GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Tokyo Xtreme Racer 3 para PS2 de GameVicio

por Ahrun, data  editar remover


Muitos não conhecem. Mas os jogos da série Tokyo Xtreme Racer ("Shotokou Batoru" no Japão), que teve seu nascimento no Dreamcast, certamente podem ser considerados como os antecessores de Need for Speed: Underground. Muito antes da famosa franquia da EA, TXR, criado pela produtora Genki, oferecia tudo que o primeiro jogo de corrida de rua com tunagem de carros da EA ofereceu. Embora não tivesse feito um grance sucesso, a série tem um bom grupo de fãs fiéis.

Tokyo Xtreme Racer 3, é o 4º jogo da franquia e o segundo jogo produzido para o PS2. Influenciado pela série de mangá/anime Wangan Midnight, TXR3 leva você, de novo, ao submundo das corridas ilegais realizadas nas maiores vias expressas do Japão (reproduzidas com a maior fidelidade possível).


Jogabilidade


Os modos de jogo são quatro: Quest (O modo principal de jogo), Free Run, Time Attack e Versus. O jogo é simples: Com 40.000 Créditos você poderá comprar um dos vários carros disponíveis do jogo (o interessante é que é possível ver a história de cada carro do jogo). Aliás, TXR3 é o primeiro jogo da série que usa carros licenciados de construtoras famosas como Mazda, Toyota, Mitsubishi, Nissan, Ford, Dodge e outras construtoras menos conhecidas como a De Tomaso (infelizmente Honda ficou de fora). Antes o jogo usava os modelos reais dos carros mas usando o número de série dos chassis deles para identificá-los.

Após comprar seu primeiro carro você escolhe em qual cidade você irá se instalar: Tokyo, Osaka e Nagoya. Uma vez escolhida a "base" você não poderá mudar de cidade até que você consiga derrotar todos os corredores da área.

Com tudo preparado, você verá um mapa da via expressa da cidade onde escolheu e poderá escolher em que ponto da via você irá iniciar sua caça. Uma vez dentro dela, você deverá passear com seu carro até encontrar um rival e desafiar ele para um racha usando os faróis de seu carro.

E é aí que o jogo se diferencia dos outros jogos de corrida de rua. O lance aqui não é chegar em primeiro a uma linha de chegada: Assim que o racha começa, duas barras de energia (como se fosse um jogo de luta) aparece. O corredor que estiver atrás do líder começa a perder progressivamente sua barra de SP. Quanto mais distante do líder, mais rápido essa barra se esvazia. Inclusive, você perde uma boa parte da barra se bater contra o muro ou algum outro carro. A corrida termina quando um dos pilotos tem sua barra SP esvaziada ou quando eles se dividem em uma bifurcação (em que será declarado empate). A cada corrida ganha (ou perdida) você ganha uma quantidade de créditos para poder fazer um upgrade no seu carro, melhorar seu visual, ou até mesmo comprar um carro novo (o jogo tem um limite de 5 carros mas é possível criar espaço para mais 5 ao custo de consumir 1 mega de seu cartão de memória) além de ganhar mais reputação (que é mostrado pelos apelidos que você ganha com nomes bem inspiradores como "Micróbio Paciente" ou "Mão de Ferro Grudenta"). E em casos específicos, você poderá enfrentar dois corredores ao mesmo tempo ou ainda enfrentar vários corredores um após o outro sem uma "recarga" completa da barra de SP.

O jogo segue neste ritmo, a medida em que você derrota os corredores de uma determinada gangue, você irá enfrentar o líder de tal gangue. Ao derrotar completamente todas as gangues da cidade, você enfrentará os membros de gangue principal. Há ainda os viajantes (Wanderers) que são corredores que não pertencem a uma gangue e aparecem em condições especiais que variam grandemente: Desde o dia da semana, passando por condições climáticas, o tipo de carro que você está pilotando chegando até mesmo a placa do carro que estiver usando (razão pela qual explica por que a Crave optou por deixar as placas dos carros em formato japonês ao invés da americana como era nas outras versões) ou ainda a configuração do volume das músicas do jogo.

Você deve estar perguntando "Ué? E o jogo fica assim até o final?". Sim. Tudo o que você faz em TXR3 se resume nestes 2 parágrafos acima. Mesmo assim, TXR3 consegue ser tão divertido quanto os outros jogos do gênero.


