.
88

Análise do jogo "Fatal Frame II: Crimson Butterfly" para Wii escrito por E-Zine/MyGames

Escrito por E-Zine/MyGames, nota 88 de 100, enviado por Anônimo,
[img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3Byb2plY3QtemVyby0yLXdpaS1tZy1hbmEtaW1nMC5qcGc=[/img] Antigamente, jogos como Resident Evil, Silent Hill ou Alone in the Dark eram reis e senhores do género de terror nos videojogos. Alguns anos depois e numa era em que tudo precisa de ter mais acção e tiroteios do que sustos, até grandes esperanças como Dead Space sucumbiram lentamente ao festival de balas. Hoje em dia, é preciso procurar bastante bem para descobrir um bom jogo de terror à moda antiga e experiências como Amensia the Dark Descent são gotas no deserto, do que é o pânico de jogar um jogo que nos faz saltar da cadeira e ter medo de virar a próxima esquina. Porém, ainda há sinais de resistência e o oriente volta a colmatar a ausência de bons jogos de terror com o regresso da série Project Zero (também conhecida como Fatal Frame), que surge como um dos últimos grandes jogos da Nintendo Wii. Será que a versão definitiva de Fatal Frame 2: Crimson Butterfly consegue trazer o terror de regresso com Project Zero 2 Wii Edition? Project Zero 2 Wii Edition conta a história de Mio e Mayu, duas irmãs gémeas que cresceram juntas. Um certo dia, enquanto passeavam pelo bosque, Mayu é atraída pela presença de uma borboleta que a leva para uma zona remota. Preocupada com a irmã, Mio tenta persegui-la, apenas para encontrar a jovem perto de uma aldeia abandonada no meio da floresta. Como seria de esperar, e sendo um jogo de terror, a aldeia não está tão vazia como imaginam e mais cedo do que poderiam desejar, as duas irmãs são confrontadas com diversas aparições e espíritos de almas penadas que habitam esta zona esquecida. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3Byb2plY3QtemVyby0yLXdpaS1tZy1hbmEtaW1nMS5qcGc=[/img] Apesar de nem todas as almas serem perigosas e prontas a fazer mal a Mio e Mayu, as gémeas vão encontrar centenas de aparições com muito más intenções. Para as combater, as gémeas vão ter a seu dispor a um artefacto conhecido como Camera Obscura, uma máquina fotográfica à moda antiga que permite ver os espíritos e assim eliminar a sua presença. Como devem imaginar, isto é uma tarefa que é bem mais fácil dizer do que fazer, pois se alguns fantasmas e almas penadas são bem mais lentos e menos agressivos, outros são velozes e tem tendência a desaparecer, apenas para surgir pelas nossas costas ou de uma parte do cenário. Muitas vezes estes "combates" travados decorrem quase como que um jogo de estratégia onde é necessário medir as consequências e saber qual é altura ideal para preparar a câmara ou recuar para ganhar espaço. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3Byb2plY3QtemVyby0yLXdpaS1tZy1hbmEtaW1nMi5qcGc=[/img] Quando não têm de se preocupar com as almas perdidas, Project Zero 2 Wii Edition funciona como um jogo de acção na terceira pessoa onde exploram vários cenários, recolhem objectos que servem como pistas ou peças de um puzzle, e resolvem alguns enigmas que ajudam a avançar na história, o que revelam a pouco e pouco cada vez mais sobre o enredo tenebroso por detrás da aldeia. Para esta versão da Wii, além do trabalho visual empregue (que falarei mais tarde), foram feitas algumas alterações e modificações para aproveitar algumas das potencialidades da consola. Para começar, vários elementos dos cenários foram redesenhados para funcionar melhor com o novo posicionamento da câmara, o que ameniza a sensação de claustrofobia, mas também cria um maior sentimento de pânico ao conseguimos ter a percepção de que algo de aproxima pelas costas, sem saber bem o que é (a Mayu conseguiu assustar-me assim algumas vezes). [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3Byb2plY3QtemVyby0yLXdpaS1tZy1hbmEtaW1nMy5qcGc=[/img] Outra novidade passa pela utilização do comando da Wii para aproveitar certos elementos de jogabilidade, como é a possibilidade de utilizar o comando para apontar a lanterna ou sacudir umas certas mãos "marotas" que