.
9.3

Análise do jogo "Grand Theft Auto: San Andreas" para PS2 escrito por Finalboss

Escrito por Finalboss, nota 9.3 de 10, enviado por marped,
A favor: Uma reconstituição incrível e rica em detalhes de três importantes cidades americanas; Alto número de opções para a customização de seu personagem incluindo e roupa e porte físico; Dezenas de empolgantes side-missions tornando a longevidade do título quase infinita; Enredo complexo, intrigante, de deixar alguns RPGzinhos no chinelo; Trilha sonora indescritivelmente fenomenal; Muitos veículos para se roubar como carros, motos, mountain bikes, bicicletas, caminhões, aviões, lanchas e outros para se seqüestrar como trens; Centenas de novidades extras que não podem ser colocadas nesta área por falta de espaço; Efeitos climáticos bem elaborados. Contra: Personagens ainda com poucos polígonos; Texturas simples em alguns objetos e cenários; Pop-ins e alguns pequenos bugs ocasionais. Um Novo Marco na História do PS2 Por Redação em 12/11/2004 12:55 Lá se foram dois longos anos desde que o fenômeno Grand Theft Auto: Vice City chegou às lojas. A estrondosa vendagem do game nada mais foi do que o reflexo do sucesso da franquia que atingiu sua extrema popularidade com o saudoso Grand Theft Auto III. Conhecida mundialmente por seu jeitão "politicamente incorreto", a série sempre foi única, oferecendo um nível de liberdade absurdo, temas adultos e modernos, linguagem vulgar e tudo mais que sua mãe possa repudiar. Por causa disso, o título gerou polêmicas, foi proibido em alguns países, chegou a ser culpado por alguns crimes cometidos por possíveis jogadores e mesmo assim caiu na graça da comunidade. O game a franquia provém é a chance de você ser um "Bad Boy" virtual, e satisfazer aquela fantasia que existe no interior de muitas as pessoas, mesmo que algumas não admitam. Obviamente, existe uma grande diferença entre a realidade e o sonho e por isso mesmo a série GTA se tornou um canal que viabilizou tornar sua grande vontade de fazer desgraças virtualmente possível. De GTA III para Vice City muita coisa mudou, mas um aspecto permaneceu intacto. Você podia cometer os mesmos crimes de sempre, porém dessa vez em um lugar e uma época diferente ??? saímos de Portland, tempos atuais, para cair dentro de Vice City, baseada na Miami dos anos 80. Agora, com o esperado San Andreas, voltamos ao contemporâneo, mais precisamente para meados dos anos 90. Mas então o que temos? Outro GTAIII, mas em uma cidade diferente? Definitivamente não. Entre Vice City e GTAIII houve um significativo vão, mas entre San Andreas e Vice City há um buraco negro. São tantas mudanças, tantas novidades, tantas implementações e melhorias que obviamente tornam este novo episódio o maior e mais bem elaborado game da série, candidato sério ao melhor título do ano e provavelmente o melhor game da história do PS2. Mas, para não colocarmos a carroça na frente dos bois, vamos a uma sinopse. "Yo, Nigga. Hommie for Life" A vida no gueto nunca foi fácil. Sobreviver em um gueto de Los Angeles ou de outra grande cidade norte-americana é o que podemos chamar de inferno na Terra. Drogas, prostituição, violência, guerra entre gangues... tudo isso faz parte ativa do cotidiano dessa gente segregada nos subúrbios das grandes metrópoles, local também onde existe um alto índice de miscigenação. Negros, latinos, cafuzos, mulatos são alvo diário do descaso e do pré-conceito e do racismo da comunidade e, principalmente, de policiais que deveriam justamente inibir esses crimes. O que às vezes algumas pessoas não percebem é o fato de que muitas dessas pessoas vivem em um mundo diferente, com seus próprios conceitos sobre o que é certo e o que é errado, e até seus próprios códigos de honra. Mas, onde estou querendo chegar? Bem, é extremamente comum filmes e seriados abordarem explicitamente esse tema, explorando e divulgando como é a vida nessas comunidades. Esse é o caso também de Grand Theft Auto San Andreas. A temática principal do novo game da RockStar é a vida de um gangster local e de como ele deverá devolver à sua velha gangue decadente o respeito e a força perdidos ao longos dos anos. Diferente dos games anteriores, o personagem principal dessa versão, Carl Johnson, é "alguém". Digo isso porque os protagonistas de GTA 1, 2 e 3 (este último sem nome até hoje) pouco revelavam sua personalidade durante o jogo pelo fato de nunca abrirem sua boca. Era pegar a missão e cumprir, sem um pio. ?? comum esse tipo de perspectiva em RPGs pois quando o protagonista não apresenta um comportamento pré-determinado, fica mais fácil do jogador se encaixar na história incorporado naquele "boneco". Tommy Vercetti chegou em Vice City para quebrar de vez com esse gelo. Como disse o Ervo em seu review ele é um "sujeito que fala mais que a boca, corajoso, esperto e dotado de bom humor". Em San Andreas, a "parada" fica um pouco mais séria. Seu protagonista, apesar de compartilhar algumas características com Vercetti como sua destreza, não é exatamente alguém com muito carisma já que sua realidade é diferente da vivida por Tommy. CJ é um rapaz de origem humilde, negro, que saiu de Ganton, seu bairro, há cinco anos após o assassinato de um de seus irmãos. Quando se despediu de sua mãe, parentes e parceiros de gangue para deixar de lado as pressões da vida em Los Santos, uma das cidades do estado de San Andreas, Carl não imaginava que cinco anos depois um acontecimento catastrófico o faria voltar, e dessa vez para ficar. Sua mãe foi assassinada e sua gangue, a Grove Street Families (a mais antiga de Los Santos), encontra-se enfraquecida nas ruas, sob ataque de gangues rivais e dividida por brigas internas. Obviamente, CJ (no caso você) não concorda com essas desavenças e por isso tentará ao longo do game não só reconquistar a confiança de seus familiares e amigos, mas também extinguir os conflitos internos, acabar com as gangues rivais e retomar o controle das ruas de San Andreas. A grande sacada da RockStar para esta versão foi criar um enredo muito mais substancioso que das outras vezes, com temáticas fortes, e rico em detalhes. Por essas e outras que por aí andaram comparando San Andreas com RPGs devido à sua grande complexidade. Logo nos primeiros minutos de jogos você vai ficar conhecendo vários personagens do elenco principal como os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Polaski que além de tirarem de CJ todos os seus pertences ainda o prendem pelo suposto assassinato de um policial. De volta ao lar para o funeral de sua mãe e em busca de apoio, Carl reencontrará seus parentes e amigos como seu irmão mais velho Sweet, sua irmã Kendl (e seu namorado Caesar), Big Smoke e Ryder. O que eu faço tio? Sei que a maioria absoluta de vocês enquanto lêem esta resenha devem estar lembrando de suas experiências com os GTAs do passado. Mas sempre há os marinheiros de primeira viagem que estão, nessa altura do campeonato, desesperados para chegarem em alto-mar e ver a beleza desse oceano. Granf Theft Auto San Andreas é um game de ação em terceira pessoa onde você, na pele de alguém que sempre vai ficar devendo alguma à justiça, fica a cargo de resolver missões dos mais vários tipos como fuga, escolta, roubos em geral, atentados, assassinatos (às vezes em massa), perseguição, furto em residências, marcação de território, enfim, crimes nada leves. Para toda ação uma reação e se policiais o virem praticando algum ato de vandalismo você será perseguido, preso, autuado e, já que estamos em um game, liberado da delegacia logo a seguir pagando uma propina (se bem que na vida real isso não muda muito). Se você for "abatido" em alguma missão, poderá continuar seu game após sair do hospital. Em ambos os casos, você perderá suas armas. Liberdade pra dentro da cabeça Temática forte é o lema de GTA: San Andreas. Personagens armados, falando linguagem vulgar e abusiva, prostituição nas ruas e em clubes de strip, gangsters fumando maconha em plena luz do dia (enquanto conversam com você), policiais corruptos fazendo chantagens são cenas muito comuns, vistas com extrema naturalidade durante o jogo. Autoridades americanas poderiam facilmente acusar o game alegando algum tipo alusão às drogas e à violência, mas eu prefiro enxergar com os olhos da produtora cuja intenção foi de apenas mostrar a vida como ela é, doa a quem doer, se valendo do fato de que seu protagonista, teoricamente o jogador, não aparece dando um trago em momento algum, isso sem contar que existem milhares de filmes muitos mais violentos do que o game. Apesar disso, CJ não é nenhum santo e poderá estar, dependendo da vontade do jogador, cometendo algum tipo de crime a cada 5 segundos, mas se lembrem, não se esquecendo de lembrar seus pais também, que isto é apenas um jogo e você não vai sair por aí matando velhinhas embora não consiga controlar esse mórbido desejo enquanto joga San Andreas. Born to be Wild Falando em liberdade, uma das maiores mudanças vista nessa versão é a extensão de seu "pequeno" mundo. Em GTAIII tínhamos uma cidade (Liberty City) dividida em 3 distintas regiões (Portland, Shoreside Vale e Staunton Island). No game seguinte tínhamos Vice City, uma alusão à Miami nos anos 80 (mais precisamente South Beach e uma boa parte do downtown). Em proporções métricas, a área de Vice City era menor que a de GTA III, mas esse downgrade não se repetiu agora, muito pelo contrário. Considerado um estado, San Andreas é formado por três grandes metrópoles, todas baseadas em regiões reais dos States - Los Santos, San Fierro e Las Venturas, que são as versões "RockStar" de Los Angeles, San Francisco e Las Vegas, respectivamente. Essas distintas regiões são tomadas por centenas de edificações representando tipicamente as áreas de subúrbio, zonas comerciais, zonas industriais, como em toda grande cidade. Uma das novidades de GTASA é o fato de que esses três centros urbanos não são mais ligados apenas por uma ou duas meras pontes. Existem muitas vilas localizadas na zona rural cortadas por estradas nem sempre asfaltadas e que servem de passagem para quem viaja de um lado para o outro do mapa. Dessa forma, a RockStar conseguiu criar uma concepção muito mais elaborada de "civilização", oferecendo um número muito maior de características do que nas versões anteriores. Maior, mais bonito e menos bugado Vários quilômetros quadrados de superfície tomada de edificações, e muitos outros repletos de árvore e matos, centenas de ruas asfaltadas, dezenas de estradas de barro, pontes, viadutos, passarelas, estradas de ferro, vilas, casas, estabelecimentos comerciais, conjuntos habitacionais (com vários prédios residenciais), cassinos, colinas, enfim, o "mundo" de San Andreas é indiscutivelmente um dos maiores já vistos em um game do gênero. O engine utilizado em GTA III vem sendo bem aprimorado desde a saudosa versão e hoje conta com muitos mais aspectos e ferramentas do que antes. Como sempre, nada aqui é construído utilizando trocentos polígonos ??? apesar da contagem maior nessa versão, a quantidade de polígonos não chega perto de muitos outros games já lançados. Mas, como sempre, estamos diante de uma espada de dois gumes, ou mais precisamente, de uma sakabatou (uma espada que corta do lado inverso). Por que a referência? O número reduzido de polígonos nos objetos e personagens tem um motivo muito justo e aceitável, sacrifício este em prol de uma produção artística soberba, tudo para se poder colocar na tela uma recriação o mais fiel possível das cidades em questão. Valeu a pena ou não? Mesmo assim, nesses vários anos muitos avanços foram feitos na engine de GTA. Hoje, o motor gráfico do game conta com efeitos e tecnologias antes inexistentes. Dando um ar mais abrangente de realismo, eles criaram, por exemplo, um filtro visual para representar de maneira verossímil o calor da área urbana de Los Santos. Se você parar e ficar observando o céu não testemunhará um mero passar do dia. Você verá a noite gradativamente dando lugar ao dia com o raiar do sol, o calor representado pela fumaça de um chão mormacento, e com o entardecer, o crepúsculo e aquela tonalidade avermelhada do céu dando lugar novamente à noite. Estupendo. Tudo isso claro, se não chover durante o ciclo. San Fierro apresenta uma climatização diferente com constantes chuvas e fog enquanto que Las Venturas é sempre bem ensolarada devido à sua localização próxima do deserto. Com o crescer da cidade, novas áreas internas também foram criadas, aumentando ainda mais a interação do jogador com seu meio. Cafés, bares, restaurantes, supermercados, fast-foods, cassinos, casas de aposta, domicílios são exemplos do que CJ poderá visitar durante o jogo. Dentro dessas dependências é possível reparar dezenas de objetos no cenário, recriando com fidelidade esses característicos ambientes americanos. Respeito não tem preço, mas a casa ao lado tem Dinheiro sempre foi o motivo de tudo em GTA. O ciclo do game era formado, nesta ordem, do cumprimento de uma missão, da soma dos lucros no final, da compra de novas armas e para a missão seguinte. Em San Andreas há algo novo "na parada", muito mais importante do que o velho esquema de juntar grana. No decorrer das primeiras missões, enquanto você tenta reconquistar a confiança de seus irmãos, você será bonificado apenas com mais pontos de "respeito", prova de que você está seguindo no caminho certo e de que as motivações de CJ envolvem interesses pessoais e lealdade à família acima de tudo. ?? bom ir se acostumando porque o caminho da fortuna não é mais cumprindo os objetivos impostos. Como de costume, para se juntar uma grana existem diversos meios ilícitos, mas agora também há outros perfeitamente legais. Matando transeuntes, roubando carros e os exportando, assaltando residências são exemplos de como se adquirir uma boa merreca e de como virar alvo fácil da polícia. Entretanto, se você prefere a legalidade (ha, ha, ha) pode tentar ganhar a vida em mini-jogos, cassinos e até mesmo em ferozes corridas. Há alguns joguinhos musicais que pode ser uma boa fonte de renda no início do jogo. Indo a um certo lugar no mapa com um carro com suspensão alterada e poderá participar de um torneio de "Dance Dance Automobilístico" (no caso, quem dança é o seu carro) onde ganha quem conseguir acertar mais vezes o ritmo da música. Quem curte apostas, poderá fazer uma "fézinha" em corridas de cavalo em casas específicas ou, mais para frente, tentar a sorte grande nos cassinos de Las Venturas. Máquinas de caça-níqueis, vídeo poker, roletas são uma boa fonte de renda para quem tem sorte com cartas e fichas, mas cuidado porque as apostas podem ser altíssimas. A função do dinheiro em San Andreas é o mesmo das versões anteriores servindo para compra de armas, comida ou para comprar novos apartamentos (safe houses). Nesse último caso é possível juntar uma grana extra recebendo uma espécie de aluguel; basta passar um tempo e um cifrão em frente à sua nova casa aparecerá com o valor a ser recebido. Fast Food + Sedentarismo = Rolha de Poço Sim, são várias as novidades de GTASA e algumas