GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de The GodFather 2 para PS3 de Top Games

por Giordano Trabach, fonte Top Games, data  editar remover


Em the Godfather II vamos acompanhar a história de Dominic, um cara que é amigo e ???afilhado??? de Don Michael Corleone.

Os imigrantes italianos da família Corleone voltaram a dar as cartas no mundo dos games. The Godfather II é a continuação do primeiro game da série, que fez muito sucesso entre público e crítica. Mas ao contrário do segundo filme (considerado a melhor continuação da história do cinema), The Godfather II acabou decepcionando. O primeiro jogo baseado no filme O Poderoso Chefão estava mais para um ???clone de GTA???, ambientado nos anos 40.

Desta vez a Electronic Arts quis fugir da comparação direta com a franquia da Rockstar e colocou elementos que, se não forem observados com cautela, vão dar a impressão errada ao jogador. Em the Godfather II vamos acompanhar a história de Dominic, um cara que é amigo e ???afilhado??? de Don Michael Corleone. A missão dele é ser o Don da cidade de Nova Iorque e construir o nome de sua própria família. Ele vai seguir as ordens de Michael, o todo poderoso Padrinho, fazendo tudo o que ele ???pedir???.

O jogo começa em 1958, na tentativa de assassinato de Frank Pentangeli, um o Capo da família Corleone em uma festa em Cuba. Claro que, como no filme, Pentangeli não morre, mas é a partir deste momento que Dominic começa a fazer seu nome crescer entre as famílias italianas.
Só que aqui as coisas são bem diferentes do filme. Nada, nenhum momento em que o filme mostrava o passado de Vito Corleone é exibido no jogo. Uma licença poética que possivelmente não vai agradar os fãs de O Poderoso Chefão.

O game também engloba a cidade da Flórida e depois o leva para Cuba. Mas nenhum dos três lugares é grande o suficiente para ser chamado de cidades. Por exemplo, Nova Iorque não chega a ser um quinto do tamanho que era no primeiro jogo. Somando a área dos três cenários não vai dar a sensação de estar realmente em uma cidade grande.

Rede de influências

Todo Don tem como obrigação proteger os comerciantes de sua cidade de incidentes desagradáveis, como assaltos, espancamentos e destruição de propriedades. Para isso ele tem que ???convencer??? os donos dos estabelecimentos de que eles precisam de proteção. Alguns aceitam numa boa. Outros precisam de estímulos, como uma vidraça quebrada ou alguns tapinhas. Sim, aqui você primeiro bate para depois proteger. E existem diversas formas de se fazê-lo, como usar socos, apontar armas, bater em clientes etc. Fica claro que as várias formas de assustar os comerciantes foi o que mais tomou atenção dos programadores.

Essas ações constroem a rede de influências que fará de Dominic um bom chefão. Você deverá controlar todo tipo de comércio da cidade, desde vendas de drogas até casas de prostituição, entre uma grande variedade de negócios que acontecem em toda cidade normal.
Só que, na maioria das vezes, é outro chefão que cuida do estabelecimento e aí as coisas ficam mais quentes. Você terá que tomar este negócio na base da pancada. As lutas mano a mano usam golpes fracos e fortes, defesa e contra ataques, para isso você usa os botões do controle ??? no primeiro jogo todo o combate desarmado era feito com a alavanca analógica direita, o que era algo simplesmente horrível.

A parte de combates armados segue o padrão imposto em GTA IV, só que aqui você pode controlar melhor a mira automática para acertar tiros na cabeça dos seus adversários. Basta travar a mira e apontar com o direcional no seu alvo.

Você pode ver todos os estabelecimentos que podem ser dominados apertando o botão Start. Esta é a chamada ???Don View???. Lá você também pode ver os membros da sua família, descobrir quanto está recebendo pela proteção dos negócios, mudar as roupas de Dominic entre muitas outras opções. ?? nesta parte que você vai gastar algum tempo planejando seu próximo ataque. Conseguindo todos os estabelecimentos do mesmo ramo de atividade você ganha presentes, como carros blindados, coletes à prova de balas e mais munição para as armas. Depois de tomar todos os estabelecimentos de outra família, você terá o dever de destruir sua base e tomá-la para si.

Trabalho sujo

Claro que, como um bom Don que se presa, você terá que proteger seus negócios locais com diversos capangas. Os membros mais destacados farão parte da sua família. Para isso você vai escolher estes homens em diversos locais da cidade. Cada um destes camaradas tem uma habilidade, como arrombadores, médicos e demolidores e cada uma destas habilidades vaI ajudá-lo na hora de invadir um local. Conforme sua família vai crescendo, você terá a opção de promover estes capangas para Capos, depois de Capos para Chefes. Cada vez que você evolui um membro da sua gangue ele ganha mais uma habilidade, o que o torna mais útil em investidas futuras.

