.
6

Análise do jogo "Aliens vs. Predator" para X360 escrito por Eurogamer

Escrito por Eurogamer, nota 6 de 10, enviado por Giordano Trabach,
Três diferentes tipos de raças, duas delas alienígenas, cada uma com os seus propositos e objectivos, cada uma com os seus pontos fortes e fracos, todas elas lutam pela sua sobrevivência. Isto é a essência de Aliens vs Predator, e foi sempre isso, pelo menos na minha opinião, que os filmes de Aliens vs Predator retrataram. A Rebellion tenta com este novo título ressuscitar este ???envelhecido??? franchise, e de certa forma, em alguns aspectos conseguiu ter sucesso no seu objectivo, mas para um jogo que mete à mistura duas das mais mortíferas raças alienígenas de todo o universo, esperava que o resultado fosse algo mais explosivo e emocionante. No princípio, se escolhermos começar como Marine, o jogo consegue nos envolver na sua atmosfera, o medo é constante e assume controlo das nossas acções, temos receio de nos mexer e antes de o fazermos, observamos atentamente todos os ângulos. Nos ambientes fechados a escuridão rodeia-nos e apenas temos a pequena luz de uma lanterna e um radar para orientação. Quando o radar começa a apitar significa que o perigo está perto e adrenalina sobe de forma exponencial. O problema que afecta esta campanha, é que todas estas emoções iniciais começam a perder o efeito no decorrer da campanha como Marine, que apesar da sua curta duração, consegue se tornar monótona, desinteressante e banal. Os Aliens infiltram-se bem no escuro, por vezes demasiado bem. ?? comum, quando o radar começa a apitar, perdermos alguns segundos a tentar avistar os Aliens. Por vezes estão mesmo debaixo dos nossos narizes e mesmo assim não os conseguimos ver. Quando somos atacados por vários Aliens ao mesmo tempo num ambiente escuro, é difícil manter a orientação, e por vezes acabamos por perder a vida. Este factor ajuda a recriar de forma fiel a tensão e o medo de sermos atacados por um grupo enraivecido de Aliens. Por incrível que pareça, em Aliens vs Predator não podemos abaixar-nos, e por consequência, para nos protegermos de ataques inimigos temos que procurar um objecto qualquer que nos cubra o corpo todo. Outro elemento essencial num FPS que não está presente em Aliens vs Predator são as granadas. No entanto, existem ataques corpo-a-corpo que provam ser bastante úteis para contra-atacar os inimigos. Se pensam que o Marine é elemento mais fraco do jogo, enganam-se, estamos bem armados. Temos metralhadoras, espingardas, snipers, lança-chamas, uma pistola com munição ilimitada, e uma arma com mira automática, que às vezes não funciona correctamente. Com estas armas podemos desmembrar os Aliens, como arrancar uma perna ou um braço, incapacitando-os e deixando-os a rastejar. Depois de os matarem cuidado com o seu sangue ácido, se passarem por cima deste perdem vida. Depois do Marine, temos claro as criaturas mais perigosas do universo, o poderoso Predator e o voraz Alien. Digo desde já que ao jogar as campanhas destes dois, senti que foram deixadas para segundo plano, talvez devido à sua menor duração, repetitividade e por não aproveitarem as capacidades máximas que estas espécies têm para oferecer. Com o Predator podemos dar grandes saltos e alcançar sítios em que podemos observar calmamente o plano geral e planear a melhor forma de atacar as nossas vítimas. A componente stealth é algo importante quando jogamos como Predator, e para termos sucesso na nossa missão, temos um conjunto de armas e tecnologia super avançada ao nosso dispor. Das três espécies disponíveis em Aliens vs Predator, considero o Predator a mais poderosa e vantajosa delas, principalmente no modo online, no qual falarei mais adiante. A vossa arma principal é a garra postiça localizada no braço direito. Com esta podem executar ataques leves, e ataques pesados, que aumentam significativamente o dano causado mas elevam o tempo de execução. Para além desta garra, temos um canhão de plasma, um disco controlado à distância e uma lança. Com este conjunto de armas, o Predator consegue adaptar-se facilmente a qualquer situação, mas é preciso saber usá-las de forma perspicaz. Uma coisa deveras estranha é a invisibilidade do Predator. Digo deveras estranha porque esta não resulta como deveria. Apesar de estarmos invisíveis, a IA só consegue miraculosamente detectar-nos se estivermos muito perto deles, o que não deveria acontecer porque afinal estamos invisíveis. Outra coisa em questão, é que esta não dura para sempre, e temos que estar sempre a activa-la novamente se não quisermos ser detectados. Equiparo jogar com o Alien a uma viagem numa montanha russa. Quando forem jogar com esta espécie, preparem-se para correr pelas paredes, tectos, árvores, tudo o que encontrarem à vossa frente, não existe limites. Isto até pode parecer divertido, mas acreditem, não existe muita diversão nisto. Após aproximadamente uma hora a jogarem com o Alien, vão ficar com náuseas e dores de cabeça, isto aconteceu-me várias vezes. Para conseguir-mos transitar entre as paredes e tectos necessitamos de pressionar o gatilho direito, mas às vezes este procedimento não responde correctamente e outras vezes nem sequer é necessário. Isto