delas estão diretamente ligadas ao seu personagem principal, mais precisamente ao visual de CJ. No início do jogo, quando nosso amigo volta para Los Santos, ele é um magrelo de calça jeans, camiseta branca e tênis, nada chamativo, mas também nada intimidador. Um de seus irmãos chega a ponto de mandar você dar uma geral no seu visual para não envergonhá-los nas ruas. Escolher um penteado diferente e mudar suas roupas não é apenas uma questão estética, pois aumenta seu nível de respeito e, melhor de tudo, sex appeal. Existem várias lojas "de marca" espalhadas pelas cidades e você pode, a qualquer momento do jogo, dar uma passada em uma delas para comprar camisas, camisetas, casacos, calções, calças, bonés, óculos, cordões, tênis, tudo em versão social ou esportiva. Montar um looking decente é imprescindível para melhorar seu nível de respeito. Em adição você também pode escolher algumas bandanas, máscaras e outros acessórios bem estranhos. Quem curte andar sem camisa poderá também se exibir com algumas tatuagens bem entrosadas que podem ser feitas nos braços, no peito e/ou nas costas. A forma física de seu personagem passou a ter importância em GTASA, assim como comer e o que comer. Freqüentemente no jogo você será surpreendido por vibrações no Dual Shock avisando que CJ está perdendo stamina e que você deve naquele momento parar tudo que estiver fazendo e comer. Existem dezenas de lanchonetes e restaurantes no jogo onde seu personagem pode se alimentar e recuperar sua energia seja por causa da fome ou por causa dos tiros que você levou na missão anterior. Nesses estabelecimentos você poderá optar pela barateira fast food ou refeições prontas, que são mais caras. Obviamente, como na vida real, ficar comendo hamburgeres e pizzas vai fazer o corpo de seu personagem ganhar uns quilos indesejados. Além disso, se você não visitar regularmente a academia e gastar alguns minutos de seu tempo na esteira ou levantando pesos, vai acabar se transformando em uma rolha de poço ambulante. Ações normais em missões como pedalar, correr, nadar também valem como formas alternativas de exercício. "Ah, mas eu curto o visual cheinho". ?? verdade que você tem realmente liberdade para deixar seu protagonista do jeito lhe convier, mas vale lembrar que aquelas gordurinhas localizadas do pescoço para baixo atrapalham e muito na hora de resolver certas missões. Nada contra os "fofinhos", mas imaginem a cena: CJ está na rua, vê um Balla (gangue rival), o mata com algumas facadas (economia de munição) e começa a correr para fugir dos outros e da polícia. Ele dá cinco passadas aceleradas e pára, completamente esgotado, e é metralhado pelos outros gangsters. Péssimo para sua reputação, sem contar que seus socos ficam mais fracos. Apesar de GTASA não ser um RPG, CJ ainda pode melhorar seus atributos em determinadas habilidades durante o jogo. Quanto mais tempo você passar andando de bicicleta, de moto, dirigindo ou nadando, melhor ele se tornará nessas habilidades individuais. Quando você alcançar uma certa massa muscular, também poderá aprender uma variedade de golpes de boxe na academia que servirão muito bem nas ruas, para aquelas ocasiões especiais em que sua AK-47 ficar sem munição. San Andreas: Um estado que não pára Construir uma cidade virtual e dar vida a seus habitantes não é nada fácil. Construir em estado então, composto de três metrópoles é mais trabalhoso ainda. Há muito a ser feito e implementado e é quase impossível criar algo totalmente verossímil. Mesmo preso às atuais limitações de hardware, GTASA é um dos atuais jogos que mais rotinas de AI utiliza em seus NPCs. Se você ficar parado observando as pessoas poderá presenciar diversas cenas comuns do dia-a-dia de uma metrópole como pequenos roubos, ladrões em fuga, policiais perseguindo, tiroteios, gente desesperada na rua, acidentes, entregadores de pizza, guerras entre outras gangues. Cada tipo de personagem possui comportamentos diversos ??? uma prostituta, por exemplo, vai elogiar você se você estiver "saradão" enquanto que a mesma nem vai te dar muita bola se você estiver gordo. Da mesma forma, seus amigos de gangue só virão com você se sua aparência estiver aceitável, dentro de seus moldes. O resultado de todas essas implementações e variedade na IA, associadas à reconstrução virtual o mais realista possível das cidades em questão, é uma ambientação majestosa e gigantesca que de longe supera os games anteriores da série e muitos outros títulos do mercado. Vamos para a Escola Se já não bastasse o estilo "tutorial" em que são apresentadas as primeiras missões de GTASA, o pessoal da RockStar quer ter certeza de que você está apto a encarar todas as dificuldades de seu game. Para isso o jogador precisará passar por um treinamento severo em algumas escolas espalhadas pelo game. Escolas de como andar de bicicleta, de direção, de pilotagem e de navegação poderão ser visitadas e proverão ao jogador treinamento adequado para cada uma dessas habilitações e, de quebra, alguns bônus de quatro rodas que prefiro não comentar para não estragar a surpresa. Nas lojas de armas e munição você também poderá participar de uma pequena disputa com outros atiradores em busca de alguns presentes secretos. Side-Quests Uma das maiores qualidades de GTA é o seu poder de entreter o jogador nos momentos em que ele não está prosseguindo no jogo. Antes de pegar uma missão, existem dezenas de coisas diferentes a serem feitas que é justamente o que mantém o game "fresquinho" por muito tempo, poderia arriscar a dizer quase interminável. O simples fato de você dirigir de uma cidade para a outra apreciando a paisagem é um meio de atestar as qualidades visuais do game, checar as culturas diferentes do pessoal da periferia ou apenas de presenciar a natureza intocada das regiões montanhosas do game. Se você prefere as noites do subúrbio, poderá visitar alguns clubes e se divertir com dançarinas privadas às custas de alguns trocados. Em um determinado momento do jogo, assim que você "acordar" vamos dizer assim, não terá tempo nem para respirar, pois perceberá que sua gangue está sob ataque necessitando uma intervenção sua imediatamente. Manter o território de atuação de sua gangue faz parte dos "extras" do game e vai mantê-lo ocupado por um bom tempo. De que adiantaria malhar tanto se você não pode pegar nenhuma garota? Em GTASA você poderá passar um tempo ao lado de sua namorada, mas não pensem que será uma moleza manter a relação só porque é um jogo. Ao todo serão cinco mulheres que aparecerão na vida da CJ em momentos distintos e cada uma tem seu próprio temperamento e gostos. Por exemplo, a primeira, Denise, não só liga toda hora como é uma tremenda psicótica assassina que atira em todo mundo quando sai com você de carro. Não adianta levar ela para jantar, o negócio dela é pinga. Visite freqüentemente o bar com ela e rapidamente sua relação chegará a 100% e um bônus lhe será garantido (namoro por interesse?). Não atenda às suas ligações e rapidamente você ficará sozinho. Ah, e nunca esfaqueie sua garota no primeiro encontro, se bem que às vezes essa parece ser uma excelente opção... De quebra, nas casas de suas namoradas está disposta outra novidade dessa versão: o modo multiplayer. Enquanto você controla CJ, o outro jogador poderá experimentar um pouco da diversão na pele da garota, mas só há dois tipos de atividade para esse modo: livre e rampage onde os dois terão que matar um certo número de indivíduos em um curto espaço de tempo. Nas duas últimas edições, havia um item secreto chamado "Hidden Package", pacotes de cocaína escondidos nos cantos mais sórdidos das cidades. Não fazendo parte do contexto do jogo, eles eram ao todo 100 e serviam como incentivo para o jogador checar com atenção todo e qualquer local suspeito incluindo telhados, matos, sacadas, embaixo de pontes. Os HPs se foram, mas deixaram substitutos, quatro para serem mais exatos. O primeiro item secreto são as 100 pichações de gangues rivais espalhadas apenas em Los Santos. Diferente da cocaína, achar estas pichações tem um significado importante, pois quando você, de posse de seu spray de tinta, sobrepõe as marcações inimigas você ganha mais pontos de respeito. Para as horas mais tranqüilas da vida de CJ, uma máquina fotográfica poderá ser usada para... hum, tirar fotos. Essas imagens são salvas no Memory Card e podem ser averiguadas a qualquer momento do jogo. Encontrando 50 locais específicos em San Fierro servirá para habilitar 4 novas armas. O mesmo esquema de bônus será usado para quem encontrar as 50 ferraduras espalhadas por Las Venturas. Para terminar o mais difícil, quase impossível: as ostras. Existem 50 dessas espalhadas pelos mares que dividem as três cidades e achá-las é uma missão realmente demorada. Pelo menos o extra é o aumento significativo da sua respiração e sex appeal. Grand Theft for Speed: Underground A menção ao título da EA não foi exatamente o que podemos chamar de justiça. Games mais antigos foram pioneiros nessa onda de modificações de carros que anda assolando principalmente os jogos de corrida. GTA não é GT, mas não fica de fora dessa febre. Todas as carangas vistas em San Andreas podem ser alteradas ao bel prazer do freguês: lataria, frisos, pinturas, nitros, amortecedores, decalques, tudo que você puder imaginar pode ser ajustado, instalado ou modificado em seus carros. Obviamente, o nível de opções é menor que em games como NFSU, mas o que há disponível é mais do que satisfatório. Cair na estrada e acelerar fundo até a tela ficar distorcida por causa do "blur" é uma ótima sensação que não estava até então associada com GTA. Ruim é acabar batendo em alguma curva e ter sua linda máquina remodelada destruída em um barranco ou inutilizada no mar. Essa não é a única mudança que os jogadores poderão experimentar atrás do volante. A física de direção foi completamente alterada e, para nossa felicidade, melhorada ??? você agora nem pode mais dirigir no direcional digital, só no analógico. Guiar suas carangas está mais preciso que antes, sem contar que cada um dos veículos do game tem suas próprias particularidades, e sua própria maneira de responder aos comandos. O engine de física dos automóveis não ficou de fora das melhorias e está pau-a-pau com os melhores games de corrida do mercado. A variedade de veículos encontrado em San Andreas também chama bastante a atenção. Como existe um número maior de vias, está bem mais difícil de você se deparar com aquele modelo específico de carro. Muitos dos carros das versões anteriores estão aqui, com seus velhos nomes fictícios. Como novidade em termos de veículo podemos citar a bicicleta (BMX) que pode ser usada em áreas específicas do game para manobras radicais (180, 360, Superman, Backflip, entre outros). Em determinadas ocasiões é possível até seqüestrar trens e passar o tempo de uma maneira nada comum. Os clássicos carrinhos de golfe, tanques, lanchas e carregadores de bagagens do aeroporto não poderiam estar de fora dessa versão. Saindo do chão e indo direto para o céu, helicópteros, aviões bimotores e jatinhos particulares são os melhores meios de transporte em San Andreas. Quando você tiver de posse de seu brevet poderá ir a qualquer momento no Aeroporto e pilotar uma aeronave para viajar para outras áreas. ?? difícil descrever a maravilhosa sensação de planar pelos ares imundos de San Fierro, mas é muito fácil detalhar a sua queda após o impacto de um míssil das forças armadas. Foi no Baile funk, Morro do Boréu Não, Graças a Deus o funk de GTA é o original. Uma das marcas registradas da série, pelo menos desde o III, é a sua grande variedade de composições. Sempre e apenas quando o jogador estiver dirigindo, um acervo musical estará à disposição com dezenas de rádios apresentando suas programações únicas. São ao todo 11 estações (X, Master Sounds, Bounce FM, Playback, K-DST, K-Jah Radio West, CSR, K-Rose, Radio Los Santos, SF-UR e WCTR) cada uma com seus próprios apresentadores e/ou DJs e os mais variados estilos musicais, representados por bandas e artistas mundialmente conhecidos. Que tal escolhe entre Depeche Mode, Guns n' Roses, James Brown, Bobby Byrd ou Kool G apenas apertando um botão? Existem muitos outros cantores mas ao invés de citá-los, melhor mostrar a vocês o caminho para luz. Tem Rock, Rock Progressivo, Soul, Techno, Groove, Funk, Hip-Hop, Dancehall, Ragga, Reggae, Dub, Sing, Soul Moderno, Country, Underground, House, tem até um hilário Talk Show com direito a ouvintes participando e muita propaganda que poderia ser mais bem aproveitado se geralmente não estivéssemos mais preocupados com a estrada. Quebrando o tabu com extrema eficiência, as dublagens de San Andreas estão equiparadas com as das melhores produções cinematográficas. Os diálogos de CJ com seus irmãos são esplendidamente representados por um elenco competente de dubladores, que incluiu figuras famosas como Samuel L. Jackson e Chris Penn que interpretaram os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Pulaski respectivamente. O ouvinte consegue distinguir rapidamente o que aquele personagem está sentindo naquele momento apenas com o tom de sua voz. Sotaques, e até diálogos em outras línguas poderão ser ouvidos pelo jogo, assim como murmurinhos de pedestres e outras conversações alheias da qual você não faz parte, mas escura só por passar perto. Esse trabalho artístico na parte da sonorização ajudou e muito à criação de uma ambientação perfeita, dentro do possível. De AK a Jet Pack Gangster que se preze tem que se nas ruas usando seus punhos. Logicamente quanto se trata de uma batalha desvantajosa, não é nenhum ato de covardia manter o seu respeito com alguns tiros. Durante o game CJ terá acesso a um arsenal de primeira com armas não só de fogo, mas também de concussão como bastão de beisebol, pá, cassetete e até um consolo(?), e brancas como a faca e a katana, que retorna de Vice City. Dentre as armas de fogo estão as já conhecidas pistolas (9mm), espingardas, fuzis, Uzis, AK-47, Lança-Foguetes, snipers entre outros. Granadas e coquetéis Molotov são alguns outros itens muito úteis para dar cabo de vários elementos das gangues rivais de uma só vez. Incrementando a grande variedade de objetos usáveis no game temos também a câmera fotográfica (cuja utilidade já foi citada), a lata de spray (idem), as flores (suas namoradas vão adorar) e o colete, que obviamente aumenta sua resistência física. Sem me delongar demais, vale citar a existência de um jet pack que você pega no meio do jogo e que serve para ter um panorama muito legal das cidades e de sair fora do encalço do polícia. Mil em Um Geralmente existe uma parte da análise que dedico a citar os defeitos do jogo. Mas, pela primeira vez, preferi não bater nesse ponto porque achei desnecessário apontar as falhas de GTA. Os bugs existem, persistem, vem das versões anteriores, mas o que deixava os jogadores levemente frustrados antes não é mais um grande problema em San Andreas. Deslizes com colision detection, pop-ins de carregamento podem ser considerados questões sérias