GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Knights Contract para X360 de E-Zine/MyGames

por ShadowsGamer, fonte E-Zine/MyGames, data  editar remover


Com a quantidade de bons jogos existentes no mercado em quase todos os géneros e para todas as plataformas, é bastante fácil criar um jogo com os padrões mínimos de qualidade. Não estou com isto a dizer que um novo jogo deve ser uma cópia descarada dos restantes, mas pode ao menos, aproveitar as bases do que já existe e a partir daí, construir um jogo capaz.

Mas há jogos que parecem ignorar esse género de padrões e que gastam mais tempo a inventar do que a aperfeiçoar, o que dá origem a novas e inovadoras franchises que acabam por ter direito a vários episódios, onde as novidades são polidas e ganham assim, grandes legiões de fãs.

Depois, há os que se enquadram no meio, aqueles que tentam inovar a todo o custo, mas pedindo emprestado a outros jogos, de forma atabalhoada, as mecânicas e jogabilidade que necessitam. Por esta altura já devem ter percebido que estou a falar de Knights Contract, o jogo em análise, que apresenta boas ideias e bebe inspiração dos melhores, mas que acaba por não ser nem uma inovação bem feita, nem título digno daqueles no qual se inspira.

Em Knights Contract são Heinrich, um carrasco para sempre condenado à maldição da vida eterna, concedida por uma bruxa no momento da sua morte em praça publica. Depois desse acontecimento, Heinrich passou a deambular pelo mundo com o simples objectivo de o livrar do mal restante, representado pelas bruxas,
até ao fatídico dia em que conhece Gretchen, uma bela e jovem bruxa, que precisa da sua ajuda para derrotar uma entidade maléfica.
Como é óbvio, a história vai desenvolver muito mais do que o simples encontro ao acaso, mas podia ter sido muito melhor aproveitada, se o jogo fosse bem melhor a nível de jogabilidade e decisões de funcionamento.

Sendo Heinrich um imortal a no plano espiritual e corporal, este não pode morrer em batalha, ficando, no máximo dos máximos, incapacitado por breves segundos, onde precisam de carregar de forma frenética nos botões para voltar à vida. Quem pode morrer é Gretchen, por isso é necessário proteger a bruxa da melhor forma, podendo agarrar na rapariga ao colo de forma a recuperar a sua vida, e fugir dos inimigos mais depressa.
Embora seja um sistema de vida bem pensado, acaba por ser prejudicado pela inteligência artificial da jovem bruxa que não tem noção do que é o perigo, continuando a atacar os monstros completamente sozinha, ou a não fugir em situações em que estamos temporariamente mortos e a sua vida está perto de ficar a zero.

A entre-ajuda das personagens de Knights Contract resulta bem quando estão na mó de cima e a atacar em toda a força, pois podem combinar o estilo de combate de Heinrich ao jeito de Devil May Cry e God of War, com as habilidades mágicas da bruxinha. Os combos realizados com as habilidades de ambos é variado e inteligente, além de poder ser expandido ao gastar Witch Points, similar às orbs de evolução deste estilo de jogos.
A evolução das personagens vai poder também ser feita através da colocação de equipamentos que encontram pelo caminho ou que obtém ao derrotar determinados inimigos.

Mas os problemas de Knights Contract continuam a somar à medida que avançam. Os inimigos variam entre carne para canhão, até seres ultra poderosos que não sabemos bem como combater. Os combates com bosses conseguem ser divertidos, mas sofrem de um mal enorme. Normalmente vão encontrar várias sequências de Quick Time Events, nas quais precisam de carregar em um ou mais botões que aparecem no ecrã.
O problema aqui, é que maior parte destes QTE acabam por ser combinações estranhas que remetem muitas vezes para o sistema de tentativa erro, isto não seria mau, se não tivessem de voltar à última fase do combate contra o mesmo boss, em vez do início do QTE. No mínimo, estúpido, frustrante e mal pensado.

Outro problema de Knights Contract é a existência de vários problemas com a jogabilidade, cenários e inimigos. Os Bugs e Glitches são males demasiado constantes, tendo apanhado vários até na mesma zona, ou outros gravíssimos,
como o boss do primeiro cenário que ficou preso no telhado obrigando a reiniciar o jogo, não havendo sequer uma opção de load para o efeito.

Nem a nível gráfico, Knights Contract se safa, sendo uma mistura entre cenários básicos e pouco trabalhados, cheios de zonas pobres e alguns inimigos a fazer lembrar algo saído dos melhores gráficos da era 128 bits. Salva-se o desenho das personagens principais e alguns bosses, que apesar de cliché, não estão mal.
A música ainda é quem faz melhor trabalho para tentar salvar o barco de afundar, mas as vozes acabam por ser o buraco no fundo do casco, acabando por parecer pouco inspiradas ou demasiado forçadas.

Eu sou o primeiro a dizer que não tenho grande problema com cópias de qualquer jogo, desde que estas cópias sejam bem feitas e apresentem um ou outro ponto inovador,
as sequelas de qualquer título são isso mesmo e conseguem valer a pena voltar a fazer quase a mesma coisa, pela segunda ou terceira vez.

No geral Knights Contract prometia muito, mas acaba por não ser mais do que uma cópia mal amanhada de outros jogos, que fazem o mesmo, mas de uma forma muito melhor. Não é um jogo injogável, nem estragado, mas não vale a pena o esforço nem a tortura, para ver uma história que não é um marco, nem um sistema de sobrevivência que não passa de uma boa ideia. De forma simples e directa, Knights Contract é uma desilusão.

49/100


1 comentário

||
E-Zine/MyGames
49/ 100
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de ShadowsGamer
©2016 GameVicio