GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Crysis para PC de Portal dos Games

por Anônimo, fonte Portal dos Games, data  editar remover


Crysis é um dos jogos mais bonitos, se não for o mais bonito, que já vimos. Mas mesmo além disso, é um shooter fantástico. Armas sólidas, inimigos inteligentes, e designs de níveis moderamente abertos misturam equipamentos com poderes nano para tornar esta diversão balística ainda mais sensacional.

Confira os fatos!

O fato de a produtora Crytek ter descoberto como criar uma estória que não caia em uma imersão melosa, mas sim um novo item realístico e excitante foi demais. O ato de voz é muito bom, as cenas internas do jogo são bem desenhadas para nunca te tirar da ação, e os alienígenas são na verdade ameaçadores e perigosos. A Crytek obviamente aprendeu muito sobre apresentação e narrativa desde seu último lançamento. De repente estava me importando com a estória que há no jogo e desejando tirar os alienígenas do planeta. Se eles não tivessem terminado como em Halo 2, eu teria ficado totalmente feliz com a estória que ajuda o jogo a progredir sempre.

Como em Far Cry, Crysis se passa em uma pitoresca ilha paradisíaca com exuberante vegetação e cercada por água. Os visuais impressionantes são até agora além de Far Cry que é difícil de compreender a Crytek, dado os poucos anos de tempo de desenvolvimento. Não são apenas aspectos técnicos que são impressionantes; são os detalhes dos modelos, arquitetura, e texturas. Se é o congelamento das barreiras na arma ou mudança na cor dos equipamentos nano para as diferentes habilidades, os pequenos toques estão para todos os lados. Quando você está olhando a neve na presença opressiva de uma nave especial alienígena em algum lugar na montanha, vagando pela superfície rochosa e por túneis de metal abaixo da superfície, camboleando pela selva densa, ou simplesmente olhando para a face de um dos incríveis modelos de personagens, é impossível não ficar emocionado com o que a Crytek conseguiu fazer tecnicamente.

Felizmente, a equipe de arte teve a chance de expandir seus horizontes de selvas simples para incluir interiores espetacularmente desorientadores de uma nave alienígena e uma parte da montanha coberta de neve. O interior da nave é especialmente de tirar o fôlego. Os verdes e cinzas estão espetacularmente misturados com luzes aliens brilhantes e alienígenas em si. O contraste entre as rústicas paredes de rocha cobertas por cristais e as de alta tecnologia dos aliens que é muito boa também. Os modelos de personagens que são rivais até mesmo para Half-Life 2 são especialmente marcantes. Não há tanta emoção, mas o estilo levemente cartunesco escolhido permite a suspensão de descrença e afastar-se do assustador efeito Beowulf. Como HL2, não há muito detalhe nas texturas faciais e enquanto a sincronização pode ser um pouco desanimador de tempos em tempos, essas são aquelas representações humanas verdadeiramente maravilhosas.

A única coisa que você terá de considerar seriamente antes de comprar o jogo especialmente pelos visuais é a potencia do seu PC. Crysis pode muito bem derrubar seu computador nos ajustes Very High. Ele terá um visual espetacular assim, mas ele pode ir muito bem se lentificado um pouco mais do que você provavelmente iria desejar e em alguns casos se tornaria impossível de se jogar. Em nosso teste no Windows Vista com um processador quad core, 4GB RAM, e um único 8800 GTX, tivemos alguns pontos significativos de lentidão com tudo muito alto para todo lado, mas a maioria confinada nos espaços. Ajustar as configurações em DirectX10 ajudou um pouco (você pode se cansar das configurações para conseguir as exatas misturas de resolução e detalhes em todas as configurações) ao mesmo tempo em que correr o jogo em DX9 solucionasse todos os nossos problemas e ainda parecessem espetaculares com tudo em alta resolução. Nós até mesmo poderíamos executar o DX9 em alta resolução a 1920x1200 com uma rotação de quadros boa o suficiente para jogar quase o tempo todo. Nesses raros momentos onde as coisas começam a fazer barulho, era fácil o suficiente simplesmente mudar a resolução por um minuto, o que pode ser feito dentro do jogo, que é outra característica incrível que infelizmente falta em tantos outros títulos. Felizmente, para aqueles sem os melhores computadores, Crysis ainda tem ótima aparência no ajuste Médio. Você não terá as mesmas características, mas Crysis nunca realmente é feio e ainda parece pelo menos tão bonito quanto Far Cry mesmo em ajuste baixo (Low), embora você terá uma quantia significativa de itens surgindo do nada nesse nível.