para alguns jogadores mais detalhistas, mas na realidade nada disso importa em GTA. A grandiosidade da nova versão da série da RockStar prova que apesar de estarem sentados na grana o sucesso não subiu as atarefadas cabeças dos criadores que cumpriram seu compromisso com os fãs provendo um dos maiores e mais complexos títulos da atualidade, o mais empolgante e viciante game a ter tocado o acervo do PS2. As numerosas qualidades de San Andreas ofuscam seus deslizes e fica difícil imaginar alguém que tenha o console da Sony e que não esteja pensando em comprar, alugar ou roubar (NE.: não faça isso) a sua cópia. Há tanto para se passar o tempo em San Andreas que jogá-lo até chegar o próximo GTA será um prazer infindável. Lá se foram dois longos anos desde que o fenômeno Grand Theft Auto: Vice City chegou às lojas. A estrondosa vendagem do game nada mais foi do que o reflexo do sucesso da franquia que atingiu sua extrema popularidade com o saudoso Grand Theft Auto III. Conhecida mundialmente por seu jeitão "politicamente incorreto", a série sempre foi única, oferecendo um nível de liberdade absurdo, temas adultos e modernos, linguagem vulgar e tudo mais que sua mãe possa repudiar. Por causa disso, o título gerou polêmicas, foi proibido em alguns países, chegou a ser culpado por alguns crimes cometidos por possíveis jogadores e mesmo assim caiu na graça da comunidade. O game a franquia provém é a chance de você ser um "Bad Boy" virtual, e satisfazer aquela fantasia que existe no interior de muitas as pessoas, mesmo que algumas não admitam. Obviamente, existe uma grande diferença entre a realidade e o sonho e por isso mesmo a série GTA se tornou um canal que viabilizou tornar sua grande vontade de fazer desgraças virtualmente possível. De GTA III para Vice City muita coisa mudou, mas um aspecto permaneceu intacto. Você podia cometer os mesmos crimes de sempre, porém dessa vez em um lugar e uma época diferente ??? saímos de Portland, tempos atuais, para cair dentro de Vice City, baseada na Miami dos anos 80. Agora, com o esperado San Andreas, voltamos ao contemporâneo, mais precisamente para meados dos anos 90. Mas então o que temos? Outro GTAIII, mas em uma cidade diferente? Definitivamente não. Entre Vice City e GTAIII houve um significativo vão, mas entre San Andreas e Vice City há um buraco negro. São tantas mudanças, tantas novidades, tantas implementações e melhorias que obviamente tornam este novo episódio o maior e mais bem elaborado game da série, candidato sério ao melhor título do ano e provavelmente o melhor game da história do PS2. Mas, para não colocarmos a carroça na frente dos bois, vamos a uma sinopse. "Yo, Nigga. Hommie for Life" A vida no gueto nunca foi fácil. Sobreviver em um gueto de Los Angeles ou de outra grande cidade norte-americana é o que podemos chamar de inferno na Terra. Drogas, prostituição, violência, guerra entre gangues... tudo isso faz parte ativa do cotidiano dessa gente segregada nos subúrbios das grandes metrópoles, local também onde existe um alto índice de miscigenação. Negros, latinos, cafuzos, mulatos são alvo diário do descaso e do pré-conceito e do racismo da comunidade e, principalmente, de policiais que deveriam justamente inibir esses crimes. O que às vezes algumas pessoas não percebem é o fato de que muitas dessas pessoas vivem em um mundo diferente, com seus próprios conceitos sobre o que é certo e o que é errado, e até seus próprios códigos de honra. Mas, onde estou querendo chegar? Bem, é extremamente comum filmes e seriados abordarem explicitamente esse tema, explorando e divulgando como é a vida nessas comunidades. Esse é o caso também de Grand Theft Auto San Andreas. A temática principal do novo game da RockStar é a vida de um gangster local e de como ele deverá devolver à sua velha gangue decadente o respeito e a força perdidos ao longos dos anos. Diferente dos games anteriores, o personagem principal dessa versão, Carl Johnson, é "alguém". Digo isso porque os protagonistas de GTA 1, 2 e 3 (este último sem nome até hoje) pouco revelavam sua personalidade durante o jogo pelo fato de nunca abrirem sua boca. Era pegar a missão e cumprir, sem um pio. ?? comum esse tipo de perspectiva em RPGs pois quando o protagonista não apresenta um comportamento pré-determinado, fica mais fácil do jogador se encaixar na história incorporado naquele "boneco". Tommy Vercetti chegou em Vice City para quebrar de vez com esse gelo. Como disse o Ervo em seu review ele é um "sujeito que fala mais que a boca, corajoso, esperto e dotado de bom humor". Em San Andreas, a "parada" fica um pouco mais séria. Seu protagonista, apesar de compartilhar algumas características com Vercetti como sua destreza, não é exatamente alguém com muito carisma já que sua realidade é diferente da vivida por Tommy. CJ é um rapaz de origem humilde, negro, que saiu de Ganton, seu bairro, há cinco anos após o assassinato de um de seus irmãos. Quando se despediu de sua mãe, parentes e parceiros de gangue para deixar de lado as pressões da vida em Los Santos, uma das cidades do estado de San Andreas, Carl não imaginava que cinco anos depois um acontecimento catastrófico o faria voltar, e dessa vez para ficar. Sua mãe foi assassinada e sua gangue, a Grove Street Families (a mais antiga de Los Santos), encontra-se enfraquecida nas ruas, sob ataque de gangues rivais e dividida por brigas internas. Obviamente, CJ (no caso você) não concorda com essas desavenças e por isso tentará ao longo do game não só reconquistar a confiança de seus familiares e amigos, mas também extinguir os conflitos internos, acabar com as gangues rivais e retomar o controle das ruas de San Andreas. A grande sacada da RockStar para esta versão foi criar um enredo muito mais substancioso que das outras vezes, com temáticas fortes, e rico em detalhes. Por essas e outras que por aí andaram comparando San Andreas com RPGs devido à sua grande complexidade. Logo nos primeiros minutos de jogos você vai ficar conhecendo vários personagens do elenco principal como os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Polaski que além de tirarem de CJ todos os seus pertences ainda o prendem pelo suposto assassinato de um policial. De volta ao lar para o funeral de sua mãe e em busca de apoio, Carl reencontrará seus parentes e amigos como seu irmão mais velho Sweet, sua irmã Kendl (e seu namorado Caesar), Big Smoke e Ryder. O que eu faço tio? Sei que a maioria absoluta de vocês enquanto lêem esta resenha devem estar lembrando de suas experiências com os GTAs do passado. Mas sempre há os marinheiros de primeira viagem que estão, nessa altura do campeonato, desesperados para chegarem em alto-mar e ver a beleza desse oceano. Granf Theft Auto San Andreas é um game de ação em terceira pessoa onde você, na pele de alguém que sempre vai ficar devendo alguma à justiça, fica a cargo de resolver missões dos mais vários tipos como fuga, escolta, roubos em geral, atentados, assassinatos (às vezes em massa), perseguição, furto em residências, marcação de território, enfim, crimes nada leves. Para toda ação uma reação e se policiais o virem praticando algum ato de vandalismo você será perseguido, preso, autuado e, já que estamos em um game, liberado da delegacia logo a seguir pagando uma propina (se bem que na vida real isso não muda muito). Se você for "abatido" em alguma missão, poderá continuar seu game após sair do hospital. Em ambos os casos, você perderá suas armas. Liberdade pra dentro da cabeça Temática forte é o lema de GTA: San Andreas. Personagens armados, falando linguagem vulgar e abusiva, prostituição nas ruas e em clubes de strip, gangsters fumando maconha em plena luz do dia (enquanto conversam com você), policiais corruptos fazendo chantagens são cenas muito comuns, vistas com extrema naturalidade durante o jogo. Autoridades americanas poderiam facilmente acusar o game alegando algum tipo alusão às drogas e à violência, mas eu prefiro enxergar com os olhos da produtora cuja intenção foi de apenas mostrar a vida como ela é, doa a quem doer, se valendo do fato de que seu protagonista, teoricamente o jogador, não aparece dando um trago em momento algum, isso sem contar que existem milhares de filmes muitos mais violentos do que o game. Apesar disso, CJ não é nenhum santo e poderá estar, dependendo da vontade do jogador, cometendo algum tipo de crime a cada 5 segundos, mas se lembrem, não se esquecendo de lembrar seus pais também, que isto é apenas um jogo e você não vai sair por aí matando velhinhas embora não consiga controlar esse mórbido desejo enquanto joga San Andreas. Born to be Wild Falando em liberdade, uma das maiores mudanças vista nessa versão é a extensão de seu "pequeno" mundo. Em GTAIII tínhamos uma cidade (Liberty City) dividida em 3 distintas regiões (Portland, Shoreside Vale e Staunton Island). No game seguinte tínhamos Vice City, uma alusão à Miami nos anos 80 (mais precisamente South Beach e uma boa parte do downtown). Em proporções métricas, a área de Vice City era menor que a de GTA III, mas esse downgrade não se repetiu agora, muito pelo contrário. Considerado um estado, San Andreas é formado por três grandes metrópoles, todas baseadas em regiões reais dos States - Los Santos, San Fierro e Las Venturas, que são as versões "RockStar" de Los Angeles, San Francisco e Las Vegas, respectivamente. Essas distintas regiões são tomadas por centenas de edificações representando tipicamente as áreas de subúrbio, zonas comerciais, zonas industriais, como em toda grande cidade. Uma das novidades de GTASA é o fato de que esses três centros urbanos não são mais ligados apenas por uma ou duas meras pontes. Existem muitas vilas localizadas na zona rural cortadas por estradas nem sempre asfaltadas e que servem de passagem para quem viaja de um lado para o outro do mapa. Dessa forma, a RockStar conseguiu criar uma concepção muito mais elaborada de "civilização", oferecendo um número muito maior de características do que nas versões anteriores. Maior, mais bonito e menos bugado Vários quilômetros quadrados de superfície tomada de edificações, e muitos outros repletos de árvore e matos, centenas de ruas asfaltadas, dezenas de estradas de barro, pontes, viadutos, passarelas, estradas de ferro, vilas, casas, estabelecimentos comerciais, conjuntos habitacionais (com vários prédios residenciais), cassinos, colinas, enfim, o "mundo" de San Andreas é indiscutivelmente um dos maiores já vistos em um game do gênero. O engine utilizado em GTA III vem sendo bem aprimorado desde a saudosa versão e hoje conta com muitos mais aspectos e ferramentas do que antes. Como sempre, nada aqui é construído utilizando trocentos polígonos ??? apesar da contagem maior nessa versão, a quantidade de polígonos não chega perto de muitos outros games já lançados. Mas, como sempre, estamos diante de uma espada de dois gumes, ou mais precisamente, de uma sakabatou (uma espada que corta do lado inverso). Por que a referência? O número reduzido de polígonos nos objetos e personagens tem um motivo muito justo e aceitável, sacrifício este em prol de uma produção artística soberba, tudo para se poder colocar na tela uma recriação o mais fiel possível das cidades em questão. Valeu a pena ou não? Mesmo assim, nesses vários anos muitos avanços foram feitos na engine de GTA. Hoje, o motor gráfico do game conta com efeitos e tecnologias antes inexistentes. Dando um ar mais abrangente de realismo, eles criaram, por exemplo, um filtro visual para representar de maneira verossímil o calor da área urbana de Los Santos. Se você parar e ficar observando o céu não testemunhará um mero passar do dia. Você verá a noite gradativamente dando lugar ao dia com o raiar do sol, o calor representado pela fumaça de um chão mormacento, e com o entardecer, o crepúsculo e aquela tonalidade avermelhada do céu dando lugar novamente à noite. Estupendo. Tudo isso claro, se não chover durante o ciclo. San Fierro apresenta uma climatização diferente com constantes chuvas e fog enquanto que Las Venturas é sempre bem ensolarada devido à sua localização próxima do deserto. Com o crescer da cidade, novas áreas internas também foram criadas, aumentando ainda mais a interação do jogador com seu meio. Cafés, bares, restaurantes, supermercados, fast-foods, cassinos, casas de aposta, domicílios são exemplos do que CJ poderá visitar durante o jogo. Dentro dessas dependências é possível reparar dezenas de objetos no cenário, recriando com fidelidade esses característicos ambientes americanos. Respeito não tem preço, mas a casa ao lado tem Dinheiro sempre foi o motivo de tudo em GTA. O ciclo do game era formado, nesta ordem, do cumprimento de uma missão, da soma dos lucros no final, da compra de novas armas e para a missão seguinte. Em San Andreas há algo novo "na parada", muito mais importante do que o velho esquema de juntar grana. No decorrer das primeiras missões, enquanto você tenta reconquistar a confiança de seus irmãos, você será bonificado apenas com mais pontos de "respeito", prova de que você está seguindo no caminho certo e de que as motivações de CJ envolvem interesses pessoais e lealdade à família acima de tudo. ?? bom ir se acostumando porque o caminho da fortuna não é mais cumprindo os objetivos impostos. Como de costume, para se juntar uma grana existem diversos meios ilícitos, mas agora também há outros perfeitamente legais. Matando transeuntes, roubando carros e os exportando, assaltando residências são exemplos de como se adquirir uma boa merreca e de como virar alvo fácil da polícia. Entretanto, se você prefere a legalidade (ha, ha, ha) pode tentar ganhar a vida em mini-jogos, cassinos e até mesmo em ferozes corridas. Há alguns joguinhos musicais que pode ser uma boa fonte de renda no início do jogo. Indo a um certo lugar no mapa com um carro com suspensão alterada e poderá participar de um torneio de "Dance Dance Automobilístico" (no caso, quem dança é o seu carro) onde ganha quem conseguir acertar mais vezes o ritmo da música. Quem curte apostas, poderá fazer uma "fézinha" em corridas de cavalo em casas específicas ou, mais para frente, tentar a sorte grande nos cassinos de Las Venturas. Máquinas de caça-níqueis, vídeo poker, roletas são uma boa fonte de renda para quem tem sorte com cartas e fichas, mas cuidado porque as apostas podem ser altíssimas. A função do dinheiro em San Andreas é o mesmo das versões anteriores servindo para compra de armas, comida ou para comprar novos apartamentos (safe houses). Nesse último caso é possível juntar uma grana extra recebendo uma espécie de aluguel; basta passar um tempo e um cifrão em frente à sua nova casa aparecerá com o valor a ser recebido. Fast Food + Sedentarismo = Rolha de Poço Sim, são várias as novidades de GTASA e algumas delas estão diretamente ligadas ao seu personagem principal, mais precisamente ao visual de CJ. No início do jogo, quando nosso amigo volta para Los Santos, ele é um magrelo de calça jeans, camiseta branca e tênis, nada chamativo, mas também nada intimidador. Um de seus irmãos