GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de DiRT 2 para PS3 de Eurogamer

por Luan Marqueti, fonte Eurogamer, data  editar remover


Em 1985 nasceu a Codemasters, fundada por Richard e David Darling que obtiveram grande êxito no mercado do Zx Spectrum, graças aos seus jogos de acção. Mas quando falamos da Codemasters o que nos vem logo a mente? Pois é, jogos de carros. Ao longo da sua história o sucesso foi enorme em torno de jogos de corridas como a série Micro Machines, Toca e claro Colin McRae.

A Codemasters apostava na vertente Rally na série do mítico piloto. Mas em 2007 com Colin McRae: DiRT a série mudou de ares, usando pela primeira vez um subtítulo, agora a aposta foi para as corridas Off-Road com camiões, buggies. Mas mesmo com a série refrescada, isso não resultou em grande sucesso. Por isso a grande aposta para este ano por parte da Codemasters é a sequela Colin McRae: DiRT 2.

Para produzir o DiRT 2, os criadores utilizaram o motor gráfico EGO, o mesmo que foi usado em Race Driver Grid. Nota-se uma alteração nas cores utilizadas, o pó, os brilhantes e as cores coloridas dão um ar muito mais natural ao jogo. Tudo isso para assim agradar a todos os amantes de jogos de carros e voltar ao sucesso de outros tempos, uma tarefa árdua devido à enorme exigência dos fãs.

Neste novo jogo a Codemasters pretende que o jogador se sinta na pele de um verdadeiro piloto, podendo desde o início registar o nosso nome, a nacionalidade e até a alcunha com que pretendemos ser conhecidos, eu escolhi ???ranger??? em homenagem ao Chuck Norris.

Como núcleo central temos uma auto-caravana, que encontrámos num estado degradante, tudo desarrumado, comida espalhada por todo lado, moscas a sobrevoar a zona, em suma, tudo muito sujo e num autêntico caos devido às festas que la houveram. Da janela dá para reparar na festa que decorre no exterior, nos milhares de pessoas que passam a falar alto, na nossa equipa, nos helicópteros a passar, publicidade por todo o lado e as tendas das outras equipas. Tudo nos faz crer que estamos mesmo lá.


Efeito de luz incrível.

Voltando à nossa desarrumada auto-caravana, deparámo-nos com muitas opções, todas elas bastante fluídas, com uma apresentação bastante simples que explica passo a passo aos iniciados, dando todos os detalhes necessários antes de uma corrida. Em my stuff podemos ver as missões do género Long Jumper e Overtake que efectuámos durante as corridas, tanto em single-player ou multiplayer. Podemos nos relacionar com as estrelas principais do jogo de forma a escolher o nosso co-piloto. Nos extras temos acesso a download de conteúdos e os vídeos que vamos desbloqueando ao longo do jogo.

Da opção multiplayer on-line vou falar mais à frente. Por fim temos o Dirt Tour, onde estão todas provas que iremos disputar. Temos também uma televisão onde constantemente vão passando vídeos de provas reais X-games, vídeo-clips, vídeos de algumas provas de rally e até mesmo os grandes feitos de Ken Block. No exterior temos as opções (do costume), em News existe uma revista que nos informa o nosso progresso no jogo e também as informações sobre o último, o recente e o próximo torneio (com acesso on-line). My Rides é o nosso ???STAND???, onde temos vários carros à escolha, desde carros de rally como o Mitsubishi Lancer Evolutionx, o carro usado por Colin Mcrae, Subaru impresa WRX STI 1995, até ao velhinho Ford Escort MKII.

Existem diversos tipos de veículos, divididos por categorias. Os Rally Cross incluem carros como o Ford RS2000, MG Metro GR4 (muito parecido com o Renault 5 Turbo), BMW Z4M Coupe Motorsport entre outros, para provas em circuitos com vários veículos ao mesmo tempo. Os Traikblazer são os carros de rally equipados para provas de alta velocidade. Os STOCK BAJA são as carrinhas pikups, onde temos o prazer de conduzir o poderoso Hummer HX. Os Trophy Trucks, parecidos com camiões e podemos conduzir entre vários a Kincaid Ford F-150. Classe 1 Buggies, são veículos de rodas e pneus largos, leves e abertos geralmente adaptado para terrenos arenosos.

