.
7.5

Análise do jogo "Harry Potter and the Half-Blood Prince" para X360 escrito por Finalboss

Escrito por Finalboss, nota 7.5 de 10, enviado por Giordano Trabach,
Desde que a febre Harry Potter começou, a indústria de um modo geral não parou mais de arrecadar com os produtos relacionados ao jovem bruxo. O sucesso da marca pode ser atestado não só pelos milhões de exemplares de livros vendidos, mas também pelas gordas bilheterias dos cinco primeiros filmes, que tiveram extremo sucesso entre o público de todas as idades. Embora a experiência no cinema tenha sido bastante agradável para a maioria dos fãs, os jogos baseados na franquia, todos produzidos pela EA, tiveram seus altos e baixos. A última edição, "Order of the Phoenix", foi uma das melhores e realmente imaginamos que esta seria a vez da balança tombar para o outro lado, mas felizmente não foi o que aconteceu. Mesmo sendo basicamente um grande serviço para os fãs (o famigerado fanservice), o game vem recheado com tarefas divertidas baseadas no universo de Harry Potter. Apesar de estar relacionado ao sexto livro e filme, o jogo "Harry Potter and the Half-Blood Prince", não segue à risca os eventos de ambos. Na verdade está apenas intimamente ligado, se inspirando, sem riscos de estragar a surpresa daqueles que estão esperando os cinemas esvaziarem para poder curtir o filme na tela grande. Algumas poucas sequências de intermissão até abordam ínfimas partes da trama, mas, para se ter uma idéia, não há sequer uma cena capturada do longa-metragem. Durante a aventura em Hogwarts, os jogadores dividirão seu tempo de jogo entre algumas tarefas básicas como duelar com alunos e seguidores de Você-Sabe-Quem, fazer poções conhecidas dos livros, voar durante o Quadribol para capturar o pomo de ouro e explorar a escola em busca de insígnias. Cada um desses elementos é totalmente distinto dentro do jogo, sendo eles intercalados por alguns momentos de exploração. Mas cada um deles é responsável por uma trazer uma boa distração para os jogadores. Duelar, por exemplo, está muito mais legal do que em Ordem da Fênix. A câmera utilizada é por sobre os ombros e o jogador pode usar uma seleção de magias: Stupefy, Protego, Expelliarmus, Petrificus Totalus e Levicorpus, além de ser possível carregar o Stupefy. Todos os feitiços são feitos através de toques ou movimentos em uma ou nas duas alavancas. Para executar um Stupefy, por exemplo, basta colocar a alavanca direita para cima. Se seu oponente lhe atacou, coloque rapidamente para trás e execute um Protego, embora algumas delas não possam ser neutralizadas dessa forma. Para isso os jogadores podem simplesmente andar para os lados ou apelar para a esquiva, que é realizada com os gatilhos superiores. O Expelliarmus (alavancas nas direções opostas) é capaz de atordoar o adversário e jogá-lo ao chão, o que abre sua guarda para uma sequência de Stupefys, ou até mesmo um Stupefy super carregado. Essa tática também vale para quando Levicorpus estiver disponível ??? seu oponente ficará de pernas para o ar enquanto o efeito durar. Todos esses elementos tornam os duelos com magias muito empolgantes, sejam eles contra inimigos naturais (estudantes da casa Sonserina, Bellatrix, etc.) ou contra os integrantes dos clubes dos quais Potter poderá se afiliar. Os duelos esportivos são sempre em melhor de três e os jogadores ganham pontuações de acordo com seu desempenho, assim como medalhas (prata e ouro) por proezas do tipo "vencer sem ser atingido", "ganhar sem acertar uma magia de ataque", etc. Com relação à versão anterior, não há como negar que as coisas melhoraram bastante. O mini-game de preparação de poções foi uma das ideias mais inventivas que surgiram em um título de Harry Potter. Essa parte do jogo é totalmente em primeira pessoa, mas não vemos Harry interagir com os objetos, que flutuam "magicamente". Durante as aulas de Poções ou em alguns momentos chaves na história, o jogador poderá e deverá colocar ingredientes em um caldeirão, ferver, misturar, agitar frascos e mais. O joguete consiste em fazer essas ações até que a mistura mude de cor, quando devemos parar e partir para o próximo passo. Por exemplo, o caldeirão possui um líquido branco e a