Tunagem


Por ser um jogo de corrida ilegal é esperado que o jogador possa tunar seu carro. TXR3 oferece várias opções de tunagem, desde comprando novas peças para melhorar a performance de seu carro (motor, escapamento, caixa de transmissão, radiadores) a ajustar a configuração de algumas delas (suspensão, troca de marchas, asa traseira) chegando até mesmo ao tunning visual (spoilers, pára-choques, capôs, rodas, cor e brilho do carro) podendo até escolher o material de certas partes que influenciam na dirigibilidade do carro (peças feitas de fibra de carbono deixam seu carro muito mais leve). Entretanto, nem todos os carros tem uma gama variada de modelos de peças.

Como se não bastasse, o jogo tem um próprio editor gráfico para poder fazer os desenhos dos adesivos (stickers) e até mesmo pintar seu carro da maneira como quiser. O editor gráfico é básico, não espere algo do nível de um Photoshop. Com um pouco de trabalho e criatividade é possível fazer um belo design para seu carro.


Música


As músicas do jogo, que varia do rock até o drum-n-bass são boas. Umas poucas músicas são irritantes (como as músicas que tocam na cidade de Osaka). O interessante é que você poderá mudar o estilo de música entre uma sessão de corrida e outra, quando você está na sua garagem. Embora a trilha sonora de Tokyo Xtreme Racer 3 não seja ruim, eu sinto falta dos eurobeats eletrizantes de suas primeiras versões.


Gráficos


Os gráficos de TXR3 estão na média. As luzes, faixas e letreiros luminosos refletem belamente em seu carro (dependendo do nível de brilho que você ajustou nele). Em noites chuvosas é possível ver um belo efeito de reflexo no asfalto e gotas caindo na tela quando você usa a câmera interna. Muitos podem achar os gráficos sem vida e monótonos ao contrário das cidades mostradas em Need For Speed Underground, Most Wanted e Carbon que são mais detalhadas e tem mais vidas (principalmente Underground 1 e 2). Entretanto, é necessário lembrar que as pistas e supervias mostradas neste jogo são versões virtuais de supervias que realmente existem em Tóquio.


Um jogo imbatível!


Como todo jogo que se preza, TXR3 também possui bugs e falhas. Embora a corrida seja realizada em várias vias expressas, as mesmas são meio que desprovidas de vida. Não existem muitos carros andando por aí e como se não bastasse, não há variação nenhuma: o único tipo de veículo comum que você vê no jogo é uma estúpida van amarela escrito "Official" (ao contrário da versão japonesa que tem mais variação de carros comuns.

Outro problema se refere a calibragem dos botões para acelerar... Nos meus primeiros minutos de jogo, eu tive que apertar o botão firmemente para que meu carro acelerasse e não demorou muito para que meu dedão ficasse um pouco doído de tanto fazer pressão no botão. Felizmente é possível configurar o controle para que eu usasse o controle analógico direito para acelerar e frear. Curiosamente o jogo não tem um comando para freio de mão.

Mas de todos os defeitos existente neste jogo nada pode superar isso: Existe uma corredora cujo apelido é Whirlwind Fanfarre (que aparece em Osaka na segunda metade do jogo). O requerimento para desafiar ela é que você tenha pelo menos 100.000.000 créditos. Durante o processo de localização, a Crave ajustou todos os preços e prêmios do jogo eliminando uma centena (100.000 se tornaria 100 por exemplo). O problema é que ela não ajustou a quantia mínima para poder desafiar Whirlwind Fanfarre (que deveria ser apenas 100.000) e como se não bastasse, durante este processo a Crave limitou a quantia máxima para 99.999.990. E derrotar ela é necessário para poder enfrentar o último corredor.

Ou seja, você nunca poderá zerar Tokyo Xtreme Racer 3 a não ser que você tenha um Gameshark ao seu lado. Caso não tenha, ao completar 99% do jogo, considere o jogo zerado e veja o final no You Tube. Realmente isto é um erro imperdoável por parte da Crave.


Conclusão


Apesar de sua jogabilidade simples e do fato de você nunca poder zerar o jogo normalmente, TXR3 consegue ser estranhamente viciante. ?? uma boa pedida de um jogo de corrida ilegal quando você estiver enjoado de jogos como Need for Speed ou Midnight Club.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
GameVicio
7/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Ahrun
©2016 GameVicio