Felizmente, o gameplay em Crysis, ao mesmo tempo em que não é tão equivalente aos visuais, também vale seu tempo. A Crytek consegue fazer você sentir como se fosse se tivesse ???pavio curto??? graças ao equipamento nano de alta tecnologia, que tem quatro ajustes de ajuda em situações de combate. A armadura ajuda você a atravessar direto em meio a fogo cruzado, absorve mais danos, e ajuda a regenerar saúde e poder mais rapidamente; a velocidade ajudará você a voar pelo ambiente, encarar inimigos e fugir quando estiver em perigo; a força é boa para ajudá-lo a saltar para lugares altos, fixar posições para mira, e bater em inimigos até a morte; camuflagem, que usamos na maior parte do tempo no single-player de Crysis, permite que você se abaixe por um curto período de tempo. Cada uma das habilidades é balanceada por quão rapidamente ela usa a reserva de potencia do equipamento, o que adiciona alguma estratégia a cada situação. Ao mesmo tempo nos encontramos usando a força mais freqüentemente que outros poderes, os níveis são desenhados com todos os poderes em mente quem permitem que você escolha seu estilo de jogo. Se você não quiser usar força, não use. Isso proverá um passo diferente, assim como nível de dificuldade. Qualquer que seja a habilidade com a qual você se familiarize mais, trocar entre elas é fácil. Você pode amarrá-los a quaisquer chaves que você queira, mas pode também simplesmente usar o menu de raiz trazido com a tecla do meio do mouse. Ao final do single player será automático para você fazer isso.

A quantia de liberdade no design de nível, em termos de onde você pode ir, é bastante comparável ao de Far Cry. Ao mesmo tempo em que o jogo é bastante linear para o bem da estória, não é um shooter de corredores. Existem muitos espaços de interação quando se trata de táticas e abordagens para matar o inimigo e a trilha que você percorre em um nível. Se você quiser simplesmente roubar um barco e atravessar um lago para o outro lado, sinta-se livre, mas você pode também se esgueirar pela margem. Existem vários objetivos secundários que também não são compulsórias para seu sucesso, mas proverão poucas vantagens de inteligência.

A IA humana em Crysis não é perfeita, mas é muito boa. A aglomeração ocasional de inimigos humanos acontece, mas você verá patrulhas tentar ao máximo encarar você e se manter abaixados enquanto tentam te acertar. Eles não ficam realmente assustados pelo fato de você ter super velocidade e força mesmo se isso te dá vantagem. Eles ainda vêm atrás de você disparando fogo, chamando seus amigos o tempo todo.

Ser capaz de se camuflar dá ao inimigo a maior parte dos problemas. Eles não serão capazes de localizar você se você usar um silenciador e usar disfarce de modo inteligente desde que atirar desativa a camuflagem. Atirar sem um silenciador entregará sua posição para a IA e eles irão até você rapidamente, sendo velozes o tempo todo. O trato aqui é que usar um silenciador faz qualquer arma menos ponderosa. Quando você usa a capa de camuflagem e a IA não pode te ver, mas é cauteloso e sabe que você está na área, eles caem em uma instancia de alerta enquanto atravessam a floresta. Se eles te verem camuflado, eles irão atirar no ponto que você estava na última vez até que eles percebam que você não está mais ali.

Nos ajustes fácil, médio, e difícil a IA irá gritar para que você saiba o que eles estão fazendo. Em Delta, eles irão gritar em koreano para que você não tenha idéia, o que realmente adiciona envolvimento. Teria sido legal ter a opção de usar som koreano em outros níveis de dificuldade desde que existem outros modos de tornar o jogo mais difícil, por exemplo, em Delta, os binóculos, que geralmente provêm uma rica informação de inteligência, não opera tão efetivamente, a reticula fica desligada, e não há aviso de quando as granadas são lançadas. Nos definitivamente recomendaríamos que qualquer um que se sinta bem com shooters experimente este jogo, use Delta para isso.

