um personagem que tem uma queda para o lado da bondade solta raios azulados e apresenta uma pele limpa, o personagem malvado soltará raios vermelhos, além de trazer algumas manchas em sua face. Tudo em prol da longevidade e liberdade de escolhas! Todas essas possibilidades devem dar um tremendo trabalho para serem aprendidas e transportadas para o gamepad, alguns devem estar pensando. Ledo engano. Os controles de InFamous funcionam muito bem e o mapeamento do gamepad do PlayStation 3 foi muito bem feito. Em vários momentos o jogador usará o mesmo botão para executar diferentes tarefas ou movimentos especiais, mas o que conta mesmo é a combinação entre eles. Desta forma, os movimentos de Cole acabam sendo assimilados pelo jogador de forma progressiva e bastante natural. Perto do fim do game é possível executar uma infinidade te movimentos especiais, cada um mais ostensivo e poderoso que o outro, tudo de maneira clara e sem maiores complicações. O fato do game não permitir que o personagem use armas contribuiu para essa simplicidade. O custo/benefício de se fazer uma jogabilidade totalmente baseada nos poderes do personagem principal é bastante sensível já que InFamous é um game realmente bacana de se jogar, nem tanto pela sua história, mas principalmente pela sua jogabilidade envolvente e cheia de ação. A exploração do cenário é feita de forma natural, sem forçar a barra. O jogador simplesmente toma a iniciativa de sair por aí, escalando prédios e testando seus limites. ?? claro, os trophies presentes no game são a cereja do bolo na hora de colocar em prática tudo aquilo que o game tem a oferecer, além de tentar coisas que são totalmente desnecessárias para o andamento do título, mas que ainda assim são bastante divertidas mesmo que sem um propósito definido. Com uma jogabilidade tão boa, é de se esperar que o título consiga acompanhar esta qualidade também nos gráficos e som. ??, não é bem assim que funciona. Para falar a verdade, InFamous é um jogo até bastante modesto graficamente. ?? claro, o cenário é bastante rico de detalhes, com objetos variados espalhados por todos os lugares, dando vida ao cenário e fazendo uma boa representação de uma cidade que vive aos frangalhos. A interação do jogador também é bem bacana. As animações de Cole são realmente muito boas e a maneira com que os produtores fizeram para que o personagem pudesse se pendurar em inúmeras partes do cenário tornou as coisas ainda mais interessantes. O jogador consegue perceber, de maneira lógica, qual é a melhor rota para se subir em um prédio, levando em conta é claro os poderes do personagem principal. Isso dá um ''quê'' de realismo ao game, apresentando-se como um tempero especial que acaba dando ainda mais qualidade ao conjunto da obra. Por outro lado, podemos dizer que InFamous sofre com alguns problemas bastante aparentes. Não estamos dizendo que o título é feio, porque não é. Mas é inegável que o mesmo possua uma quantidade bem grande de bugs, nos fazendo lembrar os lançamentos anteriores da série Grand Theft Auto IV. A coisa vai desde falhas na colisão de objetos a freqüentes Pop-ups de texturas e modelos no cenário. O ''draw distance'', parâmetro que indica o quanto o jogador poderá ver do cenário antes que seus detalhes comecem a desaparecer, é bem curto, mesmo que de forma que ainda seja possível reconhecer alguns lugares em específico no cenário, o que facilita sua exploração. Também não é raro observar cenas onde os personagens no cenário fazem algumas coisas um pouco impossíveis, além de ficarem presos em ''blocos'' de animação. Certa vez, um adversário parece não ter caído completamente e parecia estar escorregando de maneira incessante. Ele simplesmente caía, levantava, caía, levantava, de forma infinita. De certa forma, a maior parte destes bugs é vista de maneira cômica e pouco interferem na jogabilidade de uma maneira geral. Mas ainda assim são coisas que não deveriam estar presentes em um título deste porte, principalmente se levarmos em conta o esmero que os produtores tiveram com a jogabilidade, apresentada de forma primorosa. O som é um pouco melhor. A trilha sonora é modesta e faz bem o seu papel na ambientação do game. Os efeitos sonoros são bastante variados e foram escolhidos de maneira bastante coerente com o que o game pretende mostrar. As dublagens caem como uma luva nos personagens, principalmente a de Cole, uma espécie de herói/anti-herói que ainda não tem muito bem definida a idéia de fazer ou não o bem sem olhar a quem. De fato temos poucas ou nenhuma reclamação em relação a esta parte. Digamos então que o título ficaria ainda melhor que fosse um pouco mais ousado nas músicas. Talvez este seja o detalhe que faltava. InFamous é uma das mais gratas surpresas presentes recentemente no PlayStation 3. O título possui uma ótima jogabilidade e desdobramentos interessantes na trama, deixando o jogador ligado a todos os acontecimentos. Mesmo apresentando algumas falhas visíveis na parte gráfica, o título empolga e seguramente é um dos lançamentos mais bacanas disponíveis hoje para o console da Sony. Prepare seus poderes e caia de cabeça nessa. Tudo o que lhe resta é ser o herói ou vilão da história. [b]A favor:[/b] - Excelente jogabilidade. Um jogo que diverte o jogador por um longo tempo; - Boa quantidade de conteúdo permite que o game possa ser revisitado mais de uma vez, tornando a experiência mais duradoura, além de dar aquela sensação bacana de ''custo/benefício''; - Sistema de updates dos poderes é bastante simples e direto, deixando de lado as complicações e tornando tudo mais direto e funcional; - A apresentação do título também é muito boa. Os menus são fáceis de entender, de acessar e existem vários pequenos detalhes muito bons como as cutscenes em forma de história em quadrinhos e as frases de impacto entre um ato e outro; - O título não tem loadings. Quer coisa melhor? [b]Contra:[/b] - Infelizmente é possível ver vários glitches gráficos como animações que quebram e entram em um loop bizarro, pop-ups de texturas e modelos e problemas com a colisão, além da falta de anti-aliasing; - Demora um pouco até que o jogador possa ver alguma variedade entre os inimigos; - Existem pouquíssimas missões onde fica subentendido se suas ações resultam em karma positivo ou negativo. [b]Veredito:[/b] inFamous é uma das mais gratas surpresas presentes recentemente no PlayStation 3. O título possui uma ótima jogabilidade e desdobramentos interessantes na trama, deixando o jogador ligado a todos os acontecimentos. Mesmo apresentando algumas falhas visíveis na parte gráfica, o título empolga e seguramente é um dos lançamentos mais bacanas disponíveis hoje para o console da Sony. Prepare seus poderes e caia de cabeça nessa. Tudo o que lhe resta é ser o herói ou vilão da história.
Fonte: Finalboss
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label