GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Left 4 Dead 2 para PC de Eurogamer

por Shadow Neo, fonte Eurogamer, data  editar remover


Sequelas e mais sequelas, é do que esta indústria vive, e não só. Mas também não é disso que o povo gosta? Desde que sejam de qualidade e de títulos que assim o mereçam, acho que não há problema nenhum. Left 4 Dead foi um dos melhores títulos do ano transacto, com um excelente modo multiplayer onde a diversão estava garantida. Este segundo título da série, Left 4 Dead 2, esteve envolto de polémica desde o momento em que foi anunciado, com a comunidade a tentar boicotar o seu lançamento.

Polémicas à parte, Left 4 Dead 2 foi mesmo lançado e ainda bem que assim foi. Este segundo título é uma evolução natural do seu antecessor. Com mais qualidade em praticamente todos os aspectos, desde o grafismo até às opções de jogo. Mas também não vem revolucionar, nem é essa a sua intenção, e como já referi, é simplesmente uma evolução.

Voltamos a vestir a pele de um de quatro sobreviventes, desta vez os personagens são outros, temos então, Coach, Ellis, Nicke Rochelle. Em relação à jogabilidade, apesar de serem diferentes em termos fisionómicos, as características são completamente idênticas para todos eles, a Valve não arriscou neste campo, poderia ter introduzido características únicas para cada personagem, mas não o fez. ?? claro que se o fizesse teria que reformular muitos dos aspectos do jogo, talvez isso aconteça num Left 4 Dead 3.


Este palhaço é o terror da vizinhança!


Quando referi que ainda bem que o jogo foi lançado, estou desde logo a afirmar que o jogo é bem mais do que uma mera actualização. Foram introduzidos mais modos de jogo, que perfazem um total de seis. Também foram adicionadas novas armas de fogo, que vão desde novas metralhadoras até novas caçadeiras. Outras ???armas??? adicionadas são um tanto cómicas, estas são uma novidade na série, destaco a frigideira, a guitarra eléctrica, uma motosserra e até um taco de basebol, existem ainda mais armas deste género, não as vou referir para não vos estragar a surpresa. Em relação aos items que temos ao nosso dispor, foram adicionados alguns em relação ao primeiro jogo, temos agora fracos de vomito que atraem os zombie fazendo com que anda à pancada uns com os outros, uma injecção de adrenalina que nos atribui força extra por um período de tempo e até um reanimador que ressuscita os nosso camaradas depois de estarem mortos.

Novidades também estão presentes nos monstros que nos querem ???devorar??? vivos. Quando refiro monstros não estou a falar dos zombies, mas sim dos ???bosses??? que aterrorizam o mais dos corajoso jogadores. Cinco deles são já nossos conhecidos, temos o Boomer que é um monte de banhas recheado de vómito, o Hunter que é um pesadelo mesmo à distância, depois vem o Smoker que possui uma língua de fazer inveja às mulheres mais linguarudas, o Tank que é dos monstros mais difíceis de abater e o quinto é a malvada Witch que só nos ataca se for incomodada. Para ajudar à festa a Valve adicionou mais alguns monstrinhos, o Charger que faz da sua envergadura e velocidade a sua arma, o Spitter que cospe líquido verde em forma de ácido que retira energia, e por fim o Jockey que é pequeno mas veloz, salta para as costas dos sobrevivente e enche-os de pancadaria.


Campanha com um humor muito cínico.


Mas Left 4 Dead 2 não se fica por aqui em novidades, o jogo apresenta um visual bem mais refinado, mais polido e mais credível. Se no primeiro jogo tudo se passava num ambiente bem mais escuro, já nesta segunda incursão o mesmo não acontece. Temos vários capítulos que são percorridos durante o dia, dando um outro aspecto ao jogo. A Valve também introduziu um efeito neblina mais intenso que confere um maior realismo ao mesmo. Das cinco campanhas ao nosso dispor (Centro de Morte, Carnaval Macabro, Febre do Pântano, Chuva Pesada e A Comunidade), destaco duas delas, a Chuva Pesada pela sua qualidade visual, a presença da chuva, do vento, e das súbitas tempestades que atraem ainda mais zombies, conferem um ambiente assustador e muito credível. A segunda que destaco é o Carnaval Macabro, pelo seu lado cómico mas cínico, em que a construção dos capítulos está muito bem elaborada, mas também pela presença de uns palhaços que atraem zombies às ???manadas???, malditos palhaços.

