GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de God of War Collection para PS3 de Gamus

por Giordano Trabach, fonte Gamus, data  editar remover


Se você joga videogame, deve saber que God of War é uma das franquias exclusivas mais aclamadas da atualidade. Caso você não tenha notado, nós estamos sempre dividindo nossa atenção com o terceiro game da série, que chega no ano que vem. Mas Collection foi uma das surpresas de 2009.

Meses atrás, a Sony prometeu uma remasterização de God of War I e II em um único disco Blu-Ray. Eles ainda disseram que essa nova versão seria muito mais bonita e rodaria a perfeitos 60 quadros por segundo. A promessa foi honrada? Bem, bata palmas para a Sony porque desta vez foi dito e feito.

Vê o careca mal encarado aí em cima prestes a aniquilar o pobre lagarto? O nome dele é Kratos e mau é o apelido dele. Esse personagem se tornou famoso graças a brutalidade com a qual dá cabo de seus inimigos. Perto dele, podemos chamar uma Hidra de ???pobre lagarto???. No passado ele foi um general espartano e após decidir servir os deuses, não há criatura mitológica que fique viva na frente dele por muito tempo. God of War Collection traz os dois primeiros games com uma cara nunca antes imaginada. As texturas em alta resolução fazem você pensar que está jogando um jogo desta geração, quando na verdade são dois dos melhores jogos do imortal PS2. Também se trata de um dos mais violentos jogos já feitos, não recomendável para quem tem estômago fraco ou criancinhas.

Seria injusto dar o mérito da produção para a Bluepoint Games, que apenas se encarregou de adaptar as obras primas de um dos estúdios mais talentosos e importantes da Sony ao PS3. Além de muitas qualidades, o estúdio de Santa Monica é especialista em level design e God of War dá aula para qualquer action-adventure nesse quesito. Tudo está tão bem posicionado que você fica de boca aberta quando imagina ter dado a volta ao mundo a pé e se encontra próximo ao ponto de partida. Seu caminho foi esquematizado de tal forma que você é conduzido até seus objetivos de forma linear, mas com variedade razoável de eventos, sendo impedido apenas por obstáculos mortais. Os puzzles foram muito bem elaborados e muitos jogadores precisarão de guias estratégicos para finalizar os jogos e encontrar todos os coletáveis. Entretanto, esse é um trabalho que deve ser feito com prazer.

O cenário é recheado de paredes quebráveis, estátuas que podem ser movidas, alavancas para girar e muito mais que deixa clara a quantidade enorme de segredos, alguns manjados e outros inovadores. Você é levado a um verdadeiro tour ao redor da Grécia Antiga, onde você conhecerá muitas localidades famosas, como o Tártaro, Monte Olimpo, Atenas e Esparta. Todas perfeitamente ambientadas até onde conhecemos. Seres e personagens conhecidos também fazem parte do elenco, alguns mais perigosos do que outros. Mas não se preocupe, porque você pode matar todos eles. Kratos acaba com a raça de minotauros, centauros, harpias, soldados, esqueletos, hidras, javalis, ciclopes, medusas, colossus, titãs, deuses e qualquer outra coisa em movimento que estiver em seu caminho.

Acho que as imagem falam melhor do que eu que o foco deste jogo aqui é o combate. Você tem uma das armas mais criativas do mundo dos games, as suas blades. Elas podem inflamar e acertar inimigos até média distância. Com elas, você pode executar uma grande variedade de combos, usando e abusando de seu arsenal mágico e até mesmo seus punhos. Você também pode se defender e esquivar como quiser, o que te faz feliz quando a adrenalina chega a níveis alarmantes. Acredite, não é difícil morrer se você estiver jogando em uma dificuldade respeitável. Os combates são nada menos que épicos, no sentido mais forte da palavra quando falamos à respeito de games.

Talvez o maior problema das batalhas seja o fato dos inimigos não serem nada inteligentes. Na verdade, eles são bem tapados. A maioria fica te rodeando enquanto assiste você fatiar outros pobres coitados. De cara, isso parece um problema, mas quando você compreender a mecânica de finalização especial, terá noção de que o jogo não seria tão bom se os inimigos pudessem te atacar enquanto você passa por um Quick Time Event. As sequências de ação são impressionantes. Kratos tem centenas de maneiras de derrotar uma criatura e todas tem o seu jeitinho único de morrer.