lista de preparo indica um frasco em forma de cilindro. O jogador deve identificar o item pedido entre os disponíveis na mesa e acrescentar seu conteúdo até que a mistura adquira a cor mostrada na lista. Quando surge a cor indicada é preciso parar de acrescentar, caso contrário uma nuvem de fumaça sairá do caldeirão por conta do erro ??? isso sem falar na bronca do professor. Antes de prosseguir será necessário apertar os gatilhos para dissipar a nuvem. Tudo isso também é válido para os momentos em que precisamos ferver ou misturar a poção dentro do caldeirão, o que é feito através de movimentos distintos na alavanca direita ??? um movimento a mais, e boom! Talvez o único problema em fazer poções esteja no fato de que não há realmente uma dificuldade muito grande. Mesmo que erremos e misturemos xarope de hemeróbios no lugar de Pó de Chifre de Bicórnio ??? o que certamente estragaria qualquer coisa que estivéssemos fazendo ??? não somos devidamente punidos com um "Tente de Novo", apenas com a perda do tempo de sobra. Isto é, não é necessário ser preciso, apenas não deixar o tempo se esgotar com sequências infortunas de erros. Mesmo assim há um incentivo para os jogadores na forma de pontos ??? e é bem difícil receber uma nota máxima nas poções. A parte de voar sobre uma Firebolt durante as partidas ou treinamento para o quadribol também não deixa a desejar. ?? uma corrida bastante frenética atrás do pomo de ouro ??? que dá a vitória instantaneamente para a equipe, independente do placar ??? e diverte bastante mesmo com o caminho pré-definido, ou seja, só nos movemos dentro do "trilho", mas não escolhemos o caminho a seguir. Para poder capturar o pomo é preciso passar dentro de estrelas, que funcionam como indicadores de desempenho. Quanto mais "checkpoints" você errar, mais "longe" ficará do artefato voador, e as estrelas mudam de verde para laranja até ficarem vermelhas. As corridas possuem durações determinadas, bastando que o jogador não erre muitos checkpoins seguidos. Apesar de não ser nada revolucionário, é uma boa forma de deixar o jogador mais dentro ainda do universo de Harry Potter e desse fantástico esporte. Hogwarts é uma grande escola e os jogadores têm acesso a uma enorme área para exploração. Apesar de não haver mais os "passos fantasmas" indicando para onde se deve ir, há agora o Nick Quase-Sem-Cabeça para mostrar o caminho, e ainda conversa com Harry sobre sua missão. Uma pena que a exploração seja limitada a uma busca por uma penca de insígnias especiais, bem ou mal escondidas ??? certamente eles poderiam ter aproveitado melhor o cenário. São mais de 150, sendo que mais de 120 estão dispostas pelo cenário, algumas de maneira óbvia, outras precisando que Harry faça algumas magias como Wingardium Leviosa (para trazê-la ao seu encontro), Incendio (para queimar arbustos) e até mesmo Reparo, para consertar os que aparecem quebrados. Mas para conseguir as outras, é preciso lançar um Depulso em objetos que apresentam um brilho especial, e fazer aparecer mini-insígnias que ficam coloridas quando capturadas. Elas enchem um medidor, situado no canto esquerdo superior, que ao ficar cheio garante uma insígnia extra. Seguindo apenas os eventos principais, é possível terminar a aventura em até cinco horas, mas aqueles que se sentem atraídos pelas buscas incessantes por coisas escondidas, certamente irão estender seu tempo de jogo com as insígnias. Ainda pelo fato de que elas liberam extras como o duelo em modo versus (e com mais e mais personagens do jogo), a poção secreta do amor e muito mais. E ainda por cima, há quem queira bater seus próprios recordes de tempo e ponto nas poções e nos duelos, o que garante medalhas. Para os fãs, é uma pena que seus personagens preferidos não tenham sido dublados pelos seus representantes do cinema (apenas Ron Weasley e Draco Malfoy, dos mais conhecidos), mas mesmo assim Harry Potter and Half-Blood Prince não decepciona nessa parte. Os que aceitaram a responsabilidade fizeram um bom papel, como é o caso de Adam Sopp, ator desconhecido que interpreta Potter no jogo. Em compensação a trilha sonora é fabulosa, e há mais de 20 músicas incidentais diferentes, compostas por James Hannigan e