Em relação aos vários modos de jogo, temos um jogado offline que já estava presente no título anterior. Este continua muito ???deslavado???, sem grande apelo para que o jogador lhe ponha as mãos. As campanhas estão todas desbloqueadas desde o início, não havendo uma sequência lógica de eventos, ou quase. Se após algumas horas a jogar resolvemos dar uma volta ao ???bilhar grande???, não podemos gravar a progressão (já acontecia no primeiro jogo), temos sempre que iniciar num dos capítulos de uma das campanhas disponíveis. O jogador fica meio perdido, pois já nem sabe onde ficou da última vez que jogou. Também podemos saltar logo para a campanha final e para o seu último nível, tirando todo o gozo de um modo história que mais uma vez é completamente ausente. Resumidamente, este modo offline serve apenas para treino e para conhecer os capítulos de cada campanha.

Está mais do que provado que esta série é completamente virada para os seus modos multiplaye, e esta segunda versão está bem recheada. Temos modos para todos os gostos, o primeiro a ser referido é Campanha Online, este modo é completamente idêntico ao singleplayer offline, onde jogamos com jogadores de todo o mundo, num máximo de quatro jogadores.

Outro modo já presente no jogo original, é o denominado por Sobrevivência, em que temos que aguentar o máximo de tempo possível a diversas vagas de zombies e monstros que vão aparecendo. O grau de dificuldade vai aumentando durante o tempo que estamos a aguentar, havendo barreiras de tempo que terão que ser alcançadas para obter as classificações de Bronze, Prata e Ouro.


Monte de banhas fedorento está de volta.


O modo Versus também está presente neste segundo jogo, sendo até um dos modos que mais gostei em Left 4 Dead. Aqui também não há muitas novidades, o conceito é o mesmo, ora jogamos pelos sobreviventes ora jogamos com os infestados. Jogamos numa determinada Campanha em um determinado Capítulo, muito divertido e muito aconselhável. ?? claro que este é um dos modos que mais beneficiou da adição de mais monstros e mais armas e items. ?? espectacular jogar com o Jockey, saltar para as costas do oponente e dar-lhe uma valente tareia. O Charger também é super divertido, com aquelas investidas à touro enraivecido, muito bom.

Agora os modos que são novidade na série, em primeiro temos o denominado por Busca. Somos um grupo de quatro sobreviventes colocados num mapa, temos um tempo limite para recolher 16 garrafões de combustível para ligar um gerador ou por um carro a trabalhar. Os adversários, quatro jogadores infestados, têm que nos matar ou destruir os garrafões que estão espalhados pelo mapa. Sempre que um garrafão de combustível é colocado, são adicionados mais 20 segundos ao tempo disponível. Este modo é um grande stress, fiquei muitas vezes angustiado com a incessante procura dos malditos garrafões para no final ???morrer na praia???.


Adoro jogar com este infestado, Jockey.


O último modo de jogo é o Realismo, que é a segunda "novidade", este é idêntico ao modo Campanha Online mas com um grau de dificuldade muito superior. Este modo tenta reproduzir o que aconteceria na vida real se nos deparássemos com um cenário como o que é recriado em Left 4 Dead 2. Tudo é demasiado difícil, desde um número exagerado de monstros e zombies, até ao fato destes demorarem mais tempo a morrer. Outro contratempo é o facto de não conseguirmos vislumbrar onde os nossos companheiros se encontram, quando não estão no nosso campo de visão.

Numa análise mais descuidada e fria, diria que este segundo título é muito diferente do jogo anterior. Muitos podem pensar que poderia ser lançado como uma expansão do primeiro jogo, mas não seria justo, notasse que a equipa trabalhou duro para que o resultado final fosse o que está à vista. Quando jogamos é que notamos que os pormenores fazem toda a diferença, pequenos ajustes na jogabilidade, nas opções, nas Campanhas e até no arsenal ao nosso dispor fazem deste jogo uma aquisição obrigatória para os apreciadores do género. Este Left 4 Dead 2 é um puro gozo cooperativo, venham eles, quantos são? Não tenho medo deles.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Eurogamer
9/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Shadow Neo

Reviews da crítica

7 / 10
GameTV
89 / 100
E-Zine/MyGames
9 / 10
GameStart
9 / 10
Eurogamer
©2016 GameVicio