GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Freedom Force para PC de Outer Space

por Giordano Trabach, fonte Outer Space, data  editar remover


Desde que há videogames, há jogos baseados em super-heróis de história em quadrinhos. Quem tem mais de 25 anos hoje deve se lembrar do Superman do Atari 2600, um dos mais antigos que podemos recordar. E como ele era estranho e inadequado, mesmo pros padrões daquela época.

A coisa não mudou muito com o advento de máquinas de jogos mais modernas, com super-heróis estrelando em jogos de plataforma repetitivos e sem muito brilho. Há algumas exceções, é claro, como o velho mas ótimo The Avengers (arcade), os recentes jogos do Homen-Aranha (Spiderman) para consoles, e os jogos de luta da Capcom com super-heróis Marvel - todos para arcades ou console. A plataforma PC ainda estava devendo, até que lançaram Freedom Force.

Estilo Comics


O marcante em Freedom Force, logo de cara, é o estilo comic book, desde a caixa muito colorida e cheia de quadrinhos no verso, até o manual que vem escrito com aquele estilo de letra dos quadrinhos, parecendo mesmo um gibi do Homem-aranha dos velhos tempos. Na instalação, mais quadrinhos, que vão passando enquanto o jogo é instalado. A abertura é introduzida com uma interessante animação estilo "quadrinhos em movimento", parecendo feita em Flash mas com maior polimento e suavidade. A história é hilária, como que uma paródia a todos os clichês dos quadrinhos americanos dos anos 60: há comunistas, gangsters, poderes que vem do espaço através de estranhas cápsulas, e um patriotismo exacerbado no personagem principal (Minuteman) que parece uma sátira do Capitão América. As falas são tão pomposas e exageradas como que com o real propósito de uma sátira. Não podemos deixar de mencionar as exageradas descrições de cada elemento do jogo (um simples prédio é "um orgulhoso participante na silhueta da cidade!" e um T-Rex é "O verdadeiro rei dos Lagartos Tiranos!".

Novo gênero?


Muitos irão dizer que Freedom Force criou uma nova variação de gênero. Quando você o joga pela primeira vez, percebe que é parecido com outras coisas que você já viu, só que misturando elementos. Por exemplo, logo de cara você começa controlando o seu herói Minuteman pelo parque da cidade, batendo em gangsters que estão perambulando por ali, num estilo que lembra vagamente aqueles jogos de fliperama tipo Double Dragon e Final Fight. Mas é claro, isso só passa vagamente pela sua cabeça, pois é tudo controlado pelo mouse, "point and click" no melhor estilo dos jogos de estratégia para PC (neste ponto nos veio a cabeça o clássico "Syndicate", mas outros jogos como Baldur& 39;s Gate e Dungeon Siege podem ser também citados como similares em interface/controles/gênero). A medida que você vai batendo no pessoal, e se dando bem, seu personagem vai adquirindo pontos e experiência, que o possibilita adicionar novos ataques e defesas, no estilo RPG de Diablo e companhia. Portanto, o interessante é que Freedom Force vai pegando elementos daqui e dali e junta tudo num jogo bem executado e interessante.

Cidade Patriótica


O jogo se passa na fictícia Patriotic City, uma típica metrópole americana dos anos 60, com grandes parques no estilo Central Park em Nova York, prédios, cidadãos comuns de terno e chapéu, mocinhas pudicas e muitos táxis amarelos. O divertido é que a cidade foi modelada de forma que quase tudo possa ser arrancado, destruído ou atirado longe, desde postes de luz arrancados do chão para usar como bastão até prédios que desmoronam e carros que podem ser atirados nos seus inimigos (se seu personagem tiver força o bastante para isso). Só para sentir a flexibilidade do jogo, você pode tirar um carro do chão, subir no alto de um prédio e atirá-lo lá de cima na cabeça de seus inimigos lá embaixo. Ou fazer o mesmo só que com barris e tonéis, fazendo você se sentir como o Donkey Kong original. ?? um excelente ambiente de jogo, ágil, flexível e bem colorido. Como um bom quadrinho.

Força da Liberdade


A equipe Freedom Force, que dá nome ao jogo, é liderada pelo já mencionado Minuteman, um cientista do Projeto Manhattan que estava a desmascarar um plano comunista até ser atingido por misteriosos raios de uma cápsula que veio do espaço. Outros heróis são igualmente estereótipos, como El Diablo, o super-herói latino, e o Bullet, que tem os mesmos poderes do The Flash (mas nos lembrou "Coil O Homen-Mola" daquele desenho antigo, "Os Impossíveis"). A medida que você vai avançando no jogo e completando seus objetivos, seu super-herói vai criando prestígio (isso mesmo!), que facilita a entrada de novos seguidores, ou seja, mais super-heróis na sua equipe, que você "compra" através de sua reputação.