executada pela Orquestra Filarmônica de Londres. Simplesmente impecáveis. O visual de Half-Blood Prince é muito bacana, mesmo com alguns momentos estranhos onde os personagens parecem estar usando dentaduras ??? depende do close e da cena. Mas os rostos e até o mesmo o cabelo espichado de Harry Potter foram fielmente transpassados para o game. A câmera utilizada nessa versão oferece um ângulo mais próximo ao de Harry, diferente da versão anterior que costuma focar mais no cenário. Felizmente a Electronic Arts disponibilizou um meio para alterarmos a câmera, através da alavanca, algo ausente em Ordem da Fênix. Quando Potter corre, a câmera se aproxima ainda mais do bruxo e o cenário fica borrado, dando uma sensação interessante de velocidade. Hogwarts, embora não tenha algumas de suas dependências mais famosas presentes em edições anteriores (como o banheiro onde mora o fantasma de Myrtle, a sala de Defensa contra as Artes das Trevas), tem novos locais como o escritório do Professor Slughorn, o campo de quadribol, a Torre de Astronomia e mais. Os cenários vão sendo destrancado aos poucos, conforme Potter avança na trama. Tudo que está presente foi muito bem produzido e mais uma vez oferece um ambiente crível para quem conhece ou desconhece a escola. Até mesmo a inteligência artificial dos alunos ganhou um tratamento melhor, tornando-os um pouco mais naturais. ?? possível ouvi-los fazer comentários para Harry quando ele passa, mostrando admiração ou desprezo. No geral, a ambientação está fantástica visualmente, e novamente lamentamos, como muitos fãs, que ela não tenha sido ainda mais aproveitada com mais segredos. As diferenças entre as versões de Harry Potter são sutis, mas tivemos a impressão que de alguma forma o game roda melhor no Xbox 360. Não porque é visualmente melhor, o que não é (ambas são virtualmente idênticas), mas porque a taxa de quadros por segundo costuma cair mais no PS3, que também sofre com mais ocorrências de slowdowns, mas nada que desmereça a versão por completo. Embora não represente uma evolução no gênero, tampouco dentro da série Harry Potter, Half-Blood Prince diverte bem, e não apenas os fãs. O game tem várias faces distintas envolvendo exploração, combate, perseguição e um mini-jogo de preparação de poções, e todas são bem interessantes. Embora não aborde totalmente os eventos do filme, os fãs poderão jogar antes de irem ao cinema sem medo de estragar todas as surpresas ??? exceto se já tiverem lido o livro. Mais uma grata surpresa da EA, que poderia ter lançado um game "qualquer coisa", mas não o fez, e quem ganha somos nós. [b]A favor:[/b] - Mais uma excelente recriação da escola de Hogwarts; - Há bastante para se fazer durante o jogo; - Coletar insígnias e mini-insígnias torna um pouco mais frutífera a inevitável locomoção entre as distantes salas de Hogwarts; - Os duelos de magias estão bem mais empolgantes; - Dezenas de medalhões para se colecionar com proezas. - Trilha sonora incidental ajuda a criar mais clima em determinadas cenas. - Os gráficos poderiam ser melhores, mas até que os modelos estão bem fiéis com relação aos seus rostos. [b]Contra:[/b] - Animações nas sequências de intermissão são um pouco grosseiras; - Apesar das insígnias espalhadas, o game poderia usar mais artifícios para promover a exploração da vasta área de Hogwarts; - Algumas cut-scenes são um pouco bugadas, e pegam ângulos que exaltam alguns defeitos dos modelos; - Lentidão e taxa de quadros reduzidas nos momentos de mais ação, principalmente no PlayStation 3. [b]Veredito:[/b] Embora não represente uma evolução no gênero, tampouco dentro da série Harry Potter, Half-Blood Prince diverte bem, e não apenas os fãs. O game tem várias faces distintas envolvendo exploração, combate, perseguição e um mini-jogo de preparação de poções, e todas são bem interessantes. Embora não aborde totalmente os eventos do filme, os fãs poderão jogar antes de irem ao cinema sem medo de estragar todas as surpresas ??? exceto se já tiverem lido o livro. Mais uma grata surpresa da EA, que poderia ter lançado um game "qualquer coisa", mas não o fez, e quem ganha somos nós.
Fonte: Finalboss
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label