GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Pro Evolution Soccer 2011 para PC de Eurogamer

por Raziel619, fonte Eurogamer, data  editar remover


Com a época futebolística ainda no começo, e olhando para a tabela classificativa da Liga Portuguesa é fácil vislumbrar que o F.C Porto é para já a melhor equipa, não só pela pontuação, mas também pelo futebol praticado. A distância é tal, que quase parece não estar a jogar na mesma Liga que os restantes, que acumulam problemas internos, outros com orgulho ferido e ainda outros com falta de estofo de estar nas maiores lides mundiais do futebol (Ai Braga). Já se diz que esta é uma vingança do Porto, mas a meu ver é mais pôr pés ao caminho e tentar vencer a concorrência.

Esta mudança de um ano para o outro, poderá ser usada para efectuar uma comparação sobre o que a série Pro Evolution Soccer tem feito nos últimos três anos. A concorrência, em qualquer meio, sempre foi boa para estimular criatividades e elevar os patamares da qualidade. Estagnação é um termo que não gostamos no mundo dos videojogos, e quem fica estagnado rapidamente é ultrapassado. Sabendo disso, qual o melhor remédio? Tal como o Porto fez (na minha visão minimalista do futebol), é meter pés ao caminho e não olhar para trás. Este é o sentimento que consigo retirar da última versão de Pro Evolution Soccer 2011 (PES 2011). A Konami soube que tinha que mudar, soube que tinha que meter os pés ao caminho (desculpem a redundância), e o aprendizado destes dois últimos anos, é elevado ainda mais neste último jogo. Mas será o suficiente?

?? indiscutível dizer que logo pelos primeiros toques na bola que este PES está diferente. E para melhor. Não só na sua forma de abordar cada lance, mas principalmente pela dinâmica e fluidez da transposição da bola no terreno de jogo. Tenho também que dizer, que diferente do esperado, a versão final do PES 2011, tem algumas diferenças referente à versão de antevisão, diferenças essas que fizeram com que o jogo esteja ainda mais sólido em todas as suas partes, principalmente na jogabilidade e mudança entre todas as situações de jogo.

Mas falemos de novidades. Este ano PES 2011 tem mais licenças oficiais, tem a nova "Copa Libertadores", ou Taça Libertadores da América, com todas as equipas licenciadas. A Liga Espanhola ainda não está completa, bem como a Liga Inglesa com dois clubes licenciados apenas, mantendo o Manchester United mas perdendo a licença do Liverpool pelo Tottenham. Mas entre saídas e adições, as licenças são mais em número, como também em termos de Selecções Nacionais. De fora continua a estar a Liga Portuguesa, sendo representada pelos clubes, F.C. Porto, S.L. Benfica, Sporting C.P. e S.C. Braga licenciados, bem como os seus estádios, excluindo o do Braga.

A Taça Libertadores da América, é uma excelente adição ao jogo, dando-nos uma visão mais alargada do futebol, não tão circunscrito à nossa Europa. ?? interessante vermos equipas que pouco ou nada sabemos delas, e podermos jogar com elas. Algo que deveria ter sido também permitido era a possibilidade de jogarmos com as equipas da Taça Libertadores da América nos restantes modos do jogo. Pois apenas estão disponíveis dentro dessa competição. A única razão que poderemos apontar é certamente o problema das licenças, não podendo os clubes serem usados fora da sua competição. Da América Latina, apenas temos o C.A. Boca Juniors, River Plate e o Internacional, que estão disponíveis para podermos jogar fora da Taça Libertadores da América, sendo que apenas o Internacional participa realmente na prova.

Outra das grandes novidades tem a ver com o sistema de gestão da equipa, quer antes quer já em campo. Embora as mudanças não possam ser assim tão rapidamente vistas, quem tem jogado todos os anos PES irá ver melhorias há muito desejadas. Uma delas é sem dúvida a facilidade com que agora editamos as tácticas, colocação e posicionamento de cada jogador e as alterações dos jogadores. As teclas de atalho em jogo continuam a ser muito bem-vindas, principalmente para as mudanças rápidas do estilo de jogo, embora podemos configurar antes de cada partida as "probabilidades" e como actuar em cada situação.

O modo Edit, que sempre foi um dos pontos fortes de PES, pois quem nunca alterou por completo as equipas, tornando o jogo "oficial" em muitos campos? O modo Edit continua a permitir a edição de imensas coisas, mas não traz novidades de relevo. Sendo talvez a actualização mais sonante a possibilidade de podermos editar e criar estádios e poder decorar ao nosso gosto cada aspecto. Podemos também desbloquear "partes" do estádio ao comprar com os pontos ganhos nos diversos eventos. De volta estão também os cânticos personalizados das claques, algo que foi adicionado na versão do ano passado, e que permite criar um jogo ao nosso gosto. De fora ficou a personalização das chuteiras, havendo agora maior variedade, principalmente as do PES.

Os modos de jogo são praticamente os mesmos da versão anterior, sendo a grande novidade podermos usar os dados da nossa equipa da Liga Master nos modos online e multijogador offline. Para além disso, as alterações são mais dentro da Liga Master, onde para além da "Liga dos Campeões UEFA" e da Liga Europa, temos agora a Super Taça Europeia.

A versão deste ano sofre um pouco na Liga Master, isto porque foram implementadas imensas mudanças na versão do ano passado. Mas as adições são muito importantes para podermos sentir que estamos verdadeiramente dentro de uma competição, incluindo a Liga Nacional, bem como todo o calendário Europeu. Aos poucos PES consegue adquirir mais e mais licenças, sendo as deste ano o maior número.