Esta é uma variável interessante no jogo: você ganha mais prestígio ao bater muito nos "caras maus", mas perde prestígio se destruir muito a cidade no processo, ou deixando que os caras maus detonem muito as ruas. Ainda bem que isso aqui não é sobre super-heróis japoneses (lembra como o Ultraman destruía Tóquio ao cair sobre aqueles prédios de papelão? Prestígio dele iria a zero aqui no Freedom Force.)

Você pode levar até 4 de seus heróis para uma missão, sob seu controle. Cada vez que você clica o botão direito do mouse sobre um personagem, inimigo ou parte do cenário, um menu com opções aparece. Neste momento o jogo dá uma parada para que você escolha o que vai fazer em seguida. A fórmula funciona bem, pois evita o pânico de decidir/escolher enquanto a coisa toda está acontecendo a sua volta.

Cada herói possui uma variedade de habilidades, poderes e atributos, todos mostrados na tela de personagens. São 5 habilidades ("Stats"): Força, Velocidade, Agilidade, Resistência e Energia, numa escala de 1 a 10, estes 5 valores não podendo ser alterados depois da criação do personagem. Depois há ainda os Atributos, que são 58, negativos ou positivos (por exemplo, o Man-Bot tem "Unstable Energy" (Energia Instável), uma propriedade que o faz aleatoriamente soltar uma grande quantidade de energia ao ser danificado). Em suma, há atributos e habilidades de sobra para criar quase qualquer super-herói de quadrinhos de sua preferência.

Crie seu próprio Super-Herói


Os desenvolvedores acertaram ao lançar o editor de personagens pouco antes do lançamento do jogo, dessa forma, heróis feitos por fãs já pipocavam na internet quando Freedom Force foi lançado nos EUA; uma rápida busca na Web e vemos que os heróis mais famosos dos quadrinhos já foram criados para o jogo, como o Incrível Hulk, Homem-Aranha ou Batman. Aquele super-herói obscuro, que você sempre gostou mas nunca foi popular o bastante para ter um jogo só dele, agora pode ter uma chance, se você o criar no Editor de Personagens do Freedom Force. ?? claro, você terá que ter algum talento gráfico para editar as skins e tudo mais.

Uma coisa que ainda não achei, foram os Super-Gêmeos (dos Super-Amigos) para o Freedom Force. Quem gostaria de jogar com aquele inútil que sempre vira um balde de água, poça de água ou uma esponja (cheia de água?) Mas em compensação, achamos o BENDER, o robô beberrão do desenho Futurama, o Vegeta do DragonBall Z, o Megaman, e o Megatron do desenho Transformers. Gostaria de um modelo e skin do super-herói Freakzoid!, mas não encontrei (ainda!)

Impacto Visual


Os gráficos e sons de Freedom Force são ótimos. Tudo se move com grande fluidez, e é muito colorido e detalhado, lembrando um bom jogo para um console moderno. Até a musiquinha é bem "console", mas no estilo desenho animado de super-heróis dos anos 60 e 70. Os personagens e animações são ótimos, e suas skins, as fantasias de super-herói, não deixam nada a desejar. E é claro, não poderiam faltar os famosos balõezinhos dos quadrinhos no meio das lutas, como "FOOOSH!", "BOOOM"! e "SWOOOP!".

O Veredicto:
Freedom Force é um jogo divertido e muito bem executado, capaz de manter seu interesse por muito tempo graças à opção de baixar novos personagens da internet, ou criar os seus próprios, baseados em quadrinhos de sua preferência. Um ótimo jogo e grande tributo aos quadrinhos clássicos da década de 60.

Prós:
+ ??timo humor, comentários exagerados e frases hilárias;
+ Fácil de controlar; interface intuitiva, jogabilidade ágil;
+ Sistema gráfico flexível. Partes do cenário podem ser arrancadas, jogadas, prédios podem ser destruídos;
+ Editor de personagens: crie seus próprios heróis;
+ Personagens e skins para baixar da Internet.

Contras:
- Super-heróis e humor jocoso podem não ser do gosto de todos;
- Texturas um pouco simples em alguns objetos e partes do cenário;
- Multiplayer simples (apenas deathmatch; poderia ter um Cooperativo ou outros modos).


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
9/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Tópicos relacionados

©2016 GameVicio