GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Red Dead Redemption para X360 de Eurogamer

por Giordano Trabach, fonte Eurogamer, data  editar remover


As expectativas em redor de Red Dead Redemption têm vindo a aumentar de forma exponencial nos últimos meses, e com o adiamento que se sucedeu em princípios de Abril para polir o jogo, as expectativas aumentaram ainda mais. Red Dead Redemption insere-se na categoria dos sandbox e foi produzido pela Rockstar, a produtora do sandbox mais famoso de sempre, Grand Theft Auto, por isso é perfeitamente normal que as apostas sejam elevadas.

Como seria de esperar, Red Dead Redemption bebe muito do aclamado Grand Theft Auto IV, embora não sendo uma adaptação, podemos efectuar uma comparação tal como, trocar os carros pelos cavalos e carroças, troquem as pistolas pelos revolveres, troquem o alcatrão pela areia, troquem a moda urbana pelos chapéus, coletes e botas e troquem Niko Bellic por John Marston e têm Red Dead Redemption. Se estiverem atentos, vão reparar que até existem pontos semelhantes entre as histórias de ambos jogos. Mas será que isto impede Red Dead Redemption de ser um excelente jogo? Pelo contrário, Grand Theft Auto é uma das referências desta geração, logo se Red Dead Redemption segue as suas pegadas, é meio caminho andado para alcançar o sucesso.

Red Dead Redemption retrata a história de John Marston, um sujeito que acabou de chegar aos ???Western Boarder States??? à procura de um membro do seu antigo gangue, Bill Williamson. Mal chegámos, encontrámos o velhote Jack que nos guia até Fort Mercer, onde está o nosso velho amigo. Após um diálogo entre os dois, John é alvejado por um dos capangas de Bill e é deixado para morrer. Por sorte, uma carroça passa por aquele sítio e salva John. Quando acorda, dá-se por si são e salvo na fazenda dos MacFarlane, é a partir daqui que o jogo tem início.

Logo no vídeo inicial repara-se que o jogo tem o selo de qualidade Rockstar. Os diálogos das personagens parecem genuínos e naturais, são dignos de uma grande obra cinematográfica do western, posso até dizer que a barreira entre filmes e jogos foi quebrada neste aspecto. A maneira como as personagens se movem ao falar, as suas expressões faciais e reacções encaixam perfeitamente com as suas falas. A grande atenção dada aos pormenores e uma música a combinar com estilo em que o jogo se insere puxa-nos imediatamente para dentro do universo do jogo. A atmosfera apresentada é impressionante, sentimo-nos um verdadeiro cowboy, onde a época e ambiente do velho Oeste é recriado duma forma incrível e perfeita.

Red Dead Redemption aposta numa história mais adulta e mais séria e isso é bem notável no sistema ???Wanted???, muito parecido com o de Grand Theft Auto, mas improvisado. Não podemos desatar a disparar e a matar tudo o que nos aparece à frente, existem consequências para os nossos actos. Quando cometemos alguma ilegalidade, não só somos perseguidos pelos xerifes como também é posto um prémio na nossa cabeça. Esse prémio permanece mesmo depois de conseguirmos escapar. Quantas mais ilegalidades cometermos, maior será o prémio pela nossa cabeça. Todas as acusações contra nós serão retiradas se pagarmos o valor do prémio ao governo. Se quiserem ser honestos, é possível renderem-se às autoridades. O sistema de honra também é afectado pelas nossa acções, se matarmos um inocente a nossa honra diminui. Mas se efectuarmos boas acções a nossa honra vai aumentando.