Em todos eles podemos ver o carro ao pormenor, ver as estatísticas e os personalizar. Podemos mudar a cor, mas repetindo apenas na mudança de patrocínios, e é pena não termos a opção de modificar ao nosso gosto, de forma mais personalizada. Podemos modificar o tipo de buzina, colocar bonecos no nosso tablier como por exemplo uma caveira que revira os olhos quando fazemos uma curva. Por fim podemos colocar também um objecto no espelho central como por exemplo um par de sapatilhas, ou o tão famoso disco de CD pimba. ?? de realçar a ausência de loadings entre as opções e até mesmo na passagem do interior para o exterior da auto-caravana.

No modo World Tour viajámos por varias localidades, desde Utah, Baja, Califórnia, L. A., Londres, Marrocos, Malásia, China, Croácia e Japão. ?? de notar que o ambiente à volta da nossa auto-caravana muda consoante o local. Por cada prova superada, ganhamos XP que nos fará subir o nível, com isso conseguimos desbloquear as competições X-Games situadas em três zonas, Europa, Ásia e América. Após bastantes corridas vencidas passamos a ter provas World Tour desbloqueadas com várias categorias tais como RRally, Rally Cross, Traiblazer, etc. Ao vencer as provas X-Games é-nos oferecida a prova de Colin Mcrae Challenge, em tributo ao malogrado piloto de rally.


Floresta e muita lama é o que vos espera na Malásia.

Nas corridas ???Domination??? as pistas são divididas por sectores, ou seja, temos de fazer os melhores tempos em cada sector para poder ganhar as corridas. As corridas de ???Gatecrasher??? exigem velocidade e técnica, onde o objectivo é bater numas placas, tipo esferovite, para ganhar segundos para chegar mais depressa ao final da corrida. ???Land Rush??? são provas muito intensas OffRoad em locais como arenas e estádios, em estradas sinuosas com saltos, lombas e água. ???Last Man Standing??? ocorrem em pistas curtas e com adversários agressivos, os últimos vão sendo desclassificados até ficar apenas um, tipo eliminação. ???Raid??? são corridas longas de um ponto a outro com diversos atalhos durante a corrida. ???Rally??? também são corridas de um ponto a outro mas desta vez não temos a ajuda visual com setas no ecrã a indicar as curvas nem o grau de dificuldade, apenas temos a ajuda do nosso co-piloto via sonora. ???Rally Cross??? são pistas curtas com metade em asfalto e a outra metade em gravilha. ???Trailblazer??? é uma disciplina a solo de um ponto a outro da pista, e ao longo da pista podemos ultrapassar alguns adversários mais atrasados.

Como em DiRT 2 os pilotos são Reis e senhores, não faltam as caras conhecidas, como Dave Mirra, Ken Block e Travis Prestana. Consoante as nossas prestações nas provas iremos ganhar a amizade deles que nos ajudarão no futuro em parcerias em algumas corridas. Também nos irão propor um desafio em cada localidade, como por exemplo bater um tempo ou até fazer uma corrida contra eles.

Os gráficos apresentam-se algo fascinantes, com pormenores deliciosos. Em Baja Califórnia, na pista Ensenada, o por do sol é tão real que ate ofusca a pista. Deliciosas são também as pistas de rally que têm um misto de pó e lama, fazendo com que o carro fique completamente sujo. O sol da Croácia é incrivelmente real, cheguei quase a pensar em usar óculos de sol. Em pistas nocturnas o efeito de luz atinge todo o seu esplendor com os quatro enormes faróis dos veículos iluminando tudo à sua frente e até mesmo as luzes do ambiente a reflectir no carro e a iluminar a pista. ?? este efeito de luz que torna o jogo muito realista.