chega a ponto de mandar você dar uma geral no seu visual para não envergonhá-los nas ruas. Escolher um penteado diferente e mudar suas roupas não é apenas uma questão estética, pois aumenta seu nível de respeito e, melhor de tudo, sex appeal. Existem várias lojas "de marca" espalhadas pelas cidades e você pode, a qualquer momento do jogo, dar uma passada em uma delas para comprar camisas, camisetas, casacos, calções, calças, bonés, óculos, cordões, tênis, tudo em versão social ou esportiva. Montar um looking decente é imprescindível para melhorar seu nível de respeito. Em adição você também pode escolher algumas bandanas, máscaras e outros acessórios bem estranhos. Quem curte andar sem camisa poderá também se exibir com algumas tatuagens bem entrosadas que podem ser feitas nos braços, no peito e/ou nas costas. A forma física de seu personagem passou a ter importância em GTASA, assim como comer e o que comer. Freqüentemente no jogo você será surpreendido por vibrações no Dual Shock avisando que CJ está perdendo stamina e que você deve naquele momento parar tudo que estiver fazendo e comer. Existem dezenas de lanchonetes e restaurantes no jogo onde seu personagem pode se alimentar e recuperar sua energia seja por causa da fome ou por causa dos tiros que você levou na missão anterior. Nesses estabelecimentos você poderá optar pela barateira fast food ou refeições prontas, que são mais caras. Obviamente, como na vida real, ficar comendo hamburgeres e pizzas vai fazer o corpo de seu personagem ganhar uns quilos indesejados. Além disso, se você não visitar regularmente a academia e gastar alguns minutos de seu tempo na esteira ou levantando pesos, vai acabar se transformando em uma rolha de poço ambulante. Ações normais em missões como pedalar, correr, nadar também valem como formas alternativas de exercício. "Ah, mas eu curto o visual cheinho". ?? verdade que você tem realmente liberdade para deixar seu protagonista do jeito lhe convier, mas vale lembrar que aquelas gordurinhas localizadas do pescoço para baixo atrapalham e muito na hora de resolver certas missões. Nada contra os "fofinhos", mas imaginem a cena: CJ está na rua, vê um Balla (gangue rival), o mata com algumas facadas (economia de munição) e começa a correr para fugir dos outros e da polícia. Ele dá cinco passadas aceleradas e pára, completamente esgotado, e é metralhado pelos outros gangsters. Péssimo para sua reputação, sem contar que seus socos ficam mais fracos. Apesar de GTASA não ser um RPG, CJ ainda pode melhorar seus atributos em determinadas habilidades durante o jogo. Quanto mais tempo você passar andando de bicicleta, de moto, dirigindo ou nadando, melhor ele se tornará nessas habilidades individuais. Quando você alcançar uma certa massa muscular, também poderá aprender uma variedade de golpes de boxe na academia que servirão muito bem nas ruas, para aquelas ocasiões especiais em que sua AK-47 ficar sem munição. San Andreas: Um estado que não pára Construir uma cidade virtual e dar vida a seus habitantes não é nada fácil. Construir em estado então, composto de três metrópoles é mais trabalhoso ainda. Há muito a ser feito e implementado e é quase impossível criar algo totalmente verossímil. Mesmo preso às atuais limitações de hardware, GTASA é um dos atuais jogos que mais rotinas de AI utiliza em seus NPCs. Se você ficar parado observando as pessoas poderá presenciar diversas cenas comuns do dia-a-dia de uma metrópole como pequenos roubos, ladrões em fuga, policiais perseguindo, tiroteios, gente desesperada na rua, acidentes, entregadores de pizza, guerras entre outras gangues. Cada tipo de personagem possui comportamentos diversos ??? uma prostituta, por exemplo, vai elogiar você se você estiver "saradão" enquanto que a mesma nem vai te dar muita bola se você estiver gordo. Da mesma forma, seus amigos de gangue só virão com você se sua aparência estiver aceitável, dentro de seus moldes. O resultado de todas essas implementações e variedade na IA, associadas à reconstrução virtual o mais realista possível das cidades em questão, é uma ambientação majestosa e gigantesca que de longe supera os games anteriores da série e muitos outros títulos do mercado. Vamos para a Escola Se já não bastasse o estilo "tutorial" em que são apresentadas as primeiras missões de GTASA, o pessoal da RockStar quer ter certeza de que você está apto a encarar todas as dificuldades de seu game. Para isso o jogador precisará passar por um treinamento severo em algumas escolas espalhadas pelo game. Escolas de como andar de bicicleta, de direção, de pilotagem e de navegação poderão ser visitadas e proverão ao jogador treinamento adequado para cada uma dessas habilitações e, de quebra, alguns bônus de quatro rodas que prefiro não comentar para não estragar a surpresa. Nas lojas de armas e munição você também poderá participar de uma pequena disputa com outros atiradores em busca de alguns presentes secretos. Side-Quests Uma das maiores qualidades de GTA é o seu poder de entreter o jogador nos momentos em que ele não está prosseguindo no jogo. Antes de pegar uma missão, existem dezenas de coisas diferentes a serem feitas que é justamente o que mantém o game "fresquinho" por muito tempo, poderia arriscar a dizer quase interminável. O simples fato de você dirigir de uma cidade para a outra apreciando a paisagem é um meio de atestar as qualidades visuais do game, checar as culturas diferentes do pessoal da periferia ou apenas de presenciar a natureza intocada das regiões montanhosas do game. Se você prefere as noites do subúrbio, poderá visitar alguns clubes e se divertir com dançarinas privadas às custas de alguns trocados. Em um determinado momento do jogo, assim que você "acordar" vamos dizer assim, não terá tempo nem para respirar, pois perceberá que sua gangue está sob ataque necessitando uma intervenção sua imediatamente. Manter o território de atuação de sua gangue faz parte dos "extras" do game e vai mantê-lo ocupado por um bom tempo. De que adiantaria malhar tanto se você não pode pegar nenhuma garota? Em GTASA você poderá passar um tempo ao lado de sua namorada, mas não pensem que será uma moleza manter a relação só porque é um jogo. Ao todo serão cinco mulheres que aparecerão na vida da CJ em momentos distintos e cada uma tem seu próprio temperamento e gostos. Por exemplo, a primeira, Denise, não só liga toda hora como é uma tremenda psicótica assassina que atira em todo mundo quando sai com você de carro. Não adianta levar ela para jantar, o negócio dela é pinga. Visite freqüentemente o bar com ela e rapidamente sua relação chegará a 100% e um bônus lhe será garantido (namoro por interesse?). Não atenda às suas ligações e rapidamente você ficará sozinho. Ah, e nunca esfaqueie sua garota no primeiro encontro, se bem que às vezes essa parece ser uma excelente opção... De quebra, nas casas de suas namoradas está disposta outra novidade dessa versão: o modo multiplayer. Enquanto você controla CJ, o outro jogador poderá experimentar um pouco da diversão na pele da garota, mas só há dois tipos de atividade para esse modo: livre e rampage onde os dois terão que matar um certo número de indivíduos em um curto espaço de tempo. Nas duas últimas edições, havia um item secreto chamado "Hidden Package", pacotes de cocaína escondidos nos cantos mais sórdidos das cidades. Não fazendo parte do contexto do jogo, eles eram ao todo 100 e serviam como incentivo para o jogador checar com atenção todo e qualquer local suspeito incluindo telhados, matos, sacadas, embaixo de pontes. Os HPs se foram, mas deixaram substitutos, quatro para serem mais exatos. O primeiro item secreto são as 100 pichações de gangues rivais espalhadas apenas em Los Santos. Diferente da cocaína, achar estas pichações tem um significado importante, pois quando você, de posse de seu spray de tinta, sobrepõe as marcações inimigas você ganha mais pontos de respeito. Para as horas mais tranqüilas da vida de CJ, uma máquina fotográfica poderá ser usada para... hum, tirar fotos. Essas imagens são salvas no Memory Card e podem ser averiguadas a qualquer momento do jogo. Encontrando 50 locais específicos em San Fierro servirá para habilitar 4 novas armas. O mesmo esquema de bônus será usado para quem encontrar as 50 ferraduras espalhadas por Las Venturas. Para terminar o mais difícil, quase impossível: as ostras. Existem 50 dessas espalhadas pelos mares que dividem as três cidades e achá-las é uma missão realmente demorada. Pelo menos o extra é o aumento significativo da sua respiração e sex appeal. Grand Theft for Speed: Underground A menção ao título da EA não foi exatamente o que podemos chamar de justiça. Games mais antigos foram pioneiros nessa onda de modificações de carros que anda assolando principalmente os jogos de corrida. GTA não é GT, mas não fica de fora dessa febre. Todas as carangas vistas em San Andreas podem ser alteradas ao bel prazer do freguês: lataria, frisos, pinturas, nitros, amortecedores, decalques, tudo que você puder imaginar pode ser ajustado, instalado ou modificado em seus carros. Obviamente, o nível de opções é menor que em games como NFSU, mas o que há disponível é mais do que satisfatório. Cair na estrada e acelerar fundo até a tela ficar distorcida por causa do "blur" é uma ótima sensação que não estava até então associada com GTA. Ruim é acabar batendo em alguma curva e ter sua linda máquina remodelada destruída em um barranco ou inutilizada no mar. Essa não é a única mudança que os jogadores poderão experimentar atrás do volante. A física de direção foi completamente alterada e, para nossa felicidade, melhorada ??? você agora nem pode mais dirigir no direcional digital, só no analógico. Guiar suas carangas está mais preciso que antes, sem contar que cada um dos veículos do game tem suas próprias particularidades, e sua própria maneira de responder aos comandos. O engine de física dos automóveis não ficou de fora das melhorias e está pau-a-pau com os melhores games de corrida do mercado. A variedade de veículos encontrado em San Andreas também chama bastante a atenção. Como existe um número maior de vias, está bem mais difícil de você se deparar com aquele modelo específico de carro. Muitos dos carros das versões anteriores estão aqui, com seus velhos nomes fictícios. Como novidade em termos de veículo podemos citar a bicicleta (BMX) que pode ser usada em áreas específicas do game para manobras radicais (180, 360, Superman, Backflip, entre outros). Em determinadas ocasiões é possível até seqüestrar trens e passar o tempo de uma maneira nada comum. Os clássicos carrinhos de golfe, tanques, lanchas e carregadores de bagagens do aeroporto não poderiam estar de fora dessa versão. Saindo do chão e indo direto para o céu, helicópteros, aviões bimotores e jatinhos particulares são os melhores meios de transporte em San Andreas. Quando você tiver de posse de seu brevet poderá ir a qualquer momento no Aeroporto e pilotar uma aeronave para viajar para outras áreas. ?? difícil descrever a maravilhosa sensação de planar pelos ares imundos de San Fierro, mas é muito fácil detalhar a sua queda após o impacto de um míssil das forças armadas. Foi no Baile funk, Morro do Boréu Não, Graças a Deus o funk de GTA é o original. Uma das marcas registradas da série, pelo menos desde o III, é a sua grande variedade de composições. Sempre e apenas quando o jogador estiver dirigindo, um acervo musical estará à disposição com dezenas de rádios apresentando suas programações únicas. São ao todo 11 estações (X, Master Sounds, Bounce FM, Playback, K-DST, K-Jah Radio West, CSR, K-Rose, Radio Los Santos, SF-UR e WCTR) cada uma com seus próprios apresentadores e/ou DJs e os mais variados estilos musicais, representados por bandas e artistas mundialmente conhecidos. Que tal escolhe entre Depeche Mode, Guns n' Roses, James Brown, Bobby Byrd ou Kool G apenas apertando um botão? Existem muitos outros cantores mas ao invés de citá-los, melhor mostrar a vocês o caminho para luz. Tem Rock, Rock Progressivo, Soul, Techno, Groove, Funk, Hip-Hop, Dancehall, Ragga, Reggae, Dub, Sing, Soul Moderno, Country, Underground, House, tem até um hilário Talk Show com direito a ouvintes participando e muita propaganda que poderia ser mais bem aproveitado se geralmente não estivéssemos mais preocupados com a estrada. Quebrando o tabu com extrema eficiência, as dublagens de San Andreas estão equiparadas com as das melhores produções cinematográficas. Os diálogos de CJ com seus irmãos são esplendidamente representados por um elenco competente de dubladores, que incluiu figuras famosas como Samuel L. Jackson e Chris Penn que interpretaram os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Pulaski respectivamente. O ouvinte consegue distinguir rapidamente o que aquele personagem está sentindo naquele momento apenas com o tom de sua voz. Sotaques, e até diálogos em outras línguas poderão ser ouvidos pelo jogo, assim como murmurinhos de pedestres e outras conversações alheias da qual você não faz parte, mas escura só por passar perto. Esse trabalho artístico na parte da sonorização ajudou e muito à criação de uma ambientação perfeita, dentro do possível. De AK a Jet Pack Gangster que se preze tem que se nas ruas usando seus punhos. Logicamente quanto se trata de uma batalha desvantajosa, não é nenhum ato de covardia manter o seu respeito com alguns tiros. Durante o game CJ terá acesso a um arsenal de primeira com armas não só de fogo, mas também de concussão como bastão de beisebol, pá, cassetete e até um consolo(?), e brancas como a faca e a katana, que retorna de Vice City. Dentre as armas de fogo estão as já conhecidas pistolas (9mm), espingardas, fuzis, Uzis, AK-47, Lança-Foguetes, snipers entre outros. Granadas e coquetéis Molotov são alguns outros itens muito úteis para dar cabo de vários elementos das gangues rivais de uma só vez. Incrementando a grande variedade de objetos usáveis no game temos também a câmera fotográfica (cuja utilidade já foi citada), a lata de spray (idem), as flores (suas namoradas vão adorar) e o colete, que obviamente aumenta sua resistência física. Sem me delongar demais, vale citar a existência de um jet pack que você pega no meio do jogo e que serve para ter um panorama muito legal das cidades e de sair fora do encalço do polícia. Mil em Um Geralmente existe uma parte da análise que dedico a citar os defeitos do jogo. Mas, pela primeira vez, preferi não bater nesse ponto porque achei desnecessário apontar as falhas de GTA. Os bugs existem, persistem, vem das versões anteriores, mas o que deixava os jogadores levemente frustrados antes não é mais um grande problema em San Andreas. Deslizes com colision detection, pop-ins de carregamento podem ser considerados questões sérias para alguns jogadores mais detalhistas, mas na realidade nada disso importa em GTA. A grandiosidade da nova versão da série da RockStar prova que apesar de estarem sentados na grana o sucesso não subiu as atarefadas cabeças dos criadores que cumpriram seu compromisso com os