GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Order of War para PC de Gamerview

por Giordano Trabach, fonte Gamerview, data  editar remover



Quando o assunto é jogo baseado na Segunda Guerra Mundial, temos clássicos que dão origem à séries de sucesso, como Medal of Honor e Call of Duty (ambos FPS), e surpresas como Company of Heroes (RTS). E, claro, existe a enxurrada de títulos questionáveis que não valem a citação. Chegando para adicionar mais um título nessa lista está Order of War, excelente jogo de estratégia em tempo real produzido pela Wargaming.net e distribuído pela Square Enix.

Logo no começo, você escolhe com qual das duas campanhas quer jogar: a do Exército Alemão, em sua última ofensiva contra a União Soviética antes do contra-ataque que jogou a pá de cal nos esforços do terceiro Reich; ou a campanha do Exército Americano com um dos momentos mais emblemáticos da guerra ??? o famoso Dia D com a invasão da Normandia na França.

Order of War é um jogo de estratégia de larga escala, com campos de batalha enormes e dezenas ??? às vezes centenas ??? de unidades sob seu comando. Lembra um pouco a série Total War, só que com um ar de novidade e uma jogabilidade mais simplificada e dinâmica. Outro detalhe de referência são as introduções de cada missão, semelhantes às de Call of Duty: World at War, com filmagens da época, apresentação de estratégias, equipamentos e veículos de guerra.

Em termos de estratégia, Order of War dá maior ênfase aos combates. Você captura um ou outro ponto estratégico durante os estágios, o que gera recursos para comprar mais unidades como tanques, ataque de bombardeios e soldados. Fora isso não há construções de base e nem nenhum tipo de gerenciamento mais complexo. Nas batalhas, o posicionamento de unidades durante o ataque e defesa é essencial. ?? neste momento que você desperta o general em você, pensando nas melhores táticas para derrotar o adversário.

Cada batalha oferece um desafio diferente: cenários urbanos com prédios destrutíveis e elevações de terreno influenciam realisticamente no decorrer do combate, por exemplo. Você controla esquadrões em grupos de 15 a 20 unidades de infantaria e grupos de 5 unidades quando são veículos, como tanques. Para maior controle de suas unidades, na interface do jogo há uma opção para desligar/ligar o display que mostra quais são os tipo de unidades. Há também uma opção para mudar o alcance dos disparos de cada grupo, feito com o uso do mouse (você clica no grupo e ???arrasta??? o alcance do alvo).

Estratégias bem elaboradas rendem pontos ao final de cada missão, os quais podem ser usados para comprar upgrades como maior alcance de tiros e maior resistência. Estes pontos dependem dos objetivos completados e da proporção de unidades destruídas/perdidas. Graças a esses detalhes, mesmo tendo verdadeiros batalhões sob o seu comando, a interface direta e eficiente na hora de comandar deixa tudo isso mais simples do que você possa imaginar.

Dentro do jogo, além do citado display, há outras ferramentas para auxiliar seu comando. No canto inferior direito são mostradas as unidades sob seu comando, o tipo de cada esquadrão e o número de unidades que ele possui. Ainda na direita, mas no canto superior, você tem um contador dizendo quantos pontos de recurso você tem e quantos ainda vai ganhar, já que cada ponto de controle oferece um quantidade limitada de recursos. E abaixo desse contador é mostrado as unidades disponíveis para compra, que aumentam de variedade durante o progresso das missões.

Na parte de movimentação de câmera, Order of War não poderia ser mais intuitivo. Passear por um campo de batalha com dezenas de quilômetros de extensão, manejar a câmera para visões mais estratégicas, ou simplesmente dar um zoom e admirar as paisagens e as unidades é simples como tem que ser: você usa apenas as setas no teclado, o mouse, e o botão de rolagem do mouse para movimentar a câmera. No caso dos estrategistas mais confiantes, que querem ver a batalha de outro ângulo, o jogo oferece a opção ???Cinematic Camera???. Com um simples apertar de botão você deixa a visão tradicional do jogo e vê toda a ação da batalha se desenrolar na forma de uma ???cutscene in-game???. Apesar de geralmente você pegar bons ângulos das batalhas, às vezes o jogo te deixa olhando unidades que estão paradas sem fazer nada, em algum ponto do mapa aonde a ação ainda não chegou. Pelo menos isso acontece com pouca frequência.

Toda a dificuldade em vencer as batalhas se deve ao desafio natural que cada campo de combate apresenta, exigindo o pensamento estratégico de cada jogador. Essa é uma das maiores qualidades do jogo, que deixa a dificuldade apenas nisso, facilitando ao máximo o controle e movimentação de unidades e a da câmera.

O visual do game pode parecer simples quando visto de longe, mas é bem detalhado de perto. Ao dar zoom e ver o campo de batalha e as unidades de perto, percebe-se o capricho na produção. ?? possível perceber até os detalhes nos uniformes de cada soldado, o que é um grande atrativo para aqueles que são fissurados em história da Segunda Guerra (como eu). Mas existem certos desleixos no acabamento gráfico, mesmo em configurações mais altas. Texturas serrilhadas e sombras de objetos que parecem ter saído de um jogo da era 8-bits são alguns dos exemplos. A física também falha: algumas vezes eu vi tanques passando por soldados aliados como se fossem fantasmas, ao longo que outros do mesmo esquadrão fazem o que deve ser feito e desviam do veículo enquanto ele passa. Outro exemplo é de inimigos fazendo tiros impossíveis, que passam direto por prédios e outros objetos. Mas de novo, nada de grave ou que altere a experiência de jogo.

O game apresenta uma trilha sonora competente, assim como os efeitos sonoros. Cada veículo tem seu tipo de som de motor e disparos. A dublagem também é digna de citação: no começo de cada missão você ouve a apresentação em inglês e alemão (dependendo da sua campanha). Já no campo de batalha, tanto as tropas alemãs e soviéticas respondem às suas ordens nas suas línguas de origem, o que aumenta mais ainda a sensação de realismo.

No modo multiplayer, Order of War mantém o mesmo padrão: você guerreia contra o computador ou contra um jogador online, sempre com o objetivo de capturar os pontos de batalha no mapa, aumentando seus recursos e criando um exército para esmagar o adversário. Nada além do que você tenha experimentado no modo singleplayer, a não ser pela opção de poder controlar os Soviéticos, que é o único modo de ter eles sob seu comando.

Mesmo não trazendo nenhuma grande novidade, Order of War é um jogo que prova que a Wargaming.net fez a lição de casa direitinho e entregou um ótimo jogo de batalhas em larga escala. E sim, este é um título mais do que recomendado para os fãs do gênero.

Prós:
  1. Estratégia de verdade
  2. Movimentação de tropas e câmera de fácil controle
  3. O visual, tanto na apresentação das missões quanto dentro do jogo, é muito bem feito e fiel à Segunda Guerra Mundial


Contras:
  1. Difícil para se pegar o jeito no início
  2. Multiplayer um pouco limitado



Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Gamerview
4/ 5
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach
©2016 GameVicio