GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Jurassic: The Hunted para X360 de GameTV

por Giordano Trabach, fonte GameTV, data  editar remover




Dia de escolher qual jogo cada um vai fazer análise é como brincar de batata quente. Sempre tem um que ninguém quer fazer, mas para a brincadeira acabar, alguém tem que arcar com o árduo sacrifíicio de ficar com o jogo ruim da semana. Coube a mim, dessa vez, a responsabilidade de testar o mais novo sucesso dos fracassados: Jurassic: The Hunted, game de tiro em primeira pessoa que coloca você numa ilha perdida no meio do Triângulo das Bermudas para enfrentar dinossauros que deveriam estar extintos há milhares de anos. Eles e os desenvolvedores preguiçosos que o fizeram.

A história começa há quase 30 anos quando o Dr. Sayrus (notem a ironia de seu nome), um notório arqueólogo desaparece, assim como toda a sua equipe, na região do Triângulo das Bermudas. Agora, no tempo presente, é a vez de sua filha reunir um grupo de mercenários e partir em busca de seu pai desaparecido.

O problema é que o avião da galerinha do barulho entra numa tempestade elétrica durante a viagem e acabam sendo sugados por um vórtex temporal para uma ilha perdida entre o mundo real e o mundo do "Nem a pau isso é de verdade". Sob o comando do experiente mercenário Craig Dylan, você precisa reencontrar toda sua equipe e desvendar o mistério da ilha e seus habitantes inusitados, dinossauros com uma predileção desfavorável - para você, claro - pela carne humana.

Com esse plot de filme feito para TV (com direito até a selinho no canto esquerdo como os filmes do SBT), a história de Jurassic se desenvolve. Durante as fases (12 cenários inéditos segundo a embalagem do jogo), você explora a ilha, defende fortificações e adentra cavernas escuras repletas de escorpiões gigantes que decididamente não devem ter existido realmente. Ou não deveriam.

A ação do jogo é bastante linear. Ande, enfrente velociraptors, sobreviva. Não há quebra-cabeças, labirintos complexos - quase sempre uma seta indica o caminho a ser seguido - ou armadilhas de fases para derrotar certos inimigos (como atirar numa pedra para provocar uma avalanche). Você coleta as armas pelo percurso e mete bala em TUDO que se mexer. Na dúvida, atire até nas coisas que não se mexem.

Diferente dos jogos de guerra em primeira pessoa, como Call of Duty e Medal of Honor, é possível carregar um número considerável de armas consigo. Em determinada parte do jogo eu estava com duas pistolas, uma metralhadora, uma espingarda, uma '12' e algumas granadas. E provavelmente conseguiria mais algumas se continuasse avançando no jogo. ?? como se tivéssemos voltado à estimada época de Doom 2 e seu arsenal de matar demônios.

E não se iluda, você vai acabar usando toda a sua munição quando hordas e hordas de lagartos superdesenvolvidos resolverem te perseguir no meio da floresta e atacar ao mesmo tempo. Tem até o dinossauro equivalente ao 'sniper' em jogos de tiro convencionais: o Dilofossauro, o mesmo que aparece no primeiro filme do Jurassic Park e cospe veneno na cara do fulaninho que ia fugir da ilha com exemplares de dinossauros.

Enfrentar esses dinossauros ininterruptamente é uma atividade interessante de início, mas que torna-se repetitiva após algumas horas de jogo. E ele não é tão fácil quanto parece: alguns monstros são realmente rápidos e parecem prever quando você vai atirar. Só que sua movimentação é repetitiva e, depois de enfrentá-los algumas vezes, na hora você consegue sacar qual é sua próxima reação. A menos que eles venham em bando para tentar tirar uma lasquinha da sua cutis apetitosa.

Quando o terror e o pânico tomarem conta de você, é hora de utilizar um dos artifícios mais manjados do mundo dos games: a Adrenaline Burst, uma espécie de bullet time que deixa os inimigos mais lentos, revelando os pontos fracos de cada um. Dylan consegue utilizar esse poder quando quiser - existe uma barra na forma de uma bala que mostra quanto de adrenalina ainda lhe resta -, e quando acionado, matar dinossauro vira atividade de jardim de infância dos brucutus.

Apesar do jogo inteiro manter aquele aspecto de "mais meia hora", do tipo: "mais meia hora o jogo ficava até que razoável", quando paramos para olhar os cenários e a interação do personagem com eles, Jurassic: The Hunted parece ter sido criado para rodar em PSOne ou PC's 486. A física é tão precária que quando você caminha dentro d'água, você escuta o barulho mas a água não se move. Nem os arbustos. ?? como se fossem arquivos de imagem estáticos e em baixa resolução. Dá um pouco de vergonha alheia até.

Produzido pela Cauldron HQ e distribuído pela Activision, Jurassic: The Hunted é aquele jogo que deveria passar despercebido de todo mundo, inclusive dos editores de sites de games que passam análises sobre o mesmo. Não dá nem para falar que é "feito para fãs" de dinossauros porque você precisa matar praticamente todos.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

2.5 / 5
Uol Jogos

Tópicos relacionados

©2016 GameVicio