O que você ganha matando tanto são orbs vermelhos, ou pontos de experiência, como podemos chamá-los. Esses orbs são usados para melhorar suas armas e magias. Você pode usar qualquer quantidade em qualquer arma ou magia à qualquer momento. Basta apertar Start e escolher o que mais for conveniente. Cada arma ou magia tem suas vantagens exclusivas quando melhoradas, e os efeitos visuais causados pelos upgrades são bem bacanas. Ao longo de sua jornada pela destruição dos deuses, você encontrará artefatos míticos, que são de grande ajuda. ?? o caso da lança de Poseidon, que permite a Kratos respirar embaixo d???água, e das asas de Ícaros, que como reza a lenda, funcionam de verdade e dão o poder de planar ao campeão dos deuses e titãs.

Os marinheiros de primeira viagem irão pensar que a câmera fixa atrapalha às vezes. Isso é um equívoco, porque a câmera fixa é a chave para encontrar a resposta para quase todos os enigmas do jogo e faz você se sentir orgulhoso por achar algo camuflado. Uma dica valiosa é sempre olhar nos cantos não destacados pela câmera, isso faz com que você encontre baús secretos frequentemente. A constante sensação de recompensa é um dos aspectos que mais estimula quem está no controle.

Aqui é a parte onde explico a nota dada para o som. Eu sei que você começou olhando as notas, não me venha com desculpas. Para entrar completamente no clima da mitologia grega, a Sony contratou uma orquestra inspiradíssima. Essa é, indiscutivelmente, uma das melhores trilhas sonoras já compostas para um videogame. As composições originais de God of War grudam em sua mente como chiclete e dão inveja a qualquer produção hollywoodiana que não tenha Star Wars ou The Lord of the Rings no título. ?? sério, você poderá ter dúvidas se não ligou o console só para ouví-las, como se o resto do jogo não fosse excelente. Um bom home theater se prova mais do que útil nessas horas.

Acompanhando todo esse supra-sumo musical, os dubladores fazem um trabalho impecável. As vozes são bem características e bem escolhidas de acordo com o design do personagem. Mas o destaque vai mesmo para o protagonista. O ator que dubla Kratos realiza um trabalho memorável e eleva o personagem ao patamar de ícone. As frases que ele diz aos seus adversários são sempre ameaçadoras e ele não tem medo de encarar ninguém. Isso chega a ser engraçado para aqueles que gostam de ver brutalidade do mais alto calibre. A maneira escolhida pelo anti-herói para alcançar seus objetivos é sempre banhada de sangue. Também pudera, ele foi traído e não é do tipo que aceita levar desaforo pra casa. O enredo foi bem escrito e tem seus momentos surpreendentes.

O fator mais controverso das análises deste jogo com certeza é o gráfico. Há quem dê uma nota baixa para os gráficos porque insistem em comparar com outros lançamentos como Uncharted 2: Among Thieves. Isso é impensável. Aqui, nós temos que considerar o que foi melhorado em relação aos lançamentos originais. E para nosso deleite, tudo está mais bonito e melhor definido, exceto pelas cutscenes in-game. Se não fossem por elas, teriamos a sensação de estar jogando um jogo de início desta geração e não um jogo de geração passada. Aqueles vídeos que não são CGs parecem ter sido esquecidos pela Bluepoint, o que torna os gráficos de quando se está jogando bem superiores aos de quando se está assistindo. Isso não é ruim, já que você joga muito mais do que assiste. De qualquer maneira, a arte da franquia é fantástica desde os conceitos primários até o design final. Se você tem curiosidade de saber como isso tudo foi feito, você pode assistir ao DVD bônus que acompanha God of War II, também incluso no blu-ray. Basta você ir até a sessão multimídia do XMB e escolher o vídeo que você quer assistir. Temos lá Making of, Lost Levels, entrevistas, trailers do jogo e muito mais.

Conclusão
Se você nunca jogou God of War, eu declaro que nunca houve melhor hora. Os gráficos revigorados e os 60fps cravados tornam a experiência ainda mais agrádavel. E caso você possua um PS3, então muito provavelmente mal pode esperar para pôr as mãos em God of War III no próximo mês de Março. Saiba que o terceiro episódio é uma continuação direta do anterior. Garanto que pegar o bonde andando neste caso não é legal. Estamos falando de uma trilogia, então você precisa do início.

Mas não pensem que essa coleção foi feita tendo em vista somente os novos adeptos que a Sony está aderindo para sua causa. Para os fãs de longa data, o pacote também vale a pena, levando em conta o novo visual, a fluidez, uma lista de troféus para cada jogo e, é claro, o precinho camarada. O verdadeiro clássico não envelhece com o passar dos anos e esse aqui entrou para a história dos games. Aguardem nossa análise da parte final em Março. Já posso sentir pena dos deuses.

Mais
  1. Dois clássicos por 2/3 do preço de um lançamento
  2. Totalmente mais limpo e suave
  3. O dobro de troféus
  4. Material extra de God of War II


Menos
  1. Cutscenes in-game não foram melhoradas



Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Gamus
9.2/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

©2016 GameVicio