The Godfather II ainda tem um monte de missões paralelas, como roubar bancos, fazer favores para pessoas da cidade ou subornar a polícia. Isso significa que, se quiser fazer tudo que for possível, vai levar um tempão. Mas logo as coisas vão ficando meio que repetitivas, perdendo aquele gostinho de novidade.

Além disso, depois que você pega o jeito da coisa, logo descobre que tudo vai se tornando muito rápido de resolver. A dica mais útil é encher de capangas todos os estabelecimentos que você dominar. Com isso, dificilmente uma família adversária vai conseguir tomar aquele local novamente.

Desespero em grupo

O que mais decepciona em quase todos os aspectos é o modo multiplayer. Primeiro ponto a se levar em consideração está na população online que chega ser quase nula. ?? muito difícil achar alguém que esteja jogando The Godfather II online. Quando você consegue encontrar alguém para jogar, vai descobrir que realmente não há motivos reais de largar qualquer outro game com esta opção.

Os modos Team Deatchmatch e Demolition Assault são muito básicos. O primeiro é o típico mata-mata entre times e o segundo é justamente o modo de colocar uma bomba em um local determinado no mapa. Já o modo Safe Craker é talvez um dos mais interessantes, onde vence quem conseguir roubar mais cofres no tempo determinado.

Acontece que em todos os modos a pior coisa que existe é a pontaria, pois no modo multiplayer a mira assistida é deixada de lado em favor de uma retícula que se move muito lentamente. Nem mesmo ajustando a velocidade da pontaria é possível conseguir reagir a tempo. Sua sorte será se conseguir encontrar alguém que está diretamente à sua frente. Se você conseguir pegar o adversário desprevenido vai conseguir colocá-lo para dormir com os peixes.

Desapontando a famiglia

Se há uma coisa que não falta em The Godfather II é uma série de problemas técnicos. A inteligência artificial dos seus capangas é quase nula. Eles não conseguem sequer fazer uma coisa direito. Eles sempre têm o dom de atirar em suas costas, não conseguem passar por portas e até entrar em carros é uma tarefa árdua para eles. Isso não se restringe aos seus aliados, os inimigos às vezes fingem que não o veem e o ignoram completamente. Eles não usam as mesmas táticas que você tem à disposição, como se esconder atrás de paredes ou usar granadas. A sensação é que eles querem morrer logo e que você não é o Don Dominic, aquele que todos querem ver morto.

Para piorar o quadro, temos ainda em mãos um dos jogos com visual mais pobre da atualidade. Parece que ele foi feito ainda na época do PlayStation 2 e com algumas texturas em alta definição ??? a grande maioria fica borrada quando você se aproxima demais de uma parede ou de uma porta.

O resumo da ópera é que muita coisa foi feita em The Godfather II, porém nenhuma delas ficou excelente. O jogo é legal por alguns momentos, mas depois de algum tempo a empolgação passa e fica claro que tudo poderia ser bem melhor se algumas arestas fossem polidas. Talvez as coisas sejam diferentes em Mafia II, que será lançado pela 2k Games no final deste ano e que tem futuro bem mais promissor. Até lá, a família Corleone fica em recesso esperando uma hora melhor para voltar às ruas.

Conteúdo extra?

Lembra da época em que usávamos dicas para ganhar itens em jogos? Pois é. Hoje em dia A Electronic Arts liberou para download na PSN um pacote chamado Level 4 Weapons Bundle que permite que o jogador compre as armas mais poderosas do jogo para serem usadas à qualquer hora. Elas sempre estarão em seu esconderijo por ???apenas??? quatro dólares. Isso mesmo. Quase R$10 por uma dica. Quer mais? Tem também um capanga, Jack Lira, que é mais poderoso que os outros, tem todas as habilidades e também custa quatro dólares. Este é o fim do mundo que conhecemos.

Deslocado no tempo

Diferente do primeiro jogo que contava com diversos atores do longa redublando seus personagens, em The Godfather II só a presença de Robert Duvall foi sentida. Só que aqui temos um grande problema, Duval não tem a mesma idade de quando ele interpretou Tom Hagen, o filho adotado de Don Vito Corleone. Vê-lo com aquela cara novinha e com uma voz de um idoso de mais de 70 anos não é uma coisa interessante.

Fazendo seu Don

Antes de começar o jogo você tem a oportunidade de fazer Dominic ficar com a sua cara. Mas novamente, diferente do primeiro jogo, aqui as opções são escassas. O que você vai fazer é alterar a cor dos olhos, o corte de cabelo e alguns detalhes como barba e o formato do rosto. Certamente era de se esperar coisa muito melhor.


Nenhum comentário

||
Top Games
5.9/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

©2016 GameVicio