GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Forza Motorsport 3 para X360 de Outer Space

por Giordano Trabach, fonte Outer Space, data  editar remover


Quando a Microsoft ainda planejava desenvolver o primeiro Forza Motorsport, seu objetivo já estava traçado: competir item a item com Gran Turismo, da Sony. Forza 3 chega ao Xbox 360 provando não só que tem muito fôlego para competir na categoria de simuladores de corrida, como também que está disposto a abrir as portas para quem pouco entende desse gênero.

A primeira coisa que chama a atenção ao abrir a embalagem do Forza Motorsport 3 são seus dois discos. Ao colocar o primeiro deles dentro do drive, o jogo o convida a instalar o conteúdo do segundo dentro do HD do console. Uma mensagem explica que, ao instalar, novos carros e pistas estarão disponíveis e, embora não seja obrigatório, aumentará ainda mais a experiência no simulador. O espaço necessário não é muito, apenas 1.9 GB. Parece menor ainda quando se descobre que o número de veículos sobe para mais de 400, o que nos leva a crer que a produtora Turn 10 ouviu as reclamações dos jogadores de Forza 2, que criticavam a pouca variedade de carros do antecessor.

O modo carreira é vasto. Cada temporada acarreta em algumas corridas específicas, e à medida que se completam todas as competições, novos carros e upgrades ficam disponíveis. Ao terminar a temporada, outra será aberta com o dobro de corrida. Para entender é preciso compreender a ideia do jogo. Se a primeira temporada tem quatro corridas, a segunda terá oito e aí por diante. Se terminar uma temporada inicial consumia pouco mais de 10 minutos, as mais avançadas consomem boas horas de jogo. Infelizmente, quando se aproxima do final do jogo, as temporadas são longas demais, tornando-o cansativo e demorado.

Direção para todos
A Turn 10 conseguiu trazer uma jogabilidade eficiente para agradar do jogador mais hardcore, acostumado com jogos de corrida, até aos mais casuais, que querem experimentar pela primeira vez e tomar gosto pelas competições automobilísticas. Ao escolher o Easy, encontra-se uma jogabilidade absurdamente fácil, com diferentes mecanismos para auxiliar o jogador como controle de tração, marcação do trajeto na pista e até a facilidade máxima do jogo auto-frear. Além de toda essa mamata, ainda existe a inteligência artificial bastante debilitada. Não é raro ver carros adversários rodando sozinhos na pista ou dando de frente no muro em curvas deveras simples. Todas essas facilidades fazem até o jogador mais descrente de suas habilidades no volante terminarem, facilmente, as competições em primeiro lugar. Quando o jogador iniciante se sentir mais seguro para aumentar o desafio, ele pode alterar o que quiser da dificuldade nas configurações, acessíveis a qualquer momento do jogo.

Assim como visto em Grid, Forza 3 conta com um sistema de retornar a corrida no tempo, sempre que crer necessário. Em qualquer momento da corrida, basta apertar o botão back para voltar cinco segundos. Não existe limite de quantas vezes isso pode ser feito durante as competições. Novamente, uma ferramenta que certamente atrairá mais os novatos que, ao desligar o freio automático ou controle de tração, acabam cometendo pequenos erros nas curvas.

Quem busca por dificuldade elevada não precisa se preocupar também com as diversas facilidades para os iniciantes. Jogadores hardcore vão encontrar um universo de opções para serem calibradas ao seu gosto. Desligar todos os sensores e aumentar a inteligência artificial dos adversários faz o desafio subir surpreendentemente, deixando o jogo verdadeiramente difícil.

Os gráficos não chegam a ser uma grande surpresa. Na verdade, pouca coisa melhorou em relação ao precursor Forza 2. Alguns efeitos de luzes e texturas foram severamente melhorados, ainda mais quando em movimento, e transmitem bem a sensação de alta velocidade. ?? possível notar os principais defeitos quando a visão está dentro do cockpit dos veículos. Primeiro deles é a ausência de um piloto, contrário ao que se foi visto no Need for Speed: Shift. Enquanto no Shift era possível ver as mãos do motorista trocando de marcha, virando a direção e, com o analógico direito, olhar ao redor do painel, em Forza 3 a câmera fica focada no vidro, sem intervenção alguma de quem está dirigindo. Se isto já é o suficiente para passar uma impressão artificial, ainda existem problemas de colisões com outros carros. Quando dois carros se chocam não é incomum parte da lataria do carro adversário entrar pelo capô, como se uma faca atravessasse manteiga. São pequenos problemas que não interferem na jogabilidade, entretanto, quem prestar atenção, notará facilmente.