Neste aspecto, e no que me toca como português, é ainda triste ver apenas quatro clubes representados. Colocar o Sporting ou Braga numa liga Espanhola, ou Inglesa, para podermos competir na Liga Master, não é de todo interessante. ?? algo recorrente, que quase como um desígnio aceitamos e partimos para a conquista de toda a Europa. De fora estão também as actualizações mais recentes dos planteis, nomeadamente referente às contratações de Agosto, como Felipe no Braga, Guti ainda no Real, e até mesmo os equipamentos que ainda não estão os actualizados desta época.

Mas uma coisa é certa, PES 2011 vive principalmente das melhorias na jogabilidade. As mudanças implementadas na versão do ano passado, estão agora ainda mais refinadas, principalmente na forma como nos deslocamos e progredimos no jogo. De salientar que esta versão é a primeira na qual deixei o D-Pad e parti para o stick analógico esquerdo para movimentar o jogador. Sei que os fãs mais acérrimos acharão isto um ultraje, mas acreditem que ao mudarem, vão atingir um nível bem mais alto de jogabilidade, principalmente dando uso ao 360º. Os passes serão mais refinados, as movimentações mais suaves e reais, e as fintas mais eficazes.

Houve também melhorias com respeito à IA dos jogadores. Para além de podermos ter as assistências, em total ou semi-assistido, podemos também contar com bons lances e opções por parte da IA. Ainda não está perfeito, ou melhor, como gostaríamos que estivesse, mas não compromete. As únicas situações em que vimos coisas estranhas a ocorrer é quando existe um grande aglomerado de jogadores num espaço muito curto. Desde frangos incríveis (Roberto), bem como defesas à Super-homem.

Graficamente o jogo levou uma actualização bastante aceitável, principalmente de um posto de vista global. As texturas dos equipamentos estão com maior qualidade, bem como os estádios. Os efeitos meteorológicos estão mais credíveis, bem como a luminosidade nas diferentes horas do dia. De realçar o trabalho colocado em todos os jogadores que têm a sua face e fisionomia real. O Hulk é mesmo o Hulk (ou seja, continua feio) e não um pedaço de borracha. Ou mesmo jogadores como Di Maria ou Luisão estão recriados de forma muito fiel, com todos os traços que os caracterizam e não provenientes de um único modelo de corpo. Já para não falar das animações de cada jogador, que estão mais reais e de certa forma actualizadas.

Sobre as animações, este ano temos ainda um maior número presente. Este factor é extremamente importante, não só para conferir um maior realismo no correr, rematar e fintar, mas principalmente para tornar o jogo mais dinâmico e não padronizado. Referente às fintas, agora podemos alocar e criar o nosso próprio perfil no comando. Colocar as fintas de acordo com os movimentos que quiseres no comando. Ao gravarmos estas sequências, podemos continuar a usar em amigáveis, ou outros modos.

Como referi na antevisão, o erro é algo presente em PES 2011. Não dêem como dado adquirido certos passes e remates, Agora teremos que ter em atenção para onde, como e com que força iremos passar. Para ajudar a tudo isto temos a nova barra de força visível ou não (é opção) debaixo do jogador. Esta adição é uma das mais importantes em termos de jogabilidade e limpeza do ecrã. Temos uma visão imediata da força, mesmo dentro da acção. Também podemos colocar visível a barra de energia em baixo, demonstrando se o jogador esta cansado e pronto para o banco. Isto é algo que em termos teóricos parecia intrusivo à jogabilidade, mas que na prática resulta muito bem.



Diferente da antevisão está também a repetição dos lances, com muito menos efeito de motion blur, conferindo um maior realismo, pois "limpa" contornos e dá um maior efeito de movimento. Também pareceu-me que a velocidade normal (0) do jogo está ligeiramente mais rápida que na antevisão. Tentei comparar com as versões, e na realidade está, não muito, mas está. Algo que não atrapalha, pois podemos aumentar ou diminuir, mas que denota por parte da Konami uma intenção de aumentar a velocidade de jogo. Novamente, como já foi referido na antevisão, a nova câmara de jogo é simplesmente fantástica. Consegue-se adaptar a todas as circunstancias do jogo, podendo ainda ser centrada no jogador ou na bola.

Os comentários, como todos já sabem, estão ao cuidado de Pedro Sousa e Luís Freitas Lobo, este último a substituir, e muito bem, o muito apático João Pinto. Na antevisão não raro foram as vezes onde detectei graves problemas de ligação com o jogo, onde o discurso não tinha nada a ver com o que se passava no rectângulo de jogo. Agora, poucas foram as vezes, nos imensos jogos que fiz, onde algo correu mal. Existe, mas muito raro. Não raro é a repetição de certas deixas, que claro, conforme mais jogas, mais te irás recordar.

PES 2011 é um jogo sólido. A versão de 2010 já tinha-nos trazido imensas melhorias, principalmente nos modos de jogo, mas a versão 2011 refina principalmente a jogabilidade, tornado o jogo mais coeso. Existem ainda muitos aspectos a melhorar, ou na melhor das hipóteses a incluir. A falta de inúmeras licenças de clubes e Ligas, são um dos principais factores a serem melhorados. Este ano existe mais, mas não chega. E embora a Liga Master tenha sofrido bastantes melhorias na versão anterior, ainda precisa de ser mais profunda, principalmente em dados estatísticos, e "efeitos" à sua volta. A Konami tem ouvido os fãs e principalmente as críticas. Não tem adormecido e tem tentado dar a todos um jogo onde principalmente dá gosto e prazer jogar. As noites longas com os amigos estão de volta.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Eurogamer
8/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Raziel619

Reviews da crítica

8.3 / 10
GameVicio
8 / 10
Eurogamer
©2016 GameVicio