GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Final Fantasy Crystal Chronicles: Crystal Bearers para Wii de GameTV

por Anônimo, fonte GameTV, data  editar remover


O problema do Wii é o sensor de movimento. Não é a pouca potência. Não é o online meio quebrado. Não são as milhões de coletâneas de minigames com valor de produção discutível. ?? a bendita necessidade de se ativar algum comando balançando a varinha mágica do console da Nintendo. Isso pode até não ser verdade, mas é só o que dá para pensar jogando Crystal Bearers.

Mostrado pela primeira vez junto com Final Fantasy XIII, o novo Crystal Chronicles parecia bem diferente dos seus antecessores. Manteve-se o mesmo universo vibrante e colorido, mas as primeiras imagens mostravam mais ação, um jogo mais ???sério??? - com monstros, pessoas voando e poderes exagerados como todo mundo gosta de ver. Uma aventura grandiosa, digna do nome que carrega e adição mais que bem vinda ao mundo dominado por Marios. Mas o resultado, anos depois, é um jogo quase bom. Seria, não fosse o conceito montado em cima do balançar dos controles.

O universo do jogo é o mesmo ds outros episódios da série: um mundo habitado por Selkies, Clevats, Lilties e Yukes, as quatro raças criadas pelos cristais mágicos que governam a natureza. Mas algo desastroso aconteceu, e como consequência esse último clã foi varrido da face da terra. Layle, o protagonista da aventura, é um dos Crystal Bearers ??? grupo raro de pessoas capazes de usar magia. Depois de se deparar com uma sobrevivente dos Yukes durante um serviço de guarda-costas, ele acaba se envolvendo numa trama que envolve a verdade sobre os conflitos entre as raças, os cristais e, como não poderia deixar de ser, o fim do mundo.



Pedra sem brilho

O novo Final Fantasy de Wii é o Zelda: Twilight Princess da Square Enix, com menos Eponas e mais Bahamuts. No controle de Layle é possível viajar por todo tipo de cenário, de desertos a florestas, de montanhas a cidades, todos numa escala quase tão gigantesca quanto a Hyrule de antes. Todos eles com um nível de detalhe incrível, cores vibrantes, e muitos segredinhos, baús e rotas escondidas prontas para serem descobertas. Nesse ponto, a equipe de produção aceitou em cheio: o universo enche os olhos.

Com os personagens é a mesma coisa: do design das raças, às roupas, passando pela dublagem e os trejeitos durante as animações, Crystal Bearers não deve nada para nenhum Final Fantasy ??? ou a nenhum RPG se aventurando por aí. Os heróis são surpreendentemente simpáticos, os vilões são surpreendentemente misteriosos e os Moogles são previsivelmente fofinhos. O que não é, nem de longe, uma coisa ruim. Outro ponto altíssimo é a trilha sonora, com uma mistura de estilos que passa por clássico, rock e country, dando o tom certo para cada situação e fugindo das composições dos games mais tradicionais da série.

E aí começam os problemas: o jogo é lindo, mas incrivelmente chato. Cansa o seu corpo e cansa a sua mente.

Nesse universo, cada Crystal Bearer tem um poder específico. O de Layle é o de manipular a gravidade, e essa é a base da jogabilidade: aponte nas coisas com o controle remoto, aperte um botão para mirar, balance para arremessar. Algumas situações exigem comandos mais específicos ??? como arrastar uma porta para a esquerda ou mirar com uma arma ??? mas via de regra você estará balançando o seu WiiMote como se não houvesse amanhã. E é só isso. Só isso.

Se o jogo pegou o que Twilight Princess tinha de melhor, também pegou o que tinha de pior: cada luta se resume exclusivamente em pegar coisas para arremessá-las nos inimigos. Ou jogar um inimigo contra o outro. ?? verdade que às vezes o ambiente pode ser usado a seu favor ??? lagos apagam o fogo de Bombs, por exemplo ??? mas a fórmula não foge muito disso. E algumas horas depois de estar repetindo os exatos mesmos movimentos, não dá para deixar de se perguntar se as coisas não seriam diferentes com um controle mais tradicional. Talvez um clone de Zelda que fosse, apesar de clone, ao menos divertido.
Final Fantasy Crystal Chronicles: The Crystal Bearers é, então, uma promessa abandonada. Uma grande possibilidade prontamente deixada de lado. Talvez até pudessem fazer algo divertido usando o bastão do Wii. Mas esse é um (entre vários) casos que tudo ficaria melhor sem ele.




Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Anônimo
©2016 GameVicio