O Rally na Malásia é espectacular, as nossas corridas são feitas mesmo no centro da floresta por isso a pista se apresenta com muito mato, fazendo com que a pista se torne estreita. Também tem muitas poças de água que muitas vezes nos ajudam ou prejudicam, na visão interior torna-se bastante difícil e real, já que a água e a lama saltam para o pára-brisas dificultando a nossa visão sobre a pista. Em Utah as pistas fazem lembram muito o MotorStorm tanto pelas enormes rochas, montes e lama. ?? pena não existirem pistas em condições climatéricas como a chuva e neve. Sobre as pistas, e lamentável o número limitado, são poucas em comparação com o número de provas (cerca de 100), o que faz com que o jogo se torne um pouco chato e aborrecido já que jogamos demasiadas vezes nas mesmas pistas. Os danos são muito ao estilo de GRiD, podemos destruir por completo os automóveis e até vemos peças do nosso carro a saltar após um embate. Tudo isto e muito mais sem uma única quebra de fluidez, melhorando assim bastante em relação ao que nos foi apresentado na preview.

Quanto à jogabilidade, o jogo apresenta-se muito mais sólido do que o seu antecessor, sentimos os carros muito mais pesados em saltos e duros nos embates. Nas mudanças do piso de asfalto para a gravilha, parece que sentimos essa mudança de superfície no comando, tal é a sensação de alteração do material. Talvez alguns veículos como os Trophy Trucks precisassem de um ajuste na condução, pois são muito sensíveis e muito difíceis de estabilizar na pista, isto em relação com outros tipos de veículos. Vindo directamente de GRiD, temos a opção Flashback, que nos permite voltar atrás e repetir qualquer secção que tenha corrido mal.


Não bastava o olhar aterrador da caveira ainda temos que levar com lama nos olhos.

Sobre a sonoplastia, é um verdadeiro mimo. O som dos carros é incrível, onde cada um tem o seu barulho, e em quase todos eles dá uma vontade enorme de estar sempre a acelerar. Destacamos também o som ambiente, como por exemplo nas corridas em estádio, onde ouvimos as pessoas a gritar, e o som da música ambiente ou até mesmo em provas de rally onde ouvimos o som da gravilha a bater no metal do carro. Todos os sons estão reais, água, lama, areia, as pessoas a observar a corrida e os rateres dos carros. O estilo musical do jogo é baseado no Rock, onde dá um ar mais festivo, tendo bandas conhecidas, como os Scars On Broadway e Queens Of The Stone Age. Senti a falta duma opção para editar a playlist do jogo e colocar bandas ao nosso gosto.

Finalmente chegamos ao modo multiplayer Online, temos uma prova Pro Tour onde podemos fazer três tipos de competições diferentes. Tanto podemos fazer uma corrida a solo como fazer uma equipa até 4 jogadores e recolhemos fama para subir de nível. Depois temos Jam Session que serve para fazer partidas online contra outros até sete jogadores numa secção criada ou oito no caso de nós criarmos uma secção de jogo.

Colin McRae: DiRT 2 é um bom jogo. Temos um modo carreira de 100 eventos, mas um pouco chato de jogar, pois passamos diversas vezes nas mesmas pistas, onde facilmente poderia ter sido colmatado pela introdução de pistas reais ou fictícias de rally como na Suécia ou Reino Unido. Mas com o modo multiplayer teremos sempre muita diversão. Sentimos claro falta de carros como Ford Focus WRC, Toyota Celica e Lancia Delta. Os gráficos são o ponto forte do jogo com o realismo dos efeitos de luz, danos, sujidade nos carros e a água, com bonitos e grandes cenários e o frame rate do jogo sempre na perfeição. Um jogo que pretende agradar à generalidade dos jogadores com as suas diversas provas.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Eurogamer
8/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Luan Marqueti

Reviews da crítica

9 / 10
Finalboss
©2016 GameVicio