fãs provendo um dos maiores e mais complexos títulos da atualidade, o mais empolgante e viciante game a ter tocado o acervo do PS2. As numerosas qualidades de San Andreas ofuscam seus deslizes e fica difícil imaginar alguém que tenha o console da Sony e que não esteja pensando em comprar, alugar ou roubar (NE.: não faça isso) a sua cópia. Há tanto para se passar o tempo em San Andreas que jogá-lo até chegar o próximo GTA será um prazer infindável. Lá se foram dois longos anos desde que o fenômeno Grand Theft Auto: Vice City chegou às lojas. A estrondosa vendagem do game nada mais foi do que o reflexo do sucesso da franquia que atingiu sua extrema popularidade com o saudoso Grand Theft Auto III. Conhecida mundialmente por seu jeitão "politicamente incorreto", a série sempre foi única, oferecendo um nível de liberdade absurdo, temas adultos e modernos, linguagem vulgar e tudo mais que sua mãe possa repudiar. Por causa disso, o título gerou polêmicas, foi proibido em alguns países, chegou a ser culpado por alguns crimes cometidos por possíveis jogadores e mesmo assim caiu na graça da comunidade. O game a franquia provém é a chance de você ser um "Bad Boy" virtual, e satisfazer aquela fantasia que existe no interior de muitas as pessoas, mesmo que algumas não admitam. Obviamente, existe uma grande diferença entre a realidade e o sonho e por isso mesmo a série GTA se tornou um canal que viabilizou tornar sua grande vontade de fazer desgraças virtualmente possível. De GTA III para Vice City muita coisa mudou, mas um aspecto permaneceu intacto. Você podia cometer os mesmos crimes de sempre, porém dessa vez em um lugar e uma época diferente ??? saímos de Portland, tempos atuais, para cair dentro de Vice City, baseada na Miami dos anos 80. Agora, com o esperado San Andreas, voltamos ao contemporâneo, mais precisamente para meados dos anos 90. Mas então o que temos? Outro GTAIII, mas em uma cidade diferente? Definitivamente não. Entre Vice City e GTAIII houve um significativo vão, mas entre San Andreas e Vice City há um buraco negro. São tantas mudanças, tantas novidades, tantas implementações e melhorias que obviamente tornam este novo episódio o maior e mais bem elaborado game da série, candidato sério ao melhor título do ano e provavelmente o melhor game da história do PS2. Mas, para não colocarmos a carroça na frente dos bois, vamos a uma sinopse. "Yo, Nigga. Hommie for Life" A vida no gueto nunca foi fácil. Sobreviver em um gueto de Los Angeles ou de outra grande cidade norte-americana é o que podemos chamar de inferno na Terra. Drogas, prostituição, violência, guerra entre gangues... tudo isso faz parte ativa do cotidiano dessa gente segregada nos subúrbios das grandes metrópoles, local também onde existe um alto índice de miscigenação. Negros, latinos, cafuzos, mulatos são alvo diário do descaso e do pré-conceito e do racismo da comunidade e, principalmente, de policiais que deveriam justamente inibir esses crimes. O que às vezes algumas pessoas não percebem é o fato de que muitas dessas pessoas vivem em um mundo diferente, com seus próprios conceitos sobre o que é certo e o que é errado, e até seus próprios códigos de honra. Mas, onde estou querendo chegar? Bem, é extremamente comum filmes e seriados abordarem explicitamente esse tema, explorando e divulgando como é a vida nessas comunidades. Esse é o caso também de Grand Theft Auto San Andreas. A temática principal do novo game da RockStar é a vida de um gangster local e de como ele deverá devolver à sua velha gangue decadente o respeito e a força perdidos ao longos dos anos. Diferente dos games anteriores, o personagem principal dessa versão, Carl Johnson, é "alguém". Digo isso porque os protagonistas de GTA 1, 2 e 3 (este último sem nome até hoje) pouco revelavam sua personalidade durante o jogo pelo fato de nunca abrirem sua boca. Era pegar a missão e cumprir, sem um pio. ?? comum esse tipo de perspectiva em RPGs pois quando o protagonista não apresenta um comportamento pré-determinado, fica mais fácil do jogador se encaixar na história incorporado naquele "boneco". Tommy Vercetti chegou em Vice City para quebrar de vez com esse gelo. Como disse o Ervo em seu review ele é um "sujeito que fala mais que a boca, corajoso, esperto e dotado de bom humor". Em San Andreas, a "parada" fica um pouco mais séria. Seu protagonista, apesar de compartilhar algumas características com Vercetti como sua destreza, não é exatamente alguém com muito carisma já que sua realidade é diferente da vivida por Tommy. CJ é um rapaz de origem humilde, negro, que saiu de Ganton, seu bairro, há cinco anos após o assassinato de um de seus irmãos. Quando se despediu de sua mãe, parentes e parceiros de gangue para deixar de lado as pressões da vida em Los Santos, uma das cidades do estado de San Andreas, Carl não imaginava que cinco anos depois um acontecimento catastrófico o faria voltar, e dessa vez para ficar. Sua mãe foi assassinada e sua gangue, a Grove Street Families (a mais antiga de Los Santos), encontra-se enfraquecida nas ruas, sob ataque de gangues rivais e dividida por brigas internas. Obviamente, CJ (no caso você) não concorda com essas desavenças e por isso tentará ao longo do game não só reconquistar a confiança de seus familiares e amigos, mas também extinguir os conflitos internos, acabar com as gangues rivais e retomar o controle das ruas de San Andreas. A grande sacada da RockStar para esta versão foi criar um enredo muito mais substancioso que das outras vezes, com temáticas fortes, e rico em detalhes. Por essas e outras que por aí andaram comparando San Andreas com RPGs devido à sua grande complexidade. Logo nos primeiros minutos de jogos você vai ficar conhecendo vários personagens do elenco principal como os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Polaski que além de tirarem de CJ todos os seus pertences ainda o prendem pelo suposto assassinato de um policial. De volta ao lar para o funeral de sua mãe e em busca de apoio, Carl reencontrará seus parentes e amigos como seu irmão mais velho Sweet, sua irmã Kendl (e seu namorado Caesar), Big Smoke e Ryder. O que eu faço tio? Sei que a maioria absoluta de vocês enquanto lêem esta resenha devem estar lembrando de suas experiências com os GTAs do passado. Mas sempre há os marinheiros de primeira viagem que estão, nessa altura do campeonato, desesperados para chegarem em alto-mar e ver a beleza desse oceano. Granf Theft Auto San Andreas é um game de ação em terceira pessoa onde você, na pele de alguém que sempre vai ficar devendo alguma à justiça, fica a cargo de resolver missões dos mais vários tipos como fuga, escolta, roubos em geral, atentados, assassinatos (às vezes em massa), perseguição, furto em residências, marcação de território, enfim, crimes nada leves. Para toda ação uma reação e se policiais o virem praticando algum ato de vandalismo você será perseguido, preso, autuado e, já que estamos em um game, liberado da delegacia logo a seguir pagando uma propina (se bem que na vida real isso não muda muito). Se você for "abatido" em alguma missão, poderá continuar seu game após sair do hospital. Em ambos os casos, você perderá suas armas. Liberdade pra dentro da cabeça Temática forte é o lema de GTA: San Andreas. Personagens armados, falando linguagem vulgar e abusiva, prostituição nas ruas e em clubes de strip, gangsters fumando maconha em plena luz do dia (enquanto conversam com você), policiais corruptos fazendo chantagens são cenas muito comuns, vistas com extrema naturalidade durante o jogo. Autoridades americanas poderiam facilmente acusar o game alegando algum tipo alusão às drogas e à violência, mas eu prefiro enxergar com os olhos da produtora cuja intenção foi de apenas mostrar a vida como ela é, doa a quem doer, se valendo do fato de que seu protagonista, teoricamente o jogador, não aparece dando um trago em momento algum, isso sem contar que existem milhares de filmes muitos mais violentos do que o game. Apesar disso, CJ não é nenhum santo e poderá estar, dependendo da vontade do jogador, cometendo algum tipo de crime a cada 5 segundos, mas se lembrem, não se esquecendo de lembrar seus pais também, que isto é apenas um jogo e você não vai sair por aí matando velhinhas embora não consiga controlar esse mórbido desejo enquanto joga San Andreas. Born to be Wild Falando em liberdade, uma das maiores mudanças vista nessa versão é a extensão de seu "pequeno" mundo. Em GTAIII tínhamos uma cidade (Liberty City) dividida em 3 distintas regiões (Portland, Shoreside Vale e Staunton Island). No game seguinte tínhamos Vice City, uma alusão à Miami nos anos 80 (mais precisamente South Beach e uma boa parte do downtown). Em proporções métricas, a área de Vice City era menor que a de GTA III, mas esse downgrade não se repetiu agora, muito pelo contrário. Considerado um estado, San Andreas é formado por três grandes metrópoles, todas baseadas em regiões reais dos States - Los Santos, San Fierro e Las Venturas, que são as versões "RockStar" de Los Angeles, San Francisco e Las Vegas, respectivamente. Essas distintas regiões são tomadas por centenas de edificações representando tipicamente as áreas de subúrbio, zonas comerciais, zonas industriais, como em toda grande cidade. Uma das novidades de GTASA é o fato de que esses três centros urbanos não são mais ligados apenas por uma ou duas meras pontes. Existem muitas vilas localizadas na zona rural cortadas por estradas nem sempre asfaltadas e que servem de passagem para quem viaja de um lado para o outro do mapa. Dessa forma, a RockStar conseguiu criar uma concepção muito mais elaborada de "civilização", oferecendo um número muito maior de características do que nas versões anteriores. Maior, mais bonito e menos bugado Vários quilômetros quadrados de superfície tomada de edificações, e muitos outros repletos de árvore e matos, centenas de ruas asfaltadas, dezenas de estradas de barro, pontes, viadutos, passarelas, estradas de ferro, vilas, casas, estabelecimentos comerciais, conjuntos habitacionais (com vários prédios residenciais), cassinos, colinas, enfim, o "mundo" de San Andreas é indiscutivelmente um dos maiores já vistos em um game do gênero. O engine utilizado em GTA III vem sendo bem aprimorado desde a saudosa versão e hoje conta com muitos mais aspectos e ferramentas do que antes. Como sempre, nada aqui é construído utilizando trocentos polígonos ??? apesar da contagem maior nessa versão, a quantidade de polígonos não chega perto de muitos outros games já lançados. Mas, como sempre, estamos diante de uma espada de dois gumes, ou mais precisamente, de uma sakabatou (uma espada que corta do lado inverso). Por que a referência? O número reduzido de polígonos nos objetos e personagens tem um motivo muito justo e aceitável, sacrifício este em prol de uma produção artística soberba, tudo para se poder colocar na tela uma recriação o mais fiel possível das cidades em questão. Valeu a pena ou não? Mesmo assim, nesses vários anos muitos avanços foram feitos na engine de GTA. Hoje, o motor gráfico do game conta com efeitos e tecnologias antes inexistentes. Dando um ar mais abrangente de realismo, eles criaram, por exemplo, um filtro visual para representar de maneira verossímil o calor da área urbana de Los Santos. Se você parar e ficar observando o céu não testemunhará um mero passar do dia. Você verá a noite gradativamente dando lugar ao dia com o raiar do sol, o calor representado pela fumaça de um chão mormacento, e com o entardecer, o crepúsculo e aquela tonalidade avermelhada do céu dando lugar novamente à noite. Estupendo. Tudo isso claro, se não chover durante o ciclo. San Fierro apresenta uma climatização diferente com constantes chuvas e fog enquanto que Las Venturas é sempre bem ensolarada devido à sua localização próxima do deserto. Com o crescer da cidade, novas áreas internas também foram criadas, aumentando ainda mais a interação do jogador com seu meio. Cafés, bares, restaurantes, supermercados, fast-foods, cassinos, casas de aposta, domicílios são exemplos do que CJ poderá visitar durante o jogo. Dentro dessas dependências é possível reparar dezenas de objetos no cenário, recriando com fidelidade esses característicos ambientes americanos. Respeito não tem preço, mas a casa ao lado tem Dinheiro sempre foi o motivo de tudo em GTA. O ciclo do game era formado, nesta ordem, do cumprimento de uma missão, da soma dos lucros no final, da compra de novas armas e para a missão seguinte. Em San Andreas há algo novo "na parada", muito mais importante do que o velho esquema de juntar grana. No decorrer das primeiras missões, enquanto você tenta reconquistar a confiança de seus irmãos, você será bonificado apenas com mais pontos de "respeito", prova de que você está seguindo no caminho certo e de que as motivações de CJ envolvem interesses pessoais e lealdade à família acima de tudo. ?? bom ir se acostumando porque o caminho da fortuna não é mais cumprindo os objetivos impostos. Como de costume, para se juntar uma grana existem diversos meios ilícitos, mas agora também há outros perfeitamente legais. Matando transeuntes, roubando carros e os exportando, assaltando residências são exemplos de como se adquirir uma boa merreca e de como virar alvo fácil da polícia. Entretanto, se você prefere a legalidade (ha, ha, ha) pode tentar ganhar a vida em mini-jogos, cassinos e até mesmo em ferozes corridas. Há alguns joguinhos musicais que pode ser uma boa fonte de renda no início do jogo. Indo a um certo lugar no mapa com um carro com suspensão alterada e poderá participar de um torneio de "Dance Dance Automobilístico" (no caso, quem dança é o seu carro) onde ganha quem conseguir acertar mais vezes o ritmo da música. Quem curte apostas, poderá fazer uma "fézinha" em corridas de cavalo em casas específicas ou, mais para frente, tentar a sorte grande nos cassinos de Las Venturas. Máquinas de caça-níqueis, vídeo poker, roletas são uma boa fonte de renda para quem tem sorte com cartas e fichas, mas cuidado porque as apostas podem ser altíssimas. A função do dinheiro em San Andreas é o mesmo das versões anteriores servindo para compra de armas, comida ou para comprar novos apartamentos (safe houses). Nesse último caso é possível juntar uma grana extra recebendo uma espécie de aluguel; basta passar um tempo e um cifrão em frente à sua nova casa aparecerá com o valor a ser recebido. Fast Food + Sedentarismo = Rolha de Poço Sim, são várias as novidades de GTASA e algumas delas estão diretamente ligadas ao seu personagem principal, mais precisamente ao visual de CJ. No início do jogo, quando nosso amigo volta para Los Santos, ele é um magrelo de calça jeans, camiseta branca e tênis, nada chamativo, mas também nada intimidador. Um de seus irmãos chega a ponto de mandar você dar uma geral no seu visual para não envergonhá-los nas ruas. Escolher um penteado diferente e mudar suas roupas não é apenas uma questão estética, pois aumenta seu nível de respeito e, melhor de tudo, sex appeal. Existem várias lojas "de marca" espalhadas