GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Tom Clancy's Splinter Cell: Conviction para X360 de GameVicio

por Danjapa, data  editar remover


História


O jogo tem uma história não tão inovadora, mas mesmo a história sendo no "estilo" Steve Segal, onde sempre sequestram alguém, ou matam, da sua família, tem coisas diferentes e muito mais escrotas. Sam Fisher está atrás dos caras que mataram sua filha e vai passar por tudo que tiver na frente e agora que não está mais na Third Echelon ele mesmo que diz seus limites, onde acho que pra ele não tem nesse jogo. O cara tá muito irritado, com ódio, mas muito ódio, deixando os seus inimigos com medo e torcendo pra que ele não apareça. Sam Fisher não está nem aí para as consequências.

Jogabilidade e Ferramentas



A jogabilidade do jogo pra mim está perfeita, perfeita mesmo, não tive dificuldade em jogá-lo e com um tempo de jogo você consegue passar no modo Realista "de boa", depende da fase também, mas o que mais mudo no Realista é que você morre mais fácil e demora pra se recuperar, é muito mais fácil pra os caras te verem. Gostei muito do modo furtivo do jogo, não deixou nada para reclamar, ficou muito legal, onde você tem que usar acima de tudo a estratégia, pois não pense que só porque tem mais ação a estratégia foi deixada de lado, por outro lado, se você fizer as coisas sem pensar morre logo, tem que saber o momento certo de atirar e se você deve atirar na hora, pois a IA do jogo está muito boa e qualquer zuada é fácil de os caras ouvirem e ir checar, mas em alguns momentos é bom para a estratégia, vai de cada um. Eles souberam colocar em uma missão aí, onde devemos perseguir um cara, uma forma de correr e uma câmera diferente que deu um ar de adrenalina mesmo, de que estávamos com muita vontade de matar o cara. Muito massa poder matar os caras pela janela também, de forma rápida e silenciosa. Uma fase que gerou muita discurssão das pessoas que gostaram e das que não gostaram porque ela não serve pra quase nada na história é a do Iraque, onde nem jogamos com a gente e não temos todas as habilidades, mas eu até achei bem legal de jogar, mas o ruim é esse lance que não acrescenta muito a história.

Jogabilidade


Nesse jogo você tem muita coisa que ajuda na estratégia, como o Last Know Position, onde se os caras te verem e você sair logo de lá, você pode ver tipo um "fantasma" de sua posição anterior e os inimigos vão até ela pensando que você está lá, gerando até cenas engraçadas. Então é só você esperar o momento certo em que o cara tá indo no seu antigo lugar e dar um Krav magá nele. A outra novidade que pra mim é a que mais ajuda no jogo é o Mark and Execute, onde você marca um determinado número de inimigos, o número varia a depender da arma, e quando estiver em uma distância que possa executar é só apertar o botão e aí pronto, mais 3 com ACM. Agora o Mark and Execute só pode ser usado novamente depois que você matar algum infeliz no Krav. ?? muito bom que você antes de usar esta ferramenta, ver quem você vai marcar para que fique mais fácil matar os que sobrarem. Podemos também acionar alarmes de carro pra atrair os caras, andar em meio a multidão acontece em várias fases e as pessoas reagem de diferentes formas a depender de como agimos.
O legal do jogo também é poder estar subindo em diversos lugares para fugir ou na sua estratégia, mas o que mais se destacou foi o combate corpo a corpo mesmo. A parte de interrogar as pessoas ficou muuuito show, demonstra mesmo que não tamos nem aí, atiramos em vice-presidente, batemos em outros caras importantes, além de deixar à vontade para que nós escolhamos o lugar onde o coitado vai levar porrada até morrer ou quase.
Usamos também os famosos óculos, onde deve ser o de mais moderno que usamos, pois o que nós queremos é apenas a arma e pronto, pra acabar com tudo =p. Uma ferramenta muito boa do jogo é a mochila que apaga as luzes, tipo um curto-circuito facilitando e muito pra matar os caras. Ficou muito legal a dinâmica de saltar balcões ou obstáculos em meio a missão de forma rápida e ágil, sentimos mesmo que somos um cara miserável, o melhor agente do mundo.

