GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Star Wars: Battlefront II para PC de Outer Space

por Giordano Trabach, fonte Outer Space, data  editar remover


Assim como era altamente previsível o lançamento de um jogo baseado na saga de George Lucas que imitasse o estilo de Battlefield, também foi fácil de imaginar que este ganharia uma continuação. E não deu outra, ainda mais depois do sucesso primeiro Battlefront, que se tornou o Star Wars mais vendido da história.

Battlefront 2 chega trazendo mais opções, mapas, visuais mais requintados, batalhas espaciais e a possibilidade de fatiar alguns inimigos com um sabre de luz em punho, uma vez que a classe Jedi foi adicionada. Será isso foi suficiente para ouriçar ainda mais os fãs da série? Em parte, sim.

Boas opções para um jogador


Para quem já teve a oportunidade de curtir o primeiro Battlefront, verá no segundo um jogo melhorado e mais maduro em termos técnicos, mas que ainda revive alguns defeitos e peca um pouco pela repetição conceitual.

O preceito básico de ???shooter??? em primeira pessoa em equipes continua inalterado: matar os soldados do exército inimigo e conquistar o maior número possível de pontos estratégicos dos mapas, fazendo assim com que reforços possam ser pedidos em localidades diferentes. ?? medida que os pontos são tomados e os soldados vão sendo mortos, um medidor de reforços adversário vai diminuindo até que chegue a zero, e o confronto acabe.

A maior novidade de Battlefront 2 fica para o inédito modo para um jogador, que conta a história de um soldado clone da 501ª divisão de infantaria e que traz diversos objetivos interessantes para serem cumpridos nas missões. A seqüência acompanha os eventos do filme A Vingança dos Sith, começando no término da guerra dos clones e indo até a transformação da antiga República no Império Galáctico, passando pela trágica aniquilação dos Jedi em cumprimento à Ordem 66.

Além desta boa opção de campanha, existe ainda outro modo para um jogador que é interessante: o Galactic Conquest. Nele, uma porção do universo, com seus planetas e pontos de interseção, aparece como se fosse um tabuleiro, e devemos avançar com nossas naves para conquistar os planetas dominados pelo inimigo. Quando chegamos sobre um deles, uma batalha em superfície é iniciada e, quem vencer, domina. Quando as naves inimigas se encontram em algum ponto, é iniciada uma batalha espacial, e o perdedor fica sem aquela sua frota. ?? medida que as vitórias vão acontecendo, vários upgrades podem ser comprados, tais como tropas adicionais, escudos extras, maior poder para os ???blasters??? e presença de Jedi nos combates.

Obviamente, o confronto multiplayer continua sendo o foco principal de Battlefront, mas os novos modos para um jogador, apesar de não serem espetaculares, são um bom alívio para quem quer se divertir com o jogo sem ter que entrar no ambiente on-line e começar mais uma sessão frenética de mata e morre. Além variarem um pouco o jogo, eles aumentam sua longevidade.

Jedi business, get back to your drinks


Como não podia deixar de ser, o segundo Battlefront ganhou novas classes de combatentes em relação ao primeiro: Se antes eram 5 por exército, agora temos 8. São elas:

- Infante: Permanece inalterado. ?? o ideal para confrontos contra outros soldados;

- Bazuqueiro: Também o mesmo. Especialista em destruição de veículos;

- Sniper: Idem. O atirador de elite, que mata os soldados inimigos um a um, com tiros de alta precisão;

- Engenheiro: Esta classe é nova em nome, mas não em conceito. Ela é exatamente igual à antiga classe Piloto, do primeiro jogo, e seus representantes têm as mesmas armas (uma espécie de escopeta de raios) e funções (reparar veículos e artilharias avariadas);

- Especial 1: A classe especial continua inalterada em relação ao primeiro Battlefront. Os rebeldes ainda contam com a força dos Wookies, os imperiais com os Dark Troopers, a república com os Jet Troopers e os separatistas com os Droidekas;

- Especial 2: Uma segunda classe especial foi adicionada, que, a exemplo da primeira, é representada por soldados únicos em cada exército. No geral, eles têm alguns poderes especiais, como capacidade de ficar invisível, diminuir o dano dos disparos recebidos e aumentar o dano feito pelos ataques, além de armas diferenciadas. Os rebeldes contam com os espiões Bothan, os imperiais têm os oficiais, a república conta com os Clone Commanders e os separatistas têm os MagnaGuards (aqueles soldados de elite do General Grievous, que aparecem no Episódio 3).