Se existem defeitos, também há qualidades e a principal delas diz respeito ao realismo dos carros. Cada curva da lataria, cada detalhe das sinaleiras, tudo foi fielmente representado. E neste ponto não se pode esquecer do som. Cada bólido tem seu efeito sonoro do motor diferente. A Ferrari F355 Challenge traz seu ronco característico, bem diferente do Pagani Zonda C12, por exemplo. E isso se aplica até aos carros mais comuns, como o Ford Fiesta Zetec. ?? medida que se altera o motor, o ruído dele também é modificado. Entretanto, a Turn 10 fez um trabalho excelente em não perder as características da marca, ou seja, se o ronco original é afinado, por mais que se modifique ainda terá um som fino, peculiar.

A maior vantagem de o jogo ter sons tão fiéis aos carros originais é que assim se pode diminuir o som da trilha sonora. A escolha da trilha foi insignificante por parte dos programadores. Não chama a atenção, não é conhecida e não faz diferença alguma. Se o jogador gosta de carros, velocidade e adrenalina faça um bem para si mesmo e tire todo o som da música, ouvindo apenas o ronco dos motores e o gritar dos pneus no asfalto.

Customização sem limites
A customização é espantosa. Tudo pode ser feito para aumentar o desempenho. Da troca do escapamento até pequenos detalhes como cambagem das rodas e relação das marchas. Quem entende mesmo de todas essas opções irá encontrar uma surpreendente gama de detalhes que são facilmente alterados. Agora, se o jogador sente muita dificuldade em fazer modificações, por mais simples que possam parecer, não precisa se preocupar já que a opção Quick Upgrade seleciona os componentes e as alterações necessárias para aumentar a performance, de forma que não extrapole o orçamento do jogador, tornando tudo muito fácil.

A aparência também conta, não é? Por isso o sistema de criação de vinis do jogo anterior continua aqui. A criação é simples, mas na mão de quem compreende as ferramentas disponíveis, muita coisa legal pode ser feitas. Usando um sistema de layers, pode-se mesclar diferentes imagens pré-definidas para criar algo novo, com as cores que bem entender. A criatividade voa solta na produção e, certamente, não demorará muito para encontrar adesivos originais e bonitos nas partidas online.

Faturando uma graninha
O multiplayer não se restringe apenas a corridas onlines. Na verdade, assim como nos seus antecessores, um comércio entre jogadores foi estabelecido. ?? possível vender de carros a adesivos personalizados, da forma e com o valor que bem se entender. Se o conhecimento avançado em tunning é o forte do mecânico virtual, ele pode modificar o carro como quiser, aumentando ao máximo o desempenho, e por a venda para quem não entende nada disso. A mesma coisa serve para os designers digitais que comercializam suas obras estéticas. O valor varia muito de carro para carro, mas é isto que torna todo esse mercado informal tão atraente. Se quiser vender um vinil por 50 milhões é perfeitamente possível. Agora, se vai pagar por isso, aí já é outra história.

As corridas multiplayer sempre foram marca de qualidade da série Forza e no terceiro episódio elas voltaram com força total. ?? admissível escolher a potência máxima que os veículos podem ter para participar das competições, fabricantes, classe etc. Além disso, pista e modalidade ficam disponíveis para o organizador do evento selecionar, podendo criar partidas de corridas dentro de circuitos ou até mesmo Drag Racing, na qual o objetivo é chegar em primeiro lugar em uma pista com pouco mais de 500 metros. Importante ressaltar a necessidade de sempre se deixar na garagem diferentes veículos modificados, para as mais diversas modalidades, afinal, um carro preparado para corridas ponto-a-ponto não se sairá bem na prática de drifts.

O Veredicto
Forza Motorsport 3 agora serve de exemplo para seu concorrente, e prova que não só gráficos fazem um bom jogo de corrida. Customização total, acessibilidade para quem nunca jogou simuladores de corrida e a grande variedade de carros o deixam em primeiro lugar na sua categoria, nesta geração. Para quem busca um multiplayer competitivo então, encontrou o que sempre buscou. O jogo ganha uma sobrevida graças às partidas excessivamente personalizáveis, fazendo cada competição parecer algo novo, totalmente diferente da anterior. O mercado de carros e peças entre jogadores é ótimo para conseguir boas barganhas ou vender itens exclusivos.

Prós:
  1. Multiplayer sensacional, diferente do que se está acostumado;
  2. Acessibilidade para quem não está habituado com o gênero;
  3. Desafiador para pessoas que querem um simulador de corrida completo;
  4. Efeitos sonoros acima da média.


Contras:
  1. Trilha sonora fraca;
  2. Modo carreira cansativo quando mais próximo do final do jogo.



Nenhum comentário

||
Outer Space
9/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

4.5 / 5
Uol Jogos
9.5 / 10
GameStart
9 / 10
Outer Space
©2016 GameVicio