A IA alienígena é uma besta totalmente diferente. Os alienígenas em si são muito rápidos e usam seu ambiente para circular e atacar você por trás, o que pode ser desorientador e assustador em confinações de gravidade zero da nave alienígena. Fora da nave, você lutará na maior parte das vezes com máquinas alienígenas. A IA aqui não é tão impressionante, mas as lutas são ainda divertidas desde que essas máquinas são rápidas e podem ser abatidas. Elas irão trocar de ataques com proximidade, pulando no ar e se jogando em cima de você, e atirar de longe. A combinação pode fazer a batalha muito mais intensa quando um grupo de quatro máquinas com a ajuda da IA amistosa conforme o bombardeio começa totalmente. Você não encontrará IA amigável para ser útil como eram em Call of Duty 4, mas não é sobre ser parte de qualquer exercito em Crysis; é sobre ser o exército.

A maior parte do single player se passará no solo em seu equipamento nano na selva, mas existem alguns momentos bem-vindos onde você comandará um tanque, uma nave aérea, e claro comandará qualquer tipo de veículos dos koreanos. Combinado com lutas contra armaduras, ambientes de gravidade zero, e batalhas de líderes, você tem uma boa seleção de gameplay com cerca de 10-15 horas dependendo do seu nível de capacidade. O único momento realmente frustrante acontece dentro da nave alienígena. Já desorienta pela gravidade zero, mas descobrir aonde ir pode ser muito confuso às vezes. O single player de Crysis, ao mesmo tempo em que é muito similar a Far Cry no cenário e idéias centrais de gameplay, é definitivamente uma experiência de bom passo e excitante que merece ser desfrutado. Ele tem visuais impressionantes, som incrível, uma estória decente, e o equipamento nano realmente ajuda você a se sentir superior.

Felizmente o multiplayer não é inútil desta vez. Ao mesmo tempo em que somente dois módulos estão disponíveis, tanto os jogadores amantes de equipes quanto os de deathmatch terão alguma ação para desfrutar. O módulo baseado em equipe, Power Struggle, pode ter uma curva de aprendizagem rígida pela sua complicação. Existem vários objetivos no mapa, os jogadores tem de comprar suas armas, energia tem de ser estocada, os veículos podem ser comprados, e as bases inimigas tem núcleo de defesas. Trabalhar em equipes é imperativo para conseguir fazer qualquer coisa. Mas uma vez que você entenda a premissa e possa coordenar com seus colegas de equipe para completar objetivos especificos, pode ser bastante excitante. Não sei se me roubará de Team Fortress 2 ou Call of Duty 4, mas o fato de que você pode comprar mini-armas, raios congelastes, e armas táticas nucleares (tanto manual quanto baseado em veículos) é difícil voltar atrás. Claro, em ambos os módulos, os poderes estão ainda disponíveis, o que é também muito apelativo. Os inimigos podem saltar para locais altos, girar em torno do campo, e até mesmo camuflar. O equipamento regenera em uma rotatividade muito mais baixa para equilibrar com o gameplay um pouco mais e camuflar ainda bem que se torna efetivo (embora quase demais) desde que você pode ver a forma leve das capas dos jogadores. Eu posso-me ver passando mais do que poucas horas aprendendo cordas e então tendo alguns sérios jogos multiplayer. Nove mapas no total entre deathmatch e Power Struggle não é um número enorme, mas já é mais do que TF2 e provavelmente terá fãs mais dedicados ao jogo.

No geral, Crysis é definitivamente uma outra vitória para a Crytek e mais um desses jogos que sai mais do que a soma de suas partes. Eles criaram algumas maravilhas tecnológicas que são escaláveis o suficiente para que muitos jogadores sejam capazes de jogar em algumas configurações, mesmo se não for o melhor, e tiver uma boa fatia de diversão. Aqueles que têm computadores que rodam a DX9 em alta resolução acharão que os maravilhosos visuais definitivamente aumentaram o envolvimento e diversão que Crysis pode prover. Ele tem um rápido e bem feito gameplay com opções suficientes para permitir aos jogadores o uso de seus próprios estilos de ataque com armas e equipamentos de habilidades satisfatórios. A Crytek elevou sua atenção aos detalhes da apresentação e abaixou as piores partes da estória de Far Cry. O multiplayer, ao mesmo tempo provavelmente não é suficiente para tirar os jogadores de seus jogos favoritos, mas também é valido.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Portal dos Games
9.2/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Anônimo

Reviews da crítica

©2016 GameVicio