As viagens em Red Dead Redemption corriam o risco de tornar-se aborrecidas devido a grande parte do mapa ser um autêntico deserto. Mas a Rockstar conseguiu com sucesso dar vida a este deserto. Nas nossas viagens vamos observar a vida selvagem no seu habitat natural, sejam lobos, águias, cavalos ou até mesmo cobras. Para além disso, aparecem quase sempre missões secundárias que podemos optar por completar ou não. Existem autoridades a pedir ajuda para capturar dois fugitivos e pessoas a pedir ajudar porque lhe roubaram o seu cavalo ou outra coisa qualquer. Se completarmos estas acções a nossa honra vai aumentar, bem como a nossa fama. Por vezes até somos recompensados com alguns trocos. Mas há que ter cuidado, pois nem todas as pessoas que vamos encontrar pelas nossas viagens são honestas, os ladrões no velho Oeste são uma realidade e podemos ser assaltados ou mortos.

As missões são ao estilo de Grand Theft Auto e são iniciadas por falarmos com personagens chave localizadas com uma letra no mapa. De começo apenas fazemos missões simples para os MacFarlane, mas claro que depois há uma reacção em cadeia e não tarda nada estamos a fazer missões para amigos dos nossos conhecidos e os nossos conhecimentos começam lentamente a aumentar. Paralelamente a isto, vamos conhecendo cada vez mais o mapa, e tal como Grand Theft Auto, ao princípio existem partes do mapa às quais não podemos aceder. Ao longo da nossa jornada encontrámos personagens secundárias para as quais podemos completar um espécie de side-quests. Estas personagens estão marcadas com um ponto de interrogação. Mais uma vez estas missões são opcionais e se as completarmos, elas aumentam a nossa fama e honra.

O jogo não mostra as suas cartas de uma vez só, vai revelando-as lentamente. O que eu quero dizer com isto é que nas primeiras horas de jogo, sabemos muito pouco acerca da nossa personagem e do que se está a passar por aquelas terras. Tudo vai sendo lentamente revelado através dos diálogos entre as personagens nas missões. A intriga vai aumentando e prologando-se levemente, quando pensamos que estamos perto de alcançar o nosso objectivo, algo inesperado acontece. A Rockstar sabe jogar bem com isto, consegue manter o jogador sempre interessado na história do jogo sem a tornar aborrecida.

O nosso cavalo desempenha um papel importante em Red Dead Redemption. As várias raças têm diferentes níveis de stamina(energia), obediência e velocidade. Fiquem um longo período de tempo a usar o mesmo cavalo e verão os aspectos mencionados acima a melhorarem. A grande vantagem em relação aos carros de Grand Theft Auto é que basta assobiarmos para ele vir ter connosco, não importa o quão longe ele esteja. Esta função é bastante útil principalmente quando estamos no meio do nada e precisamos de um transporte. Os cavalos selvagens espalhados pelo mapa de Red Dead Redemption podem ser capturados e domados por nós. Saquem da vossa corda e prendam-na ao pescoço do cavalo. De seguida montem para cima dele e um mini-jogo será iniciado. O que têm de fazer é usar o analógico para se manterem em cima do cavalo enquanto este tenta resistir. A velocidade do cavalo está dependente da velocidade com que vocês carregam no botão A. Para manterem a velocidade desejada continuem a pressionar A.

A escolha do armamento é uma tarefa fácil. O jogo adoptou um sistema igual ao de Mass Effect em que se pressionarmos LB surge um circulo com as armas que possuímos. Temos uma corda, um revolver, uma espingarda, facas e as nossas mãos. O que para mim se destaca aqui são as formas de usar a corda. Com ela podem capturar os fora-da-lei, lancem-na e amarrem-lhes os pés para caírem. Aproximem-se deles e atem as mãos aos pés. Peguem neles, ponham-nos em cima do cavalo e levem-nos perante a justiça. Outras armas como outros tipos de revolveres e espingardas, cocktails molotovs e dinamite podem ser achadas pelo mundo fora ou compradas numa loja especializada em armamento.