torna esta mecânica inconsistente e ineficaz. ?? semelhança do Predator, a componente stealth tem grande importância na jogabilidade do Alien. ?? preciso saber esperar pacientemente na escuridão e esperar que a nossa vítima se afaste do grupo. Podemos atraí-los com um berro para que esta se aproxime de nós. Quando finalmente surge a oportunidade, temos de atacar rapidamente e voltar para a escuridão para não sermos detectados. O Alien possuí também um ataque leve e um ataque pesado. Quando pressionamos o gatilho esquerdo, accionamos o modo focus, em que focamos uma presa, damos um enorme salto e atacamos de surpresa. Depois temos as ???Trophy Killls???, apenas temos que pressionar quadrado (versão PS3) quando indicado para aniquilar os nossos inimigos de uma forma brutal e sangrenta. Ambos Alien e Predator possuem estas habilidades. Apesar de existirem três campanhas distintas, todas elas se parecem iguais, apenas diferindo na espécie com que jogamos. Os objectivos resumem-se basicamente a irmos do ponto A ao ponto B, matar todos os inimigos que encontrar-mos pelo caminho e activar algum dispositivo ou pressionar um botão qualquer para conseguirmos aceder à próxima área. Os mapas são sempre os mesmos em todas as três campanhas, e nas campanhas Alien e Marine a existência da espécie Predator é quase nula, e quando este finalmente aparece, o confronto não se desenrola da melhor forma e não demonstrando a verdadeira força e talento do Predator. As lutas com os bosses são bastante fáceis Em termos de enredo, digamos que o jogo se consegue manter ao nível dos respectivos filmes. A empresa Weyland-Yutani encontra um antigo templo num planeta qualquer e tenta descobrir as suas origens. Inicia-se a procriação de Xenomorphs (Aliens) e como já era de esperar, esta experiência corre mal e os ditos conseguem-se libertar do controlo desta empresa, e causam o caos no planeta inteiro. De alguma forma um aviso é lançado aos Predators que se dirigem imediatamente a este planeta para caçar os Aliens, o seu inimigo favorito. Os gráficos não surpreendem, as texturas, as animações faciais e os detalhes nos ambientes e objectos são fracos. As cinemáticas estão razoáveis e os Aliens e Predators estão bem representados no geral. Em algumas animações é possível observar uma linha branca ou preta que rodeia certos elementos, presumo que isso não deveria acontecer. Como a maior parte do jogo se desenrola em ambientes com pouca luz, a maior parte destes defeitos gráficos apenas é observável em locais expostos à luz do dia, como é o caso do nível da Floresta. Quem viu todos ou alguns filmes deste franchise, quando jogar Aliens vs Predator, vai sentir-se uma sentir-se em "casa". O design dos níveis mantém-se fieis aos cenários do cinema. Os níveis interiores são escuros, estão repletos de sangue a escorrer pelas paredes e pessoas completamente desfeitas em pedaços. As colmeias dos Aliens são aterradoras, existem pessoas com face huggers na cara, tudo é húmido, viscoso e os Aliens surgem às manadas de forma inesperada. Outro aspecto que é de louvar em Aliens vs Predator é a componente sonora. Tudo é bastante fiel aos filmes, o som das armas a disparar, a fala dos Predators, os guinchos dos Aliens e uma música de fundo sempre presente que faz parecer que estamos prestes a ser atacados a qualquer momento. Tudo isto ajuda a criar a atmosfera em que o jogo nos tenta inserir. Tenho pena de dizer que o Marine que controlamos é mudo, durante a campanha Marine não disse nenhuma palavra, nem mesmo quando lhe foram dirigidas questões, o que faz com que a interacção entre as personagens seja pouca ou até mesmo inexistente. As falas não conseguem transmitir nenhuma emoção, é como se estivessem presentes apenas para nos dar ordens e indicar o nosso próximo objectivo. Para além das campanhas single player, temos o modo online. Existem vários modos multiplayer sendo alguns deles o Deathmatch (presente na demo), Predator Hunt, Infestation, Survivor, entre outros. Em relação ao modo Deathmatch, notei que a Rebellion tentou manter um certo equilíbrio entre as vantagens de cada espécie, mas mesmo assim pareceu-me desequilibrado. Neste modo quem for um Predator tem clara vantagem devido à invisibilidade. Se host do jogo online em que se encontram se desconectar, vai tudo abaixo, o que não parece propriamente correcto. Para além disto, podem ainda jogar em modo cooperativo com quatro amigos, e tentar sobreviver o máximo possível às vagas de Aliens que vos vão atacando. O modo online, apesar dos seus defeitos, continua a representar o melhor que Aliens vs Predator tem para oferecer aos fãs deste franchise, poderá se tornar agradável e bastante divertido. ?? pena que as três campanhas sejam extremamente curtas e que nenhuma delas tenha atingido o seu verdadeiro potencial. A juntar a isto, temos ainda uma jogabilidade demasiado básica e que sofre de varias limitações. A conclusão é que Aliens vs Predator é um jogo que necessitava de aperfeiçoar certos aspectos, mas mesmo assim, não é um jogo mau de todo, mas exige um olhar atento antes de ser adquirido.
Fonte: Eurogamer
Giordano Trabach
Enviado por Giordano Trabach
Membro desde
23 anos, Espírito Santo
label