GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de NHL 2K10 para PS2 de Eurogamer

por the dark knight, fonte Eurogamer, data  editar remover


2K Sports, empresa norte-americana, comemora este ano o seu décimo aniversário. Em matéria de reedições anuais de títulos de desporto é uma concorrente, em jeito de marcação directa, das produções da EA Sports. Desde futebol, basquetebol, hóquei no gelo, entre outras modalidades muito apreciadas no continente norte-americano, as opções ganham rivalidade, embora nos tempos recentes as produções da EA Sports tenham uma disponibilidade maior para a simulação.

Em NHL 2K10 a tendência passa por facilitar a adaptação à modalidade dos jogadores menos rodados neste antro, permitindo a qualquer um assumir em pouco tempo o domínio dos principais movimentos, lembrando logo os jogos de hóquei no gelo de meados da época de 90 cuja popularidade disparou mesmo no continente europeu à custa de uma jogabilidade a tocar no arcade. Naquilo que acaba por ser uma fuga a um esquema de controlo mais realista através do movimento do atleta e do stick que serve de controlo do disco, destaca-se um ritmo de jogo mais vivo onde as oportunidades aparecem em catadupa e por seu turno os golos.

Pegar e jogar continua a ser uma das máximas e mesmo os lances de preparação e treino (defensivo sem disco, na posse do disco e ofensivo) resumem-se a um número conciso de opções. Todo o entusiasmo move-se em função dos lances ofensivos e das contra-ofensivas provocadas pelo adversário, deixando a defensa em trabalhos dobrados. Porém, em termos de opções de jogo e inovação diante dos títulos anteriores, NHL 2K10 não se posiciona tão à frente como seria de esperar depois de mais um ano de desenvolvimento.

A participação em partidas on-line tem uma atenção redobrada. Seja nos modos temporada, franchise ou play-off, sobretudo iniciativas para uma exploração individual, há uma opção antes de cada partida arrancar que permite convidar um outro utilizador a disputar essa partida no lugar do computador. ?? uma boa forma para estimular a progressão e estabelecer uma ligação com a estrutura multiplayer à custa de outros adversários que tenham os mesmos interesses. Alem disso é possível criar a própria equipa, pô-la num campeonato cujo crescimento ao longo das épocas se assegura em função dos resultados e capacidade de transitar para as eliminatórias e até mesmo definir os padrões primários de jogador dentro de um modo carreira, ainda que o quadro de acompanhamento não seja tão detalhado e pleno de opções como chega a ser regular noutras iniciativas que apostam na evolução da carreira de um jogador.

Deste prisma a tarefa do guarda-redes parece hercúlea.
Ainda nas opções de jogo individuais cumpre elencar dois modos bastante atractivos e que põem em evidência as capacidades de organizar um jogo mais rápido e sem paragens por faltas, congelamentos do disco ou lances de fora de jogo. O quatro contra quatro em pond hóquei ou três contra três num campo quase circular mais limitado. São boas opções para aprenderem a trocar o disco mais depressa e marcar golos de grande efeito.

Para bem da maior discussão do resultado final das partidas há que referir a boa adaptação da inteligência artificial em função do resultado. Podem entrar a todo o gás num jogo, e embora seja verdade que nalgumas situações os defesas adversários não fecham tão bem as zonas de perigo como seria de esperar, certo é que a equipa adversária começa a sufocar a vossa zona defensiva, seja em termos físicos, recorrendo às manobras de encosto grosseiro, derrubando sem pejo, como também trocam melhor o disco e apontam golos com maior facilidade. Podem sempre solicitar o controlo imediato do guarda-redes, mas atenção que uns remates bem colocados nas zonas superiores da baliza são difíceis de segurar

O controlo do disco opera-se de uma forma bastante consistente e imediata, sendo suave o sistema de passes por forma a colocar mais depressa perigo junto da rede adversária. ?? volta do disco há um círculo escuro que facilita a percepção do mesmo, mas mover o jogador e destinar um passe em profundidade, rodar à volta da baliza é algo que se concretiza com regularidade e de forma bastante credível. O maior desafio passa por encontrar os espaços adequados, fugir para as alas, efectuar um passe atrasado e à queima do guarda-redes atirar com firmeza para o fundo. Nem sempre fácil de enfiar o disco no fundo das redes. Um remate rasteiro leva a defesas sistemáticas, daí que o melhor seja apostar na imprevisibilidade com jogadas rápidas e remates fortes para cima.

O gatilho direito permite imprimir mais velocidade ao jogador que patina com o disco. Podem tentar fintar os defesas e puxar para trás o stick, dando mais força ao remate. O manipulo direito serve ainda para rematar mais depressa e direccionar melhor o disco, embora venha a ser utilizada pelos jogadores mais veteranos. Os esquemas de controlo obedecem à forma clássica, predefinida ou mais avançada, sendo a primeira e última compatíveis para os clientes da série. O sistema de desarme dos adversários, intercepção de um passe ou remate estão melhorados, sendo que os defesas estão melhor preparados para assegurar com êxito essas soluções Sem o disco o gatilho direito permite que se façam desarmes, mas atenção, se os adversários forem lestos o caminho para a baliza fica desguarnecido. Apesar da tendência para a facilidade na organização e mecanismos de jogo o processo de adaptação ainda toma algum tempo. Ter em particular consideração os jogadores com melhor índice de creatividade é uma oportunidade para fazer Ovi Dekes na perfeição e confrontos no 1 contra 1. Estas manobras exigem rapidez e coordenação com o stick (manípulo direito) no preciso momento em que estão a aproximar-se da baliza.

Determinação nos momentos fulcrais.
A animação em campo prima por uma maior naturalidade e espontaneidade dos movimentos. Os atletas curvam-se de uma forma bastante credível e espontânea e até a patinagem e velocidade de transporte do disco equipara-se ao que vemos a partir de uma transmissão televisiva. Os gráficos estão melhorados, com uma melhor definição do rosto dos atletas e equipamentos. O público espalhado pelas colossais bancadas dos pavilhões indoor vibra com as jogadas de perigo e há todo um espectáculo de cor e luz em redor daquele rectângulo de jogo. O gelo riscado pelas lâminas das botas, os pedaços que levantam quando os atletas rodopiam e fazem movimentos mais agrestes convencem. Por outro lado uma mini-janela abre-se para dar conta das substituições e mudança das linhas. Por vezes os comentários de jogo não primam pela diversidade, mas são eloquentes, certos e efusivos nas jogadas de grande execução. A vertente sonora cumpre. Animação não falta antes do lançamento inicial do disco e cada vez que há uma paragem de jogo as colunas do estádio debitam músicas de mão dada com a plateia. Podem até adicionar em vez os temas que tenham no disco da consola, a rebate de algo mais personalizado.

Com o avanço dado na vertente on-line, transversal aos modos de jogo individuais, esta versão de NHL alcança uma imediata disponibilidade para o confronto com outros adeptos do género espalhados pela rede. Porém, os modos de jogo não abundam em novidade perante as opções anteriores. Mesmo assim trata-se de uma experiência de grande acessibilidade com um mecanismo de controlo mais simples, eficaz e capaz de proporcionar grandes momentos, reviravoltas no marcador e lances dignos de revisão.

Plataformas:PS2 X360 WII PS3


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Eurogamer
7/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de the dark knight

Tópicos relacionados

©2016 GameVicio