pelas cidades e você pode, a qualquer momento do jogo, dar uma passada em uma delas para comprar camisas, camisetas, casacos, calções, calças, bonés, óculos, cordões, tênis, tudo em versão social ou esportiva. Montar um looking decente é imprescindível para melhorar seu nível de respeito. Em adição você também pode escolher algumas bandanas, máscaras e outros acessórios bem estranhos. Quem curte andar sem camisa poderá também se exibir com algumas tatuagens bem entrosadas que podem ser feitas nos braços, no peito e/ou nas costas. A forma física de seu personagem passou a ter importância em GTASA, assim como comer e o que comer. Freqüentemente no jogo você será surpreendido por vibrações no Dual Shock avisando que CJ está perdendo stamina e que você deve naquele momento parar tudo que estiver fazendo e comer. Existem dezenas de lanchonetes e restaurantes no jogo onde seu personagem pode se alimentar e recuperar sua energia seja por causa da fome ou por causa dos tiros que você levou na missão anterior. Nesses estabelecimentos você poderá optar pela barateira fast food ou refeições prontas, que são mais caras. Obviamente, como na vida real, ficar comendo hamburgeres e pizzas vai fazer o corpo de seu personagem ganhar uns quilos indesejados. Além disso, se você não visitar regularmente a academia e gastar alguns minutos de seu tempo na esteira ou levantando pesos, vai acabar se transformando em uma rolha de poço ambulante. Ações normais em missões como pedalar, correr, nadar também valem como formas alternativas de exercício. "Ah, mas eu curto o visual cheinho". ?? verdade que você tem realmente liberdade para deixar seu protagonista do jeito lhe convier, mas vale lembrar que aquelas gordurinhas localizadas do pescoço para baixo atrapalham e muito na hora de resolver certas missões. Nada contra os "fofinhos", mas imaginem a cena: CJ está na rua, vê um Balla (gangue rival), o mata com algumas facadas (economia de munição) e começa a correr para fugir dos outros e da polícia. Ele dá cinco passadas aceleradas e pára, completamente esgotado, e é metralhado pelos outros gangsters. Péssimo para sua reputação, sem contar que seus socos ficam mais fracos. Apesar de GTASA não ser um RPG, CJ ainda pode melhorar seus atributos em determinadas habilidades durante o jogo. Quanto mais tempo você passar andando de bicicleta, de moto, dirigindo ou nadando, melhor ele se tornará nessas habilidades individuais. Quando você alcançar uma certa massa muscular, também poderá aprender uma variedade de golpes de boxe na academia que servirão muito bem nas ruas, para aquelas ocasiões especiais em que sua AK-47 ficar sem munição. San Andreas: Um estado que não pára Construir uma cidade virtual e dar vida a seus habitantes não é nada fácil. Construir em estado então, composto de três metrópoles é mais trabalhoso ainda. Há muito a ser feito e implementado e é quase impossível criar algo totalmente verossímil. Mesmo preso às atuais limitações de hardware, GTASA é um dos atuais jogos que mais rotinas de AI utiliza em seus NPCs. Se você ficar parado observando as pessoas poderá presenciar diversas cenas comuns do dia-a-dia de uma metrópole como pequenos roubos, ladrões em fuga, policiais perseguindo, tiroteios, gente desesperada na rua, acidentes, entregadores de pizza, guerras entre outras gangues. Cada tipo de personagem possui comportamentos diversos ??? uma prostituta, por exemplo, vai elogiar você se você estiver "saradão" enquanto que a mesma nem vai te dar muita bola se você estiver gordo. Da mesma forma, seus amigos de gangue só virão com você se sua aparência estiver aceitável, dentro de seus moldes. O resultado de todas essas implementações e variedade na IA, associadas à reconstrução virtual o mais realista possível das cidades em questão, é uma ambientação majestosa e gigantesca que de longe supera os games anteriores da série e muitos outros títulos do mercado. Vamos para a Escola Se já não bastasse o estilo "tutorial" em que são apresentadas as primeiras missões de GTASA, o pessoal da RockStar quer ter certeza de que você está apto a encarar todas as dificuldades de seu game. Para isso o jogador precisará passar por um treinamento severo em algumas escolas espalhadas pelo game. Escolas de como andar de bicicleta, de direção, de pilotagem e de navegação poderão ser visitadas e proverão ao jogador treinamento adequado para cada uma dessas habilitações e, de quebra, alguns bônus de quatro rodas que prefiro não comentar para não estragar a surpresa. Nas lojas de armas e munição você também poderá participar de uma pequena disputa com outros atiradores em busca de alguns presentes secretos. Side-Quests Uma das maiores qualidades de GTA é o seu poder de entreter o jogador nos momentos em que ele não está prosseguindo no jogo. Antes de pegar uma missão, existem dezenas de coisas diferentes a serem feitas que é justamente o que mantém o game "fresquinho" por muito tempo, poderia arriscar a dizer quase interminável. O simples fato de você dirigir de uma cidade para a outra apreciando a paisagem é um meio de atestar as qualidades visuais do game, checar as culturas diferentes do pessoal da periferia ou apenas de presenciar a natureza intocada das regiões montanhosas do game. Se você prefere as noites do subúrbio, poderá visitar alguns clubes e se divertir com dançarinas privadas às custas de alguns trocados. Em um determinado momento do jogo, assim que você "acordar" vamos dizer assim, não terá tempo nem para respirar, pois perceberá que sua gangue está sob ataque necessitando uma intervenção sua imediatamente. Manter o território de atuação de sua gangue faz parte dos "extras" do game e vai mantê-lo ocupado por um bom tempo. De que adiantaria malhar tanto se você não pode pegar nenhuma garota? Em GTASA você poderá passar um tempo ao lado de sua namorada, mas não pensem que será uma moleza manter a relação só porque é um jogo. Ao todo serão cinco mulheres que aparecerão na vida da CJ em momentos distintos e cada uma tem seu próprio temperamento e gostos. Por exemplo, a primeira, Denise, não só liga toda hora como é uma tremenda psicótica assassina que atira em todo mundo quando sai com você de carro. Não adianta levar ela para jantar, o negócio dela é pinga. Visite freqüentemente o bar com ela e rapidamente sua relação chegará a 100% e um bônus lhe será garantido (namoro por interesse?). Não atenda às suas ligações e rapidamente você ficará sozinho. Ah, e nunca esfaqueie sua garota no primeiro encontro, se bem que às vezes essa parece ser uma excelente opção... De quebra, nas casas de suas namoradas está disposta outra novidade dessa versão: o modo multiplayer. Enquanto você controla CJ, o outro jogador poderá experimentar um pouco da diversão na pele da garota, mas só há dois tipos de atividade para esse modo: livre e rampage onde os dois terão que matar um certo número de indivíduos em um curto espaço de tempo. Nas duas últimas edições, havia um item secreto chamado "Hidden Package", pacotes de cocaína escondidos nos cantos mais sórdidos das cidades. Não fazendo parte do contexto do jogo, eles eram ao todo 100 e serviam como incentivo para o jogador checar com atenção todo e qualquer local suspeito incluindo telhados, matos, sacadas, embaixo de pontes. Os HPs se foram, mas deixaram substitutos, quatro para serem mais exatos. O primeiro item secreto são as 100 pichações de gangues rivais espalhadas apenas em Los Santos. Diferente da cocaína, achar estas pichações tem um significado importante, pois quando você, de posse de seu spray de tinta, sobrepõe as marcações inimigas você ganha mais pontos de respeito. Para as horas mais tranqüilas da vida de CJ, uma máquina fotográfica poderá ser usada para... hum, tirar fotos. Essas imagens são salvas no Memory Card e podem ser averiguadas a qualquer momento do jogo. Encontrando 50 locais específicos em San Fierro servirá para habilitar 4 novas armas. O mesmo esquema de bônus será usado para quem encontrar as 50 ferraduras espalhadas por Las Venturas. Para terminar o mais difícil, quase impossível: as ostras. Existem 50 dessas espalhadas pelos mares que dividem as três cidades e achá-las é uma missão realmente demorada. Pelo menos o extra é o aumento significativo da sua respiração e sex appeal. Grand Theft for Speed: Underground A menção ao título da EA não foi exatamente o que podemos chamar de justiça. Games mais antigos foram pioneiros nessa onda de modificações de carros que anda assolando principalmente os jogos de corrida. GTA não é GT, mas não fica de fora dessa febre. Todas as carangas vistas em San Andreas podem ser alteradas ao bel prazer do freguês: lataria, frisos, pinturas, nitros, amortecedores, decalques, tudo que você puder imaginar pode ser ajustado, instalado ou modificado em seus carros. Obviamente, o nível de opções é menor que em games como NFSU, mas o que há disponível é mais do que satisfatório. Cair na estrada e acelerar fundo até a tela ficar distorcida por causa do "blur" é uma ótima sensação que não estava até então associada com GTA. Ruim é acabar batendo em alguma curva e ter sua linda máquina remodelada destruída em um barranco ou inutilizada no mar. Essa não é a única mudança que os jogadores poderão experimentar atrás do volante. A física de direção foi completamente alterada e, para nossa felicidade, melhorada ??? você agora nem pode mais dirigir no direcional digital, só no analógico. Guiar suas carangas está mais preciso que antes, sem contar que cada um dos veículos do game tem suas próprias particularidades, e sua própria maneira de responder aos comandos. O engine de física dos automóveis não ficou de fora das melhorias e está pau-a-pau com os melhores games de corrida do mercado. A variedade de veículos encontrado em San Andreas também chama bastante a atenção. Como existe um número maior de vias, está bem mais difícil de você se deparar com aquele modelo específico de carro. Muitos dos carros das versões anteriores estão aqui, com seus velhos nomes fictícios. Como novidade em termos de veículo podemos citar a bicicleta (BMX) que pode ser usada em áreas específicas do game para manobras radicais (180, 360, Superman, Backflip, entre outros). Em determinadas ocasiões é possível até seqüestrar trens e passar o tempo de uma maneira nada comum. Os clássicos carrinhos de golfe, tanques, lanchas e carregadores de bagagens do aeroporto não poderiam estar de fora dessa versão. Saindo do chão e indo direto para o céu, helicópteros, aviões bimotores e jatinhos particulares são os melhores meios de transporte em San Andreas. Quando você tiver de posse de seu brevet poderá ir a qualquer momento no Aeroporto e pilotar uma aeronave para viajar para outras áreas. ?? difícil descrever a maravilhosa sensação de planar pelos ares imundos de San Fierro, mas é muito fácil detalhar a sua queda após o impacto de um míssil das forças armadas. Foi no Baile funk, Morro do Boréu Não, Graças a Deus o funk de GTA é o original. Uma das marcas registradas da série, pelo menos desde o III, é a sua grande variedade de composições. Sempre e apenas quando o jogador estiver dirigindo, um acervo musical estará à disposição com dezenas de rádios apresentando suas programações únicas. São ao todo 11 estações (X, Master Sounds, Bounce FM, Playback, K-DST, K-Jah Radio West, CSR, K-Rose, Radio Los Santos, SF-UR e WCTR) cada uma com seus próprios apresentadores e/ou DJs e os mais variados estilos musicais, representados por bandas e artistas mundialmente conhecidos. Que tal escolhe entre Depeche Mode, Guns n' Roses, James Brown, Bobby Byrd ou Kool G apenas apertando um botão? Existem muitos outros cantores mas ao invés de citá-los, melhor mostrar a vocês o caminho para luz. Tem Rock, Rock Progressivo, Soul, Techno, Groove, Funk, Hip-Hop, Dancehall, Ragga, Reggae, Dub, Sing, Soul Moderno, Country, Underground, House, tem até um hilário Talk Show com direito a ouvintes participando e muita propaganda que poderia ser mais bem aproveitado se geralmente não estivéssemos mais preocupados com a estrada. Quebrando o tabu com extrema eficiência, as dublagens de San Andreas estão equiparadas com as das melhores produções cinematográficas. Os diálogos de CJ com seus irmãos são esplendidamente representados por um elenco competente de dubladores, que incluiu figuras famosas como Samuel L. Jackson e Chris Penn que interpretaram os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Pulaski respectivamente. O ouvinte consegue distinguir rapidamente o que aquele personagem está sentindo naquele momento apenas com o tom de sua voz. Sotaques, e até diálogos em outras línguas poderão ser ouvidos pelo jogo, assim como murmurinhos de pedestres e outras conversações alheias da qual você não faz parte, mas escura só por passar perto. Esse trabalho artístico na parte da sonorização ajudou e muito à criação de uma ambientação perfeita, dentro do possível. De AK a Jet Pack Gangster que se preze tem que se nas ruas usando seus punhos. Logicamente quanto se trata de uma batalha desvantajosa, não é nenhum ato de covardia manter o seu respeito com alguns tiros. Durante o game CJ terá acesso a um arsenal de primeira com armas não só de fogo, mas também de concussão como bastão de beisebol, pá, cassetete e até um consolo(?), e brancas como a faca e a katana, que retorna de Vice City. Dentre as armas de fogo estão as já conhecidas pistolas (9mm), espingardas, fuzis, Uzis, AK-47, Lança-Foguetes, snipers entre outros. Granadas e coquetéis Molotov são alguns outros itens muito úteis para dar cabo de vários elementos das gangues rivais de uma só vez. Incrementando a grande variedade de objetos usáveis no game temos também a câmera fotográfica (cuja utilidade já foi citada), a lata de spray (idem), as flores (suas namoradas vão adorar) e o colete, que obviamente aumenta sua resistência física. Sem me delongar demais, vale citar a existência de um jet pack que você pega no meio do jogo e que serve para ter um panorama muito legal das cidades e de sair fora do encalço do polícia. Mil em Um Geralmente existe uma parte da análise que dedico a citar os defeitos do jogo. Mas, pela primeira vez, preferi não bater nesse ponto porque achei desnecessário apontar as falhas de GTA. Os bugs existem, persistem, vem das versões anteriores, mas o que deixava os jogadores levemente frustrados antes não é mais um grande problema em San Andreas. Deslizes com colision detection, pop-ins de carregamento podem ser considerados questões sérias para alguns jogadores mais detalhistas, mas na realidade nada disso importa em GTA. A grandiosidade da nova versão da série da RockStar prova que apesar de estarem sentados na grana o sucesso não subiu as atarefadas cabeças dos criadores que cumpriram seu compromisso com os fãs provendo um dos maiores e mais complexos títulos da atualidade, o mais empolgante e viciante game a ter tocado o acervo do PS2. As numerosas qualidades de San Andreas ofuscam seus deslizes e fica difícil imaginar alguém que tenha o console da Sony e que não esteja pensando em