GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Super Mario Galaxy 2 para Wii de Gamerview

por Giordano Trabach, fonte Gamerview, data  editar remover




Já fazia algum tempo que não víamos um jogo da série principal de Mario com uma continuação numerada. Enquanto um simples ???2??? ao lado do título poderia indicar uma falta de inspiração por parte da Nintendo, são necessários poucos minutos com as mãos em Super Mario Galaxy 2 para percebermos que o nível de criatividade da empresa neste jogo foi um dos maiores e mais brilhantes vistos nos últimos anos.

Os jogos do Mario estão entre os títulos mais ???videogames??? ainda existentes na atualidade, seja isso uma coisa boa ou ruim. Mesmo quando aparece com gráficos poligonais ele permanece sendo aquilo que sempre foi, um jogo de plataforma com desafios mecânicos e de coordenação. Mario Galaxy 2 não esconde isso; pelo contrário, ele abraça essa noção e a leva ao mais extremo possível. A começar pelo fato de que aqui não há nenhum tipo de pretensão quanto à sua história. Super Mario Sunshine e o primeiro Super Mario Galaxy tentaram esboçar algum tipo de trama, com graus diferentes de sucesso, mas aqui tudo isso é deixado de lado. Ele basicamente abre com uma frase que diz ???esta é uma versão diferente para os acontecimentos do jogo anterior, VAI!???, e o jogo tem início.

Essa simplicidade na estrutura retoma o que existia em Super Mario Bros. 3, em que você escolhia em um mapa qual a próxima fase que queria encarar. A trilha até se divide algumas vezes, mas apenas para que você escolha entre estágios diferentes. Não existem segredos ou caminhos alternativos como os de Super Mario World. O mundo que servia como saguão para a escolha de fases até retorna, mas em uma forma diferente. No caso, trata-se da nave que Mario usa para se locomover entre as galáxias, mas ela é usada apenas como um playground. Não há nada relacionado ao jogo principal para ser feito nela, com exceção de alguns minigames que podem fornecer mais vidas ou star bits ao encanador. A perda deste mundo que conectava os diferentes estágios pode fazer falta para alguns, mas sua ausência se faz compreensível. O mapa usado na navegação é mais direto, possibilitando-o de sair de um nível para imediatamente entrar em outro, e são neles que o brilho de Mario Galaxy 2 se faz visível.

Isso se dá pura e simplesmente pela criatividade com a qual as fases foram criadas. Elas são muito variadas, levando-o a diferentes tipos de ambiente, e sempre feitas de maneira inteligente. Claro, você verá muitos dos moldes já esperados em jogos do tipo, como ???fase de fogo??? ou ???fase da água???. Mas mesmo nesses casos mais comuns, há sempre algo que as deixa diferente do que você esperaria, levando-o a situações sempre inovadoras. Além disso, diversos dos estágios são de jogabilidade 2D, muito mais interessantes do que os presentes em New Super Mario Bros. Wii, diga-se de passagem, quebrando o que poderia ser a mesmice de encarar constantemente cenários em três dimensões. Há ainda alguns casos em que essas duas perspectivas são misturadas. No entanto, devido a uma câmera que quase nunca oferece problemas e um design inteligente que o faz entender quais são as limitações e os desafios de cada galáxia, você nunca terá problemas para navegar por esses ambientes que, de outra forma, poderiam ser bastante confusos.

Adicionando à variedade estão os poderes disponíveis para Mario usar. Retornando estão a flor de fogo, a roupa de mola, a roupa de abelha e a roupa de Boo. Novos a Galaxy 2 são as roupas de pedra e a de nuvem, além de uma espécia de pião que permite que o encanador escave superfícies de terra. Com exceção da roupa de Boo e de mola, que quase não dão as caras, todo os outros poderes aparecem com uma cadência e variedade boa, e sempre com usos interessantes. Você pode ainda somar a isso Yoshi, que acompanha Mario em diversos momentos. Além de uma mobilidade diferente, o dinossauro pode comer três frutas diferentes, cada uma delas conferindo habilidades distintas.

Como é possível perceber, a variedade de coisas que Mario pode fazer nesta aventura é bem grande, e todos esses poderes são empregados de maneiras novas, o que faz com que nunca enjoemos de nenhum deles. Se, apesar disso, você por alguma razão se cansar do Mario, há a possibilidade, em alguns dos estágios, de controlar seu irmão, Luigi. Diferente de como se dava no primeiro Galaxy, eu não consegui perceber nenhuma diferença de controle entre os dois encanadores. Ainda assim, a mudança estética é suficiente para justificar sua aparição.

Por mais divertidas que as habilidades possam ser por si só, elas todas servem apenas um propósito: conseguir estrelas. Como se dá em todos os jogos 3D do bigodudo, seu objetivo em cada estágio é alcançar esses corpos celestes, que foram roubados por Bowser. Apesar dessa premissa semelhante aos outros jogos poligonais do Mario, há aqui uma grande diferença. Cada fase possui, em média, duas a três estrelas normais, número menor do que as existentes em cada nível nos jogos anteriores. E, como o total delas continua sendo cento e vinte, isso significa que a quantidade de estágios é muito maior, criando mais condições para vermos níveis únicos e diferenciados. Não apenas isso, mas a velocidade com que alcançamos as estrelas é bem mais ágil; é difícil lembrar de um caso em que demorei mais de cinco minutos a pegar uma delas. Essa rapidez serve para que você se sinta sempre compelido a conquistar mais uma estrela, ou a querer ver como é a próxima fase. ?? mais ou menos como salgadinhos, sempre que você acaba de comer um acha que está satisfeito, mas é tão simples comer o próximo que não consegue parar. E assim, sem que você perceba, os níveis vão passando diante de seus olhos.

Para não dizer que não há nenhuma reclamação, como em qualquer jogo de plataforma em 3D, os controles nem sempre são tão precisos como você espera. Algumas mortes ocasionais são causadas pelo fato do Mario não ter agido exatamente como você gostaria. Entretanto, isso não é suficiente para desmotivá-lo a tentar de novo, e provavelmente desta vez com sucesso, já que Super Mario Galaxy 2 não é um jogo desafiador. Trata-se mais de um passeio que você aproveita, impressionando-se com sua criatividade e design em geral.

Alguns títulos, como Super Mario Bros. e Super Mario 64, foram os criadores de seus gêneros, impressionando a todos e nos mostrando coisas que antes não achávamos possíveis. Super Mario Galaxy 2 não faz nada disso. O que ele de fato faz é pegar um gênero já consagrado, polindo-o e lapidando-o ao máximo. Ele pode não quebrar paradigmas ou criar novas tendências, mas consegue apresentar apenas o que há de melhor em seu estilo, um que já muitas vezes pareceu estar saturado.

Prós:
  1. Design de fases muito criativo
  2. Visual rico e variado
  3. Poderes diversos e interessantes


Contras:
  1. Controles ocasionalmente não atuam como você espera



Nenhum comentário

||
Gamerview
5/ 5
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

©2016 GameVicio