por vezes surgem quando tentamos apanhar um objecto ou passar por uma cortina/porta. Onde Project Zero 2 Wii Edition ganha uma série vantagem em relação aos jogos de terror cheios de esteróides da actualidade, é pelo facto de nos colocar no controlo de uma personagem notoriamente frágil que tem de explorar um mundo de horrores tipicamente japoneses, que como muitos já devem saber, especialmente os fãs do género, são alguns dos mais assustadores que podem encontrar. Seja pela ambiência dos cenários, o posicionamento de alguns acontecimentos ou as figuras criadas para nos assustar, não há dúvida que os japoneses sabem criar este estilo de terror como ninguém. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3Byb2plY3QtemVyby0yLXdpaS1tZy1hbmEtaW1nNC5qcGc=[/img] Além de ter a história principal, que ainda promete assombrar-vos por algumas boas horas, Project Zero 2 Wii Edition engloba também um modo extra conhecido por Haunted House. Neste modo, que podem partilhar com outra pessoa, vão entrar em várias casas assombradas para explorar o seu interior e chegar vivos ao final. Mas o que torna este modo interessante é o facto de não poderem mover a personagem livremente, sendo que usam o A para andar e olham em redor, de resto, precisam de ser valentes e evitar vibrar o comando quando são assustados para não subir a barra de pânico. Por acaso, o modo Haunted House foi uma das grandes surpresas deste pacote, e embora seja algo repetitivo e limitado, é sempre uma boa forma de passar um bom bocado com os amigos, especialmente ao desafiar os que dizem ser os mais valentes. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3Byb2plY3QtemVyby0yLXdpaS1tZy1hbmEtaW1nNS5qcGc=[/img] Visualmente, Project Zero 2 Wii Edition não está ao nível do melhor da Wii, mas o polimento e trabalho realizado para esta conversão está bastante bom, mostrando que o jogo envelheceu de forma graciosa em alguns aspectos e o que foi alterado apenas veio adicionar algo positivo ao seu todo. Todo o ambiente e espíritos foram criados de forma meticulosa e impressionante, concebendo uma atmosfera que tem tanto de assustador como de opressivo, o que é óptimo para um jogo deste género. Quero também destacar o trabalho feito para oferecer a Mio e Mayu um aspecto mais adulto e humano, do que os modelos mais "queridos e doces" que as personagens principais tinham no original. Sonoramente, não há muito a apontar. As vozes estão competentes e apenas são usadas quando necessário e não são estereotipas ao encontro de algumas localizações feitas com base no japonês. Como sabem, a música não é algo que seja uma constante neste estilo de jogos, mas tudo o que é som ambiente, barulhos ou gritos, são alguns dos melhores que ouvi nos últimos tempos dentro de um jogo deste género. É um trabalho digno de se lhe tirar o chapéu. Os problemas que consegui encontrar em Project Zero 2 Wii Edition foram poucos, mas alguns são dignos de nota. Para começar a movimentação da personagem faz lembrar um tanque, ou seja, é lento e demorado, mesmo para um jogo de terror. Eu percebo que isto ajuda a aumentar a tensão, mas por muito gentil que seja a nossa personagem, ela conseguia correr bem mais depressa ou ser mais veloz numa situação de pânico. Depois existe o factor surpresa, que resulta em sustos mais que previsíveis, um problema que não surge apenas por culpa do jogo, mas também pelo facto de já tudo ter sido mais que usado e reutilizado em diversos jogos ou filmes. E por fim, algumas cinemáticas surgem para compensar sequências que podiam estar interligadas por jogabilidade, o que corta um pouco a fluidez e ambiência. No geral, Project Zero 2 Wii Edition é um jogo de terror como deve ser, feito a pensar apenas na arte de assustar o jogador e desafiar os mais corajosos a explorar o seu mundo distorcido e tenebroso. Afinal, quando um jogo fica na nossa cabeça mesmo depois de uma sessão de jogo, apenas para nos lembrar que o escuro da noite não é muito confortável, é porque cumpriu bem a sua missão. Os verdadeiros fãs do género não vão ficar nada decepcionados.
Fonte: E-Zine/MyGames
label