comprar, alugar ou roubar (NE.: não faça isso) a sua cópia. Há tanto para se passar o tempo em San Andreas que jogá-lo até chegar o próximo GTA será um prazer infindável. Lá se foram dois longos anos desde que o fenômeno Grand Theft Auto: Vice City chegou às lojas. A estrondosa vendagem do game nada mais foi do que o reflexo do sucesso da franquia que atingiu sua extrema popularidade com o saudoso Grand Theft Auto III. Conhecida mundialmente por seu jeitão "politicamente incorreto", a série sempre foi única, oferecendo um nível de liberdade absurdo, temas adultos e modernos, linguagem vulgar e tudo mais que sua mãe possa repudiar. Por causa disso, o título gerou polêmicas, foi proibido em alguns países, chegou a ser culpado por alguns crimes cometidos por possíveis jogadores e mesmo assim caiu na graça da comunidade. O game a franquia provém é a chance de você ser um "Bad Boy" virtual, e satisfazer aquela fantasia que existe no interior de muitas as pessoas, mesmo que algumas não admitam. Obviamente, existe uma grande diferença entre a realidade e o sonho e por isso mesmo a série GTA se tornou um canal que viabilizou tornar sua grande vontade de fazer desgraças virtualmente possível. De GTA III para Vice City muita coisa mudou, mas um aspecto permaneceu intacto. Você podia cometer os mesmos crimes de sempre, porém dessa vez em um lugar e uma época diferente ??? saímos de Portland, tempos atuais, para cair dentro de Vice City, baseada na Miami dos anos 80. Agora, com o esperado San Andreas, voltamos ao contemporâneo, mais precisamente para meados dos anos 90. Mas então o que temos? Outro GTAIII, mas em uma cidade diferente? Definitivamente não. Entre Vice City e GTAIII houve um significativo vão, mas entre San Andreas e Vice City há um buraco negro. São tantas mudanças, tantas novidades, tantas implementações e melhorias que obviamente tornam este novo episódio o maior e mais bem elaborado game da série, candidato sério ao melhor título do ano e provavelmente o melhor game da história do PS2. Mas, para não colocarmos a carroça na frente dos bois, vamos a uma sinopse. "Yo, Nigga. Hommie for Life" A vida no gueto nunca foi fácil. Sobreviver em um gueto de Los Angeles ou de outra grande cidade norte-americana é o que podemos chamar de inferno na Terra. Drogas, prostituição, violência, guerra entre gangues... tudo isso faz parte ativa do cotidiano dessa gente segregada nos subúrbios das grandes metrópoles, local também onde existe um alto índice de miscigenação. Negros, latinos, cafuzos, mulatos são alvo diário do descaso e do pré-conceito e do racismo da comunidade e, principalmente, de policiais que deveriam justamente inibir esses crimes. O que às vezes algumas pessoas não percebem é o fato de que muitas dessas pessoas vivem em um mundo diferente, com seus próprios conceitos sobre o que é certo e o que é errado, e até seus próprios códigos de honra. Mas, onde estou querendo chegar? Bem, é extremamente comum filmes e seriados abordarem explicitamente esse tema, explorando e divulgando como é a vida nessas comunidades. Esse é o caso também de Grand Theft Auto San Andreas. A temática principal do novo game da RockStar é a vida de um gangster local e de como ele deverá devolver à sua velha gangue decadente o respeito e a força perdidos ao longos dos anos. Diferente dos games anteriores, o personagem principal dessa versão, Carl Johnson, é "alguém". Digo isso porque os protagonistas de GTA 1, 2 e 3 (este último sem nome até hoje) pouco revelavam sua personalidade durante o jogo pelo fato de nunca abrirem sua boca. Era pegar a missão e cumprir, sem um pio. ?? comum esse tipo de perspectiva em RPGs pois quando o protagonista não apresenta um comportamento pré-determinado, fica mais fácil do jogador se encaixar na história incorporado naquele "boneco". Tommy Vercetti chegou em Vice City para quebrar de vez com esse gelo. Como disse o Ervo em seu review ele é um "sujeito que fala mais que a boca, corajoso, esperto e dotado de bom humor". Em San Andreas, a "parada" fica um pouco mais séria. Seu protagonista, apesar de compartilhar algumas características com Vercetti como sua destreza, não é exatamente alguém com muito carisma já que sua realidade é diferente da vivida por Tommy. CJ é um rapaz de origem humilde, negro, que saiu de Ganton, seu bairro, há cinco anos após o assassinato de um de seus irmãos. Quando se despediu de sua mãe, parentes e parceiros de gangue para deixar de lado as pressões da vida em Los Santos, uma das cidades do estado de San Andreas, Carl não imaginava que cinco anos depois um acontecimento catastrófico o faria voltar, e dessa vez para ficar. Sua mãe foi assassinada e sua gangue, a Grove Street Families (a mais antiga de Los Santos), encontra-se enfraquecida nas ruas, sob ataque de gangues rivais e dividida por brigas internas. Obviamente, CJ (no caso você) não concorda com essas desavenças e por isso tentará ao longo do game não só reconquistar a confiança de seus familiares e amigos, mas também extinguir os conflitos internos, acabar com as gangues rivais e retomar o controle das ruas de San Andreas. A grande sacada da RockStar para esta versão foi criar um enredo muito mais substancioso que das outras vezes, com temáticas fortes, e rico em detalhes. Por essas e outras que por aí andaram comparando San Andreas com RPGs devido à sua grande complexidade. Logo nos primeiros minutos de jogos você vai ficar conhecendo vários personagens do elenco principal como os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Polaski que além de tirarem de CJ todos os seus pertences ainda o prendem pelo suposto assassinato de um policial. De volta ao lar para o funeral de sua mãe e em busca de apoio, Carl reencontrará seus parentes e amigos como seu irmão mais velho Sweet, sua irmã Kendl (e seu namorado Caesar), Big Smoke e Ryder. O que eu faço tio? Sei que a maioria absoluta de vocês enquanto lêem esta resenha devem estar lembrando de suas experiências com os GTAs do passado. Mas sempre há os marinheiros de primeira viagem que estão, nessa altura do campeonato, desesperados para chegarem em alto-mar e ver a beleza desse oceano. Granf Theft Auto San Andreas é um game de ação em terceira pessoa onde você, na pele de alguém que sempre vai ficar devendo alguma à justiça, fica a cargo de resolver missões dos mais vários tipos como fuga, escolta, roubos em geral, atentados, assassinatos (às vezes em massa), perseguição, furto em residências, marcação de território, enfim, crimes nada leves. Para toda ação uma reação e se policiais o virem praticando algum ato de vandalismo você será perseguido, preso, autuado e, já que estamos em um game, liberado da delegacia logo a seguir pagando uma propina (se bem que na vida real isso não muda muito). Se você for "abatido" em alguma missão, poderá continuar seu game após sair do hospital. Em ambos os casos, você perderá suas armas. Liberdade pra dentro da cabeça Temática forte é o lema de GTA: San Andreas. Personagens armados, falando linguagem vulgar e abusiva, prostituição nas ruas e em clubes de strip, gangsters fumando maconha em plena luz do dia (enquanto conversam com você), policiais corruptos fazendo chantagens são cenas muito comuns, vistas com extrema naturalidade durante o jogo. Autoridades americanas poderiam facilmente acusar o game alegando algum tipo alusão às drogas e à violência, mas eu prefiro enxergar com os olhos da produtora cuja intenção foi de apenas mostrar a vida como ela é, doa a quem doer, se valendo do fato de que seu protagonista, teoricamente o jogador, não aparece dando um trago em momento algum, isso sem contar que existem milhares de filmes muitos mais violentos do que o game. Apesar disso, CJ não é nenhum santo e poderá estar, dependendo da vontade do jogador, cometendo algum tipo de crime a cada 5 segundos, mas se lembrem, não se esquecendo de lembrar seus pais também, que isto é apenas um jogo e você não vai sair por aí matando velhinhas embora não consiga controlar esse mórbido desejo enquanto joga San Andreas. Born to be Wild Falando em liberdade, uma das maiores mudanças vista nessa versão é a extensão de seu "pequeno" mundo. Em GTAIII tínhamos uma cidade (Liberty City) dividida em 3 distintas regiões (Portland, Shoreside Vale e Staunton Island). No game seguinte tínhamos Vice City, uma alusão à Miami nos anos 80 (mais precisamente South Beach e uma boa parte do downtown). Em proporções métricas, a área de Vice City era menor que a de GTA III, mas esse downgrade não se repetiu agora, muito pelo contrário. Considerado um estado, San Andreas é formado por três grandes metrópoles, todas baseadas em regiões reais dos States - Los Santos, San Fierro e Las Venturas, que são as versões "RockStar" de Los Angeles, San Francisco e Las Vegas, respectivamente. Essas distintas regiões são tomadas por centenas de edificações representando tipicamente as áreas de subúrbio, zonas comerciais, zonas industriais, como em toda grande cidade. Uma das novidades de GTASA é o fato de que esses três centros urbanos não são mais ligados apenas por uma ou duas meras pontes. Existem muitas vilas localizadas na zona rural cortadas por estradas nem sempre asfaltadas e que servem de passagem para quem viaja de um lado para o outro do mapa. Dessa forma, a RockStar conseguiu criar uma concepção muito mais elaborada de "civilização", oferecendo um número muito maior de características do que nas versões anteriores. Maior, mais bonito e menos bugado Vários quilômetros quadrados de superfície tomada de edificações, e muitos outros repletos de árvore e matos, centenas de ruas asfaltadas, dezenas de estradas de barro, pontes, viadutos, passarelas, estradas de ferro, vilas, casas, estabelecimentos comerciais, conjuntos habitacionais (com vários prédios residenciais), cassinos, colinas, enfim, o "mundo" de San Andreas é indiscutivelmente um dos maiores já vistos em um game do gênero. O engine utilizado em GTA III vem sendo bem aprimorado desde a saudosa versão e hoje conta com muitos mais aspectos e ferramentas do que antes. Como sempre, nada aqui é construído utilizando trocentos polígonos ??? apesar da contagem maior nessa versão, a quantidade de polígonos não chega perto de muitos outros games já lançados. Mas, como sempre, estamos diante de uma espada de dois gumes, ou mais precisamente, de uma sakabatou (uma espada que corta do lado inverso). Por que a referência? O número reduzido de polígonos nos objetos e personagens tem um motivo muito justo e aceitável, sacrifício este em prol de uma produção artística soberba, tudo para se poder colocar na tela uma recriação o mais fiel possível das cidades em questão. Valeu a pena ou não? Mesmo assim, nesses vários anos muitos avanços foram feitos na engine de GTA. Hoje, o motor gráfico do game conta com efeitos e tecnologias antes inexistentes. Dando um ar mais abrangente de realismo, eles criaram, por exemplo, um filtro visual para representar de maneira verossímil o calor da área urbana de Los Santos. Se você parar e ficar observando o céu não testemunhará um mero passar do dia. Você verá a noite gradativamente dando lugar ao dia com o raiar do sol, o calor representado pela fumaça de um chão mormacento, e com o entardecer, o crepúsculo e aquela tonalidade avermelhada do céu dando lugar novamente à noite. Estupendo. Tudo isso claro, se não chover durante o ciclo. San Fierro apresenta uma climatização diferente com constantes chuvas e fog enquanto que Las Venturas é sempre bem ensolarada devido à sua localização próxima do deserto. Com o crescer da cidade, novas áreas internas também foram criadas, aumentando ainda mais a interação do jogador com seu meio. Cafés, bares, restaurantes, supermercados, fast-foods, cassinos, casas de aposta, domicílios são exemplos do que CJ poderá visitar durante o jogo. Dentro dessas dependências é possível reparar dezenas de objetos no cenário, recriando com fidelidade esses característicos ambientes americanos. Respeito não tem preço, mas a casa ao lado tem Dinheiro sempre foi o motivo de tudo em GTA. O ciclo do game era formado, nesta ordem, do cumprimento de uma missão, da soma dos lucros no final, da compra de novas armas e para a missão seguinte. Em San Andreas há algo novo "na parada", muito mais importante do que o velho esquema de juntar grana. No decorrer das primeiras missões, enquanto você tenta reconquistar a confiança de seus irmãos, você será bonificado apenas com mais pontos de "respeito", prova de que você está seguindo no caminho certo e de que as motivações de CJ envolvem interesses pessoais e lealdade à família acima de tudo. ?? bom ir se acostumando porque o caminho da fortuna não é mais cumprindo os objetivos impostos. Como de costume, para se juntar uma grana existem diversos meios ilícitos, mas agora também há outros perfeitamente legais. Matando transeuntes, roubando carros e os exportando, assaltando residências são exemplos de como se adquirir uma boa merreca e de como virar alvo fácil da polícia. Entretanto, se você prefere a legalidade (ha, ha, ha) pode tentar ganhar a vida em mini-jogos, cassinos e até mesmo em ferozes corridas. Há alguns joguinhos musicais que pode ser uma boa fonte de renda no início do jogo. Indo a um certo lugar no mapa com um carro com suspensão alterada e poderá participar de um torneio de "Dance Dance Automobilístico" (no caso, quem dança é o seu carro) onde ganha quem conseguir acertar mais vezes o ritmo da música. Quem curte apostas, poderá fazer uma "fézinha" em corridas de cavalo em casas específicas ou, mais para frente, tentar a sorte grande nos cassinos de Las Venturas. Máquinas de caça-níqueis, vídeo poker, roletas são uma boa fonte de renda para quem tem sorte com cartas e fichas, mas cuidado porque as apostas podem ser altíssimas. A função do dinheiro em San Andreas é o mesmo das versões anteriores servindo para compra de armas, comida ou para comprar novos apartamentos (safe houses). Nesse último caso é possível juntar uma grana extra recebendo uma espécie de aluguel; basta passar um tempo e um cifrão em frente à sua nova casa aparecerá com o valor a ser recebido. Fast Food + Sedentarismo = Rolha de Poço Sim, são várias as novidades de GTASA e algumas delas estão diretamente ligadas ao seu personagem principal, mais precisamente ao visual de CJ. No início do jogo, quando nosso amigo volta para Los Santos, ele é um magrelo de calça jeans, camiseta branca e tênis, nada chamativo, mas também nada intimidador. Um de seus irmãos chega a ponto de mandar você dar uma geral no seu visual para não envergonhá-los nas ruas. Escolher um penteado diferente e mudar suas roupas não é apenas uma questão estética, pois aumenta seu nível de respeito e, melhor de tudo, sex appeal. Existem várias lojas "de marca" espalhadas pelas cidades e você pode, a qualquer momento do jogo, dar uma passada em uma delas para comprar camisas, camisetas, casacos, calções, calças, bonés, óculos, cordões, tênis, tudo em versão social ou esportiva. Montar um looking decente é imprescindível para melhorar seu