Gráficos e Inimigos



Essa parte do jogo pra mim não se tem muito o que falar, está muito bom os gráficos, as expressões, sombra, cenário, explosões, tudo muito bom. O jogo ficou muito realista para mim e quando comecei a jogar gostei e muito dos gráficos, o jeito que as coisas quebram ao interrogar um cara, os ferimentos dos caras que sofrem na nossa mão estão muito bons, enfim, os gráficos estão show de bola. Vale ressaltar que gostei bastante da parte em que os caras não podem nos enxergar, a menos que estejam de lanterna, fica tudo preto e branco, dá um toque diferente ao jogo e muito bem adcionado. ?? bem legal também quando vamos interrogar os caras vai aparecendo na parede lembranças que ajudam a entender.
Os inimigos do jogo são inteligentes e no modo realista não deixam você passar muito facilmente e com o passar das missões aparecem melhores, mais equipados e os mais chatos tem os óculos e podem nos ver através da parede, ou seja, tem que matar logo pra não morrer. A forma de como os objetivos aparecem no decorrer da missão ficou muito massa, nunca tinha visto antes e foi muito bem adcionado ao jogo, não tendo interrupções para ver esse tipo de coisa, deixando ainda mais eletrizante. Ficou muito bem feito o efeito de quando usamos os óculos, os famosos óculos dos 3 olhos, e dessa vez não tem tantas formas de visão quanto os outros, mas também nesse só precisamos de uma. Existem horas que parece que o jogo é HD de tão bom que tá, foi tudo bem pensado e feito nesse jogo, tem fases que ficava doido só pensando: que jogo insanooo!


Som, Armas e Duração


O som das armas, porradas, gritos e etc.. está muito bem feito no jogo e a trilha sonora também está boa, não é aquela de concorrer a prêmios, mas está boa. A variedade de armas no jogo é muito boa, variados tipos de metralhadoras, sub-metralhadoras, pistolas e granadas, mas para desbloquear todas você tem que pegar de algum inimigo pelo chão a que você não tem. O legal também é poder personalizar as armas com os pontos ganhos na missão. A duração do jogo não é muito grande, se você pegar rápido o jeito do jogo, zera em umas 6 horas ou por aí, mas é algo que você joga novamente várias vezes de tão bom que é.

Co-op


O modo de cooperação, Deniable Ops, do jogo está bom demais, traz bastante diversão e para quem zerou a campanha solo e quer mais. Essa parte é mais furtiva que a campanha solo, tem até uma missão que no início se você for visto perde. Você deve sempre procurar trabalhar de forma dinâmica com seu parceiro, sabendo o momento certo de cada um matar um inimigo e tal. O legal também é que você pode ajudar seu amigo na hora em que ele é baleado, mas não demore tanto, e também você pode, enquanto seu parceiro não chega, ficar atirando nos caras meio que caído e bem exposto, mas atirando, por isso seu parceiro deve vim logo. A história é um prólogo da principal e você joga com Archer, um agente da Third Echelon, ou com Kestrel, um agente russo.


[T1]Conclusão



Sem dúvida um dos melhores de toda franquia, trouxe o que eu esperava e ainda mais, pra mim é o melhor atualmente para quem curte espionagem com bastante ação e o melhor em sua categoria, mas quem quer mais furtividade mesmo, não que esse não tenha, pois tem bastante, recomendo o Double Agent, que é o antecessor, onde é o melhor antes de Conviction. Se você ainda não jogou Conviction dê um jeito de comprar e jogue, não vai se arrepender. Desde o início já está em meus jogos favoritos e se ficou mais ainda depois de Conviction, sentimos que o cara é mesmo o melhor agente do mundo.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
GameVicio
9.5/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Danjapa

Reviews da crítica

9 / 10
Eurogamer
©2016 GameVicio