- Jedi: Finalmente podemos controlar um Jedi nos combates, coisa que não podíamos no primeiro jogo. Cada exército tem o seu próprio Jedi, mas na prática eles são todos parecidos, com seus sabres de luz utilizados para atacar e revidar disparos, e poderes da força, como salto mais alto, maior velocidade, etc.

- Piloto: O antigo piloto, do primeiro Battlefront, virou o engenheiro, mas ainda temos um piloto no novo jogo. Ele é bem fraco em termos de armas ??? tem uma pistola e uma bomba temporizada ??? e podemos utilizá-lo somente nas missões espaciais. Sua maior virtude é conseguir reparar os danos da sua própria nave enquanto pilota.

Uma diferença em Battlefront 2 é que a utilização dos personagens das classes especiais não é livre. Começando uma missão, precisamos escolher um soldado básico primeiro, entrar no campo de batalha, matar alguns inimigos e acumular pontos, que serão utilizados para ???comprar??? os soldados especiais ??? e estes também possuem utilização limitada. Com os Jedi, o sistema funciona da mesma maneira, porém mais pontos são necessários para liberá-los e eles não estão disponíveis em todas as missões.

As opções de planetas cresceram. Alguns mapas foram removidos ??? os dois de Bespin, os dois de Rhen Var e o de Yavin IV ??? e outros foram adicionados ??? Mustafar, Utapau, Coruscant, Dagobah, Felucia, Polis Massa, Mygeeto e os corredores da Estrela da Morte e do transporte coreliano rebelde, sobre Tantive IV. Além desses, outros mapas do primeiro jogo continuam imutáveis ??? Kamino, Geonosis, Naboo, Endor, Hoth, Tatooine, Jabba???s Palace (adicionado ao jogo original através de uma atualização) e Kashyyyk ??? e ainda temos mais 6 cenários espaciais nas órbitas de alguns planetas.

Os confrontos espaciais também são uma ótima adição, com muitas opções de naves e um clima bem digno das batalhas que vimos nos filmes. O problema é que são meio repetitivos, não conseguindo fugir de certos objetivos como destruir caças inimigos e partes vitais de naves capitâneas.

Flashback estelar


Foram necessários vários ???patches??? para corrigir infinitos bugs, problemas de lag e de interface do primeiro Battlefront, e esse trabalho mal feito pelo menos serviu de aprendizado para a produtora Pandemic. Battlefront 2 tem uma boa programação on-line, funciona sem problemas e é bem amigável em termos de configurações. As opções de jogatina, entretanto, continuam meio escassas ??? temos apenas os modos conquest (que é o mais jogado, disparado), Hunt (caça a criaturas planetárias), Assault (cumprir determinados objetivos valem diferentes pontuações) e Capture the Flag (auto-explicativo).

Na parte visual, o Battlefront 2 está melhor que seu antecessor, mas ainda está muito longe do que podemos chamar de algo belo. Os cenários são bacanas para um jogo multiplayer em times, mas muito aquém ainda do que existe por aí em termos de ação em primeira pessoa. O grande erro é que, apesar da melhoria gráfica, muito pouca coisa foi modificada, o que traz aquele gosto amargo de que estamos jogando o primeiro Battlefront ??? que já não foi grande coisa no ano passado, quando foi lançado. Os veículos são os mesmos, vários mapas se repetem, os barulhos são idênticos, a jogabilidade é a mesma e a inteligência artificial continua oscilando bons e maus momentos. A sensação de déjà-vu incomoda.

Trocando em miúdos: Se colocarmos Battlefront e Battlefront 2 lado a lado, a continuação se mostra bem melhor, mas não o suficiente.

O Veredicto:
Star Wars Battlefront 2 diverte como seu antecessor, mas como seqüência fica devendo novidades mais relevantes e melhor balanceamento. As inclusões dos Jedis e dos combates espaciais são bem vindas, mas poucas demais para evitar uma sensação constante de déjà vu, e alguns defeitos notórios do original, como a I.A. persistem. Ainda é um ótimo tiroteio, mas a oportunidade de evoluir foi desperdiçada.


Prós:

+ Finalmente, os Jedi;
+ Modos para um jogador muito bem vindos;
+ Boa quantidade de planetas e classes jogáveis;
+ Combates espaciais;


Contras:

- Continua muito igual ao primeiro Battlefront;
- Inteligência artificial ainda precária, revezando bons e péssimos momentos;
- Apesar dos gráficos terem melhorado, ainda estão muito aquém do que existe no mercado;
- Multiplayer continua limitado em termos de opções;


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
7/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach
©2016 GameVicio