nível de respeito. Em adição você também pode escolher algumas bandanas, máscaras e outros acessórios bem estranhos. Quem curte andar sem camisa poderá também se exibir com algumas tatuagens bem entrosadas que podem ser feitas nos braços, no peito e/ou nas costas. A forma física de seu personagem passou a ter importância em GTASA, assim como comer e o que comer. Freqüentemente no jogo você será surpreendido por vibrações no Dual Shock avisando que CJ está perdendo stamina e que você deve naquele momento parar tudo que estiver fazendo e comer. Existem dezenas de lanchonetes e restaurantes no jogo onde seu personagem pode se alimentar e recuperar sua energia seja por causa da fome ou por causa dos tiros que você levou na missão anterior. Nesses estabelecimentos você poderá optar pela barateira fast food ou refeições prontas, que são mais caras. Obviamente, como na vida real, ficar comendo hamburgeres e pizzas vai fazer o corpo de seu personagem ganhar uns quilos indesejados. Além disso, se você não visitar regularmente a academia e gastar alguns minutos de seu tempo na esteira ou levantando pesos, vai acabar se transformando em uma rolha de poço ambulante. Ações normais em missões como pedalar, correr, nadar também valem como formas alternativas de exercício. "Ah, mas eu curto o visual cheinho". ?? verdade que você tem realmente liberdade para deixar seu protagonista do jeito lhe convier, mas vale lembrar que aquelas gordurinhas localizadas do pescoço para baixo atrapalham e muito na hora de resolver certas missões. Nada contra os "fofinhos", mas imaginem a cena: CJ está na rua, vê um Balla (gangue rival), o mata com algumas facadas (economia de munição) e começa a correr para fugir dos outros e da polícia. Ele dá cinco passadas aceleradas e pára, completamente esgotado, e é metralhado pelos outros gangsters. Péssimo para sua reputação, sem contar que seus socos ficam mais fracos. Apesar de GTASA não ser um RPG, CJ ainda pode melhorar seus atributos em determinadas habilidades durante o jogo. Quanto mais tempo você passar andando de bicicleta, de moto, dirigindo ou nadando, melhor ele se tornará nessas habilidades individuais. Quando você alcançar uma certa massa muscular, também poderá aprender uma variedade de golpes de boxe na academia que servirão muito bem nas ruas, para aquelas ocasiões especiais em que sua AK-47 ficar sem munição. San Andreas: Um estado que não pára Construir uma cidade virtual e dar vida a seus habitantes não é nada fácil. Construir em estado então, composto de três metrópoles é mais trabalhoso ainda. Há muito a ser feito e implementado e é quase impossível criar algo totalmente verossímil. Mesmo preso às atuais limitações de hardware, GTASA é um dos atuais jogos que mais rotinas de AI utiliza em seus NPCs. Se você ficar parado observando as pessoas poderá presenciar diversas cenas comuns do dia-a-dia de uma metrópole como pequenos roubos, ladrões em fuga, policiais perseguindo, tiroteios, gente desesperada na rua, acidentes, entregadores de pizza, guerras entre outras gangues. Cada tipo de personagem possui comportamentos diversos ??? uma prostituta, por exemplo, vai elogiar você se você estiver "saradão" enquanto que a mesma nem vai te dar muita bola se você estiver gordo. Da mesma forma, seus amigos de gangue só virão com você se sua aparência estiver aceitável, dentro de seus moldes. O resultado de todas essas implementações e variedade na IA, associadas à reconstrução virtual o mais realista possível das cidades em questão, é uma ambientação majestosa e gigantesca que de longe supera os games anteriores da série e muitos outros títulos do mercado. Vamos para a Escola Se já não bastasse o estilo "tutorial" em que são apresentadas as primeiras missões de GTASA, o pessoal da RockStar quer ter certeza de que você está apto a encarar todas as dificuldades de seu game. Para isso o jogador precisará passar por um treinamento severo em algumas escolas espalhadas pelo game. Escolas de como andar de bicicleta, de direção, de pilotagem e de navegação poderão ser visitadas e proverão ao jogador treinamento adequado para cada uma dessas habilitações e, de quebra, alguns bônus de quatro rodas que prefiro não comentar para não estragar a surpresa. Nas lojas de armas e munição você também poderá participar de uma pequena disputa com outros atiradores em busca de alguns presentes secretos. Side-Quests Uma das maiores qualidades de GTA é o seu poder de entreter o jogador nos momentos em que ele não está prosseguindo no jogo. Antes de pegar uma missão, existem dezenas de coisas diferentes a serem feitas que é justamente o que mantém o game "fresquinho" por muito tempo, poderia arriscar a dizer quase interminável. O simples fato de você dirigir de uma cidade para a outra apreciando a paisagem é um meio de atestar as qualidades visuais do game, checar as culturas diferentes do pessoal da periferia ou apenas de presenciar a natureza intocada das regiões montanhosas do game. Se você prefere as noites do subúrbio, poderá visitar alguns clubes e se divertir com dançarinas privadas às custas de alguns trocados. Em um determinado momento do jogo, assim que você "acordar" vamos dizer assim, não terá tempo nem para respirar, pois perceberá que sua gangue está sob ataque necessitando uma intervenção sua imediatamente. Manter o território de atuação de sua gangue faz parte dos "extras" do game e vai mantê-lo ocupado por um bom tempo. De que adiantaria malhar tanto se você não pode pegar nenhuma garota? Em GTASA você poderá passar um tempo ao lado de sua namorada, mas não pensem que será uma moleza manter a relação só porque é um jogo. Ao todo serão cinco mulheres que aparecerão na vida da CJ em momentos distintos e cada uma tem seu próprio temperamento e gostos. Por exemplo, a primeira, Denise, não só liga toda hora como é uma tremenda psicótica assassina que atira em todo mundo quando sai com você de carro. Não adianta levar ela para jantar, o negócio dela é pinga. Visite freqüentemente o bar com ela e rapidamente sua relação chegará a 100% e um bônus lhe será garantido (namoro por interesse?). Não atenda às suas ligações e rapidamente você ficará sozinho. Ah, e nunca esfaqueie sua garota no primeiro encontro, se bem que às vezes essa parece ser uma excelente opção... De quebra, nas casas de suas namoradas está disposta outra novidade dessa versão: o modo multiplayer. Enquanto você controla CJ, o outro jogador poderá experimentar um pouco da diversão na pele da garota, mas só há dois tipos de atividade para esse modo: livre e rampage onde os dois terão que matar um certo número de indivíduos em um curto espaço de tempo. Nas duas últimas edições, havia um item secreto chamado "Hidden Package", pacotes de cocaína escondidos nos cantos mais sórdidos das cidades. Não fazendo parte do contexto do jogo, eles eram ao todo 100 e serviam como incentivo para o jogador checar com atenção todo e qualquer local suspeito incluindo telhados, matos, sacadas, embaixo de pontes. Os HPs se foram, mas deixaram substitutos, quatro para serem mais exatos. O primeiro item secreto são as 100 pichações de gangues rivais espalhadas apenas em Los Santos. Diferente da cocaína, achar estas pichações tem um significado importante, pois quando você, de posse de seu spray de tinta, sobrepõe as marcações inimigas você ganha mais pontos de respeito. Para as horas mais tranqüilas da vida de CJ, uma máquina fotográfica poderá ser usada para... hum, tirar fotos. Essas imagens são salvas no Memory Card e podem ser averiguadas a qualquer momento do jogo. Encontrando 50 locais específicos em San Fierro servirá para habilitar 4 novas armas. O mesmo esquema de bônus será usado para quem encontrar as 50 ferraduras espalhadas por Las Venturas. Para terminar o mais difícil, quase impossível: as ostras. Existem 50 dessas espalhadas pelos mares que dividem as três cidades e achá-las é uma missão realmente demorada. Pelo menos o extra é o aumento significativo da sua respiração e sex appeal. Grand Theft for Speed: Underground A menção ao título da EA não foi exatamente o que podemos chamar de justiça. Games mais antigos foram pioneiros nessa onda de modificações de carros que anda assolando principalmente os jogos de corrida. GTA não é GT, mas não fica de fora dessa febre. Todas as carangas vistas em San Andreas podem ser alteradas ao bel prazer do freguês: lataria, frisos, pinturas, nitros, amortecedores, decalques, tudo que você puder imaginar pode ser ajustado, instalado ou modificado em seus carros. Obviamente, o nível de opções é menor que em games como NFSU, mas o que há disponível é mais do que satisfatório. Cair na estrada e acelerar fundo até a tela ficar distorcida por causa do "blur" é uma ótima sensação que não estava até então associada com GTA. Ruim é acabar batendo em alguma curva e ter sua linda máquina remodelada destruída em um barranco ou inutilizada no mar. Essa não é a única mudança que os jogadores poderão experimentar atrás do volante. A física de direção foi completamente alterada e, para nossa felicidade, melhorada ??? você agora nem pode mais dirigir no direcional digital, só no analógico. Guiar suas carangas está mais preciso que antes, sem contar que cada um dos veículos do game tem suas próprias particularidades, e sua própria maneira de responder aos comandos. O engine de física dos automóveis não ficou de fora das melhorias e está pau-a-pau com os melhores games de corrida do mercado. A variedade de veículos encontrado em San Andreas também chama bastante a atenção. Como existe um número maior de vias, está bem mais difícil de você se deparar com aquele modelo específico de carro. Muitos dos carros das versões anteriores estão aqui, com seus velhos nomes fictícios. Como novidade em termos de veículo podemos citar a bicicleta (BMX) que pode ser usada em áreas específicas do game para manobras radicais (180, 360, Superman, Backflip, entre outros). Em determinadas ocasiões é possível até seqüestrar trens e passar o tempo de uma maneira nada comum. Os clássicos carrinhos de golfe, tanques, lanchas e carregadores de bagagens do aeroporto não poderiam estar de fora dessa versão. Saindo do chão e indo direto para o céu, helicópteros, aviões bimotores e jatinhos particulares são os melhores meios de transporte em San Andreas. Quando você tiver de posse de seu brevet poderá ir a qualquer momento no Aeroporto e pilotar uma aeronave para viajar para outras áreas. ?? difícil descrever a maravilhosa sensação de planar pelos ares imundos de San Fierro, mas é muito fácil detalhar a sua queda após o impacto de um míssil das forças armadas. Foi no Baile funk, Morro do Boréu Não, Graças a Deus o funk de GTA é o original. Uma das marcas registradas da série, pelo menos desde o III, é a sua grande variedade de composições. Sempre e apenas quando o jogador estiver dirigindo, um acervo musical estará à disposição com dezenas de rádios apresentando suas programações únicas. São ao todo 11 estações (X, Master Sounds, Bounce FM, Playback, K-DST, K-Jah Radio West, CSR, K-Rose, Radio Los Santos, SF-UR e WCTR) cada uma com seus próprios apresentadores e/ou DJs e os mais variados estilos musicais, representados por bandas e artistas mundialmente conhecidos. Que tal escolhe entre Depeche Mode, Guns n' Roses, James Brown, Bobby Byrd ou Kool G apenas apertando um botão? Existem muitos outros cantores mas ao invés de citá-los, melhor mostrar a vocês o caminho para luz. Tem Rock, Rock Progressivo, Soul, Techno, Groove, Funk, Hip-Hop, Dancehall, Ragga, Reggae, Dub, Sing, Soul Moderno, Country, Underground, House, tem até um hilário Talk Show com direito a ouvintes participando e muita propaganda que poderia ser mais bem aproveitado se geralmente não estivéssemos mais preocupados com a estrada. Quebrando o tabu com extrema eficiência, as dublagens de San Andreas estão equiparadas com as das melhores produções cinematográficas. Os diálogos de CJ com seus irmãos são esplendidamente representados por um elenco competente de dubladores, que incluiu figuras famosas como Samuel L. Jackson e Chris Penn que interpretaram os policiais corruptos Frank Tenpenny e Eddie Pulaski respectivamente. O ouvinte consegue distinguir rapidamente o que aquele personagem está sentindo naquele momento apenas com o tom de sua voz. Sotaques, e até diálogos em outras línguas poderão ser ouvidos pelo jogo, assim como murmurinhos de pedestres e outras conversações alheias da qual você não faz parte, mas escura só por passar perto. Esse trabalho artístico na parte da sonorização ajudou e muito à criação de uma ambientação perfeita, dentro do possível. De AK a Jet Pack Gangster que se preze tem que se nas ruas usando seus punhos. Logicamente quanto se trata de uma batalha desvantajosa, não é nenhum ato de covardia manter o seu respeito com alguns tiros. Durante o game CJ terá acesso a um arsenal de primeira com armas não só de fogo, mas também de concussão como bastão de beisebol, pá, cassetete e até um consolo(?), e brancas como a faca e a katana, que retorna de Vice City. Dentre as armas de fogo estão as já conhecidas pistolas (9mm), espingardas, fuzis, Uzis, AK-47, Lança-Foguetes, snipers entre outros. Granadas e coquetéis Molotov são alguns outros itens muito úteis para dar cabo de vários elementos das gangues rivais de uma só vez. Incrementando a grande variedade de objetos usáveis no game temos também a câmera fotográfica (cuja utilidade já foi citada), a lata de spray (idem), as flores (suas namoradas vão adorar) e o colete, que obviamente aumenta sua resistência física. Sem me delongar demais, vale citar a existência de um jet pack que você pega no meio do jogo e que serve para ter um panorama muito legal das cidades e de sair fora do encalço do polícia. Mil em Um Geralmente existe uma parte da análise que dedico a citar os defeitos do jogo. Mas, pela primeira vez, preferi não bater nesse ponto porque achei desnecessário apontar as falhas de GTA. Os bugs existem, persistem, vem das versões anteriores, mas o que deixava os jogadores levemente frustrados antes não é mais um grande problema em San Andreas. Deslizes com colision detection, pop-ins de carregamento podem ser considerados questões sérias para alguns jogadores mais detalhistas, mas na realidade nada disso importa em GTA. A grandiosidade da nova versão da série da RockStar prova que apesar de estarem sentados na grana o sucesso não subiu as atarefadas cabeças dos criadores que cumpriram seu compromisso com os fãs provendo um dos maiores e mais complexos títulos da atualidade, o mais empolgante e viciante game a ter tocado o acervo do PS2. As numerosas qualidades de San Andreas ofuscam seus deslizes e fica difícil imaginar alguém que tenha o console da Sony e que não esteja pensando em comprar, alugar ou roubar (NE.: não faça isso) a sua cópia. Há tanto para se passar o tempo em San Andreas que jogá-lo até chegar o próximo GTA será um prazer infindável.
Fonte: Finalboss
marped
Enviado por marped
Membro desde
Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
label