GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Vancouver 2010 para PC de Eurogamer

por Giordano Trabach, fonte Eurogamer, data  editar remover


No próximo mês começa um dos maiores eventos desportivos, os Jogos Olímpicos de Inverno, em Vancouver no Canada. Como é lógico, mais um jogo é lançado com a esperança de fazer esquecer os anteriores títulos do género. Vancouver 2010 foi desenvolvido pela mesma equipa que trabalhou em Pequim 2008, a Eurocom, apesar do bom trabalho empregue nesse mesmo jogo, Vancouver 2010 apresenta um maior desafio para a equipa.

Em todos os jogos, quer dos Jogos Olímpicos de Verão ou Inverno, a jogabilidade torna-se rapidamente aborrecida, carregar vezes sem conta em uma tecla até os dedos ganharem calos. Por isso, a ideia da Eurocom passa por mudar um pouco esse padrão, baseando os eventos na forma de explorar o timing e a habilidade do jogador.

Os desportos que encontramos no jogo, como é normal, são os que realmente se disputam na competição, mas não estão incluídos todos os desportos oficiais. O jogo apresenta um total de 14 disciplinas nos vários eventos: Esqui Alpino, Salto de Esqui, Esqui Estilo Livre, Snowboard, Patinagem de velocidade em pista curta, Bobsleigh, Skeleton e Luge. Podem parecer muitos, mas depois de experimentar todos os eventos reparamos que são muito parecidos uns com os outros, para além disso, as disciplinas são aborrecidas e bastante repetitivas.

A falta de outros eventos ou disciplinas é notória, seria uma mais-valia para o jogo e aumentaria a sua longevidade. Eventos como Hóquei no Gelo, Patinagem Artística, Biatlo e Curling, ou disciplinas como Snowboard Halfpipe, patinagem de velocidade em perseguição por equipas e muitos mais, deveriam estar incluídos. Não se admite na nova geração, que abriu muitas possibilidades, que apenas tenham incluído estes eventos e disciplinas, ainda por cima muitas delas são muito semelhantes.

Com os modos de jogo a história é a mesma, poucos modos que em nada ajudam na longevidade. Podemos treinar um pouco cada prova no modo Training. Em Olympic Games as competições são a sério e os nossos tempos ficam registados, podemos jogar Online contra jogadores de todo o mundo, ou simplesmente jogar Single Player e Multiplayer em todas as provas, à escolha do freguês. O modo que talvez percamos mais tempo é o Challenge Mode, pois temos vários desafios para conquistar em três etapas, Fácil, Médio e Avançado. Temos de escalar os três níveis de montanhas, conforme concluímos cada desafio proposto, abrindo-se novos desafios até chegar ao topo da montanha e assim desbloquear o nível seguinte. Como não existe a opção de criar e personalizar personagens, ou a opção de escolher atletas reais, apenas nos é possível escolher a nacionalidade dos nossos atletas. Tudo isto faz com que o jogo pareça algo inacabado.

A sua jogabilidade é simples, qualquer pessoa consegue jogar sem grande dificuldade. Como disse no início, o jogo é baseado no Timing e habilidade, poucas são as vezes que martelamos nas teclas, e normalmente é por apenas uns pequenos segundos, como no caso do evento Bosleigh em que isso acontece para apenas ganhar velocidade. A colocação dos botões está bem conseguida e são fáceis de memorizar, como no caso da velocidade, isto muito devido às poucas teclas que são necessárias para cada evento, mesmo se por acaso as teclas caírem no esquecimento basta carregar no botão Start e aparecem no ecrã. Tudo muito simples, fácil e directo, mas isso não quer dizer que seja muito divertido a jogar, por muito que se joguem todos os eventos, muitos deles irão deixar muito a desejar. Mas existem eventos como o Salto de Esqui ou o Bobsleigh que são muito viciantes, em contrapartida existem outros, como o Snowboard, que são realmente aborrecidos.

O ponto alto do jogo é o seu grafismo, aqui sim, houve uma melhoria enorme comparado com Beijing 2008. O efeito de luz é muito bom, é possível reparar de imediato no reflexo dos capacetes, cenários bastante brilhantes e coloridos dando muita vida e realismo ao jogo. Os modelos dos atletas são realistas e convincentes, os movimentos também ajudam porque estão muito mais sólidos e fluidos, dando mesmo a impressão que são pessoas de verdade. Quando jogamos o evento Salto de Esqui e o atleta se prepara para saltar, é impressionante olhar e ver a bonita paisagem branca que se encontra à nossa frente.

Outro ponto forte é a velocidade do jogo, nem todos, ou melhor, poucos são os que conseguem criar um jogo com uma sensação de velocidade realista,. Quando descemos uma montanha, seja em slalom ou em Downhill, a velocidade que é transmitida para nós jogadores é magnífica, para tornar tudo ainda mais realista, era bonito a consola cuspir neve directamente para a nossa cara.

Em jeito de conclusão, Vancouver 2010 é o melhor jogo da série Jogos Olímpicos de Inverno, mas é preciso que numa próxima edição incorporem outros eventos que não se encontram neste jogo, sendo uma tremenda falha por parte da Eurocom. A jogabilidade necessita de ser revista, assim como os modos de jogo. Tudo isto faz com que o jogo seja muito curto, comprometendo muito a experiência de jogo. Se o objectivo é precisamente jogar com muitos amigos, então este é um bom jogo para se divertirem, umas boas horas.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Eurogamer
5/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

5.5 / 10
GameTV
©2016 GameVicio