GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de FIFA Soccer 2005 para PC de Outer Space

por Giordano Trabach, fonte Outer Space, data  editar remover


FIFA é o David Beckham dos jogos de futebol. Não importa se exista uma opção de muito mais talento em outro lugar, porque o que faz a diferença é como ele se apresenta, e a força de sua imagem.

FIFA 2005 mantém a tradição de um jogo muito bem apresentável, com todo seus times oficialmente licenciados, Ivete Sangalo na trilha sonora, e um incremento na jogabilidade chamado de Primeiro Toque, que tenta reproduzir a perspicácia de um grande jogador ao criar um grande lance a partir do primeiro toque na bola. Como sempre, tudo que vier para simular realisticamente o futebol deve, antes de satisfazer um fim prático, ficar bonito e parecer sensacional no jogo. E é bem o caso do Primeiro Toque que pode resultar em um ???combo??? espetacular, mas na maioria das vezes apenas adianta a bola para dá-la de presente ao adversário.

Algo parecido com futebol


As maiores virtudes jogabilísticas desta edição estão em alterações microscópicas no ritmo e balanceamento do jogo que acabam por torná-lo mais solto e ágil, um tanto mais gostoso de jogar. Ainda não tem 10% da naturalidade e profundidade do concorrente japonês, mas é um FIFA menos robótico e menos dependente dos terríveis scripts que determinam sua jogabilidade.

Como diversão, deve agradar bastante aos fãs da série e os que não fazem restrições à natureza superficial do jogo. Mas como simulação de futebol ??? se é que algum dia FIFA teve esta pretensão ??? é mais ou menos como diria o Galvão Bueno ao ver jogadores alemães em campo: algo muito parecido com futebol, mas que não pode ser chamado de futebol.

A inteligência artificial do jogo parece um pouco melhorada, mas ainda é bem básica; A física da bola continua extremamente artificial, principalmente nos chutes a gol (parece que a pelota vai a uns 300 km/h); E as estatísticas dos jogadores continuam muito incoerentes e sem a menor preocupação de caracterizar os jogadores por seu estilo de jogo. Citando apenas um exemplo, o Vieri, na vida real um atacante do tipo tanque, no FIFA é um driblador nato.

Novidades aqui e acolá


Este ano foram agregados alguns recursos ???extra-campo??? que irão somar um pouco de longevidade ao FIFA 2005, como é o caso dos extras desbloqueáveis, que parecem uma regra para os jogos da EA este ano. Qualquer coisa que você faça no jogo, até mesmo acessar um menu, conta pontos que podem ser usados para liberar coisas como novos uniformes e estádios.

O modo de carreira, que já existia no anterior, agora está mais completo e divertido. Você pode jogar por um período longo, de até 15 anos, administrando um time e sua própria carreira de treinador. E se não tiver paciência para jogar cada partida, dá para deixar o computador controlar tudo e te passar em texto o que acontece no certame, a la Championship Manager.

Já o Creation Center, que existia como um ???plug-in??? na versão anterior, agora foi incorporado ao jogo e é uma ferramenta bem completa. Nele você pode criar um jogador definindo todos os parâmetros técnicos e características físicas, tais como cabelo, olhos, nariz, acessórios usados etc. ?? possível também criar torneios personalizados, já que algumas competições, como o Campeonato Brasileiro, ainda não existem no jogo.

Mas o item mais impressionante de FIFA 2005 continua sendo a variedade de equipes licenciadas. São cerca de 350 clubes de todos os cantos do mundo, incluindo os 16 brasileiros mais tradicionais, 38 seleções e nada menos que 15 mil jogadores representados, muitos com rostos idênticos aos seus equivalentes reais. Seria perfeito se os bonecos não continuassem bem feios, parecendo que foram moldados em argila, e a textura dos uniformes tenha ficado bastante borrada.

O Veredicto:
FIFA 2005 tem uma jogabilidade um pouco melhor que seu antecessor, mas no geral traz poucas novidades relevantes.
A distância para a sofisticação de Winning Eleven fica cada vez maior e os produtores continuam presos a uma fórmula que prioriza demais a superficialidade. Mas no final das contas, é exatamente este o apelo mercadológico do jogo, então esta edição tem tudo para satisfazer o jogador casual e o futebolista menos exigente, isto é, todos aqueles que nunca jogaram um Winning Eleven.

Prós:

+ Jogabilidade menos robotizada que os anteriores;
+ O belo trabalho de licenciamento da EA Sports;
+ Som bacana;
+ Modo de carreira melhor elaborado e completo.

Contras:

- Inteligência artificial sem a menor sofisticação;
- Física da bola artificial como sempre;
- Uniformes borrados;
- Jogabilidade sem variedade.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
7/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Tópicos relacionados

©2016 GameVicio