Com o ???Dead Eye??? os inimigos não têm hipótese contra nós. O que esta mecânica faz é abrandar o tempo, tipo ???Bullet Time???. Após seleccionarem os inimigos com o RB, carreguem no gatilho para os eliminar rapidamente. Se estivermos entre a vida e a morte, a utilização do ???Dead Eye??? pode ser um salva-vidas, mas noutras situações cria um facilitismo exagerado. Para ser sincero, o ???Dead Eye??? deveria apenas ter sido implementado nos duelos e nunca se devia ter alastrado para o resto do jogo. Não consigo encontrar nenhuma justificação para isso.

Os duelos não são a única coisa do velho Oeste que vamos encontrar no jogo, existe um monte de mini-jogos clássicos daquela época. Temos o póquer, o ???Five-Fingers??? em que temos que acertar com uma faca entre os espaços dos dedos, o Braço-de-Ferro, o lançamento de dados, o Black Jack, corridas de cavalos, entre outros. Se estiverem interessados, podem até ir ao cinema. Diferente de Grand Theft Auto, aqui não podemos "brincar" com as meninas, e ao jogarem irão saber porquê. Há sempre alguma coisa para se fazer em Red Dead Redemption, e tal como em Grand Theft Auto, vão ter que jogar muito para atingirem os 100 porcento.

Red Dead Redemption tem um excelente aspecto. Tendo em conta a dimensão do mapa, os detalhes são impressionantes. Subir a uma colina para desfrutar do por-do-sol é de cortar a respiração, bem como os constantes ciclos dia e noite. Nota-se que foi imensamente trabalhado a nível visual para transmitir a tudo o que o western tem para oferecer. Esse trabalho foi recompensado, pois não existe nenhum jogo com uma atmosfera tão realista e fiel como a de Red Dead Redemption. Em cada centímetro do jogo tudo isto é visível, é um mundo com vida própria e que interage connosco.

Apesar de ser um jogo brilhante em todos os sentidos, não está ausente de algumas falhas. A maior falha de todas, é o facto do personagem não saber nadar. Basta que a água passe da cabeça para cima para morrerem instantaneamente. A movimentação da personagem ao andar e a correr é um bocado mecanizada, parece que está a marchar. E para terminar, o sistema de cobertura é também um pouco enferrujado. Isto são pequenos erros que não estragam de forma alguma a experiência brutal que o jogo oferece.

Obviamente que o melhor que Red Dead Redemption tem para oferecer é o single-player, mas desde que Grand Theft Auto 4 foi lançado em 2008, tem-se mantido no top dos mais jogados do Xbox Live, por isso o multi-joagdor deve interessar a muitos. Qualquer um dos modos do multi-jogador começa sempre em ???Free-Roam??? onde têm liberdade total para fazerem o que vos apetecer, como formar ???posses??? até oito jogadores e espalhar o caos. O número de jogadores que o jogo suporta vai até 16 jogadores. No ???Free-Roam??? a vossa personagem vai subindo de níveis e ganhando acesso a melhores armas e vestimentas. Nos modos competitivos não existem níveis, as personagens estão todas no mesmo nível. Em qualquer um dos modos competitivos podem optar entre jogarem sozinhos (todos contra todos) ou em equipas. Os modos que existem são variantes do ???Deathmatch??? e ???Capture The Flag???, todos eles começam com um ???Mexican Standoff???, que é algo completamente hilariante. Resumindo, o modo multi-jogador é muito divertido e acrescenta ainda mais longevidade ao jogo.

Podia perder aqui imenso tempo a descrever o quão magnifico Red Dead Redemptiom é e a quantidade de coisas que tem para oferecer, ou posso dizer-vos com toda a certeza que dentro dos excelentes jogos que já joguei este ano, que este é o melhor deles todos. A Rockstar excedeu-se mais uma vez na criação de um jogo que consegue atingir a excelência em todos os aspectos. ?? um jogo com uma história envolvente e digna de ser comparada com os melhores filmes do Western. Não há elogios suficientes para Red Dead Redemption, apenas vou terminar dizendo que é um compra obrigatória para qualquer jogador.


1 comentário

||
Eurogamer
10/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

9.3 / 10
GameVicio
©2016 GameVicio