GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Grand Theft Auto IV: The Ballad of Gay Tony para X360 de E-Zine/MyGames

por Giordano Trabach, fonte E-Zine/MyGames, data  editar remover


GTA 4 continua a ser indiscutivelmente um dos jogos mais elaborados desta geração, com centenas de coisas para fazer e um motor de jogo que apesar de já se notar começar a estar desgastado pelo tempo, ainda teve espaço para uma expansão com ênfase em grupo que ficou conhecido por GTA 4: The Lost and The Damned. A Rockstar prometeu que GTA 4: The Lost and Damned não seria o último DLC a ter lugar em Liberty City, e como tal eis que surge o último episódio de Liberty City, GTA The: Ballad of Gay Tony. Será que GTA: The Ballad of Gay Tony ainda tem brilho suficiente para nos atrair a Liberty City uma vez mais?

Em GTA: The Ballad of Gay Tony tomamos controlo de Luiz Lopes, um homem da vida nocturna que enquanto consegue gerir um bar, é também o braço direito e guarda-costas de Anthony Prince, mais conhecido pelos que o rodeiam por Gay Tony. Sendo leal a Tony, Luiz vê-se envolvido numa alhada quando os antigos investidores de Tony tramam o senhor da noite e tentam reaver o que é seu à força. Sem capacidade para responder, directamente, Luiz resolve uma vez mais ajudar o seu amigo de forma a re-erger o seu império da noite.

GTA: The Ballad of Gay Tony segue o mesmo sistema de missões que a série GTA já nos habituou, temos a cidade de Liberty City inteiramente ao nossos dispor, e cabe a nós decidir o que fazer a seguir. Se seguirem a história, vão descobrir como funciona o mundo nocturno de Liberty City, enquanto Luiz mata aqueles que tramaram Gay Tony, ou até a ele. Se resolverem explorar, há muito que fazer, e novos passatempos para vos roubar a atenção o que aumenta brutalmente a longevidade de GTA: The Ballad of Gay Tony, o Online também está de volta e foram acrescentados novos modos e alguns elementos foram alterados, como é o caso das novas arenas mais pequenas pensadas para os jogos de Deathmatch e a presença de novas armas.

GTA: The Ballad of Gay Tony prometia ser um jogo cheio de glamour e explosões, e certamente não desaponta neste departamento. A vida de Luiz divide-se entre dois universos, no primeiro é o gerente de bar, nos quais realiza várias actividades (as quais vocês podem controlar) de gestão ou então de angariação de clientela, mantendo sempre o nível e evitando até confusões no interior do estabelecimento. Na outra face da moeda é um homem de convicções fortes e amigo dos seus amigos, não pensando duas vezes quando é altura de disparar, quer uma pistola ou uma granada (sim agora há uma caçadeira com lança granadas), fazendo tudo ir pelos ares em aparatosas explosões, tão regulares em GTA: The Ballad of Gay Tony que foram introduzidos ainda mais formas de explosivos, como as bombas pegajosas.

Falando em mandar tudo pelos ares, GTA: The Ballad of Gay Tony, mete-nos por várias vezes nos ares, quer em interrogatórios acesos que podemos fazer às pobres vítimas, ou então através de Base-Jump ou Queda livre, e para estes a Rockstar fez regressar o pára-quedas de GTA: San Andreas. Estes saltos, além de mini-jogos, são uma boa forma de passar mais algum tempo em Liberty City, pois desafiam o jogador a melhores tempos, sendo bastante divertidos.

Outra grande novidade introduzida foi o sistema de pontuação das missões, que agora podemos realizar sempre que quisermos, após completas, através do nosso telemóvel. Certamente vão haver várias missões que vão repetir, não pelos pontos, mas sim pela acção ou diversão, mas esta opção é sem dúvida muito bem vinda e um ponto a favor de GTA: The Ballad of Gay Tony.

Outro pormenor interessante é ver como certas peças da história de GTA: The Ballad of Gay Tony, se encaixam com as de GTA 4, e de GTA 4: The Lost and the Damned. Não vão ser raras as vezes que vão ver algo acontecer que já foi vivido nos outros jogos, e Luiz vai encontrar Niko Bellic e Johnny Klebitz na sua demanda. Tudo parece bem executado e nunca forçado, aumentando a imersão e fazendo parecer que enquanto fazemos a nossa vida, há outras coisas a acontecer pela cidade.

Quanto à jogabilidade, pouco mais há a acrescentar além de mencionar que pouco mudou quando comparado com GTA 4 ou mesmo GTA 4: The Lost and The Damned, é a mesma jogabilidade clássica presente desde GTA 3, que mesmo já estando mais que usada, continua a dar cartas, e é sempre curioso ver como a Rockstar conseguiu utilizar a mesma formula de GTA 4, fazendo-a parecer nova outra vez.

Visitar Liberty City é um misto entre nostalgia e repetição. Se acabaram os restantes GTA 4, e GTA 4: The Lost and the Damned, preparem-se, que pouco mudou aqui além de algumas localizações interiores, no entanto, se são fãs ou nunca jogaram o episódio completo, o motor de jogo e gráfico ainda continua a dar cartas e com alguns truques na manga. O som por seu lado continua fenomenal com vozes muito bem realizadas e uma banda sonora esmagadora, que vê acrescentada uma panóplia de músicas electrónicas associadas ao clima nocturno do jogo.

GTA: The Ballad of Gay Tony acaba sem dúvida a série Episodes From Liberty City em grande forma. Não é de todo o jogo fenomenal que vende consolas, mas é sem dúvida uma excelente aposta se tiverem uma Xbox 360 e um GTA 4. Porém não podemos ser demasiado duros com um jogo que custa apenas cerca de 20 euros (1600 pontos) e oferece quase tanto
conteúdo como um jogo de loja, que em muitos casos têm uma qualidade inferior.

Claro que caso não queiram fazer o download no Xbox Live têm sempre GTA: The Ballad of Gay Tony juntamente com GTA 4: The Lost and the Damned no jogo completo GTA: Episodes From Liberty City em exclusivo para a Xbox 360, por um preço mais reduzido e sem necessidade de ter uma cópia de GTA 4 para jogar.

GTA: The Ballad of Gay Tony é sem dúvida um jogo muito bom que supera facilmente grande parte dos jogos que são vendidos acima dos 60 euros. ?? divertido, acessível e recompensador, e amplia ainda mais um modo online já de si bastante vasto. Não percam a balada de Gay Tony de forma alguma, pois é em termos de DLC, um dos melhores que já tivemos o prazer de experimentar até hoje.


  1. Mais GTA é sempre bom
  2. A história de Gay Tony é energética e divertida
  3. Boas personagens
  4. Mini-jogos divertidos
  5. Sistema de repetição de missões
  6. Muito que fazer por pouco dinheiro



  1. A cidade é a mesma de sempre
  2. Algumas missões são algo fracas
  3. Motor gráfico a mostrar algum desgaste



Nenhum comentário

||
E-Zine/MyGames
91/ 100
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

9.5 / 10
Finalboss
©2016 GameVicio